História Family love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Família, Incesto, Sexo
Visualizações 50
Palavras 845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeiro capítulo já meio pesado, desculpem kkkk.

Capítulo 1 - Seja bem-vindo


Me chamo Elle, tenho 17 anos e moro em Minas agora. Minha vida virou do avesso completamente nos últimos 3 meses... Eu estou realmente perdida. 

Minha família sempre foi muito próxima, exceto pela minha mãe, que sumiu no mundo quando eu tinha 7 anos, assim que meu pai morreu. Morei com minha avó desde então, sempre recebendo uma família gigante em casa, todo domingo, em uma casa enorme no interior do Rio de Janeiro. 

Minha mãe apareceu 3 meses atrás e me tirou de lá, como se fosse a mãe mais preocupada e amorosa do mundo. Eu sinto tanta falta da minha família. Não sei o que vim fazer aqui com essa louca. Como ele chega assim e acha que vai ficar tudo bem? Eu não quero estar com ela, não quero me aproximar. A única coisa que sei dela é que se chama Estella, e que tem lá pros seus 40 anos. É até bonita, mas se parece pouco comigo. Tem cabelos curtos e ralos, castanhos claro e lisos, olhos castanho escuro, estatura mediana e um corpo proporcionalmente magro e bonito. Ela aparentava ser bem mais nova do que realmente era. Enquanto eu tinha cabelos longos, cheios e loiros, ondulados, era baixinha, com curvas lindas e os lábios grossos, quase tudo herdado de meu pai, um homem realmente lindo. Somente meus olhos eram como os dela. Grandes e escuros, profundos. 

Hoje foi meu primeiro dia de aula na nova escola. Não aguentei e fiquei apenas no primeiro horário. Tive que fugir de lá. Nunca havia visto tantas pessoas mesquinhas e medidas em um só lugar. 

Finalmente cheguei no prédio e entrei no elevador, e, junto comigo entrou um homem realmente maravilhoso. Parecia ter uns 25 anos, forte, moreno, alto, cabelo meio jogadinho em um topete e pretos. E aqueles olhos... que olhos intensos. E como era cheiroso. 

Eu não conseguia parar de olhá-lo e notei que ele também não. Eu sorri e ele retribuiu. Não conseguia parar de olhar meus seios que quase pulavam da camiseta que eu usava por baixo do uniforme quando o tirei, ali mesmo no elevador. Minha bunda também estava incrível naquela calça.

Ele parou o elevador. 

-O que foi isso? Você está bem?- perguntei querendo entender porquê ele tinha parado o elevador. 

-Não, não estou bem. 

-O que você tem? Posso ajudar?- perguntei quando vi que ele colocou as flores que estava segurando no chão. Nesse ponto notei que ele não parava de olhar pra mim, para meu corpo. Quem era aquele homem? Acho que ele veio do céu. Obrigada, meu Deus. Eu estava merecendo mesmo. Tinha acabado de terminar com Daniel, um idiota que eu namorava no RJ e que tinha me traído com uma das minhas melhores amigas. Eu estava realmente carente, precisando de um carinho... ou só de um sexo, mesmo. 

-Você é a única que pode me ajudar, pra ser sincero.- falou se aproximando de mim e me prendendo contra a parede do elevador. 

-É? e o que você quer que eu faça? Estou à disposição para ajudá-lo.- falei bem perto de seu ouvido, fazendo o soltar um sorriso malicioso que me deu arrepios na hora. 

-Só relaxe, eu sei bem o que fazer.- falou beijando-me e passando a mão por todo o meu corpo. 

Em seguida, abaixou na minha frente e começou a abrir minha calça e tirá-la rapidamente. Quando acabou, colocou uma de minhas pernas em seu ombro e começou a beijar-me por cima da calcinha, já fazendo-me gemer. Até que também não aguentou e rasgou toda a calcinha, rapidamente separando meus lábios e fazendo movimentos rápidos e frenéticos com sua língua, e, depois, colocando direto dois de seus dedos em mim, enquanto massageava meu clitóris com seu polegar. Se levantou, sem parar o movimento e começou a me beijar, deixando meus gemidos mais abafados, mas não impedindo que eles acontecessem. 

Dei uma volta nele, dessa vez, empurrando-o contra a parede e rapidamente abaixando suas calças, já que não tínhamos muito tempo por estarmos atrapalhando o fluxo do elevador, e reparando no grande volume dentro de sua cueca. Puxei-a rapidamente para baixo e já abocanhei seu pau, chupando como se não fizesse isso a anos. Ele gemeu com uma voz rouca que me fez gemer junto na hora. Que gemido gostoso. 

Depois disso, ele me pegou no colo, penetrou em mim de forma rápida e intensa, segurando minha bunda e minha coxa tão forte que me deixou marcas. Chupava meu pescoço todo, enquanto eu arranhava suas costas. Foi uma loucura. Nós dois gozamos quase que na mesma hora. 

Nos vestimos e nos arrumamos, os dois com sorrisos nos rostos. Que loucura foi essa, Elle? Meu deus. 

Quando saímos do elevador, fomos direto para a mesma porta, ainda meio que nos arrumando. Estranhei quando o vi indo em direção à porta do meu apartamento onde morava com minha mãe e tocava a campainha. 

-O que você está fazendo?- perguntei quando no mesmo instante, minha mãe abriu a porta e lhe deu um abraço. 

-Oi, Ell, quero que você conheça o Alex, meu novo namorado.


Notas Finais


Comentem se gostarem pra dar uma força e incentivo. Aceito criticas, sugestões e opiniões. Beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...