História Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A Seleção, Adolescentes, Amor, Aventura, Beijo, Colegial, Comedia, Drama, Escolar, Esperança, Famosos, Feiticeiros, Feminino, Ficar, Love, Luta, Magia, Magos, Masculino, Mistério, Namorar, Original, Paixão, Poderes, Romance, Saga, School
Exibições 33
Palavras 1.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi Meus Amores.
Tudo bem com Vocês?

Quero desejar um Feliz Ano Novo atrasado. Que esse ano seja cheio de realizações na vida de vocês e que vocês sejam muito felizes!

Eu tenho um Comunicado nas Notas Finais. Vou explicar umas coisas para vocês lá. Então, não deixem de ler as Notas Finais porque é muito importante!

Desculpem-me pelo capítulo pequeno.

Capítulo 30 - Término


Fanfic / Fanfiction Fandolescentes: A Descoberta. - Capítulo 30 - Término

Babi

Passa-se  um mês depois de toda aquela correria e ficamos presos aqui a todo o momento.

    Minha tia tem visões de quando a barra está limpa para algum dos adultos saírem e fazerem compras.

  No lugar onde estamos vivendo, consigo ver uma enorme proteção, como uma bolha de sabão,  protegendo-nos. Só quem está do lado de dentro pode enxergar, menos a Lohanna, ou ela pode contar à Linhagem do Mal.
  
  Muitas coisas mudaram nesse meio tempo.

Principalmente entre Max e eu.

Sei que somos influenciados a brigarmos por qualquer coisa, para manter essa mentira. Mas o Max anda muito frio comigo.

  A única coisa que estou conseguindo sentir por ele, é raiva.

Mas não quer dizer que não nos pegamos de vez em quando... Mesmo se tornando cada vez mais raro.

  Eu sei que não devo sentir raiva dele, e que tenho que ter paciência, mas as coisas estão saindo dos eixos e isso me frustra muito!

Como por exemplo: Às vezes, esculto meu pai discutindo com os outros para que façamos a Renúncia, mas eles dizem que meu pai é louco e que morreríamos na certa.  Também estraguei essa possibilidade,  já que Lohanna estava entre nós e sem dúvidas, ela nos entregaria.
Há brigas frequentes entre nós, uma vez que somos humanos e pensamos diferente. É difícil conviver com 13 pessoas num mesmo lugar.

  A casa é muito grande e de dois andares. Temos piscina, área de musculação, área de jogos e um Closet cheio de coisas para que, nós mulheres, possamos nos distrair.

  Há também uma sala bem enorme, que usamos para treinar nossos poderes. Aliás, ainda não manifestei meu poder Mor.

O que me deixa chateada...

  No Colégio, nossos pais pediram nossas transferências. A desculpa é que nos mudamos para a França,  junto com o meu irmão.

   Claro que vão achar estranho todos irem embora assim, mas ninguém tem nada a ver com isso.

Em relação aos estudos, minha mãe disse que tem uma solução, mas que, primeiro, precisamos sair dessa vivos.

Sem contar que todos estão com os nervos a flor da pele.

- Você ficou o dia todo nesse quarto, você não acha bom tomar um ar lá fora? - Aconselha-me Danielle, que aparece no meu quarto com a Carla em suas costas.

  Acontece que minha relação com Danielle ficara mais intensa, e Carla também gosta muito dela.

Somos melhores amigas, só que agora, com mais uma integrante.

Danielle tem 18 anos e é Brasileira, porém, toda a sua família mora na França. Ela é até alta, o que me faz me sentir uma anã...

Mas me sinto uma formiga, quando eu vejo que meu irmão é mais alto que ela.

   Danielle é bem branca, não tem sotaque Francês, mas se parece com uma. Seus olhos são verdes e seus cabelos, pretos e bem lisos, pegando no fim das costas.
 
Ela combina com meu irmão, na verdade, são muito parecidos, pois ele também é branquelo e alto. Ele tem cabelos pretos e a barba sempre está naquele estilo por fazer, sem contar os olhos azuis que herdamos dos nossos pais.

De cara, Danielle parece uma adolescente, mas a conhecendo bem, você percebe que por trás daquela tagarelice dela e do seu jeito brincalhão, há uma grande mulher.

- Vou ficar aqui. É melhor do que presenciar a Lohanna se engraçando com o Max e achando que sou corna.

  Danielle bufa.

- Deixa de ser burra e levanta essa bunda daí, antes que eu o faça a força! - Carla ameaça.

Elas tem isso em comum: Ameaçar as pessoas.

Bufo nervosa.

- Ok, mas vou ficar na minha e se Lohanna vir com gracinhas, arranho a cara dela!

- Isso aí, cunhada! - Danielle apoia.

  Vesti um biquíni provocante, só pra não deixar que o Max se esqueça de mim, e desço com somente o short cobrindo meu corpo.

(...)

Max

- Eu sei que é uma armação  contra mim.

- Oi? - pergunto, sentindo o medo me invadir.

  Estou na área da piscina, na boa e a pessoa me vem com uma dessas?
   
  Ainda atrapalha minhas lembranças?

  É o que me resta: Lembranças.

Bom... não terminamos "oficialmente", mas neste mês que se passou, fomos nos afastando.

   O meu maior passa tempo é fechar os olhos e me lembrar dos momentos que tive com Babi.

  Raramente nos beijamos ou nos abraçamos. Eu sinto muita falta da minha pequena!

- Não se faça de burro. Eu sei que vocês estão armando esse término de namoro, para me passar a perna depois...

- Não viaja, Lohanna... - Pego meu celular e tento dar a impressão de que estou ocupado.

Ela ri sarcasticamente.

- O négocio é o seguinte, você irá terminar com a Babi de verdade e irá quebrar o coração dela de todas as formas possíveis. Ou é isso, ou eu conto tudo para a Linhagem Maligna. - Ela propõe, com uma cara de bruxa.

Mas que cobra...

Eu tenho que aceitar de qualquer jeito, pois, prometi que faria tudo pela Babi. Não irei quebrar essa promessa.

Mas não posso mostrar à Lohanna que vou aceitar de primeira.

- E no quê isso me beneficia?

Ela sorri.

- Além de ter uma gostosa como eu, você salvará a vida da sua família e daquela idiota que você gosta.

  Se ela quer isso, terá condições.

Mas está meio estranho esse assunto dela...

- Você terá que ouvir minhas condições.

Ela revira os olhos.

- Eu acho que você não tem que pedir condição nenhuma, até porque, quem está no comando aqui sou eu. - Diz se sentando no meu colo.

Foi minha vez de revirar os olhos.

- Eu quero uma noite com a Babi, uma noite de despedida, e no dia seguinte, faço o que você quer. E quero que se una conosco e nos diga o que a Linhagem do Mal está tramando contra nós. Há mais chances pra você aqui, do que com eles....

- Você acha que eu vou te deixar passar uma noite com a Babi? Absurdo...

   Preciso dar uma pressionada.

- Pense bem, pois se não for assim, prefiro que você nos entregue e que morramos. - Fingi.

MEUS PAIS, PRECISO SALVA-LOS DO CATIVEIRO!

Opa... Mas que bomba!

   É nessas horas que eu agradeço por ler pensamentos...

- Lohanna, acho melhor você dar sua resposta... - Continuo a pressiona-la.

- Ok, Max. Mas não tente me enganar... Eu vou saber de tudo, pode apostar!

O que eu não faço por você, ein Babi? Até quebrar seu coração pra te ver viva, eu faço.

  Sou tirado de minha pequena depressão, quando vejo a mais linda de todo o Mundo passando na minha frente.

- Que consideração, não? Acho que sua namorada que deveria estar no seu colo, não uma qualquer! - Disse Babi.

Sinceramente? Ela estava nervosa de verdade comigo...

- Talvez você não tenha dado atenção o suficiente pro seu namorado, queridinha...  - Lohanna se intromete.

  Babi fecha os olhos e respira fundo.

- Olha aqui, sua biscate dos infernos... Cala essa tua boca, antes que eu tire seus olhos do lugar e enfie no teu...

- Opa! Vamos com calma, Babi. - Danielle a interrompe.

- Quer saber, Max? Na real, sem enganação, sem teatrinho, nem nada... Eu não quero mais nada com você, entendeu? Mais nada! - Termina.

  Depois de jogar tudo na minha cara, ela tira o Short sensualmente e pula na piscina.

Meu Deus... que beleza de mulher!

  Será que ela estava falando sério, mesmo? Pareceu ser verdade.

Sinto a tristeza me atingir.

CALMA, FILHO. ELA ESTÁ CHATEADA, MAS FUI EU QUEM A INFLUENCIOU.

Mamãe se comunica comigo.

AGORA FAÇA SUA PARTE DO PLANO. É HORA DE FAZER A LOHANNA ACREDITAR QUE VOCÊ ESTÁ A FIM DELA.

Ah mamãe... se você soubesse que esse plano está por um fio.

(...)

Babi

  Agora já era.

Terminamos.

  No início, achei que seria um término de mentira e que tudo ficaria bem, mas hoje, vi que a situação pode estar se tornando verdadeira...

  Eu nem consigo mais olhar pra cara dele.

Não consigo!

Parece que o que eu sentia por ele está acabando a cada dia.

Como se o amor estivesse morrendo...

Depois de muito tempo, saio da piscina e vou para a cozinha, na intenção de tomar água.

  Preciso de uma água bem gelada,  pra congelar o cérebro.

Pego a água e a tomo. Fecho os olhos, sentido a cabeça doer pela temperatura gélida.

- Precisamos conversar. - Escuto Max falando.

  - Já falamos o que tínhamos pra falar. - digo com os olhos ainda fechados.

- Babi, por favor, eu preciso muito conversar com você... Eu vou te encontrar no seu quarto hoje a noite, pra matármos a saudade.

  Nego e olho em seus olhos.

- Você não está entendendo, não é? As coisas estão mudando, Max. Eu estou sentindo o amor morrendo aos poucos, se esvaindo a cada dia que passamos presos, aqui. É como se você realmente estivesse se apaixonando pela Lohanna... Eu não estou aguentando toda essa pressão! - Confesso entrando em desespero. Lágrimas escorriam dos meus olhos.

  É como se fosse uma represa rachada: Ela segura a água, segura o peso. Segura, segura, segura... Mas uma hora a represa arrebenta e a água jorra por todos os lados, não só quebrando a represa, mas também acabando com tudo o que estiver pela frente.

  Ele me olhava com dor. Me olhava com pena.

- Me perdoe, Babi. Desde já, me perdoe, mas eu farei o que for preciso para que você saia viva dessa... - ele diz - Te encontro hoje a noite.

   Max me dá um beijo rápido e saí da cozinha.

  Seco meus olhos e subo para o meu quarto, tomo um banho e  leio um livro, para distrair a cabeça.


Notas Finais


Infelizmente, as coisas estão ficando difíceis entre os dois...

Bom gente, vou explicar e pode ficar grande, mas tenham paciência.

1° Estou com um bloqueio de criatividade. O curioso é que esse bloqueio é somente nessa história, pois nas outras, estou conseguindo escrever normalmente.

2° Encontrei uma Editora que me disse que posso terminar essa história e mandar para ela quando estiver pronta. Não quer dizer que será PUBLICADA, será AVALIADA. Acho que deixei a entender que eu já estaria publicando essa história, mas não, eu estou procurando alguma Editora que me dê essa chance.

3° A partir de hoje, passarei a revisar os Capítulos. Significa que algumas coisas poderão mudar. Por exemplo: Algumas coisas sem nexo e o acrescentamento de algo que for necessário. Se vocês preferirem, podem olhar as revisões, mas não mudará o rumo da história. Ah... E vou tirar capítulos que usei para dar avisos.

4° Meu tio trabalha com coisas judiciais e está me ajudando a Registrar essa História no cartório, para que se houver Plágio, eu possa provar que a história é minha.

5° Estou com uma Fanfic nova e se chama "Mal você sabe". Aqui está o link.

https://spiritfanfics.com/historia/mal-voce-sabe-7555302




Bom, é só isso, espero que entendam e não me abandonem! Se eu demorar em postar, é porque quero entregar algo bom e com qualidade a vocês e sei que valerá a pena.

Espero que tenham gostado, e até o próximo Capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...