História Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A Seleção, Adolescentes, Amor, Aventura, Beijo, Colegial, Comedia, Drama, Escolar, Esperança, Famosos, Feiticeiros, Feminino, Ficar, Love, Luta, Magia, Magos, Masculino, Mistério, Namorar, Original, Paixão, Poderes, Romance, Saga, School
Exibições 56
Palavras 1.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Pessoal... estou escrevendo outra fanfic.
Que Sorte A Nossa...
Leitoras, por favor, deem uma.olhadinha na fic e me dá aquela força... desde já, agradeço...
Bem Vindos Novos leitores!!! ❤❤

Capítulo 23 - Planos...


Fanfic / Fanfiction Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 23 - Planos...

Max

    Estava em meu quarto, fazendo minhas atividades do colégio e esperando a bomba que explodiria ainda hoje... A Babi foi para a casa dela, alegando que se sonhasse que a vadia - palavras dela - pensasse em chegar perto de mim, mataria ela. E eu.

    Já era mais ou menos 18:00 horas.  Eu estou morrendo de saudade da minha pequena Barbie.
     Ouço alguém batendo na porta do meu quarto.

- Entre.- Gritei.

- Oi filho.- Minha mãe pôs a cabeça para dentro do quarto. - Você queria falar comigo?

- Sim, mamãe. Sente-se que a conversa é longa!- Avisei.

- Nossa... E que assunto seria?- perguntou curiosa.

-  Primeiro, não quero a Lohanna aqui.- Declarei.

- Isso não será possível. Você sabe que os pais dela são nossos amigos!- Mamãe repreendeu-me.

- Mas quero só ver se a senhora vai pensar da mesma forma, depois que eu te contar o que seus amiginhos pretendem fazer...

Mamãe me olhou preocupada, querendo e não querendo me perguntar ao mesmo tempo. Como ela não deu sinal, continuei.

- Primeiro de tudo, a Lohanna está ai?-- Ela negou. - Bom, quando conversei com ela, escutei seus pensamentos. A linhagem do mau não sabem que leio mentes.

Mamãe revirou os olhos.

- O que isso tem a ver com a Lohanna e os pais dela?

- Eles estão vindo em nome dos meus bisavós. Eles trocaram de lado.- Disse finalmente.

- O QUÊ? - Mamãe gritou.

«»

BABI

« MAX: Pequena, meus pais surtaram.
«BABI: Imaginei.
« MAX: Tenho uma péssima notícia!

Ai meu Deus! Só poderia ser péssima mesmo. O Max acabou me contando sobre o que ouviu nos pensamentos da Lohanna-Cara-De-Vaca.

« BABI: Vai... Fala!

Sinto braços em minha cintura.

- Precisa ser dito pessoalmente.- Senti seus lábios em meu pescoço.

- Acho que pode ser dito depois...- disse, tirando sua camisa e jogando sei lá aonde.

- Pior que não...- fez uma carinha triste.- Porém, se você tiver no clima depois da notícia ruim, podemos dar um jeito.

- Fala logo, então...- disse ansiosa.

- Éee... Depois que eu conversei com mamãe, ela disse que precisaria fazer uma reunião com o Conselho Humano-Feitiçeiro, mas pra isso eles precisam viajar, e pra isso temos que passar uma semana... entretendo a Lohanna.

- O QUÊ? UMA SEMANA? TÁ DOIDO MAX? QUER ME MATAR DO CORAÇÃO.

- Calma, pequena! Não quero te ver estressada...- Ele veio me agarrando.

- PEQUENA O CACETE, MAX! MAL PASSEI 15 MINUTOS PERTO DAQUELA Lohanna-Cara-De-Vaca E QUASE MATEI ELA! AGORA VOCÊ QUER QUE EU FIQUE UMA SEMANA PERTO DAQUILO?

- Mas tem um lado bom... Seus pais vão, os meus também, os pais da Carla e do João também vão, e vamos passar a semana na minha casa. Então, arrume suas coisas e vamos...- Tentou me animar.

  Até que não é tão ruim assim... Vou ficar uma semama juntinha do Max! Nem se eu fosse burra de não querer!

- Bem... Acho que até gostei da ideia agora...- Fingi indiferença.

- Obaaa! Uma semama contigo... Acho que vou cair em tentação!

...

Max invadiu meu guarda-roupas e disse que escolheria as roupas que eu usaria. Tudo bem... Deixei. Aproveitei e fui tomar banho.
   Quando saí do banheiro, vi ele se  abanando com meu leque. Detalhe: Ainda sem sua camisa.

-Max... Você está fazendo de propósito!- Resmunguei.

- Não estou, não!

  O safado pegou o leque e ficou se abanando de uma forma sedutora e começou a DANÇAR como um Gogoboy! Abaixou a calça um pouquinho e colocou o dedo na boca.

- MAX!- O repreendi, rindo.

- Que foi? Estou com calor...

   Ele me paga essa noite!

- Deixa eu ver o que você escolheu.- Disse eu, indo em direção a mala  entupida de roupas...- Max! É só uma semana...

- Eu sei, mas quem disse que você vai vê-las?- Ele me segurou por trás. E me grudou nele.

- Vamos crianças! Está ficando tarde!- papai gritou.

- Já vamos!- Gritei.

Tirei minha toalha e eu estava nua.
MENTIRINHA!

Estava com uma Lingerie preta.

- Eu escolho Deus, eu escolho ser amigo de Deus, Eu escolhi Cristo todo dia...- Cantou o Max, fechando os olhos.

- Ai meu Deus, Max... Não está tão ruim assim, vai...

- Por isso mesmo! Está mais do que bela essa visão... Teu pai está aí... Se ele sonhar, perco seu caminho da perdição!

- Vou colocar minha roupa...- Corri para o Closet.

Mas o Max me agarrou e me entregou uma roupa.

- Veste isso...

«»

-Juízo, ein?- Papai aconselhou-nos. 

Estávamos na porta de casa. Meus pais se despediram de nós, nos dando um beijo no rosto. Sim, até no rosto do Max...
  Então, peguei minha mochila da escola e minha mala de roupas e fomos para o carro do Max. Abri a porta do carro e entrei, enquanto o Max trancava a porta da minha casa. Ele entrou no carro com uma cara emburrada.

- Que foi?- Perguntei preocupada.

- Dava pra esperar eu ter aberto a porta do carro pra você, ou você acha brega?- ele perguntou triste.

-O quê? Max... Foi só porque você estava fechando a porta de casa. E eu não acho brega! Eu amo isso em você... Entre outras coisas mais.

Ele sorriu.

- Tá, mas eu me sinto um Crápula... Como se eu não amasse você o suficiente para abrir a porta do carro.- Ele sorriu de lado.- Em outras palavras, eu amo tanto você, que quero te tratar como uma princesa. Como a MINHA princesa!

  Meu coração deu uma pulada... Que namorado lindo e fofo que eu arrumei!

- Eu Também amo tanto você, que quero te tratar como um príncipe. O MEU príncipe!

Ele me deu um beijo apaixonado e deu partida no carro.

...

  Estávamos quase chegando na casa do Max. Ele estava dirigindo devagar até demais.

- Pequena...

- Sim?

- Abre o porta-luvas pra mim, por favor...- Pediu, parando o carro.

Abri.

-Pega a sacola e abre.

Assim o fiz. Dentro da sacola, havia uma caixinha preta. Abri a caixinha e vi dois anéis.

- Max... O que é isso?- perguntei.

- Nossos anéis de namoro... Quer ter um relacionamento sério comigo?

- Mas já não estávamos namorando sério?- perguntei rindo.

- Sim, mas minha princesa não podia ficar sem seu anel!

- Max! Que lindo... Estou sem palavras!

Ele riu. Pegou o anel que estava escrito seu nome e pôs em meu dedo. Peguei o anel que tinha meu nome e pus no dedo dele.
  Max pegou minha mão e a beijou, encontrando meus lábios, em seguida.

- Eu amo Você, garota dos fones de ouvido.

- Eu amo Você, garoto do Skate.

«»

MAX

    Eu sabia que minha pequena iria gostar do anel.
    Subimos as escadas do nosso quarto, ignorando a pegação da Carla e do João na sala.
    Coloquei a mala da Babi no chão.

- Pequena, abre aquela parte do guarda-roupas pra mim, por favor.- pedi.

Ela abriu e se assustou com o tamanho do espaço que deixei para ela.

- Max, é só uma semana. Eu não me mudei pra cá...- ela riu.

- Mas essas roupas que escolhi vão ficar aqui, pra quando você vir dormir aqui em casa.

- Aiii que namorado maravilhoso que eu tenho! Minhas roupas ficam!- Pulei em seu colo.

- Uhuu!

- Mas... com uma condição! Devo ter roupas suas em minha casa também...- Ele me deu uma leve apertada.

- Tudo bem... Agora, vamos arrumar essas roupas?- sugeri.

- Claro! Mas quero uma recompensa depois...- Avisou.

-  Todas que você quiser!- Beijei-a.

Ela abriu a mala e começou a retirar as roupas.

- Max.- Ela caiu na gargalhada.- Você não sabe dobrar roupas, não?

- Não.- disse eu, envergonhado.

- Está aí, pelo menos uma coisa que você não saiba fazer...

- Eu não me orgulho disso. São tantos passos para dobrar uma roupa, que eu não consigo aprender.

- Ahhh meu amor... É simples, vou te ensinar: Pega a roupa e comece a fazer mov... Max! Você só escolheu roupas muitíssimo curtas...

Ri da reação dela. Claro que eu só iria escolheu roupas curtinhas. Ela vai estar comigo, quero ver meu corpinho lindo!

- Seu corpinho é muitooo lindo pra ficar coberto com panos enormes... Mas tem muitas calças aí, pra quando irmos pra escola. Porque não quero minha namorada mostrando a bunda por aí...

  Ela se aproximou de mim com cara de maliciosa, me fez sentar na cama. Ela sentou-se no meu colo, em seguida e entrelaçou seus pés em minha cintura.

-.Meu amor... Deixa eu te explicar uma coisinha: Eu não vou deixar de usar minhas roupas por NINGUÉM. Nem por você, mesmo te amando. Entendeu?- Disse morrendo minha orelha.

  E agora eu me pergunto por que eu fui escolher esse shortinho curto pra ela... E essa blusa que é muito sexy - e vermelha.

- Então vou ter que me acostumar?- fiz bico.

- Vai... Mas eu vou estar sempre com você. Então, basta dar uns dois gritos se tiver algum tarado me olhando... E de qualquer forma, os outros vão só olhar e o único que pode pegar é você!

  Ai Babi... Manera nas palavras!

- Acho melhor nós arrumarmos as roupas...- Disse um pouco alterado.

- Que foi? Falei algo errado?

- Sim... Não vou consigo pensar direito com você assim, no meu colo e ouvir  você dizer que eu sou o único que posso te pegar... Eu não aguento.

  Ela começou a beijar meu pescoço e eu, que já não estava numa situação boa, agora estava em estado de arrancar as roupas dela com tudo.

- Melhor parar. Lembra da história de ir com calma?

- Argh! Lembro...

....

Arrumamos as roupas dela e, em seguida, fomos para a cozinha comer alguma coisa.
  Chegando na cozinha, nos deparamos com a Lohanna sentada no banquinho e a roupa que usava estava extremamente curta!
Senti a Babi me apertando. Acho que é porque estou olhando. Mal sabe ela que acho ridículo.

- Oi, va... Lohanna.- disse Babi, cumprindo o combinado do plano.

Lohanna  a olhou estranho.

- Oi...

- Vamos fazer algo pra comer, você quer?- Babi ofereceu.

- Perai... O que tá acontecendo? O que vocês estão tramando?

- Ela só é educada, Lohanna! Diferente de você...

-sei...- Colocou o fone no ouvido e foi deitar no MEU sofá.

   Só que eu conheço muito bem o truque dos fones de ouvido. Sei que ela quer ouvir o que vamos conversar, e pelos pensamentos dela, ela não sabe do plano.

  - Max...- Sussurou Babi.

- Sim pequena...

- Eu não estou passando bem, eu acho que eu vou...- e desmaiou.


Notas Finais


O que será que vai acontecer???
Vixiiiii....
Genteeeee! muito feliz pela pequena repercussão da fanfic. Sei que vai crescer mais...
Indiquem a fanfic para os amigos...
E me deem uma força na minha outra fic...
sei que vão gostar dela... ❤❤❤
COMENTEM E ME MOTIVEMMMM E ME DEEM CRÍTICAS....



espero que tenham gostado e até o próximo capítulo 😚😍😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...