História Fate Last War - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fate/Stay Night, Final Fantasy XV, Sword Art Online
Personagens Noctis Lucis Caelum, Personagens Originais, Sinon
Tags Fate, Invocação, Magia, Servos
Visualizações 2
Palavras 1.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Fantoche


Por ter usado toda sua mana de uma vez, Hana ficou desmaiada por 3 dias, e por sorte dela, hoje é sábado, ou seja ela tem hoje e amanhã para descansar. Se me lembro bem, a Hana nunca tomou café, então é o que faremos hoje!

  Assim que a Hana acordou, fomos tomar café da manhã em uma padaria próxima de casa, achamos um ótimo local para sentar. Eu pedi apenas um pão e um café, já a Hana, que não comeu direito faz 3 dias, pediu incontáveis pães, eu posso estar exagerando um pouco, mas nunca vi ela comer tanto dês de que ela nasceu, e claro, ela também pediu um café.

  Agora eu entendi a minha maldição, ela não é ativada apenas quando tento me deitar em um sofá, a verdade é que ela pode ser ativada a qualquer momento do dia, de acordo com os sintomas, creio que seja o tão famoso “azar”. Por que estou dizendo isso? Simples, pois acabei de ter muito azar. O garçom estava com as duas xicaras de café em sua bandeja, ele acabou tropeçando em uma mesa próxima a nossa, e o café? Bom, o café caiu na minha perna, estava bem quente. Detesto me gabar, mas essa não é a primeira vez que isso acontece, café já caiu em mim muitas vezes na vida.

  — Ai, Isso queima demais! —  Reclamou Takafumi, no caminho de casa.

  — Temos que enfaixar isso ai, ou ele não vai melhorar — disse Hana

  — Não, enfaixar queimadura não adianta em nada, de onde você tirou isso?

  — Uma vez a Akira tinha queimado a mão dela com café, ela disse que é bem doloroso.

  — Sim, e colocar uma faixa por cima só faz doer mais.

  — Ela não parecia estar com tanta dor.

  Estamos no meio de uma guerra do santo graal, não deveríamos andar tão despreocupadamente por ai. Chegamos em casa, chamei o Lancer e a Archer para uma reunião.

  — Nós já relaxamos o bastante, agora é hora de identificar o mestre do servo que manipulou a Hana.

  — Mestre, tenho uma ideia de onde podemos encontrar pistas. Eu tomei a liberdade de usar a internet da sua casa, pesquisando alguns acidentes dês de que a guerra do santo graal foi iniciada. Um deles me chamou muita atenção, uma casa que “explodiu”, de acordo com os moradores locais, houve um barulho de explosão, que chamou a atenção de muitos. Mas para a surpresa dos investigadores, a casa não apresentou nenhum sinal de explosão, ela apenas estava incendiada. — disse Lancer

  — Para mim isso só pode ser uma batalha entre servos — disse Archer.

  — Hana, você estava bem próxima do acidente no dia que ele aconteceu, você notou algo de errado?

  — Acho que não, só uns barulhos estranhos um pouco antes do acidente.

  — Você se lembra como eram esses barulhos?

  — Primeiro parecia vidro quebrando, depois tudo ficou em silêncio, e em seguida o barulho de explosão.

  — Eu acho que isso pode ser... Um feitiço rúnico — disse Archer.

  — É claro! Isso faz sentido! — disse Takafumi

  — Desculpe, o que seria um feitiço rúnico? — perguntou Hana

  — São como círculos mágicos, um mago que usa isso não precisa desenha-los, assim como se desenham os círculos comuns, eles pode ser invocados com o uso de algumas palavras. Sua utilidade varia dependendo do feitiço rúnico utilizado. — explicou Lancer.

  — Mas o que isso tem a ver com os barulhos?

  — O barulho que é feito quando um desses feitiços é quebrado, é semelhante ao de um vidro quebrando — explicou Takafumi.

  — Bom, não acredito que essa informação seja útil no momento. Antes de qualquer coisa, Mestre, eu conversei com o padre, perguntei quantos mestres ainda estavam vivos, a resposta que recebi foi: “Apenas seis mestres no momento, o mestre do Assassin foi eliminado”. Pergunte o motivo, mas o padre disse que era importante se manter neutro — disse Lancer.

  — Isso é bom, mas temos que focar nos que ainda estão vivos — disse Archer.

  — O que quero dizer é, o mestre desse servo matou o mestre do Assassin — disse Lancer.

  — Lancer, o que está dizendo não faz sentido — criticou Takafumi.

  — Faz sim, pois o mestre do Assassin teve uma morte um pouco diferente. Ele vomitou sangue até a morte, foi assim que ele morreu. Esse foi o segundo acidente que me chamou atenção. — disse Lancer.

  — Sim, eu fiquei sabendo desse acidente... A Akira gostava do garoto que morreu, foi para ele que ela entregou o chocolate. Era um menino da minha sala, ele era bem popular — disse Hana.

  Quando Hana acabou de falar, a sala ficou um silêncio, todos refletiram sobre o que acabaram de escutar, já tinham a resposta do problema.

  — Mestre, estou enganada ou você disse que ela entregou chocolate ao garoto? — perguntou Archer.

  — Sim, foi isso. Não podemos mudar de assunto, temos que achar o mestre desse servo que me enganou! — disse Hana.

  — Hana, já sabemos quem é o mestre do Caster — disse Takafumi.

  — Como você sabe que é um Caster? — perguntou Archer, desconfiando de Takafumi.

  — As duas opções eram Assassin e Caster, considerando o feitiço rúnico perto da casa do nosso suspeito, e que o Assassin morreu, só nos resta Caster — explicou Takafumi.

  — Perdão por duvidar de você, senhor Takafumi — disse Archer

  — Ei, quem é esse tal de “nosso suspeito”? — perguntou Hana, um pouco brava.

  — Desculpe te dizer isso, mas sua amiga Akira é um perigo para nós — disse Takafumi

  — Estão dizendo que ela faz parte dessa guerra? E que ela me enganou? Parem de falar coisas sem sentido! — disse Hana, sem aceitar a situação.

  — Hana, a Akira não enfaixou a mão por causa de café. Mas sim por ter algo para esconder, como esse feitiço de comando em nossas mãos, faz sentido, não acha? — disse Takafumi

  — E como ela matou o mestre do Assassin? — Perguntou Hana, que estava muito brava no momento.

  — Colocar maldição em um chocolate não é a melhor forma de matar alguém, mas o mestre do Assassin era bem descuidado, não acha? — disse Lancer.

  — Por que vocês dizem isso? A Akira nunca faria isso! — gritou Hana

  — Tenho que concordar com você, ela não faria isso. Mas por outro lado, o Caster faria — disse Takafumi.

  — O Caster pode estar usando sua mestra assim como usou a Mestra? Realmente é uma possibilidade — disse Archer.

  Eu tenho minhas próprias suspeitas sobre o assunto, amanhã vou falar com meu pai para confirmar se a Akira realmente pertence a uma família de magos...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...