História Fan Life - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Fãs, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah
Exibições 8
Palavras 2.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Novidades


Sheron POV

Abri meus olhos e no momento seguinte me arrependi, a luz do sol entrava pelas persianas e a claridade em meus olhos fez minha pesar.

Flashs da noite anterior voltavam aos poucos e então me lembrei de ter entrado em meu carro com uma mulher desconhecida, abri meus olhos novamente encarando o grande quarto muito bem montado com uma decoração maravilhosa. O lugar era digno de um hotel cinco estrelas.

Olhei para meu corpo e percebi que so estava com uma camisola branca que com certeza não me pertencia, não me lembrava a onde estava e nem de como cheguei a esse quarto, e também não me lembrava de quem havia retirado minhas roupas.

Me sentei na cama sentindo minha cabeça doer, parecia que uma manada de elefantes haviam passado por cima de meu corpo.

Instantes depois uma mulher de porte forte que trajava calças sociais pretas, blusa social masculina branca com as mangas arregaçadas até os cutuvelhos e um salto Jimmy choo nos pés entrou pela porta.
Não pude deixar de reparar em seu cabelo que era montado por Dreads loiros amarrados no alto da cabeça e descendo por suas costas, em seus lábios aviam dois piercings, pela pequena brecha aberta em sua camisa notei que avia uma grande tatuagem em sua clavícula.

-Hey bela adormecida! Vim trazer um comprimido e suas roupas. - Colocou ás roupas na ponta da cama e me entregou o remédio e um copo com água.

-Obrigada. -agradeci após beber toda água do copo- Desculpe por isso, eu não me lembro de muita coisa.

- Oh, não se preocupe. Já é meu trabalho cuidar de bêbados durante os finais de semana. -Sorriu. - Mas você sempre acorda em casas de estranhos?

-As vezes acontece, sabe? É um dos meus hobbies. -Gargalhamos - Desculpe, mais não me lembro do seu nome.

-Brenda, Brenda Mesquita Grinnan - estendeu sua mão e eu apertei. - E você é a senhorita Sheron Dieckmann, conheço seu pai.

- Lamento por isso, na verdade lamento por qualquer um que já teve o desgosto de encontra-lo. - Me levantei e tirei a camisola, a garota desviou o olhar e eu sorri vendo sua reação.

-Bom, suas roupas estão limpas e no guarda-roupa tem toalhas limpas e calcinhas novas, no armário do banheiro tem escovas de dentes novas. Fique a vontade para se organizar e depois desça para nos acompanhar no café. - disse seria olhando em meu rosto sem demonstrar nenhuma reação  a mais. -Com licença.

Resolvi seguir seu concelho e tomar um banho, afinal já havia abusado de sua hospitalidade um banho não faria diferença.

Peguei uma toalha e uma calcinha box no guarda-roupas do quarto.

Tomei um banho rápido pois minha fome estava grande, vesti minhas calcas pretas e minha brusa branca que haviam sido lavados.
Procurei pelo quarto e achei minha jaqueta de couro em cima de uma poltrona ao canto.

Procurei em seus bolsos e achei meu telefone lotado de mensagens e ligações perdidas de meu pai. Sorri negando com a cabeça, sua falsa preocupação era tocante.

Letícia POV

Fui acordada pelo som irritante do meu celular e com muita relutância me levantei. "Papai".  Suspirei já sabendo o que me esperava.

-Bom dia pai.

"Bom dia filha. Eu e jordan precisamos de você e brenda hoje."

-Não podemos deixar isso para amanhã? Estou acabada.

"Suas noitadas não podem interferir em seu trabalho, aguente as consequências de seus atos "

Dei um longo suspiro.

- O que aconteceu de tão importante?

" Jordan e eu decidimos deixar os novos agregados da gravadora nas mãos de vocês... e bom, vocês vão fazer à transação e a transferência de um deles"

Nesse momento eu travei e me perguntei mentalmente se meu pai e meu tio estavam loucos? Uma coisa era acompanhar reuniões e assinar papéis, outra era tomar conta de uma coisa tão grande.

- Pai? Uma transferência? Vocês sabem o quanto somos novas nisso, não acho que seja um atitude adequ...

"Se nossa atitude fora adequada ou não, não cabe a vocês julgarem. Nossa decisão foi tomada, queremos as duas aqui ás dez e sem atrasos."

-Sim, senhor.

Eles deligou a chamada sem dizer mais nada. Eu suspirei massageando minhas têmporas.

Tomei um banho demorado e relaxante e logo estava pronta.
Coloquei uma saia lapis na cor grafite colada em meu corpo realçando as minhas curvas, uma brusa social branca e um blazer também na cor grafite e saltos Luís vuitton pretos.

Desci as escadas rumo a cozinha de nossa mansão e encontrei Maria em nossa cozinha preparando inúmeras coisas.

Maria era uma senhora de idade que trabalhava com nossa família a vinte anos, ela cuidou de minhas primas e consequentemente de mim.
Desde de muito nova sempre passei a maioria de meus dias com minhas primas eu não tinha irmãos, então com o tempo me apaguei e elas que me acolheram como uma irmã extra.
Então um belo dia nossos pais nos deram uma casa no Brasil e passamos a morar juntas com a supervisão de maria, com a nossa volta definitiva para Los Angeles ganhamos uma nova 'casa' e maria nos acompanhou.

Me sentei a mesa e me servir com frutas e suco, maria colocou a mesa três pratos cheios de panquecas com calda e não pensei duas vezes antes de ataca-las.

Alguns minutos depois vejo naty descendo com uniforme e com sua mochila nas costas. Olhei em meu relógio verificando o horário e estranhei.


-Sua aula não começa só às uma da tarde?

-Uhum... Mas infelizmente eu tenho um trabalho e preciso ir para a biblioteca mais cedo - beijou minhas bochecha- Bom dia.

-Bom dia pirralha- Sorri.

- Vai para a gravadora? -Perguntou olhando minhas roupase e eu bufei.

-Sim, infelizmente. Hoje as coisas parecem sérias. E idiota da sua irmã inda não apareceu.

- Mal amanheceu e você está me elogiando assim? Que linda - brenda apareceu descendo as escadas com seu visual imutável.

-Achei que teria que lhe buscar pelos dreads -Sorri e ela me deu a língua.

-Estava conversando com sua amiga, ela deve estar com uma ressaca terrível. - se sentou a mesa e se serviu de alguns pedaços de mamão e suco de laranja. -Aliás de onde se conhecem?

Lembrei da morena da noite anterior, estava sentada em um dos bares da boate, até que uma roda de pessoas decidiram virar shots de tequila e eu entrei na disputa e no final fiquei somente eu e a tal morena, empamos na disputa e logo depois saímos abraçadas e rindo. As memórias que vieram depois eram distorcidas e pouco claras.

-Nos conhecemos ontem... -Dei de ombros.

-Ótimo, trouxemos uma estranha para nossa casa.

-Ela não é estranha, bebemos juntas, já temos intimidade o suficiente.

-Oh, claro.- Sorriu debochada.

-Está sabendo da nossa atual situação? - Ela suspirou e pousou o garfo na mesa.

-Sim, não podemos fazer nada além do nosso melhor, tentei argumentar e não obtive sucesso. -suspirou e eu concordei.

Brenda POV

Minha manhã não poderia estar melhor, afinal quem não quer acordar sabendo que tem um contrato milionário para cuidar e que qualquer deslize pode decepcionar o próprio pai?

Após a ligação que recebi pela manhã me arrumei e fui para à lavanderia pegar as roupas já lavadas de sheron, roupas que na noite anterior cheiravam fortemente a álcool.

Após levar um comprimido e ter tido uma pequena conversa com a garota de cabelos negros me dirigir a cozinha encontrando Letícia e natalhia conversando sobre algo.

Letícia não parecia nem um pouco feliz com as decisões de nossos pais, mais eu sabia que argumentos não mudavam suas escolhas.

Meia hora depois nossa cozinhas está lotada, e todas conversavam, nathalia ainda estava calada e eu jurava que estava me evitando.
Depois que chegamos em casa pensei em dar algum sermão mais mudei de ideia, afinal ela está crescendo.

Bruna estava lendo alguns documentos enquanto beberivava seu suco, a mais velha vestia calças beges coladas ao seu corpo, um tênis branco sem cadarço de cano baixo e uma camiseta grande que batia um pouco a baixo de sua cintura.
Sentia um pouco de inveja do trabalho de minha irmã, seus dias eram calmos e suas roupas despojadas e sempre seguindo a moda.

Ela havia se formando na faculdade de moda a dois anos e já tinha começado sua linha de roupas e acessórios, sua escolha no começo virou motivo de chacota para letícia que sempre dizia que ela deveria voltar para o Brasil e virar cantora de MPB e não fazer faculdade de moda.

Minha irmã era ótima no que fazia e isso era inegável, mas nos últimos dias ela andava estressada pois estava a procura de uma nova estilista para sua empresa e nenhuma pessoa até agora fora boa os suficiente para ela.
Ela estava à um passo de explodir.

-Hey! -a chamei - Tudo certo?

-Não -suspirou- já estou ficando sem opções, hoje tenho mais duas pessoas para entrevistar e se não der certo eu não sei o que fazer.

-Vai dar tudo certo, relaxe. - Apertei sua mão e sorri.

-Bom precisamos ir, letícia vou pegar uma carona com você. -Me levantei.

-Porque? Seu carro não está ai? -Perguntou com uma careta.

-Está na revisão, mais hoje a tarde eu vou pega-lo de volta não se preocupe, eu nao gosto de andar com você, você dirige como louca e eu ainda tenho amor na minha vida.

-Se presa tanto assim por ela, chame um táxi. - Respondeu irritada enquanto se levantava e pegava as chaves de sua lamborghini aventador, sorri vendo a carranca que cresceu em sua cara.

-Vamos logo. - A cutuquei - Tchau garotas, tchau maria tenham um ótimo começo de semana.

Nos despedimos de todas e fomos acompanhadas por Sheron até a garagem de nossa casa, a garota se sentiu bastante confortável na presença de todos, tinha um carisma natural. Durante o café bruna se prontificou a fazer o seu interrogatório e a outra não se importou de responder.

Quando ela se apresentará com uma Dieckmann logo me lembrei de Francesco Dieckmann, um dos maiores advogados do país, durante o café so confirmei minha teórias, ela era a filha mais velha da família.

Quando a gravadora precisa de uma ajuda na área jurídica meu pai e tio John apostavam suas fichas no Sr. Dieckmann e seus advogados extremamente competentes.
A filha por outro lado parecia desinibida de responsabilidades e tinha uma energia aventureira o que resultou na instantânea conexão com Letícia.

As duas trocaram números e prometeram conversar e marcarem outra balada.
Antes de ir embora fizera inúmeros elogios aos carros e motos da nossa família.

Elogios não foram poupados ao 'bebê' de Letícia, uma lamborghini aventador preta com luzes néons contornando todas as laterais do veículo.

Achei os elogios exagerados, porque convenhamos meu Peugeot onyx concept em preto espelhado era muito melhor.

Tínhamos uma rixa familiar com os carros, nenhuma dava o braço a torcer sobre o seu carro, e os elogios de sheron fizeram o ego de letícia subir exageradamente.

Durante o percurso até à empresa conversamos coisas aleatórias até o carro ser tomado pelo som de
work from home nos fazendo cantar loucamente, o que nos rendeu altas gargalhadas.

-Não é estranho?- Não desviou sua atenção do trânsito. - Somos as herdeiras de uma das maiores gravadoras do mundo e nunca tivemos a oportunidade de conhecer nossas ídolas pessoalmente. - Bateu suas mãos em punho nos volantes e gargalhou -Todo esse poder tinha que servir para algo.

-Vamos ter a oportunidade, nossos pais estão nos colocando a frente de muita coisa ultimamente. -Me ajeitei no banco-  Os fãs estão enlouquecidos com os boatos do fim da banda - sorrimos- Sabe, eu não trabalhasse com esse mundo e visse de perto o que eles são capazes por dinheiro, até cairia nessa.

Letícia estacionou em frente ao grande prédio cheio de janelas que dava um afeito espelhado com uma entrada em vidros esfumaçados com portas elétronicas. Na entrada principal dois seguranças faziam a guarda do local.

-E nós vamos ficar responsáveis por montar esse circo futuramente priminha - Colocou seus óculos estilo aviador e saiu do carro. Sai logo em seguida.

Demos um sorriso e um "bom dia" rápido ao rapazes que cuidavam da segurança e seguimos para os elevadores atraindo alguns olhares, minha prima conseguia os olhares masculinos e feminios e eu adorava à atenção das mulheres embora não desse brexa para aproximações.

Já na cobertura onde ficava a sala de reuniões encontramos Megan nossa secretária. Megan era loira, tinha mais ou menos um metro e setenta e cinco, bunda grande e seios médios. Os primeiros botões de sua camisa abertos formaram um chamativo decote, sua saia colada realçava sua bunda.

-Bom dia chefinhas- Revirei os olhos e dei meu melhor sorriso forçado a garota - Os enhores Grinnan estão à espera das senhoritas.

-Sabemos megan, obrigada.- Respondi simples e cutuquei letícia que encarava o corpo da mulher descaradamente - Por favor me traga um café com panna depois da reunião.

-Para mim também linda. -Letícia piscou para à loira que retribuiu.

-Vamos Letícia.

-Ela me provoca- sussurrou.

-Ah querida, ela se joga para qualquer um que tenha "chefe" escrito no crachá- A olhei fazendo uma careta e gargalhei.

Seguimos para sala de reuniões encondando nossos pais engravatados e revisando papéis.

- Como sempre, em cima da hora - Tio John nos encarou.

-Nos poupem o sermão e vamos direto ao assunto -Letícia se sentou cruzando os braços e tomando uma postura seria perante ao pai.

-Pois bem, um novo contratado será agregado a Sony. Porém, para essa transferência haverá uma quebra de contrato com a outra gravadora. -Me entregou uma pasta que contia valores e informações mais nenhum nome.

-Vocês estão loucos? Isso é muito dinheiro. Porque se arriscar tanto por um cantor? São noventa milhões de dólares pela quebra de contrato e transferência e mais cinquenta milhões pela multa que vocês estão dispostos a pagar... -Os olhei indignada.

-Não se importe com os valores, isso é somente um detalhe. -Meu pai advertiu.

-E o outro contratado?- Letícia interveio.

Meu pai estendeu outra pasta para Letícia.

-Um novo garoto que descobrimos na internet, vamos apostar muito em seu talento. Ele já tem um grande número de seguidores e vocês seram responsáveis pelo começo dele como profissional.

Letícia leu algumas coisas e um sorriso maroto apareceu em seus lábios, eu conhecia aquele sorriso.
Ela estava começando a adotar a ideia de ter tanto poder e responsabilidade, e no fundo eu estava do mesmo jeito.

-Matheus Lins!- me olhou -Vamos ver o que o garoto sabe fazer.


Notas Finais


Xoxo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...