História Fantasy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Neji Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Chainedup, Curtidoressasuhinabr, Drama, Hinata, Naruto, Romance, Sasuhina, Sasuke
Visualizações 136
Palavras 1.498
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Sadomasoquismo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, gente!
Eu sinceramente acho que eu não consigo fazer uma fanfic bonitinha e normal, então eu desisti. Essa one foi feita para o evento do grupo do facebook Curtidores SasuHinaBR onde nós tínhamos que nos inspirar nas imagens para as histórias e eu espero que vocês gostem do resultado!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Fantasy - Capítulo 1 - Capítulo Único.

― Não, você não vai sair daqui enquanto eu não quiser que saia, entendeu?

 

A voz suave e adocicada da dona dos longos cabelos negros esvoaçantes soava naquele quarto enquanto ela andava calmamente, rodeando o Uchiha com passos lentos e arrastados, seu nariz próximo a pele dele a todo momento para gravar aquele cheiro tão característico.

 

― Sim.

 

A resposta monossilábica não era o que Hinata queria, sinceramente. Ela esperava uma declaração, esperava que ele dissesse que faria isso porque a amava e não simplesmente porque ela estava mandando. A feição da garota se endureceu com aquela ação tão apática do rapaz, parando de andar assim que ficou em frente a ele e olhando dentro da galáxia formada de pura escuridão que eram aqueles olhos profundos.

 

― Sim por quê? ― questionou, arqueando uma das sobrancelhas em uma expressão intimidadora e um tanto assustadora.

 

Sasuke aos poucos abaixou a cabeça para aproximar-se mais de Hinata, encostando seu rosto no dela levemente. Não tinha permissão de ir além daquilo.

 

― Se é por você, eu estou preparado para me machucar. Eu faço qualquer coisa para te ver feliz, Hinata, e se é isso que você quer que eu faça, eu farei.

 

¤  ¤  ¤  ¤

 

Sim, tudo estava dando certo. Tudo seguia do jeito que queria finalmente! Havia conquistado o homem da sua vida e estava com ele completamente em suas mãos, nada poderia atrapalhá-la agora. Eles iriam se casar, iriam ser felizes e ninguém iria impedi-la dessa vez.

 

― Hinata? ― ouviu a voz masculina lhe chamando quando estava prestes  a terminar de descer as escadas do segundo andar, fazendo seus olhos se arregalarem.

 

― N-Neji? O que você está fazendo aqui?! ― a voz que há alguns minutos fora dura e autoritária agora era assustada e doce ao encontrar o primo sentado em seu sofá.

 

― Eu vim ver como você está. ― o Hyuuga explicou brevemente, se levantando para chegar perto da menina e medi-la, buscando saber se estava tudo bem com ela.

 

Hinata vestia uma camisola em tom branco de alças finas que caiam por seus ombros e não era tão comprida quanto o mais velho gostaria que fosse. Sua cor fazia par com seus olhos grandes e envoltos por profundas olheiras. Os pés pálidos pisavam nus contra o mármore da escada enquanto a mão pequena deslizava em seu corrimão.

 

― Por que não estaria…? ― perguntou inocentemente, piscando os olhos algumas vezes ao encarar o mais alto ainda do último degrau, equiparando um pouco mais as alturas.

 

― Você tem tomado seus remédios? ― como sempre, Neji não costumava fazer rodeios sobre o que queria saber, frisando o cenho na direção da menina para tentar descobrir a verdade por seus olhos límpidos.

 

― Claro que sim, Neji-kun! Eu não iria desobedecê-lo. Eu não quero… ― o tom de voz de Hinata tornava-se baixo aos poucos, receoso de falar. ― Eu não quero voltar pra lá.

 

― Você… Não vai precisar voltar. ― apesar da feição e tom de voz indiferentes, Neji sofria de ver a prima naquele estado, de ter aquele medo… Sabia que não era culpa dela. A culpa era daquele desgraçado que a seduziu… Levantou uma das mãos lentamente para levá-la até os cabelos da menina, os afagando carinhosamente. ― Não se continuar assim, Hinata. Não se não fizer nada de errado outra vez… Você não vai precisar voltar.

 

¤  ¤  ¤  ¤

 

Hinata era só uma estudante comum. Sem bullying, sem popularidade, apenas uma estudante comum com notas médias e conhecida por sua sala pela sua timidez. Não era tão inteligente quanto seu primo que estava um ano a sua frente, e nem tão comunicativa quanto sua irmã mais nova que estava dois anos atrás de si.

 

Mesmo assim, ainda tinha alguns poucos amigos que considerava serem o suficiente para ser uma pessoa feliz. Não precisava ter quantidade, Neji sempre dissera, a qualidade era o que importava e isso sempre foi fixo na cabeça da Hyuuga. Mas quando o viu pela primeira vez naquele trabalho em grupo, com seu jeito tão distante, mas ao mesmo tempo caloroso, sentiu algo completamente desconhecido a si.

 

Era algo novo para os dois, que não sabiam bem como agir um com o outro. A personalidade de ambos só deixava com que ficassem em silêncio na presença um do outro, mas um silêncio que eles entendiam como confortável. Como se não precisassem falar para que entendessem um ao outro.

 

Hinata tinha certeza do que era desde quando o viu sorrir de canto pela primeira vez e seu coração palpitou tão fortemente que fez todo seu corpo estremecer. Era amor, do mais puro e inquebrável. O amava completamente e perdidamente, e conforme o tempo passava tinha certeza de que ele também sentia o mesmo quando o Uchiha não resistia em roubar seus lábios durante os momentos de estudo.

 

Mas foi no mesmo momento que estavam felizes em iniciar uma caminhada juntos, que os problemas vieram. Suas famílias não aceitavam nenhum dos dois, os Hyuuga por acreditarem que os Uchiha eram delinquentes e os Uchiha por acharem os Hyuuga esnobes por ter uma melhor condição financeira. Aquela garota nunca daria certo para Sasuke, eles não seriam felizes nunca com a pressão que ele teria de manter um padrão de vida que ele nunca tivera.

 

Se não bastasse isso, Sasuke foi ameaçado. Duas, três, inúmeras vezes, pelo primo mais velho da garota. Não fora muito diferente com Hinata, uma legião de fãs do japonês costumavam lhe intimidar no banheiro, fazendo coisas que ela nem mesmo gosta de se lembrar. Lembrava claramente da frase que mais ouvira durante aquelas semanas de terror psicológico.

 

― Vocês não estão conectados! O Akai Ito nunca iria ligá-los. Que tipo de piada de mau gosto seria? ― na sua lembrança, os rostos eram borrados por sombras pretas e cobertos por sua franja voluptuosa loira. Não, não se lembrava quem era.

 

― Você é uma perdedora, garota, se enxerga. ― porém, a voz era nítida em sua mente, como se tudo estivesse acontecendo de novo agora mesmo…

 

Em casa, tudo se repetia. As palavras de Neji eram diárias e incômodas, mesmo que diferentemente das outras vinha com um tom amoroso de preocupação e um carinho leve em seu cabelo enquanto chorava ao contar ao primo o que haviam feito consigo durante o horário letivo.

 

― Dizem que nem sempre você está destinado a ficar com o amor da sua vida.

 

Sempre chorava ainda mais ao ouvir isso. Não, não aceitava. Acreditava que se estavam passando por tudo aquilo, era porque queriam impedir a coisa boa que era estarem juntos, e que valeria muito mais a pena quando insistisse e passassem aquela crise. Ela não acreditava.

 

E assim, Hinata foi enlouquecendo aos poucos, na sombra de um amor que era recíproco, porém nunca deveria ter acontecido aos olhos de um cruel destino que resolvera brincar com dois jovens corações.

 

¤ ♡ ¤ ♡ ¤ ♡ ¤

 

Sasuke ouviu o barulho da chave sendo girada na fechadura e seus olhos ganharam brilho ao serem abertos e a verem em sua frente. Nada nela havia mudado, Hinata nem mesmo trocara de roupa. Na realidade, na mente do rapaz o tempo era um elo perdido, ele não fazia ideia do quanto havia passado.

 

Dez minutos, um dia, uma hora…?

 

A única coisa que importava era quando ela abria aquela porta, e ele sempre ansiava que fosse a última vez, que ela nunca mais saísse e por isso não precisasse mais entrar. Ele não podia esperar para tê-la só para si, para sempre…

 

Observou-a andar até um armário em um dos cantos do quarto, os pés descalços fazendo para ele um barulho tão confortante contra o chão, mas que logo foram substituídos pela sonora de correntes sendo arrastadas por aquele chão frio…

 

― Não, nós não estávamos conectados pelas linhas do Akai Ito, Sasuke…

 

A voz aveludada começou a soar, enquanto Hinata sentava-se a sua frente no chão e largou as correntes no mesmo, pegando uma ponta delas e a passando pelo tornozelo do Uchiha que nada fez além de assistir. Em sequência, os braços finos e trêmulos lhe rodearam por cima de seus ombros.

 

― E foi por isso que eu tive que nos conectar de outro jeito… ― dizendo isso, ela fechou a corrente em seu pulso. ― Você é meu, Sasuke.

 

Você. É. Meu.

 

Com os olhos abertos antes de finalmente encostar o rosto contra o ombro do moreno, Hinata teve uma visão de relance do espelho que repousava no canto do quarto. Lá, ela pode ver o reflexo daquela Hinata de cabelos curtos e expressão assustada, que chorava inconsolável ao assistir a cena que se passava no quarto.

 

A ignorou, fechando os olhos e sorrindo ao sentir o cheiro dele… O cheiro do amor da sua vida. Aquela Hinata estava morta. Só restou espaço para a versão que podia fazer Sasuke feliz. Para a que podia mantê-lo consigo.

 

Para sempre.

 


Notas Finais


Pra quem leu até o final, muito obrigada! Espero que você tenha gostado e deixe um comentário aqui embaixo se sim, por favorzinhooo? ♥ UAHUAHUA Beijão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...