História Como (não) ter uma família perfeita - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7, Super Junior
Personagens BamBam, Jackson, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kim Heechul, Mark, Rap Monster, Sandara Park, Suga, V, Yugyeom
Tags Blackpink, Bts, Got7, Heechul, Namjin, Sandara, Universo Alternativo
Exibições 209
Palavras 1.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie ARMYs! Sempre quis fazer uma fanfic Namjin, porque Namjin é amor! Vai ter aparições de Blackpink e alguns momentos de Markson, então preparem os kokoros.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Primeiro Encontro


Fanfic / Fanfiction Como (não) ter uma família perfeita - Capítulo 1 - Primeiro Encontro

24/10/04

Era um dia normal para Seokjin. Ele trabalhava na cafeteria de sua família e sorria docilmente para todos os clientes.  Até que um cliente diferente entrou. Um homem moreno e bem vestido, Kim Namjoon, um gerente júnior de uma grande empresa. Chegou a Seul alguns meses atrás e sua vida não poderia estar melhor. E mais corrida. Tinha acordado atrasado está manhã e entrou na primeira cafeteria que viu. Precisava de cafeína na veia. Sentou-se a mesa e esperou o atendente, na mesma hora seu celular tocou. Será que não poderia nem tomar um café em paz? No momento que colocou os olhos naquele cliente seu mundo parou. Seokjin precisava falar com ele e saber dele, mas suas pernas não saiam do lugar. Até que sentiu um leve beliscão, sua irmã Jisoo o incentivava.

- Também o achei bonito oppa. - ela dizia sorrindo - Vá atendê-lo antes que eu vá. - ela o empurrou sem dar-lhe chance de reagir.

- Bom dia senhor – ignorado – eu disse bom dia – duplamente ignorado, teve que recorrer ao cutucão- Senhor- Ele falava e cutucava bem forte.

- Espera um pouco - o cliente disse abaixando o telefone – cappuccino e qualquer coisa que você tenha bem fresca – Voltou ao telefone – oi pode falar.

 Ok. Ele era um grosso, que decepção, tão bonito, tão mal-educado. Jin pegou um brioche e o cappuccino que montou de qualquer jeito, não com a delicadeza de sempre. Estava indo levar para o cliente grosso quando recebeu uma trombada. Tudo que viu depois foi: brioche voando, caneca caindo, sua cabeça tendo um belo encontro com o chão, tudo preto.

Jin acordou num quarto branco, provavelmente de hospital, ele só não sabia como tinha parado lá. Olhou para lado e esperava encontrar sua mãe ou Jisoo, mas encontrou o cliente grosso concentrado no notebook. Assim que o homem percebeu que ele estava acordado tratou de largar o notebook e dar total atenção a Jin.

- Jin, você tá bem? – levantou-se e pegou na mão do mais velho– me perdoe por aquele esbarrão, você acabou batendo a cabeça e só acordou agora. – apontou para um relógio na parede.

2 horas da tarde. Ele passou 6 horas desmaiado? Meu deus.

- Onde tá minha mãe? – J parecia uma criança de 8 anos perguntando pela omma

- Na cafeteria, eu falei que ia cuidar de você, e sua irmã não parece uma pessoa muito adequada pra cuidar daquilo sozinha. – os dois riram e Jin sentiu sua cabeça latejar- acho melhor chamar um médico.- Namjoon disse soltando a mão de Jin, porém o mais velho segurou seu pulso.

- Por que você ficou aqui?

- Me senti culpado, porque fui a causa da destruição como sempre – Namjoon sorriu mostrando as covinhas.

- Então, causa da destruição, posso saber seu nome? – Jin perguntou exibindo seu sorriso e sentindo um pouco de dor.

- Namjoon, mais conhecido como seu novo melhor amigo e o cara que sabe tudo sobre você graças a sua mãe.

- É só eu desmaiar por 6 horas que ela faz a festa – então Namjoon deu uma gargalhada, alta e escandalosa, e Jin não sabia, mas aquele iria se tornar o melhor som da terra pra ele.

 

 

Na semana seguinte, Jin voltou ao trabalho, sua mãe sua irmã estavam preocupadas com seu leve desequilíbrio, mas ele só pensava em ver Namjoon de novo. Ás 9 horas Namjoon chegou, acompanhado de sua namorada Jennie. Vê-lo com ela foi o fim do mundo para Jin. É claro que ele estava criando expectativa desde aquele dia no hospital, afinal ele era trouxa. E saber que ele tinha namorada foi como ter suas esperanças pisoteadas. Juntou todas suas forças e foi atender o casal feliz.

 

- Jin! Você tá melhor cara?- Namjoon perguntou todo sorridente com os braços envolvendo Jennie.

- To sim.  Obrigado por perguntar – Jin deu um sorriso bem falso. – Não vai me apresentar?

- Ah claro, essa é minha garota Jennie – Namjoon puxou Jennie e a deu um beijo na bochecha.

Ok, aquilo estava virando tortura. Jin resolveu anotar os pedidos e sair dali o mais rápido possível.

- Então, queria te perguntar se você gostaria de ir ao cinema com a gente esse sábado.

- E ser uma vela ambulante? Não obrigado. - Jin tentou ser educado, mas aquela garota era muito mocréia.

- Eu te entendo. Podem ir sem mim, façam uma noite dos garotos. – Jennie falou inocentemente.

- Ah, mas sem você não vai ter graça – falou roçando seu nariz no pescoço de Jennie.

A mesma começou a rir descontroladamente, quando Namjoon levantou os olhos Jin não estava mais lá.

 

Às 21h Jin estava na porta do cinema, torcendo pra não levar um bolo. Quando Namjoon chegou pode ouvir um suspiro de alívio.

- Tem um ótimo filme de ação em cartaz – Jin fez uma leve careta – acho que você não é muito fã né.

- Tem de romance também – Jin disse fazendo sua cara mais fofa de convencimento.

- Nem adianta fazer essa cara, romance eu não assisto. – Namjoon falou rindo um pouco da cara de decepção de seu hyung.

-Que tal comédia?

- Combinado.

O filme era horrível, as piadas sem graça e totalmente sem sentido, por isso resolveram sair mais cedo e ir até a sorveteria mais próxima.

- Desculpe pela droga de filme hyung. – Namjoon disse comendo um pouco de seu sorvete de flocos.

- Você me chamou de hyung? – Jin perguntou surpreso.

- Desculpe, achei que já tínhamos intimidade pra isso. – Namjoon disse corando e abaixando a cabeça envergonhado.

- Claro que temos – Jin disse levando o queixo do mais novo – e não se desculpe, a noite está só começando.

Ficaram umas 2 horas se conhecendo e rindo muito, Jin descobriu que Namjoon tinha se mudado há cinco meses para Seul e tinha conhecido Jennie no trabalho. Também descobriu que ele era cheio de atitude, mas também se envergonhava fácil. N descobriu que J era dócil e muito ligado a família, fazia faculdade de psicologia, mas também era compositor. Para Namjoon, sair com Jin era quase igual sair com Jennie, só que melhor.

- A noite foi muito boa. – Namjoon dizia enquanto deixava Jin no portão de sua casa.

- O filme era péssimo, mas a companhia foi ótima – Jin se aproximou para um abraço e pode sentir o cheiro bom que Namjoon tinha.

Abraçaram-se por uns segundos e quando Jin ia se afastando Namjoon puxou sua nuca e começaram um beijo calmo e delicado, cheio de inseguranças.

- Boa noite hyung – Namjoon disse encerrando o beijo ainda de olhos fechados, e indo para o carro como se nada tivesse acontecido.

Deixando um Jin confuso e encantado.

 

 

 


Notas Finais


UAUUU! Já comecei o primeiro capítulo lacrando. Espero que tenham gostado. Beijossss
Comentemmmmm


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...