História Family or Love - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Bianca di Angelo, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Dionísio, Frank Zhang, Frank Zhang, Frederick Chase, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Jason Grace, Jason Grace, Júniper, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Nico di Angelo, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Piper Mclean, Piper McLean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Tyson, Will Solace, Zeus
Tags Acampamento Meio Sangue, Annabeth Chase, Caleo, Clarisse La Rue, Frazel, Hdo, Jasiper, Luke Castellan, Nico Di Angelo, Percabeth, Percy Jackson, Pjo, Thalia Grace, Thalico
Visualizações 149
Palavras 2.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então finalmente o casamento Thalico! Esperem um casamento com bastante surpresas.

E no próximo cap sons temos a festa dos dois!

Aproveitem.

Capítulo 41 - Um casamento... diferente


Fanfic / Fanfiction Family or Love - Capítulo 41 - Um casamento... diferente

POV Thalia Grace.

Se eu estou nervosa? Nadinha. Mentira eu preciso urgentemente de um calmante.

No momento estou no meu quarto, são 7:35 (pelo menos no meu casamento eu tenho que acordar cedo) e minhas madrinhas ainda não chegaram, juro que estou me esforçando muito para não roer de ansiedade as unhas perfeitamente feitas. O casamento é as 13:00 e eu não vejo o Nico a quase trinta e seis horas, e perdi as esperanças, sendo tão em cima da hora só vou vê-lo no altar.

Minha situação; descabelada, o vestido sendo ajustado em uma alfaiataria a mais de meia hora daqui, madrinhas que prometeram me ajudar sumidas, um noivo ansioso que me mandou trocentas mensagens e nem banho eu tomei!

Finalmente a porta é escancarada e as garotas passam apressadas por ela. Não deixo de perceber que todas estão muito bem maquiadas e com os cabelos em penteados complicados mas lindos, tudo que falta é vestidos e sapatos, os quais acredito estão nas sacolas que cada uma carrega.

- Oi Lia. – disse Annabeth tomando a frente. Ela me olhou e franziu o rosto em desgosto. – Você ainda está... assim? – ela me olhou avaliativa e apontou de cima abaixo.

- Não me julguem. Estou nervosa. – disse andando de um lado para o outro e finalmente olhei as outras. – Oi garotas.

- Eai. – disse Clarisse enquanto todas me abraçavam menos ela.

- Cadê ele? O mais importante da festa? - perguntou Piper animada e percorrendo fervorosamente os olhos por meu quarto.

- Nico deve estar se arrumando; coisa que eu deveria estar fazendo também. – disse a última parte um pouco baixo.

-Não! O Nico não é o mais importante! – disse me olhando ansiosa.

- Claro, o noivo não é importante. Então o que é senhorita McLean? – perguntei cruzando os braços.

- O vestido! – disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

- No alfaiate, estão fazendo uns últimos ajustes bordado. – disse dando de ombros.

- O que?! – perguntou abrindo a boca. Ela me olhou e engoliu em seco. – está brincando não está?

- Não. – disse franzindo a testa. O que deu nesta garota?

- Temos que ir agora buscar! Faltam só algumas horas! Clarisse você me leva no seu carro; Calipso você separa as roupas; Hazel ajuda no cabelo e maquiagem... e Annabeth, por favor da um jeito nela. – diz estressada e sem nem alguém ter tempo de intervir. Ela puxou Clarisse porta a fora que foi cambaleando atrás daquele furacão rosa choque. Quando ela sumiu de vista eu olhei abismada para minhas três madrinhas que restavam.

- Não se preocupe Thalia; Piper só está animada demais com a perspectiva de presenciar a junção de um casal. Mas é seu dia e você tem que fazer tudo com calma, aproveitar cada segundo... nem que Nico tenha que esperar uma eternidade. – disse Hazel se aproximando e colocando amigavelmente a mão em meu ombro.

- Tudo bem. So achei que não fosse tanta pressão. – admiti sorrindo amarelo.

- Mas não tem pressão... quem Piper é para te cobrar? Você agora só tem que ficar linda para seu noivo. – disse Annabeth sorrindo.

- Nós realmente vamos te ajudar, mas você relaxe e se sente, nós cuidamos de tudo. – disse Calipso. Sorri para elas que logo se sumiram no quarto.

Mais de meia hora depois todas estavam envoltas em suas funções, preparando em um ritmo mais rápido que meus olhos poderiam acompanhar.

- Vem. – chamou Annabeth me estendendo a mão.

- Aonde? – perguntei com a testa franzida, apesar de ter aceitado sua mão.

- É seu dia de noiva. Você merece o melhor. – ela me guiou até o banheiro. Me largou la dentro e eu olhei, uma banheira com espuma e pétalas de rosa estava prontinha para mim, e em um cabide ao meu lado estava um hobby felpudo e preto com as iniciais TG.

Caralho. Eu tenho esta banheira a décadas e quase nunca usei; e admito foi um erro. Está banheira é a melhor coisa do mundo. Lavei os cabelos e os deixei em uma hidratação durante os quinze minutos que gastei para apenas me ensaboar e brincar com a espuma.

Logo que sai do meu banho de princesa me sequei um pouco e vesti o hobby voltando ao quarto. Me surpreendi ao ver meu vestido e sapato perfeitamente passados e lustrados esticados sobre a cama.

Meu vestido era um semi-sereia, o que significa que era justo até metade das minha coxas onde havia um laço e se abria em uma saia de tule e bordado muito rodada e cheia. Ele também tinha detalhes em preto, como as flores que formavam linhas bordadas e o laço, ambos pretos; qual é, pode ser um vestido de noiva, mais ainda é o vestido de noiva de Thalia Grace, tinha que ter preto. Meu salto também era um preto clássico fino.

- Vai Lia. Pode vestir. – disse Piper dando pulinhos atrás da cama.

Mesmo sendo apenas 10:43 eu ainda estava muito ansiosa para me ver de vestido e tudo mais; então acatando a ordem de Piper, apanhei o vestido e entrei no closet me vestir.

Ele caiu perfeitamente, parecia feito sob medida... na verdade ele é feito sob medida. Sai do closet e a surpresa das garotas foi expressada em rostos exageradamente deslumbrados.

- Você está linda. – disse Annabeth com as mãos tampando a boca em surpresa.

- Maravilhosa. – disse Piper batendo palminhas histericamente.

- Parece uma princesa. – disse Hazel dando uma volta completa em mim e me admirando.

- Perfeita. – disse Calipso deslumbrada.

- Ficou maneiro Grace. – disse Clarisse e eu tomei isso como algo grandioso, era extremamente raro ela distribuir um elogio sequer.

- Obrigada. – agradeci e girei, o que fez alguns tules rodarem lindamente.

Elas me arrastaram para uma cadeira em frente a penteadeira. Tudo que eu via era um movimento rápido de pincéis, escovas, secadores, batons, acessórios, paletas de maquiagens e muito mais.

Se me perguntassem o que aconteceu antes do meu casamento eu diria; um furacão me atacou. Um furacão de cinco madrinhas loucas.

Estava pronta, cabelo perfeitamente arrumado, vestido perfeito e passado, maquiagem impecável e saltos que praticamente assassinaram minha joanete. Já eram 12:16, faltavam 44 minutos para o casamento.

- Vamos logo Thalia. Você está perfeita! – disse Annabeth parando atrás de mim com as mãos no meu ombro e olhando o espelho.

Minhas madrinhas já estavam vestidas, um vestido preto e padrão que eu as obriguei a usar. Elas disseram que preto em casamento da azar; eu mandei elas se foderem.

Travei para responder a Annabeth. Eu queria um tempinho so, nem que fosse para enxergar Thalia Grace de verdade antes de se prender a alguém e tomar posse do sobrenome Di Ângelo.

- Hum... Annabeth, o motorista vai vir me buscar em vinte minutos, vocês podem ir indo. – pedi olhando para ela, seus olhos percorreram cada milímetro do meu rosto.

- Quer ficar sozinha não é? – perguntou. Ela sempre sabia, não era atoa que era minha melhor amiga. Assenti. – ok. Vamos garotas, temos um noivo para acalmar.- todas me abraçaram antes de irem para a porta; exceto Annabbeth que antes de seu parou na porta e falou baixo de modo que ás outras não ouvissem. – Não demore. Seu noivo vai ter um treco e acredito que você não goste de necrofilia para se casar com um Nico morto. – ela piscou um olho e fechou a porta.

Por isso que eu amo a Annabeth. Eu aqui transbordando preocupação e ela consegue fazer uma piadinha que me arranca uma descontrair risada, depois de mim, ela é a melhor pessoa que eu conheço.

Virei novamente para o espelho; aquela era eu, e Hazel estava parcialmente certa, eu parecia um princesa, perfeita demais até para o que eu considerava perfeita. Girei e o belo vestido não parecia tão lindo quanto antes, continuava maravilhoso, mas não parecia meu, não parecia feito para mim.

Eu estava diferente de mim. O que é algo estranho de se dizer. Eu não era Thalia Grace, eu era uma versão mais delicada de mim; o que parecia errado, eu nunca fui nada delicada. Passei a mão pelo tecido suspirando, era perfeito, mas não para mim, o espelho refletia uma Faro meiga e delicada, eu não sou assim! Eu sou Thalia Grace! Meu estilo me define.

Nico se apaixonou pela garota marrenta, punk, rockeira, despreocupada e totalmente desarrumada. Sem se importar com a opinião alheia. E se gostamos de nós assim, devo permanecer assim, e não mudar para agradar convidados! Meu noivo tem que me ver do jeito que se apaixonou.

Não, eu não vou me casar de cuturnos e calça de couro. Mas repaginar este vestido não seria nada mal. Sorri satisfeita para a imagem no espelho.

Tirei aqueles sapatos desconfortáveis que a tempos estavam me irritando, o meu reflexo pareceu minimamente melhorar; eu já estava mais Thalia. Soltei o coque perfeito com certo remorcio, as garotas tiveram um trabalhão para colocar os apliques para mais cabelos ficarem longos; foda-se é meu dia, tirei todo aquele cabelo falso e deixei meus cabelos caírem pelos ombros, curtos e ondulados.

O reflexo agora não era algo falso, era a Thalia de sempre em um vestido bonito; mas faltava algo. Caminhei pelo quarto e na porta encontrei os cuturnos, com a sola suja, de couro preto e com cadarços em um laço mal feito; perfeito. Calcei eles que como sempre caíram confortavelmente como uma luva.

Novamente em frente ao espelho me senti eu. No reflexo de meu quarto vi a peça final pendurada desajeitadamente na cabeceira da minha cama; minha fiel. Minha jaqueta de couro preta, isso mesmo eu vou casar com uma jaqueta de couro; a qual eu mesma customizei com spikes pontiagudos. Apanhei a jaqueta e vesti. Perfeita.

Ouvi a buzina e acordei. Eu estava perfeita, cabelos bagunçados, coturnos e jaqueta. Sorri com minha própria imagem e desci. Olhei aquela limusine perfeita e preta; se eu sou uma noiva tão diferente, por que não inovar nisso também?

- Ei motorista. – chamei me aproximando da janela. Ele me olhou surpreso; devo ser uma noiva bem peculiar.

- A senhorita é a noiva? – perguntou voltando a se concentrar, acenti. – estou aqui para buscar a senhorita.

- Quanto estão lhe pagando para fazer isso? – perguntei direta me apoiando no vidro aberto.

- Desculpe. Não devo citar preços e salários. – disse educado e focado.

- Quanto? – insisti. O olhei dura e como não podia se atrasar acho que entendeu que eu não desistiria.

- 1,200 R$ - disse simples.

- Te pago o dobro se fingir que se perdeu. – propus e ele me encarou ainda mais surpreso do que quando contatou a roupa da noiva.

- Desculpe senhorita, mas posso me complicar no trabalho. Entre por favor, temos um horário e eu pretendo cumpri-lo. – disse sério mas vi sua dúvida. Esse vai ser fácil de manipular.

- O triplo e não se fala mais nisso.

- feito. – dei um sorrisinho vitorioso e apertei sua mão estendida. Rapidamente fiz um cheque de quatro mil e lhe entreguei. – mas isso é mais do que combinamos. – afirmou me olhando com a testa franzida.

- Gorjeta. – pisquei me afastando. Logo vi o carro partir com um motorista cujo sorriso não cabia no rosto.

Agora você deve se perguntar como eu vou para meu casamento. Corri segurando o vestido acima de modo que ele não arrastasse no chão. Cheguei na garagem e escolhi o carro favorito de Zeus, um porshe preto, que agora é meu por que só para constar eu estou roubando. Sorri satisfeita e peguei a chave entrando no carro em seguida.

Liguei o rádio e estava dando uma música da Demi Lovato, Sorry not Sorry. Não é bem meu estilo, mas está ótimo. Corri como uma louca, dando importância alguma para leis e sinais de trânsito. Meus cabelos voavam com o vento e eu era simplesmente uma noiva maluca dirigindo um carro de luxo para um casamento enquanto sua roupa estava toda modificada de um jeito punk. Normal para Thalia Grace.

Cheguei e porta da igreja, ela também parecia muito... comum e perfeita para o casamento de Thalia Grace. Peguei no porta luvas uma coisa que eu nunca saia sem, tinta spray, sim eu sempre tenho um tubo de tinta spray comigo. Aliás se não me engano, eu joguei tinha spray rosa, destas que eu sempre carrego comigo, nos garotos do time e natação e isso inclui meu padrinho de casamento Perceu, no primeiro dia de aula falsa. Sorri com a lembrança e escondi a tinta no laço do vestido.

O buquê estava com uma mulher, a organizadora, me entregou. Era cheio, grande e para meu desagrado era também composto por todas brancas. Não gostei, bufei e tirei a tinta do meu vestido, sim. Eu pintei meu buquê de noiva de preto. A mulher arregalou os olhos , mas não se opôs.

Desci sob os olhares inquisidores de todos, deveriam estar a perguntando onde está a noiva perfeita e a limusine também perfeita; óbvio que não entendem nada de Thalia Grace. Mandei uma mensagem para Annabeth pedindo eu mandasse começar a música de entrada, logo que começou às pessoas correram para dentro. Meu pai veio para fora e estava me procurando, acenei irônica.

- O que fez Thalia?! – perguntou me analisando.

- Deixei o meu casamento com a minha cara. – disse simples.

- vamos logo antes que eu me arrependa. - disse suspirando e me ofereceu seu braço. Aceitei e ambos sorrimos andando ate a porta; o combinado era que homens com roupas de Príncipe iriam abrir a porta por dentro, também não gostei disso, então assim que me aproximei da porta ao invés de esperar que a abrissem, eu simplesmente chorei, fazendo as portas de madeira polida se escancararem com um grande estrondo.

Meu pai me olhou surpreso, mas logo sorriu revirando os olhos; ele me conhecia, conheço meu jeito.

Começamos a andar lentamente e eu podia ver perfeitamente o rosto surpreso e meus convidados diante de minhas vestimentas, eu apenas sorria. Então olhei para o altar primeiro, minhas madrinhas, ao invés de parecerem decepcionadas com seu trabalho estragado , elas sorriam orgulhosas e Hazel, Piper, Annabeth e Calipso até soltavam algumas lagrimas; como sempre a única que se mantinha dura como uma pedra era Clarisse.

Então eu o olhei, Nico estava perfeito, vestia um terno preto e tinha os olhos arregalados e a boca levemente aberta, pareceu a recuperar e sorriu, de modo orgulhoso, paixonado, surpreso... indescritível. Não pude deixar de notar que ele também havia dado seu jeitinho na vestimenta, por exemplo o bleiser estava meio aberto, a gravata não existia e ao invés de uma flor no bolso ele tinha uma caveirinha de prata. Perfeito. Sorrimos um para o outro.

Com um beijo a testa ele me entregou a Nico, dei meu buquê a Annabeth que fez uma careta ao ver que a tinta escorria, mas mesmo assim o pegou e eu pisquei para ela. Nico pegou minha mão e sorrindo nos viramos para o padre.

- estamos reunidos aqui hoje com o intuito de presenciar diante de Deus e União de Thalia Grace e Nicolas Di Ângelo... – o padre comeca, e tenho certeza de que já ouviram este texto milhões de vezes, então passamos para a parte interessante. – Thalia Grace aceita Nicolas Di Ângelo como seu legítimo esposo?

- Pode crer padre. – disse descontraída e com um olhar Ei me repreendeu, mas limpou c garganta e se recuperou refazendo a pergunta a Nico. Esse velho que va se fuder, o casamento é meu, respondo como quiser.

- Nicolas Di Ângelo, aceita Thalia Grace como sua legítima esposa? – perguntou com a mesma cara de bunda. Que padre antipático. Nico me olha sorrindo travesso antes de responder, ele pisca e se vira para o padre.

- Pode crer. – respondeu e o padre perdendo a paciência bufou.

- Pode beijar a noiva.

Ao invés de um casal normal, eu agarrei Nico e o deitei em meu colo, atacando seus lábios fervorosamente, ficamos longos segundos em um beijo quente, quem olhasse diria que tirariamos as roupas e consumariamos o casamento ali mesmo. Quando terminando eu estava erfante e tinha plena conciencia de que meu batom estava completamente borrado.

- Mais respeito! Isso é a casa de Deus! – vociferou o padre perdendo a paciência.

- Falou padre. – dissemos eu e Nico em uníssono rindo da cara brava do padre. Começamos a caminhar para fora, dávamos risadas altas e histéricas e eu tinha esquecido completamente meu nervosismo. Este era, o que eu chamo, de efeito Di Ângelo, me faz sentir bem

A chuva de arroz caia sobre nós, mas eu pouco me importava. Caminhei até a entrada da igreja onde meu carro roubado ainda estava.

- Hey Nico. – sussurro no ouvido de meu marido. Ele me olha e eu prossigo. – olha isso. – pego a tinta que eu tinha escondido novamente dentro do laço do vestido. Caminho até o carro e picho sem dó as palavras “recém casados” na lataria, em uma caligrafia escorrida como uma pichação.

- você não tem jeito senhora Di Ângelo. – disse e me deu um selinho. Sorrimos, ele por minha travessura e eu pela citação do meu novo sobrenome e entramos.

    Partimos do casamento mais estranho do mundo, no carro mais estranho do mundo ao som de AC/DC. Na minha opinião o melhor casamento de todos.


Notas Finais


Gostaram?!
Comentem e favoritem amores!

Até amanhã com MENINA MÁ E HALF BLOND TALENTS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...