História Family Secrets - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucas Lucco
Personagens Lucas Lucco
Visualizações 6
Palavras 930
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Você não vive sem mim



Uma ruiva um pouco mais baixa que eu entrou no quarto deu uma uma olhada envolta e foi até uma das camas e se jogou na mesma atrás dela entrou uma mulher de uns 30 anos muito bonita que não me é estranha, desci as escadas meio tímida 

- Bom dia - falei pras duas com um sorriso simpático no rosto. 

- Bom dia - as duas responderam. 

- Eu sou a Alma - a mulher mais velha falou e esticou a mão pra me cumprimentar - E essa daqui é a minha filha Roberta. - apertei a sua mão e sorri pra garota que não retribuiu eu em nem parece com a mãe. 

- Prazer  sou a Júlia. - Ain como socializar é dificil, mentira eu até gosto mas hoje o dia vai ser só isso. 

- Você é nova aqui ? - A mulher continuou. 

- Sou sim. 

- A Roberta também é, que ótimo assim vocês podem conhecer o colégio juntas. - A garota se levantou e foi até a mãe dela. 

- Mãezinha não precisa ficar arrumando amiga pra mim, eu posso muito bem fazer isso sozinha. 

- Eu sei filha... - A menina começou a levar ela em direção a porta. 

- Então mamãe já pode ir que eu vou ficar bem. 

- Filha mais acabamos de chegar meu amor, eu posso ficar até as nove com você. 

- Não precisa mãe, é melhor já ir sexta nos vemos em casa. 

- Juízo Roberta e qualquer coisa liga. 

 Elas se abraçaram e a menina saiu do abraço com os olhos marejados mas disfarçou, eu pensando que ela não tinha sentimento em tratar a mãe assim, mas pelo jeito é assim que ela lo da com despedidas. 

- Desculpa a minha mãe, ela tem um parafuso a menos e fica assim se metendo na vida dos outros. - Ela falou com um sorriso no rosto e voltou pra cama.

- Capaz, ela não falou nada demais. 

- Mas deixa ela continuar pra você ver - Ela foi interrompida por duas batidas na porta. - Será que ela voltou? PODE ENTRAR - Falou mais alto e a porta abriu mostrando o Lucas e não a mãe dela. 

- Oi - Olhou pra ela sorriu e depois olhou pra mim - Vamos ver a sua sala? - Assenti pra ele e olhei pra Roberta. 

- Ele vai me mostrar umas partes do colégio, vem com a gente? 

- Capaz não vou atrapalhar o casal, vai lá, depois eu me viro. - Sorri sem graça né como falar que não somos um casal. 

- A gente não namora. 

- Porque ela não quer - O Lucas tinha que abrir a boca, ela é quem ficou sem graça agora 

- Olha a bola fora do dia. - Nada melhor que descontrair pra sair dessas situações, já gosto dessa menina. 

- Bora lá com a gente, que você não vai atrapalhar nada. 

- Então vamos. 

Saímos do quarto e o Leandro estava lá esperando a gente. 

- Olha que falta de atenção minha minha, nem apresentei esse chato pra você. - Falei apontando pro Lucas - Esse daqui é o Lucas e aquele é o irmão dele Leandro, dupla sertaneja essa é a Roberta. 

- Prazer - Lucas já foi dando beijinho no rosto, esse moleque não perde tempo e muito menos a chance de me irritar. - Diferente do que ela falou eu sou mo gente boa, a única chata aqui é ela, te dou uma semana pra expulsar ela do quarto. 

- Cala a boca moleque - Dei um tapa em sua barriga, ai essa barriga saudades. 

 - Aieee socorro tão me batendo aqui - Pediu "ajuda" pra umas meninas que passavam. Agora sim dei um tapa forte pra ver se aprende e pelo jeito não adiantou o filho da mãe caiu na risada. 

- Mas é chato esse pia, onde que tem devolução? - Falei de cara fechada porém brincando. 

- Que mané devolução, você não vive sem mim que eu sei.-  Passou o braço pelo meu ombro ao falar. Eita porra quanto tempo que não temos esse tipo de contato, fiquei em silêncio e ele tirou o braço. 

Bom depois que paramos com a palhaçada reparei que o Leandro e a Roberta já tinham se cumprimentado e estavam rindo da gente, fingi que nada aconteceu e começamos a andar, fomos na minha sala que era a mesma que a da Roberta e do Leandro depois na do Lucas e depois ficamos de bobeira andando pelo colégio até um inspetor avisar que o diretor já ia começar a sua apresentação. 

- Eu não aguento mais ouvir ele falar a mesma coisa todos os anos. - O Lucas falou com cata de tédio. 

- Vish nem ouvi ainda é já não gosto, não dá pra fugir?  - Essa é a Roberta representando a todos. 

- Até que dá mas os novatos são o alvo dessa reunião, então é bom ele ver vocês lá se não quiserem ficar marcados já de cara. 

- Se não tem outra opção bora lá de uma vez - Esse é o Leandro encarando as coisas de frente, as vezes é mais maduro que o irmão mais velho, definitivamente me apaixonei pelo irmão errado. 

Escutamos o diretor falar por 40 minutos sem parar, será que ele realmente acha que  prestamos atenção no que ele disse?  Se acha já é um sinal de que precisa ser internado porque ele está louco. Depois Roberta, Leandro e eu fomos para a sala ter três aulas seguidas antes do almoço. 

  




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...