História Flames - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 53
Palavras 1.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olha quem voltou, poisé, Flames tinha sido excluída denuncia dizendo que eu fazia apologia, não sei a quê, mas tudo bem, depois do social averiguar e constatar que não tinha fundamento me liberaram eu acabei excluindo porque perdi o gás em escrever nela ,ficou quinze dias na lixeira ou mais, porém conversei com duas amigas elas me incentivaram a continuar.
Espero de verdade que me perdoem e continuem comigo, estou cheia de projetos mas vou segurar nas mãos de Deus e ir vou dá um fim a Flames,amo essa história.
Para quem não se lembra parou na parte que Anne e Josh viajam para Londres se beijam e quando estão conversando sobre o beijo Gustavo chega.
Não vou determinar dias de psostagem por enquanto só sei que vou me desdobrar e toda semana terá um capitulo novo ok
Perdão eu não revisei por estar tarde, mas acho que não tem erros gritantes
Mais uma vez me perdoem e me deêm uma segunda chance

Capítulo 12 - Bad day


Fanfic / Fanfiction Flames - Capítulo 12 - Bad day

Pov Anne Furtado

 Gustavo nos encara percebo seu olhar fixo em Josh que não se abala pela presença intimidadora que Gustavo causa quando se sente ameaçado.

- Bom dia senhora Furtado, desculpe vir sem avisar ou marcar alguma reunião com a senhora porém as notícias que trago tenho certeza que vai fazer ganhar o dia

Sorrio abertamente para o patrocinador, porém não deixo de me perguntar internamente o que Gustavo faz ao lado do patrocinador, eles se sentam de frente para mim e Josh

- Primeiro fiquei completamente surpreso pela senhorita e o Gustavo se conhecerem o que facilitou muitas as coisas com minha empresa senhorita, os acionistas gostam muito do Gustavo por ele ser filho de um empresário muito bem sucedido.

Olho para Gustavo que tem um sorriso presunçoso no rosto, infelizmente minhas experiências com o mundo da economia me faz saber o que meu patrocinador vai me dizer e devo ressaltar que não me agrada nem um pouco, porém permaneço quieta.

- Eles querem um representante de nossa empresa com vocês , que monitore cada centavo que gastarão, são dez milhões de dólares não é uma quantia qualquer, iremos quitar a dívida da Belcorp visando o futuro dos jovens escritores. Seu projeto que será implantado em escolas, faculdades irá  despertar o desejo deles e isso é bom, tem noção do que estão promovendo? Vocês inovaram.

Sorrio com seu elogio

- Não é sempre que uma editora de prestigio dão oportunidades a jovens e bolsas e se comprometem a lançar um livro do ganhador depois de formado, se a senhora estiver de acordo que Gustavo acompanhe o projeto de perto  mera formalidade, ele não irá interferir em suas decisões apenas irá supervisionar de perto se tudo será cumprido na data certa e com valor estimado em sua planilha, o que me diz senhorita Furtado?

Peso na balança e o resultado é que não aceite que Gustavo seja o representante em Manhattan, porém tenho consciência que tal atitude geraria perguntas, perguntas que não estou afim de responder e além do mais é minha empresa que está em jogo e pelo sonho do meu pai eu enfrento o que for.

- O que está esperando para me entregar o contrato.

Todos na mesa sorriam com minha brincadeira, pego o contrato que já tinha lido e relido noite passada assino meu nome.

Pronto, agora seja o que Deus quiser.

(...)

Depois do almoço finalmente estou liberada de toda burocracia entro no elevador com Josh ao meu lado não o encaro, os números em vermelho vão subindo conforme cada andar que passo ao deparar-me com o corredor de nossos quartos giro meu calcanhar e encaro o homem que me observa sei que não terminamos nossa conversa sobre o beijo, sei que não conversamos sobre o que ele disse sobre resolver sua situação com Halsey, eu não tenho cabeça para isso e além do mais foi um momento de fraqueza, eu sou apenas sua chefe e não posso fazer isso com a senhorita White eu sei o que é sofrer por uma pessoa.

-Hill por favor  providencie passagens para esta noite, não quero ficar mais que o necessário nesta cidade, avise ao senhor Hentz também que ele pode vir conosco esta noite ou amanhã pela manhã fica a escolha dele, ligue também para minha secretária e pede que arrume hospedagem para ele por tempo indeterminado a Belcorp assumirá os gastos como foi combinado, Boa tarde.

Giro meu corpo afim de ir para meu quarto e arrumar minha mala e descansar um pouco, mas paro ao sentir meu braço ser puxado, minha vontade é de  xinga_lo o pôr em seu lugar mas eu que dei brecha para ele, como dizem é melhor cortar o mal pela raiz, não foi assim que minha mãe me criou ele é comprometido e não serei eu acabar com um relacionamento.

- Eu sinto muito por aquele homem ser seu representante,mas sei que você irá saber lidar com a situação- Ele fala calmo e seus olhos se encontram com os meus, por um momento esqueci que contei toda minha história para ele, um erro!

-Não sinta Hill, o que aconteceu ontem à noite a aproximação, e hoje pela manhã foi um erro não irá mais se repeti, eu sou sua chefe e você meu assistente nossa relação se baseia apenas no profissional.

Ele me encara incrédulo posso ver seus olhos azuis quase elétricos ganhar uma tonalidade cinza,raiva.

- Claro agora você poderá ter seu querido ex namorado por perto não é mesmo senhora Furtado, tudo bem vai a frente e como a senhora mesmo disse foi um erro, vou providenciar tudo que pediu, boa tarde

Ele passa por mim sério, ele tem razão em ficar chateado  algumas horas atrás estávamos conversando tranquilamente sei que ele não ficou assim por causa de um beijo, ele é um homem de vinte e nove anos não um moleque, o que o irritou e afirmo convicta é a forma fria que o tratei.

Ando lentamente pelo corredor, admito que saber que verei Gustavo todos os dias me perturbou,foi como um soco certeiro no estômago me fazendo acordar para minha realidade, esses dias em Londres por mais curto que foi a estadia foi incrível eu havia escondido um pouco da Anne que sorrir, a Anne que quer ser desejada e Josh encontrou isso, e acabei esquecendo que em Manhattan a uma mulher à espera de seu homem.

Entro em meu quarto organizando tudo em minha mala lentamente tenho certeza que mal pisco.

Como vai ser a partir de agora? O que vai acontecer comigo?  

As horas passam rapidamente ao adentra o avião fico satisfeita ao ver que minha poltrona não é do lado de nenhum dos dois homens que voltam comigo, tenho que admiti que Josh é eficiente percebeu que eu ir sozinha seria o melhor e foi o que ele fez e acertou em cheio, teremos algumas horas presos nesse avião, encosto minha cabeça em minha poltrona e fecho meus olhos afim de adormecer pois se tem uma coisa que sou é ansiosa, pego meu celular colocando o fone em meu ouvido a melodia que toca é lenta, relaxante , não faço mínima ideia como chama a música só sei que me acalma.

Sinto quando tocam em meus ombros abro os olhos e vejo Josh e Gustavo me encarando, Josh está sério e Gustavo sorri amplamente.

-Chegamos senhora Furtado

Assinto, passo a mão em meus cabelos o ajeitando mais ou menos, espreguiço e ando lentamente pelo aeroporto e vejo Gustavo parando um taxi

- Vamos te deixar em casa Anne e logo em seguida vou para o hotel e seu assistente vai para casa.

Não respondo nada sei que ele sabe que eu o ouvi, e não faço por uma atitude infantil e sim devido ao meu mal humor por ter sido acordada olho no meu pulso são exatamente 01:45 am entro no taxi rezando que chegue em casa rápido para que eu possa dormi logo e minhas preces são atendidas o carro para em frente à casa clara desço rapidamente do taxi.

-Espero os senhores amanhã as oito, boa noite.

Quando entro em casa paro no hall ao ouvir uma gargalhada alta e logo em seguida a voz de meu pai ecoa na sala rindo também, meu pai está com uma mulher? Confesso que choco pela hora e ele estar acompanhado logo ele que se tornou um viúvo convicto, entro rapidamente e arregalo meus olhos com o que vejo.

-Você?- falo realmente embasbacada meu pai se levanta de cima da mulher que está deitada no sofá, não faziam nada demais apenas se beijavam eu apenas não consigo acreditar o que meus olhos presenciam, ela tem idade para ser filha dele.

Hoje definitivamente não é meu dia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...