História Family Secrets - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Flango_Fofo

Postado
Categorias Arden Cho, Ashley Benson, Cole Sprouse, Danielle Campbell, Dylan Sprouse, Kim Kardashian, Lily Collins, Logan Lerman, Megan Fox, Nash Grier, Nathaniel Buzolic, Scarlett Johansson, Shelley Hennig, Zac Efron
Personagens Arden Cho, Ashley Benson, Cole Sprouse, Danielle Campbell, Dylan Sprouse, Kim Kardashian, Lily Collins, Logan Lerman, Megan Fox, Nash Grier, Nathaniel Buzolic, Personagens Originais, Scarlet Johanson, Shelley Hennig, Zac Efron
Tags Família, Segredos, Violencia
Exibições 11
Palavras 1.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei!!!!!
Bom eu espero que gostem desta capitulo e desculpa a demora.
Só isso mesmo,foi mal qualquer erro e boa leitura!

Capítulo 3 - We Go Forward


Fanfic / Fanfiction Family Secrets - Capítulo 3 - We Go Forward

P.O. V’s Katerina Clark

Casa da família Clark, 9 de outubro de 2009, 10h e 30 min.

Depois da notícia que meu pai nos deu, parecia que tudo estava se desmoronando ao meu redor, as lágrimas saiam descontroladamente pelo meu rosto. Estava doendo muito.Era como se alguém tivesse esmagando o meu coração. Olhei para a esquerda e Calson estava no mesmo estado que eu.

-NÃO É POSSÍVEL!-ouvi Nicole gritar. Ela estava como todos nós, se afundando em suas lágrimas. –ISSO É MENTIRA. -Calson saiu correndo provavelmente para o seu quarto.Eu estava chorando muito, senti minhas pernas ficarem bambas. Eu me jogo no chão e caio de joelhos e continuo a chorar. Minha irmã continuou gritando de novo.

-Nicole se acalme, vai ficar tudo bem.

-PARE DE MENTIR PARA MIM!NADA VAI FICAR BEM!

-Nicole se acalme.

-EU NÃO CONSIGO, EU NÃO CONSIGO!-ela se joga no chão também. Meu pai abriu a porta e saiu da casa. Ele parecia não saber o que fazer. Nicole olhou para mim e foi para o seu quarto também. Eu pensei não consegui mexer um músculo sequer. A única coisa que sabia fazer era chorar. A ficha ainda não tinha caído. E acho que nunca iria cair.

Igreja de São Jorge, 11 de outubro de 2009, 12h e 30 min.

Já havia se passado dois dias desde que a bomba explodiu. E as coisas na minha casa estão caóticas. Meu pai está aéreo e me parece bem perdido sem saber o que fazer. Calson se fechou para todo mundo e não está falando com ninguém. Nicole está um saco, tudo que a falamos retruca e o seu mau-humor está atacado. Eu estou me fazendo de forte, mas sempre que estou sozinha eu choro. Acho que a única pessoa que está normal é a Louisa que não faz idéia do que está acontecendo.Neste momento estou na igreja ao lado do meu pai.  Ele está conversando com meu tio Tony e minha tia Joyce. Enquanto a filha dele a minha prima Alicia me olha com pena. Calson está conversando com a nossa avó. E Nicole está lá fora.

-Katerina minha filha. -meu pai me chama fazendo com que eu olha-se para ele.-Vai chamar sua irmã, a missa já vai começar.-

Minha vontade era de dizer não, mas eu não estava podendo negar nada ele neste momento então apenas assenti. Claro que eu que teria que enfrentar a fera. Sai de perto dos meus tios e de Alicia. Atravessei a igreja recebendo olhares piedosos de todos. Sai da igreja e vi minha irmã sentada debaixo de uma arvore com os olhos fechados. Fui até ela e parei em sua frente.

-Nicole. - a chamei, já previa que ela iria ser grossa comigo.

-O que você quer Katerina.

-Papai pediu para eu te chamar. A missa já vai começar.

-Então diga a ele que eu não vou me sair daqui para agüentar aquele povo me olhado com pena.

-Mas...

-Mas, nada me deixa sozinha.

-Mamãe não iria gostar que você fica-se aqui fora.

-Não ouse dizer o que ela gostaria ou não que eu fizesse. Minha mãe morreu o máximo que papai poderia fazer é me deixar sozinha.

-NÃO FOI SÓ VOCÊ QUE PERDEU ELA!EU TAMBÉM PERDI, MAS NÃO É POR ISSO QUE ESTOU SENDO UMA PENTELHA MIMADA E IRRITANTE.

-Kate eu...

-Se quiser falar alguma coisa comigo, me fale lá dentro. Na igreja.-sai pisando duro e com raiva.

-Kate me espera. -me virei para encará-la ela estava de pé.-Você ta certa. Eu só estava vendo a minha dor e não me toquei que você também estava sofrendo. Me desculpe por ser uma pentelha mimada e irritante.-eu sorri e ela retribuiu.Nicole veio até mim e me abraçou.E nós duas fomos andando abraçadas até a igreja.

Apartamento 506, 1 de setembro de 2016, 7h.

Senti a luz do sol entrando pela janela e batendo no meu rosto. E me amaldiçoei mentalmente por não ter fechado a cortina. Abri os olhos devagar para me acostumar com a luz. Olhei a hora no meu celular, já eram 7h. Se não sair dessa cama nesse segundo eu vou me atrasar para o meu estágio. Levantei-me da minha linda e confortável cama, coloquei minhas pantufas e fui para o banheiro. Olhei-me no espelho da pia e vi que estava com olheiras. Resultado de ter ido dormir duas horas da madrugada. O porquê de eu ter ido dormir essa hora? Tinha que terminar de fazer o meu trabalho de faculdade. Tirei minhas pantufas, meu pijama e colar que minha mãe me deu quando eu era pequena. Tomei um banho e fiz as minhas higienes matinais. Sai do banheiro enrolada na toalha, coloquei minha roupa (1) e o meu colar.  Fui até minha penteadeira. Escovei meus cabelos (que agora batiam na altura dos meus seios) e deixei-os soltos mesmo. Passei um batom claro, peguei minha bolsa e desci as escadas para tomar café da manha.

Nicole provavelmente ainda deve estar dormindo. Afinal ela não trabalha agora de manhã. Depois que mamãe morreu nós duas tivemos que amadurecer muito rápido, afinal teríamos que ajudar o papai. Falando em papai ele continua morando em Birdgeport (Notas da Autora: cidade fictícia) com a Louisa que agora já tem sete anos. Eu e Nicole nos mudamos para Hannover Falls (NA: outra cidade fictícia) para fazer faculdade. E papai nos obrigou a levar Calson também. Falando nele depois da morte da mamãe ele ficou muito abalado e repetiu de ano duas vezes, porque não consegui se concentrar nas aulas. Ou seja, agora ele está no terceiro ano do ensino médio com 19 anos. Nicole faz faculdade de noite como eu, mas faz seu estágio de tarde. Ela já está com 22 anos. Já eu faço estágio em um hospital de manha. De tarde faço Muay Thai e de noite faço medicina na faculdade. E semana passada eu fiz 21 anos.

Quando chego à cozinha Calson já esta tomando seu suco e comendo serial. Ele me olha e sorri e eu retribuo. Sirvo um pouco de café para mim e nós dois ficamos assim em silencio.

-Quer carona para a escola?- pergunto quebrando o silêncio.

-Quero sim. -ele responde entra golas de suco.Espero meu irmão terminar de tomar seu café da manha. Quando ele termina, eu pego minhas chaves, saímos de casa e vamos até o elevador que para na garagem do nosso prédio. Entramos no meu carro que era um Honda HR-V 2016 vermelho. Começo a dirigir e Calson liga o radio e começa a tocar She Will Be Loved do Maroon 5. Essa música me trás inúmeras lembranças. O que me faz sorrir.

-Ela gostava dessa musica. - eu digo ainda sorrindo.

-O que?- meu irmão pergunta sem entender.

-A mamãe essa era a musica favorita dela. -eu olho para ele e ele sorri como se também lembra-se de algo.

I don't mind spending everyday
Out on your corner in the pouring rain
Look for the girl with the broken smile
Ask her if she wants to stay awhile
And she will be loved
She will be loved

(Não me importo de ficar todo o dia

Na sua esquina debaixo de chuva

Procure a garota do sorriso partido

E pergunte se ela quer ficar um pouco

E ela será amada

Ela será amada)

 

E assim fomos o caminho inteiro ouvindo essa música que nos inundava de lembranças. A mamãe se soubesse como faz falta.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...