História Fate can sometimes be tragic - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Karol Sevilla, Romance, Ruggarol, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna, Tragedia
Exibições 187
Palavras 789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura💗

Capítulo 2 - Trabalho idiota


Fanfic / Fanfiction Fate can sometimes be tragic - Capítulo 2 - Trabalho idiota

    Karol: Você não cansa não? - falei o encarando, e nem ligando para o fato de todo mundo estar me olhando como se fosse louca por estar falando com ele desse jeito.
   Rugge: De que? De ser lindo e popular? - ele me encarou olhando para baixo, por que eu eu sou bem mais baixa que ele, com um sorrisinho nos lábios.
   Karol: Não! De ser ridículo e retardado! - disse o encarando com mais cara de ódio do que antes.
   Rugge: Você acha que é quem pra estar falando assim comigo? Em Lumpa-Lumpa? - esse era um dos muitos apelidos que esse ridículo me chamava.
   Karol: E você acha que é quem Caxinguelê? - aí como eu amo esse apelido - E vocês também seguidores idiotas do Caxinguelê? Só por que são populares acham que podem fazer isso comigo ou com qualquer pessoa? Ah vão tomar no cu seus idiotas. - disse saindo, pisando firme. Não aguento mais ser tratada assim nesse inferno.
     A única coisa que pude ouvir foram alguns sussurros e nada mais. Ainda bem! Não queria ouvir mais nada que viesse da boca daqueles mongolóides. Muito menos ver a cara deles.
    Essa era a pior parte. Eu era obrigada a ver eles todos os dias. Não só na entrada e na saída. Mas também na sala. Sim, eu estudo com o Ruggero e sua gangue de analfabetos.
     Depois de sair de perto deles, fui no banheiro e também beber água. Fiz tudo oque era possível para não chegar juntos com eles na sala. Oque deu certo. Menos pelo fato de eu ter demorado tanto que cheguei atrasada na sala de aula.
      A professora estava explicando sobre um trabalho que seria em dupla. A única parte da explicação que ouvi foi isso. Por isso nem imagina que seria por sorteio o trabalho.
     Ana: Droga! - disse ela se sentando do meu lado.
     Karol: Oque houve? - perguntei olhando para o papel que estava em sua mão.
     Ana: Vou ter que fazer o trabalho todo com o Jorge! - ela disse arrumando o material que estava em cima da mesa.
     Karol: Oque? Mas não é a gente ue escolhe não? - perguntei.
     Ana: Não! É por sorteio e você vai fazer com o... - ela foi interrompida.
     Rugge: Comigo! - ele disse se sentando na cadeira da frente e se virando para mim. - Não é uma ótima notícia Smurf? - de todos os apelidos esse é oque eu mais odeio.
    Karol: Óbvio que não! Não vou fazer ese trabalho com você de jeito nenhum! - foi quando a professora Marcela veio em nossa direção.
    Marcela: Vai ficar sem nota então senhorita Sevilla? - ela perguntou me perguntou. No mesmo momento olhei para Ruggero, ele estava com sorrisinho escroto no rosto. Aí como eu odeio esse idiota. Pensei serrando os punhos.
     Karol: Não professora! Já que sou obrigada, vou fazer né. - eu disse olhando para ela.
     Marcela: Então se resolvam aí! Além do mais o trabalho é para a semana que vem! Então corram. - ela disse olhando para nós dois.
     Rugge: Na minha casa amanhã então? - ele perguntou se levantando.
     Karol: Óbvio que não! - eu disse rápido.
     Rugge: Então aonde criatura? - ele disse revirando os olhos - Quer fazer essa droga de trabalho sozinha então? Porque eu tô gostando muito menos que você dessa droga de situação.
      Karol: Ok pode ser na sua casa então! - disse colocando os materiais na mochila, pois a aula já estava acabando.
      Rugge: Então tchau "coisinha" - ele disse rindo da minha cara de ódio.
       Eu e Ana saímos da sala fomos para a outra aula. Depois que todas aulas tinham acabado, ela me levou pra casa.
     [**********]
      Karol: Hello papi - disse entrando em casa. Meu pai estava no balcão da cozinha lendo.
      Lucas: Oi Beza - disse fechando o livro. - como foi seu dia?
      Karol: H-O-R-R-I-V-E-L! Mas também foi bom... - disse dando os ombros.
      Lucas: Espera! Você acaba de me dizer que seu dia foi bom? O mundo vai desabar! - ele diz rindo.
       Karol: Só foi bom pelo fato de eu ter enfrentado a gangue de idiotas da escola! Mas de resto foi tudo horrível! Principalmente pelo fato de eu ter quer fazer um trabalho com o chefinho deles. Ruggero Pasquarelli! Aí como eu odeio ele! - disse jogando a mochila no sofá e me sentando ao seu lado.

Lucas: Como assim "enfrentou"? - ele disse com um ar preocupado.
    Karol: Calma pai! - disse rindo - enfrentei eles tipo... dizendo um monitor de coisas e tals.
    Lucas: Ata, menos mal.
    Karol: Enfim, deixa eu subir pra tomar banho. Tchau - disse subindo a escada e indo em direção ao meu quarto.
    


Notas Finais


Espero que tenham gostado💗
Até o próximo capítulo.
Beijinhos no core😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...