História Imagine Diabolik Lovers - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Imagine, Imagine Diabolik Lovers, Vampires
Exibições 171
Palavras 1.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um hentai lindozinho saindo pra vocês <3 hihi
Não sei se vou poder atualizar esse final de semana, então aproveitem bem c:
Boa leitura!

Capítulo 6 - Imagine Sakamaki Reiji ( hentai )


Fanfic / Fanfiction Imagine Diabolik Lovers - Capítulo 6 - Imagine Sakamaki Reiji ( hentai )

 

Era o dia da entrega de provas e eu não poderia estar mais ansiosa. Os professores entregaram tudo de uma vez em uma pasta transparente para cada um. O colégio ganhava dinheiro o suficiente para isso, então não vejo por que não. Meu coração parecia que ia sair pela boca.

Tudo estava bem. História, geografia, física, química, biologia, sociologia. De algma forma eu consegui tirar dez em todas essas e mais algumas, mas quando cheguei em álgebra e geometria, tudo parou. Um sete e oito, respectivamente.

Okay, poderia ter sido pior, não? Sim, mas o único problema era que talvez Reiji não aceitasse isso. Ele era muito, muito rigoroso quanto as minhas notas, principalmente por estarmos juntos. Ele queria que eu tivesse as maiores médias da minha turma e sua tolerância era no mínimo um nove.

Eu estava apenas assustada, pensando no que ele faria quando olhasse as provas.

 

XXX

 

Todos havíamos chegado em casa, sem trocar uma palavra. Pareciam que todos estavam com medo dele. Logo depois dos trigêmeos serem chamados e levarem uma bronca, era minha vez. Respirei fundo e entrei.

- Oi, amor... – Falei como sempre, mas desta vez um pouco mais tímida. Sentei-me em frente à ele.

- Me entregue os papéis e tome o chá. – Falou curto e frio como sempre. Retirei a pasta da bolsa, deixando-a em suas mãos.

Tomei alguns goles do chá morno, estava incrivelmente doce. Dava alguns olhares discretos para ver se havia alguma mudança ou surpresa, mas nada. No final, ele colocou as provas em cima da mesa e arrumou os óculos.

- O que aconteceu? – Ele perguntou e meu coração acelerou. Não fazia ideia do que dizer. – Não vai me responder o porquê desse sete e oito terem ido parar aí?

- Reiji, eu... não sei... eu juro que estudei como você mandou!

- Oh, eu acredito que sim. – Se levantou e seguiu por trás de mim, colocando os dedos frios em minha pele, fazendo eu sentir um arrepio. – Parece que alguém precisa de uma pequena punição.

Eu não sei por que, mas de repente comecei a sentir o corpo quente, muito quente, mas não era febre e sim calor. Senti como se quisesse tirar minhas roupas ali mesmo. Reiji colocou meus fios de cabelos para o outro lado e ergueu minha cabeça. Suas presas foram cravadas com força e bem fundas.

- O que... tinha naquele chá... Reiji? – Perguntei dando um gemido assim que ele terminou.

- Apenas um de meus novos experimentos. Achei apropriado para esta ocasião. Uma poção um tanto... afrodisíaca. – Pude ver ele dar um sorriso satisfeito.

Suspirava fundo, me remexendo na cadeira, tentando controlar aquela sensação forte que tomava conta do meu corpo. Uma sensação de prazer. E queria que Reiji me tocasse sem parar, para me satisfazer, e foi o que ele fez.

Colocou suas pernas, cada uma do lado de meu corpo – a poltrona era grande demais para isso – e apertou meus seios com força, como sempre o fazia. Dei um gemido alto que logo foi abafado por um beijo seu. Reiji sequer pedira passagem, sua língua invadiu minha boca e a entrelaçou com a minha várias vezes. Ele parecia querer fazer isso há séculos, já que seus toques eram violentos demais. Era aceitável, nós não fazíamos sexo a um bom tempo.

Depois de algum tempo só nisso, ele se retirou de cima de mim e a essa altura eu já estava enlouquecida. Mandou que eu ficasse de pé e me colocou em frente a cama. Me despi conforme ele mandava, e depois ordenou que eu tirasse suas vestes. Eu apenas respondia com um “Sim, mestre”.

Ambos estávamos nus e mesmo assim, eu ainda sentia muito calor. O membro de Reiji estava exposto e ereto, eu já havia me esquecido do quão grande ele conseguia ser. Me sentei na cama, mordendo meu lábio com força, não me contendo ao vê-lo. Reiji era controlador e bruto, então segurou firmemente em meu cabelo enquanto eu começava a chupá-lo.

Ele fez questão com que eu começasse bem devagar, avançando de pouco em pouco, puxando meus cabelos com força. Eu lambia a glande, fazendo movimentos circulares com a língua, antes de coloca-lo inteiramente em minha boca e essa era parte que ele mais gostava, eu conseguia escutar seus gemidos longos. Jogou sua cabeça para trás, começando a fazer movimentos com a cintura, eu podia sentir que seu ápice estava chegando e ele colocou sua glande bem no começo da minha garganta, só para ter certeza de que eu engoliria quando viesse. E assim o fiz.

Ordenou que eu ficasse de quatro na cama. Depois de alguns segundos, senti uma ardência imensurável na região da bunda. Ele iria usar seu chicote, depois de tanto tempo.

- Está preparada para sua punição?

- Sim, mestre... Aaah... – Gemi ao sentir a dor novamente.

Reiji estava me machucando, mas não é como se eu não gostasse daquilo, muito pelo contrário. Nós éramos sádico e masoquista, um casal perfeito não? Eu enlouquecia com os tapas e chicotadas que recebia, eram fortes o bastante para que sangue escorresse. Ele segurou na minha cintura, roçando seu membro em minha entrada, mas então me penetrou sem piedade, colocando tudo o que ele tinha dentro de mim.

- Mais... Por favor...

 Falei entre os suspiros e gemidos que dava. Ele ia muito, muito rápido nos movimentos, fazendo com que a cama balançasse também. Me tapeava e apertada algumas partes do meu corpo, arranhando-me. Era maravilhoso como Reiji conseguia suprir todos meus desejos carnais e eu esperava que isso fosse recíproco.

Nós ficamos horas nisso, provando várias posições, até que ele decidiu mudar. Colocou algemas nos meus pulsos, me deixando deitada na cama. Beijou meu pescoço, descendo para os seios, onde os lambeu e chupou, deixando uma trilha de saliva até minha intimidade. Chupou fortemente meu clitóris, me fazendo dar um gritinho de prazer. Fez todos os movimentos possíveis com a língua naquela região e não demorou para que eu alcançasse meu orgasmo mais uma vez, naquela noite maravilhosa.

- Espero que tenha aprendido com a punição.

- Sim, mestre.


Notas Finais


O que acharam? Ficou bom? Não esqueçam de comentar se gostaram!
Por favor façam pedidos de quem vocês querem a próxima Imagine, não faço ideia de quem vai ser o próximo :s
Até a próxima Imagine, darlings!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...