História Family love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Família, Incesto, Sexo
Visualizações 37
Palavras 663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Proposta irrecusável


Disse oi como quem não sabia de nada e corri para o meu quarto sem saber onde enfiar a cara. Depois de uns minutos pensando, me senti uma pessoa horrível. Não por ter transado com o namorado da minha mãe, mas por não me sentir culpada por isso e pior, por precisar daquilo de novo. Eu não simplesmente queria, eu precisava daquele homem. 

Não, Ell, se controla, não vai estragar tudo tão rápido. Pensei. Pensei. Por que eu estava preocupada com isso? Ela estragou tudo quando sumiu e me abandonou sem nem me dar explicações. Eu não devo nada a essa mulher e eu vou ter esse homem pra mim. 

Acordei ainda meio perplexa com o que tinha acontecido. Saí do quarto e fui em direção à cozinha. Não comi nada ontem pois quando cheguei da escola já me tranquei no quarto devido à situação constrangedora em que me envolvi. Chegando lá, dei de cara com Alex só de cueca na cozinha. Como também estava somente com uma camisola de renda, bemm transparente, não podia nem reclamar dele (e eu realmente não tinha porquê reclamar... que visão maravilhosa). 

-Desculpe, não achei que fosse acordar tão cedo.- disse se escondendo atrás do balcão. 

-Relaxa, eu já vi tudo o que você tem aí.- falei sorrindo e passando pro mesmo lado dele no balcão para alcançar a geladeira e empinei minha bunda (que realmente chamava uma puta atenção) para trás para pegar o suco de laranja. Notei que ele nem piscava e mordia os lábios me observando. 

-Cuidado pra não babar aí.- falei passando minha mão do lado de seu corpo escultural para pegar o copo que estava na pia e falando bem perto de sua boca enquanto o olhava, realmente provocando-o. 

-Você sabe o risco que a gente corre, né? Se sua mãe descobrir...

-O que tem? Você tem medo?- falei sussurrando em seu ouvido. 

-Não me provoque, você teve uma prévia do que eu sou capaz, eu posso fazer bem pior. 

-Eu não tenho medo de você. Você quem deveria estar com medo.- falei e enrolei minhas mãos em sua nuca, dando-lhe um beijo quando ele me pegou no colo e me sentou no balcão, jogando alguns talheres que estavam ali dentro da pia. 

-Amor, você está aí?- perguntou minha mãe da porta do quarto. 

-Sim, meu bem, já vou!- respondeu ainda no meio do nosso beijo e voltando rapidamente. 

-Ok, estou te esperando. Não demore, estou com vontade de você.

-Claro, meu bem. 

-Quem te satisfaz? Eu ou ela?- perguntei. 

-Não me faça responder isso.

-Tudo bem, você não é obrigado a responder, mas enquanto eu não souber a resposta, eu não te mostro o que posso fazer.- sussurrei em seu ouvido, descendo do balcão e seguindo para meu quarto. Deixando-o me olhando, já ereto e excitado, sem saber o que fazer. 

Ouvi minha mãe gemendo em seu quarto, e não consegui não notar no quanto meu gemido era mais sexy do que o dela. Não o ouvi gemendo uma vez. Será que estava realmente satisfeito?

Deveria estar me arrumando para a escola, mas mudei meus planos por hoje. Assim que minha mãe saiu pra ir trabalhar no escritório, saí do quarto com uma lingerie realmente pequena, preta, que valoriza todas as minhas curvas. Alex estava no quarto e viu meu vulto passando em frente ao seu quarto, levantando e indo atrás de mim. 

-Por que você faz isso?- perguntou me olhando dos pés à cabeça. 

-Por que? Não gostou? 

-Eu adorei. Mas eu não posso e você sabe. 

-O que te impede?

-Sua mãe, claro. 

-Ela não está aqui. Eu estou. 

Ele veio pra cima de mim e eu o parei com um dedo. 

-Eu te disse que enquanto você não admitir quem é a melhor, nada vai rolar. 

-Ok, mas eu tenho uma proposta. 

-Conte. 

-Nós aproveitamos que estamos sozinhos e você me mostra do que é capaz. Aí sim, eu vou poder dizer quem é a melhor. 

-Proposta aceita.


Notas Finais


Continuem comentando e dêem sugestões se a história puder melhorar em alguma coisa, por favor. Beijinhoss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...