História Fanfic Gleggie- Dá para amar no fim do mundo? - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Glaggie, Gleggie, Glenn, Glennrhee, Maggie, Maggiegreene, Maggierhee, Thewalkingdead, Twd
Exibições 42
Palavras 776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Canibalismo, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom..... Aqui está. ... Espero que não desaponte vocês. Desculpe mesmo por não ter nenhum POV da Maggie, mas eu realmente não faço ideia do destino dela.

Capítulo 30 - Capítulo 30: Um novo anjo


Fanfic / Fanfiction Fanfic Gleggie- Dá para amar no fim do mundo? - Capítulo 30 - Capítulo 30: Um novo anjo

POV GLENN

 

Aconteceu tudo muito rápido.  Estavamos todos felizes. Não sei ao certo, no que ou onde bati.  Só sei foi um grande descuido. Quando me dei conta, já estavamos na terceira cambalhota, depois disso desmaiei.

*****************

Acordei com os grunhidos. Quando fui me mover, senti a dor. Levanteo minha blusa para conferir, e então pude confirmar. Um dos pontos que eu havia ganhado,  por causa da Lucille, abriu. Estava sangrando e bem ruim. Nada mais aconteceu comigo, tirando alguns arranhões. Me levantei, eu estava de cinto, então não sai do meu lugar. (Usem cinto galerinha)

Não vi nenhuma das duas. Peguei minha arma, e duas mochilas, com o máximo de coisas que consegui resgatar. 

*************

Já fazia três horas que eu caminhava. O relógio de Hershel, nunca saia do meu bolso, isso era bom. Quando saí do trailer, vi que já era noite, então eu fiquei desacordado por muito tempo. Achei um caminhão então tentei subir nele, tentativa falha. Eu cai no chão e de lá,  não levantei. Fechei os olhos e só esperei algum milagre.

"Papai?" Escutei a voz que precisava escutar.

Abri meus olhos. Era Helena. 

"Ai meu deus! Helena!" Falei me levantando e abraçando ela. 

Quando eu abracei ela, a mesma recuou. Olhei para ela assustado,  e pude ver, ela estava conm uma grande mancha vermelha no braço. 

"Papai, os 'walxers', eles fizeram isso" Ela falou chorando. 

Levantei a manga de sua blusa. Antes, onde havia um arranhão. Agora havia uma mordida. Comecei a chorar.

"Vamos Helena, já está tarde, vamos descansar." Falei enquanto pegava as mochilas e ela no colo. 

Acabei entrando num carro abandonado. Já tinha feito isso antes,  e não era perigoso. A febre de Helena já havia subido. Ela estava deitada no banco de trás, e eu sentado no banco da frente.

"Papai, agora eles me pegaram, você vai fazer o que Brian ia fazer?" Ela falou fraca.

"Não se você não quiser"

"Lá. ..." Ela parou chorando. " Eu vou ver meu papai de verdade?"

"Sim, ele e sua mamãe, estão te esperando."

"Você vai comigo?" Ela perguntou em meio ao choro.

"Bem.... Não, ainda não.  Um dia, eu vou, mas não agora, promete que vai me esperar?"

"Sim, eu vou te esperar e contar para o meu outro papai, que você cuidou de mim" Ela sorriu, monstrando o pequeno buraquinho de um dente faltando. "Por que você não vai agora?"

"Eu tenho uma namorada, e ela vai ser mamãe.  Ela está me esperando,  e eu preciso voltar para cuidar dela." Sorri para ela.

"Pode me falar sobre ela?"

"Claro, ela se chama Maggie e tenho certeza que ela iria te amar. Ela tem cabelos grandes e castanhos. Seus olhos são da cor dessas árvores." Falei apontando para as árvores. "Ela é incrível!  É muito forte, bonita..... tipo, perfeita mesmo!"

"Queria conhecer ela" Ela falou desanimada.

Foi aí que lembrei de uma coisa que tinha pegado.

"Acho que isso não dá. ... mas ela pode ver uma foto sua!" Falei tirando uma máquina reveladora de dentro da minha mochila.

"Uau! Eu sempre quis uma dessas!" Ela falou sorrindo.

Eu me aproximei dela e virei a câmera para nosso rosto. Sorri e ela também, bati a foto. Poucos segundos depois, um papel saiu de dentro da câmera, revelando nossa foto. Ela havia ficado linda, seu buraquinho estava amostra, eu até que sai bem na foto, tirando o fato do sangue seco nos nossos rostos. Voltei para o banco da frente e esperei que ela dormisse. Fiquei olhando para a foto. Quando olhei para trás, percebi que ela já não estava mais respirando.

"Helena?" Falei choroso.

Nada.

"Helena, por favor sem brincadeiras..."  

Mais uma vez, nada.

"Por favor!" Falei já chorando.

N A D A

Por fim, saí do carro e bati a porta. A única coisa que veio em mimha cabeça foi gritar e chorar. Foi o que eu fiz. Me vi sentado no meio da rua, chorando feito una criança. Fui tirado dos meus pensamentos quando escutei uma barulho vindo de dentro do carro, me levantei e olhei pela janela. Helena estava tentando arranhar o vidro, ou algo assim, não sei o que walkers fazem. Peguei meu facão,  eu precisava fazer isso. Abri a porta com uma das minhas mãos, enquanto com a outra,  acertava a cabeça dela.

******************

Preparei tudo, cavei a cova, fiz a cruz com dos gravetos. Coloquei o corpo dela dentro e tampei. Rezei por ela, ou pelo menos tentei, Maggie sempre disse que não saber rezar, não queria dizer que não tivéssemos fé. Fiquei mais um tempo lá, e depois voltei para o carro. Afinal, eu precisava voltar para casa.

Para Maggie.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E aí? ?? Foi tão ruim? Espero poder recompensar....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...