História Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A Seleção, Adolescentes, Amor, Aventura, Beijo, Colegial, Comedia, Drama, Escolar, Esperança, Famosos, Feiticeiros, Feminino, Ficar, Love, Luta, Magia, Magos, Masculino, Mistério, Namorar, Original, Paixão, Poderes, Romance, Saga, School
Exibições 69
Palavras 1.909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oiiiiii!!
Gente esses boys aí são os meus Max e João.
Max- #Minha Mãe deixa...
e João o do emogi.

Pra quem não sabe, esses são uns dos integrantes da banda PaQua, Que eu sou apaixonada! Pra verem a personalidade deles- E o físico. Assistam os vídeos deles no youtube!!!
São muito engraçados!

Bora pro capítulo!

Capítulo 22 - Buraco no peito.


Fanfic / Fanfiction Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 22 - Buraco no peito.

MAX

   Foi uma má ideia ser direto no assunto... Ela está passando mal. O que eu faço agora?

- Babi! Babi meu amor... Fica calma! Ei... Calma.

-Como me pedes calma numa situação dessas, Max! Eu acabo de saber com a maior sensibilidade do mundo, que queriam me matar. Claro! A calma é a maior virtude do Universo... Mesmo quando se está em perigo DEBAIXO DO PRÓPRIO TETO. Vou até chamar  a Lohanna aqui para ver se há a possibilidade dela escolher uma morte com estilo pra mim... Há! Aproveito e peço a ela que me conceda um último pedido: Conhecer o Luan Santana e pegar naquele tanquinho definido dele!

  Realmente, este último pedido feriu meu Ego... Não se pode competir com o Luan Santana!

- Pequena, esse Stress é péssimo pra sua saúde. Vamos conversar com calma. Desculpa por ter falado tão diretamente assim...

Ela respirou fundo algumas vezes.

- Agora sim! Podemos conversar.

...

  Contei tudo pra ela e, por vezes o acesso de raiva voltava. Ela pareceu compreender tudo, porém estava muito assustada.

- Eu mato ela antes dela me matar!- disse com um olhar macabro.

- A intenção é sair todo mundo vivo...

- Mas max, eu dou conta! Mato agora, quer ver?- ela ia se levantando.

- Ela não está. Hoje é o primeiro dia de aula dela. - Lembrei-a e a segurei, puxando-a para meu colo.- Assim que ela saiu , eu liguei para meus pais. Avisei tudo e agora eles estão pensando em uma nova forma de acabar com isso tudo.

   - Max, eu estou com um pressentimento tão ruim! Como se fôssemos nos separar...

   Eu não sabia o que falar, pois eu estava com esse mesmo pressentimento.

- Meu bem, vamos pensar no positivo. Eu não quero te perder. Mas se for pra salvar sua vida, eu vou precisar fazê-lo. Eu amo você e eu irei fazer de tudo pra te ver bem.

- Eu não posso pensar diferente. Eu faço o mesmo por você. Nem que eu morra, mas eu quero seu bem...- ela começou a chorar. E eu também.

   Comecei a sentir o vazio que eu sentia antes dela surgir na minha vida. Mas eu sentia esse vazio infinitas vezes maior. 

Encostei minha testa na dela e soluçávamos sem prazo para acabar. Eram as nossas dores, eram os nossos medos, eram as nossas angústias. E nosso coração é pequeno demais para carregar isso tudo. Precisamos libertar essas dores de dentro de nós. Mas foi tudo ao contrário: Quanto mais chorávamos, mais ficávamos com o coração pesado, e quanto mais tentávamos esvaziar estes sentimentos, ainda mais piorávamos.

- Eu acho que não vai adiantar chorar. Parece que fica pior. - Disse ela, como se lendo meus pensamentos.

- Concordo. E como não conseguiremos jurar que nunca iremos nos separar, acho melhor aproveitar o tempo que temos, rezar para que não aconteça nenhum mal que nos separe.- Eu completei.

  Eu sou um garoto que tem muita fé em Deus. Sou muito de Igreja, mesmo eu sendo uma "aberração"! Herdei isso dos meus pais, que desde sempre, fortaleciam o relacionamento, o amor deles, em Deus.
   É uma experiência inexplicável! Quando você sente o Amor de Deus, você se pergunta porquê não havia experimentado isso antes!

   Passamos o dia todo rezando, e declarando nosso amor um ao outro. Era como se fosse uma despedida, e  eu sabia que devia aproveitar cada segundo...

«»

BABI

  Eu via o sofrimento nos olhos dele e isso estava me matando.

   Quando se ama, não se pode ver o(a) amado(a) sofrer, que sofremos junto. Não tem jeito... Se não há essa conexão, não há amor!

     Passamos o dia todo rezando. Eu confesso que eu não tenho muita fé... Mas eu fiz muitos compromissos com Deus e, no fundo, sei que vai dar certo.
Mesmo que tenhamos que sofrer, o amor sempre vence. É como nos filmes, nos livros e/ou nas novelas: O amor SEMPRE vence no final.

   Passamos a maior parte da noite olhando nos olhos um do outro. Ele acariciava meu rosto, decorava meus traços, e eu fazia o mesmo. A dor de saber que podia haver a possibilidade de nos perdemos, crescia a cada segundo.
   Mesmo que agora não houvesse tanto perigo para nós, sabíamos que a hora de lutarmos, de perdermos algo, estava chegando. E o maior prejudicado seria o Max que, ou ia para o mal, ou perdia seus poderes e, por consequência,  morreria.

  ...

   Acordei com o despertador gritando nos meus ouvidos. Sinal de que teríamos que ir para o Colégio.

   Senti o corpo do Max debaixo do meu. Eu estava com a cabeça deitada em seu peito. Seus lábios estavam em minha testa.
      Ele acordou e desligou o despertador. Olhou em meus olhos e disse com um sorriso simples e triste:

- Bom dia.

- Bom dia.- respondi com um sorriso fraco.

- Eu programei o despertador para que tomasse mais cedo. Temos que conversar.

- Claro.-

  Nos sentamos. Seus olhos estavam inchados pelo choro e, com certeza, eu estava também.
   Pegou em minhas mãos e começou a brincar com meus dedos.

- Eu sei que estamos sofrendo com isso tudo. Não somente nós, mas todos da nossa família. - Sussurou. - Porém, nessa noite, algo me dizia que não podemos nos abater, que não podemos nos entregar à tristeza! Precisamos lutar, precisamos pensar num modo de revertermos essa situação. E mais do que nunca, sei que o que temos um pelo outro, é amor... Aquele amor que é verdadeiro. Não faz nem metade de um mês que estamos namorando, e já temos essa conexão! Vamos erguer a cabeça, não vamos ficar tristes, vamos aproveitar cada segundo, rir de coisas bobas, passear mais que nunca... Vamos fazer dessa semana, a semana mais divertida da nossa vida. E digo "nossa vida", porquê agora, somos só um, e minha vida é sua. E sua vida, se você quiser, é minha. Promete que vamos ser felizes e que qualquer coisa que acontecer, vamos contar um pro outro?

- Tudo o que acontecer, eu Prometo! E minha vida é sua. Você tem razão, vamos aproveitar com alegria...- Coloquei um sorriso no rosto.

  Estávamos otimistas, sorrindo, estávamos menos tristes. Aquela dor nunca saía, sabíamos disso, mas escolhemos a felicidade.

Tomei banho primeiro. Saí do banheiro e abri minha parte do guarda-roupas. Sorri ao pensar nisso. Minha parte!

- Do que está rindo?- ele me observava, ainda na cama.

  Havíamos acordado às 5:00 horas da manhã. Agora já eram 6:15, Horário em que acordamos normalmente.

- Namoramos há pouquíssimo tempo e já tenho uma parte do seu guarda-roupas.- Ele riu.

- A coisa mais importante que tenho, te dei quando éramos crianças.- Ele se levantou.

- O que seria?

- Meu coração.- E me deu um beijo.- Vou tomar banho.

  Enquanto ele tomava banho, escolhi minha roupa.
   Estava com a blusa do Colégio, uma calça colada, cor vinho e tênis rosa. Penteei meus cabelos e os amassei com as mãos, formando cachos nas pontas, e passei um pouco de maquiagem pra disfarçar os olhos inchados. Mesmo ainda não curtindo maquiagem, mas hoje, ela teve utilidade.

  - Já tá pronta? Você demora séculos pra se arrumar.- brincou.

- Deixa de mentira! Nunca me atrasei...- Sorri.

Ele estava só com a toalha cobrindo do tanquinho para baixo. E o desejo é inevitável! Mas eu me seguro...

- Vou te esperar lá embaixo, senão faço uma besteira aqui.- Brinquei.

Mas antes de sair, ele me segurou, colando nossos corpos, e me beijou.

....

- Pequena, Tá na hora de tomar seu remédio.- Disse o Max, descendo às escadas, todo arrumado. E com a calça da mesma cor que a minha.
Não aguentei e comecei a rir. O João e a Carla me acompanharam.

- Que foi?- Ele perguntou não entendendo nada.

- Essa combinação de vocês...- João respondeu.

Max olhou pra mim e depois pra ele mesmo e riu.

- Juro que foi sem querer! Nem vi que ela havia vestido essa calça.- Ele deu de ombros.

  Quer dizer que ele não repara em mim?

Estreitei os olhos.

- Amor, eu estou com a cabeça cheia. Eu vi que você vestiu, mas logo me esqueci. Não quer dizer que eu não repare em você!

- Acho bom, viu Max?!

«»

MAX

   Aula de matemática, com a cabeça cheia de problemas é pedir pra endoidar antes da hora.
  Vez ou outra, olho pro lado, pra ver se minha pequena está bem. E mais do que nunca devo ficar de olho, já que a Lohanna pediu pra estudar na nossa sala.
   Finalmente o sinal toca e o professor sai da sala.

- Não estava mais suportando.- Disse abraçando a Babi.

- Nem eu! As aulas estão acabando comigo. Mas vamos olhar pelo lado bom: Só esse ano e o outro. Depois, faculdade e depois, Adeus aulas...

- Graças a Deus!

- Max! Vamos jogar uma partidinha de futebol... Hoje as meninas ficam na arquibancada!- Disse London, nosso colega.

- Eu acho que hoje não...

- Max!- Babi me interrompe.- Vai pra quadra.

- Mas...

- Vai pra quadra, Max!- Ela estreitou os olhos.

- Mas...- tentei de novo.

- Sem mas! Vai agora...- Ela mandou. E não sou doido de não a obedecer.

- Manda quem pode, obedece quem tem juízo...- Riu London.

- Vou ficar bem...- Ela assegurou dando-me um beijo.

...

Estava me alongando, já havíamos trocado de uniforme. As meninas estavam na arquibancada.

   Procurei a Babi com os olhos e a vi do lado da Carla e de uma colega nossa, a Amanda.
 
  - Max, você está no time sem camisa!- Gritou o Miguel.

- Ok.-  Tirei o uniforme de esportes, e fiquei com o short.

- U.uuuuu!- Ouvi na arquibancada, o que me deixou vermelho.

- E A TORCIDA DELIRA COM O TANQUINHO DO MAX!- Gritou a Carla.

  Olhei pra arquibancada, e vi as meninas sorrindo, com os pensamentos maliciosos. Olhei pra Babi, esperando a bronca e me surpreendi! Ela estava sorrindo e gritando junto.
  Mandei um beijo pra ela.

- PALMAS PRA BABI, QUE É DONA DO MATERIAL!- Carla gritou novamente. As meninas bateram palmas.

BABACA. VIADINHO. VAI FICAR SE ACHANDO AGORA!

Nem preciso dizer que esses pensamentos são do Vítor. Se bem que ele não tem nada a ver comigo. O problema dele é com o João...

- Vão jogar ou não, seus viados?!- Ele disse.

- Recalcado.- João disse passando perto de mim.

Acho que ainda vai dar rixa.

«»

BABI

   Ver as meninas babando  pelo o que é seu, é realmente gratificante. Eu não fico nervosa  em saber que há meninas babando por ele, porque se ele está assumindo um relacionamento comigo, ao invés de sair ficando com qualquer uma,  é porque ele gosta de verdade de mim.

- Se eu fosse você, não teria essa tranquilidade toda, querida. O Max é muito gostoso, pode ter a garota que quiser. Acredite... eu já sofri quando namorava ele. Era chifre todo o dia!-  Disse com um sorriso consolador.

- E era tão ruim pra você, que se eu fechar os olhos, você parte pra cima dele.- Revidei.- Me poupe de teatro, Lohanna. Como atriz, você é uma ótima puta!- Eu Disse com nojo.

- Uiii! Toma! Vai mexer com quem está quieto...- Zoou a Carla.

- Boa Meninas!- Zoou a Amanda, nossa amiga.

- O que é seu está guardado!- Disse exaltada.

-Estou tremendo desde agora! Sua Ridicula!

  Se ela está procurando treta, acabou de achar!


Notas Finais


Vixiii!
Babi Nervosa Modo On...

O que vocês acham que a Babi vai fazer??

Ela é imprevisível até pra mim...

Leitores fantasmas apareçam! Quero conhecer vocês...

Espero que tenham gostado e até o próximo Capítulo! ❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...