História Fanfic Gleggie- Dá para amar no fim do mundo? - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Glaggie, Gleggie, Glennrhee, Maggiegreene, Maggierhee, Thewalkingdead, Twd
Exibições 66
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Canibalismo, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hi Docinhos, me desculpe por não postar, agora que a minha peça de teatro já acabou, vou voltar ao normal. Eu escrevi esse capítulo chorando, bem, vocês sabem o motivo: Estreia sétima temporada. Eu quero dizer que eu não vou acabar com essa história e ainda pretendo escrever outras histórias Gleggie, pois amo muito esse casal para abandona-los. Quero também dizer que eu vou tentar adiantar uma oneshot e vou escrever uma homenagem para ele. Boa leitura, desculpe qualquer coisa. #RIPGlenn&Abraham
PS:Estou feliz por estarmos chegando aos 20 favoritos, eu sei que é pouco em relação a outras fics, mas estão realmente feliz por ser minha primeira fic e estar dando certo, amo todos vocês <3

Capítulo 19 - Capítulo 19: A comunidade de Hilltop


POV GLENN

Negan já havia saído do lugar, Sasha também. Eu estava abraçando Maggie e Enid tentando reconfortar as duas, elas eram minha família. Rosita estava em choque, Eugene só chorava, na verdade, todos nós estávamos chorando. Ficamos assim por um tempo até que Rick se levantou e disse:

“Vamos continuar a viagem, podemos pegar o outro cobertor e enrolar no corpo...” ele falou olhando para o chão.

“Não, podem voltar” Maggie falou pela primeira vez, com um pouco de dificuldade.

“Que? Você está passando mal e precisa de um médico”

“Não! É culpa minha, tanto a morte dele quanto nós viermos para cá, eu posso ir sozinh-“

“Maggie, não é culpa sua, ele teve a escolha dele” Michonne também se pronunciou

“Eu levo ela” falei  “Podem voltar para Alexandria, ver se está tudo bem por lá. Falta pouco, eu posso levar ela”

“Vocês tem certeza?” Rick finalmente olhou para nós dois, que já estávamos de pé

“Sim” 

Rick e Michonne se juntaram a Carl. Eu, Maggie e Enid continuamos juntos. Denise havia abraçado Tara  e Jesus continuou abaixado junto com Daryl.

“Enid, você pode ir com a gente, se quiser”

“Quero ajudar, nós dois conseguimos carregar a maca”

“Eu vou falar com a Rosita” Maggie interrompeu

“Eu te ajudo” Falei ainda abraçado com ela

“Não”

“Maggie, você não consegue ficar nem de pé”

“Eu consigo” ela falou enquando andava com dificuldade até a Rosita

Tara, Maggie e Rosita eram muito amigas, eu sempre senti que Maggie não ficava muito confortável com as mulheres do nosso grupo, não que elas não se gostassem, mas Maggie precisava de alguém da idade dela, e agora conseguiu.

“Enid, eu ajudo a Maggie e você ajuda com os walkers, okay?”

“Glenn, ela vai ficar mais confortável na maca”

“Eu sei, mas precisamos ter alguma mão livre”

“Sim, eu ajudo nisso então”

“Posso te fazer uma pergunta?” falei quebrando o silêncio de uns trinta segundos.

“Pode”

“Você..... Se considera filha nossa?”

“Filha? Não, eu me considero irmã da Maggie, eu sei que ela perdeu a dela e temos dez anos de diferença”

“Então somos parentes?”

“Acho que somos, se vocês permitirem”

“Claro! Eu não sei como posso te agradecer por tudo que você fez. Você cuidou da Maggie quando eu “morri”, muito obrigado mesmo”

“É” ela sorriu

Rick e os outros, tirando Jesus, voltaram para Alexandria. Eles deixaram três cobertores, uma pistola com seis balas e dois enlatados. Seria a conta. Maggie insistiu para que deixássemos  andar, ela se sentia inútil na maca. Já andávamos já havia algum tempo, todos em silêncio, então paramos para Maggie e Enid descançar. Jesus me chamou para conversar.

“Quer que eu faça alguma coisa” perguntei

“Não, eu só quero falar”

“Então, fale”

“Cara, eu não quero ser chato ou grosso, mas você sabe que Maggie pode não aguentar, né?”

“Sei, mas ela é muito forte, eu sei que ela consegue” falei olhando para baixo.

“Quero dizer que, o nosso médico, ele é bom, mas não pode fazer maravilhas”

“Sim, eu entendo, vamos carregar ela agora, okay?”

“Okay”

Dividimos um dos enlatados, eu dei minha parte para Maggie, ela estava mal, seus olhos já inchados de tanto chorar, havia sangue em sua roupa, e estava muito pálida. Continuamos a caminhar, chegaríamos lá ainda hoje. Maggie havia deitado na maca, eu e Jesus carregávamos e Enid levava a mochila. Como paramos mais duas vezes demoramos mais um tempo para chegar, e por isso, uma orda nos cercou. Enid pegou um facão, Jesus um machado e eu a arma. Descemos Maggie da maca e eu segurei sua mão.

“Quero que saiba que se acontecer qualquer coisa, você tem que tentar ir para longe, não fique,okay? “

“Mas Gle-“

“Eu te amo okay?” a interrompi já sabendo o que ela falaria

“Eu também”

Ficamos em posição de combate, Maggie estava no centro e cada um em cada ponta, estava funcionando tudo bem, cada hora um saía da posição e matava um deles, até que Maggie caiu no chão.

“Maggie!” gritei ainda na posição

“Eu te cubro, pega ela e vai para longe” Jesus falou

“Onde eu te espero?”

“Não espera, a gente está quase chegando, é só seguir a estrada”

“Enid, toma cuidado, eu vou levar ela, okay?”

“Okay, o bando é pequeno, nós dois conseguimos” ela sorriu de canto

Tomara

Abaixei-me e peguei Maggie no colo, procurei um espaço e corri. Depois de conseguir ir para longe deles eu parei de correr e me sentei com Maggie ainda no meu colo. Ela não era pesada, eu sempre a carreguei, quando ela machucava ou só por diversão. Maggie não havia acordado, então resolvi descansar um pouco. Olhei para ela e me lembrei da nossa ‘pequena’ briga mais cedo. Se eu não tivesse sido estúpido, poderia ter cuidado dela, ou só ficado do lado dela. Abraham, não havia parado para pensar nele, na morte dele. Ele salvou Maggie e não tenho como agradecer.  Peguei Maggie no colo e continuei a andar reto, só que eram vários pensamentos, eu cai de joelhos e comecei a chorar.

“Glenn? Tá tudo bem?” Maggie falou rouca.

“Maggie, você tá bem?” eu limpei as minhas lágrimas.

“Eu perguntei para você, eu não sou o centro aqui”

“Sim, é só que, se eu não tivesse sido idiota mais cedo, eu poderia ter cuidado de você, ainda mais quando você precisava e também, Abraham, eu não posso agradecer ele”

“Vai ficar tudo bem, nós vamos conseguir, okay?” ela falou.

É incrível como ela consegue me acalmar, mesmo estando tão frágil.

Ela mordeu o lábio inferior, provavelmente por culpa da dor. Levantei-me e a ajudei a se levantar, e procuramos um carro abandonado para esperar por Enid e Jesus. Quando achamos, retirei o corpo seco de um morto que estava dentro do carro e me sentei, deixando Maggie ficar no meu colo. Esperamos por volta de meia hora até que eu vi Jesus e Enid vindo pela estrada. Acordei Maggie e fomos encontrar com os dois.

“Graças a deus vocês estão bem!” Jesus gritou.

“Digo o mesmo” sorri.

“Não consegui trazer a maca, me desculpe”

“Tudo bem, se for preciso eu carrego ela de novo”

Abracei os dois e beijei a testa de Enid, juntamos tudo e seguimos caminho. Jesus nos levou até uma grande parede de madeira e um dos vigias gritou:

“Quem é?”

“Sou eu Jesus, tenho que levar essa moça para o doutor Harlan”

“Vamos abrir, podem ir para o trailer médico lá vocês podem esperar por ele” o segundo guarda falou enquanto os portões se abriam.

Levei Maggie e Enid para o trailer enquanto Jesus correu para conversar com o líder da comunidade. O doutor entrou correndo e quando viu Maggie, guiou para que eu a carregasse até a maca.

“Você pode se sentar aqui, temos muito o que ver, a situação está grave. Aliás, meu nome é Harlan Carson, eu era obstetra antes de tudo e bem, vou tentar o máximo”

“Sou Glenn e ela é Maggie" 

Eu segurei a mão de Maggie durante tudo, ela estava pálida e se contorcia de dor, eu só queria poder fazer alguma coisa.

“É, tem algo de errado” ele olhou para o monitor e depois para Maggie “Você tem feito muito esforço, tem que descansar, você está com risco de um aborto espontâneo”

Aborto


Notas Finais


E aí? Bye Docinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...