História Fated To Love You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias B1A4, Bangtan Boys (BTS), IU, Jay Park
Personagens Baro, CNU, Jay Park, Jin, Lee Ji-eun "IU"
Tags Amigo, Amoroso, B1a4, Baro, Bts, Cnu, Dorama, Doramas, Drama, Hae Soo, Jay Park, Jin, K-drama, Kdrama-k-pop-kpop, Melhor, Meu, Quadrado, Scarlet Heart, Series, Triangulo
Exibições 5
Palavras 2.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Dear 1997.


Fanfic / Fanfiction Fated To Love You - Capítulo 1 - Dear 1997.


Capitulo 1- "Dear 1997"

 

"Junho, 2016"
A 20 anos atrás eu era apenas uma adolescente enfrentando os primeiros "problemas" da vida.
Os adultos dizem que os jovens exageram em seus problemas, que eles veem algo pequeno sendo muito maior do que ele realmente é, e talvez eles não estejam errados, mas quando somos jovens, sentimos tudo intensificado, nosso mundo é reduzido ao que temos no agora e o que sonhamos no futuro, tudo é muito maior e novo.
A 20 anos atrás eu não sabia disso, eu não planejei nada do que aconteceu até hoje, pra começar, eu era uma péssima aluna, uma péssima cozinheira e... digamos que eu não tinha uma beleza digna de muitos olhares, ninguém tinha esperanças de um dia eu entrar para alguma faculdade ou, sei lá, casar.
Meus pais achavam a ideia de eu achar um homem decente para casar seria impossível, o que eles não esperavam é que ele vivia bem ali, no mesmo bairro, na mesma rua.
Tenho boas recordações daquela época, morávamos em um bairro simples em Seul, com uma vizinhança bem unida e amigável, meus pais e os vizinhos eram como uma família, sempre oferecendo comida uns para os outros, ou se reunindo em suas casas apenas para beber e passar o tempo, o que era comum, já que morávamos na mesma rua e nossas casas eram praticamente grudadas uma na outra, e foi assim que ganhei os 4 melhores amigos que uma garota da minha idade poderia pedir.
Na verdade, eramos amigos desde que nos entendiamos por gente, no começo eramos apenas 4 crianças de 5 anos brincando na rua de casa, até que um dia um garotinho se mudou para a vizinhança, ele parecia menor que todos nós, e acabou se assustando com nossa agitação, seu pai se mudou para a cidade depois que sua mãe morreu, e o garoto ainda parecia abalado com a situação, por algum motivos, nós sentimos que era nosso dever cuidar dele, assim, ele virou o protegido da turma.
Em 1997, nós eramos provavelmente a turma mais unida do nosso bairro, sempre se reunindo na casa de nosso protegido para assistir filmes ou passar o tempo, pensando no passado, seria impossível adivinhar o futuro, seria impossível acreditar que entre aqueles 4 meninos que eu apenas conhecia como irmãos de outra mãe, estaria o homem com quem eu passaria o resto da minha vida.

 

"17 de junho, 1997"

Coréia do sul VS África do sul, Copa do mundo de 1997, todos da rua se reuniram na casa dos pais de Jay, como de costume, para assistir o jogo.
Enquanto os adultos assistiam os jogos na sala, nós 5 estávamos sentados no chão do quarto de Jay, um do lado do outro, dividindo um enorme cobertor cinza enquanto comíamos alguns salgadinhos.
Jay Park é meu vizinho desde que me entendo por gente, mas foi apenas a alguns anos que ele se mudou para a casa à cima da minha, quando o conheci, sua família era extremamente pobre, mas graças à estranha mania de seu irmão mais velho de colecionar bilhetes de loteria, eles acabaram ganhando nela, e ficaram ricos do dia pra noite.
Ele estava sentado ao meu lado com sua expressão entediada de sempre, ele sempre usava esse expressão, era como parte dele.
Do meu outro lado se encontrava Baro, o menino mais inteligente da escola, o representante de turma que sempre tirava as maiores notas e o melhor jogador de futebol do time.
A seu lado estava Jin, nosso protegido, o menino mais rico da rua, provavelmente do bairro todo, ele não era de família rica, sua fortuna foi adquirida pelo próprio Jin que se tornou um famoso jogador de Baduk bem jovem, ele nunca perdeu uma partida na vida e a Asia inteira o considerava o maior gênio do Baduk. Mal eles sabiam que ele era gênio apenas no Baduk mesmo. Sim, ele era muito inteligente pra muita coisa, se formou mais cedo que todos nós e agora só vive do Baduk, viajando quase toda semana para competições na China e no Japão. Porém, Jin era o garoto mais inocente e lerdo que já conheci em toda a minha vida, ele era tão focado no Baduk que ficava desligado do mundo ao seu redor, fazendo com que, mesmo aos 17 anos, nós ainda sentíssemos a necessidade de cuidar do garoto.
E por ultimo tínhamos Shin Dong-woo, ou Cnu, como normalmente o chamamos, seus grandes óculos de grau e seu cabelo constantemente bem arrumado o faziam parecer um menino inteligente e certinho, só parecer mesmo, ele era o mais relaxado da nossa turma, sempre dormindo na sala, ou em qualquer lugar que pudesse e... digamos que ele não é lá a pessoa mais educada do mundo.
Começamos a assistir o jogo animados, no segundo tempo, Jay e Baro estavam revoltados com o placar, aos 40 minutos do segundo tempo, Jay resolve por um fim naquilo.
- Filme? - Propôs entediado.
Sem esperar a confirmação dos outros, Baro se levantou para procurar um filme para assistir.
Não era de se estranhar o desânimo com o jogo, o empate de 0-0 logo no primeiro jogo da copa não era la muito animador.
- To com fome, de quem é a vez de fazer Ramyun? - Jay olhou para nós procurando o culpado.
- Eu fiz da ultima vez, agora é a vez do Jin- Disse Cnu.
Revirei os olhos me levantando do chão logo em seguida ao ver o olhar desentendido de Jin demorando a entender que era a sua vez de preparar o Ramyun.
- Vocês sabem muito bem que ele não sabe fazer Ramyun - Suspirei indo até a porta- Ovo no Ramyun?
- Yes!- Disseram em uníssono, que me fez rir.
Ao sair do quarto, pude ver que os adultos também haviam desistido do jogo, agora eles jogavam cartas enquanto bebiam animadamente, aquela visão já era familiar para mim, até a pequena Yoko, irmã mais nova de Baro, se divertia nos braços da mãe assistindo ao jogo.
Fui até a cozinha colocando uma panela com água para ferver e fui até a geladeira procurar os ovos.
- Precisa de ajuda Hae Soo? - Me virei repentinamente assustada com a presença de alguém na cozinha- Acho injusto você sempre fazer isso por mim, achei que deveria ajudar.- Jin me encarava com um sorriso envergonhado enquanto passava as mãos por seu cabelo.
Sorri para o menino e lhe entreguei dois ovos, ele logo os pegou com seu costumeiro enorme sorriso.
Ele me ajudou nas coisas mais simples como... colocar o ovo na panela, mas aquilo o deixava contente em poder ajudar, o que era bem meigo de sua parte.
No final, ele levou a grande panela de Ramyun enquanto eu levava uma jarra de suco de uva e alguns copos.
- Você, vai pegar os pratos. - Disse cutucando a bunda de Jay com o pé.
Ele fez uma careta, mas no fim acabou levantando e indo pegar os pratos, claro, antes me mostrando a língua, e eu super culta e educada, lhe mostrei a língua de volta.

 

"2 horas depois"
Eu estava quase explodindo, comi mais Ramyun do que podia aguentar, estávamos deitados no chão um do lado do outro com o grosso cobertor cinza, de vez em quando alguém fazia alguma piada, ou Cnu soltava seus famosos peidos insuportáveis, mas no fim a tarde foi bem divertida.
Já era noite quando meus pais me chamaram para ir para casa, eu achava aquilo extremamente injusto, os meninos dormiriam juntos hoje, já que Jin viajaria amanhã pela manhã para o Japão, ele tinha um importante jogo de Baduk para ganhar e só voltaria 1 semana depois, mas eu não podia dormir com eles por ser menina, e eu achava aquilo muito injusto.
Minha casa era logo em baixo, então não demorou muito até chegar lá. Minha casa, ao contrario da de Jay, era bem pequena. Tinha apenas 4 cômodos, banheiro, cozinha, a sala que também era o quarto de meus pais e meu irmão mais novo, e o quarto que eu dividia com a minha irmã mais velha( que por sinal, era o satanás em forma de gente). A crise na Coreia estava enorme, até os mais ricos não tinham casas tão grandes como víamos nos filmes americanos, meu pai tinha um bom emprego no banco, mas seu salário mal dava para pagar as despesas da casa, a faculdade de minha irmã e a grande divida que seu irmão havia deixado para ele.
Eu estava cansada, então não demorei muito para tomar banho e vestir meu pijama quentinho e aconchegante, o banheiro ficava do lado de fora de casa, então fiquei surpresa quando, ao passar pela porta de entrada, ver Baro ali, parado, em frente a porta de minha casa.
- Baro? O que faz aqui a essa hora? Não devia estar dormindo com os meninos?
Ele parecia surpreso ao me ver, mas logo sorriu e veio em minha direção.
- Ah, eu esqueci de dizer mais cedo, você pode me emprestar o livro de História? Não acho o meu em lugar nenhum e... o pai do Cnu passou um trabalho para essa quinta-feira.
Sim, o pai de Cnu era professor da turma masculina do segundo ano de nossa escola, o terror da vida de Cnu.
- Claro, pode entrar, eu vou ver se eu acho.
Entrei em casa logo sendo seguida por Baro, ele ficou na sala mesmo, logo iniciando alguma conversa com meu pai enquanto eu procurava o livro em meu quarto.
- O que você ta procurando pirralha? - Perguntou minha irmã irritada por eu estar quebrando o silencio do quarto, ela virava o cão quando alguém atrapalhava seus estudos.
- É só um livro, Baro quer emprestado.
Borah apenas revirou os olhos e voltou a me ignorar completamente como sempre fazia quando estava estudando.
Assim que achei o livro, voltei para a sala entregando a Baro que olhava para a porta de meu quarto quando sai.
- Aqui esta, pode usar sem pressa, só vamos usar esse livro semana que vem.
Ele sorriu e mordeu o lábio inferior enquanto analisava o livro.
- Obrigado Soo, eu... vou indo, te vejo amanhã no Ônibus.
Sorri para o garoto e acenei logo o observando ir embora.

 

"No Outro Dia"
Hoje, acordei mais tarde do que devia, sai correndo de casa sem tomar café da manhã com 2 minutos de atraso encontrando Jin com a maior cara de sono segurando uma caixa de leite e uma torrada na frente de sua casa.
- Jin! Bom dia.- Disse um pouco ofegante pela corrida.
- Bom dia Hae Soo.- Disse sonolento, e mesmo assim, abrindo seu sorriso aconchegante.
Sorri de volta, logo dando uma mordida em sua torrada e tomando alguns goles de seu leite.
- Tenho que ir, se não vou perder o Ônibus.- Sai correndo de novo mas antes de virar a esquina me virei para ele e acenei.- Boa sorte na viajem! - Gritei alto o suficiente para o menino ouvir.
Ele abriu seu enorme sorriso e acenou para mim ao longe.
Voltei a correr, e por pouco não perco o Ônibus, quando cheguei na parada, Jay, Cnu e Baro já estavam dentro do Ônibus que já estava dando a partida.
Por pouco consegui subir no Ônibus e logo me aproximei dos garotos.
- Essa foi por pouco. - Disse tentando controlar a respiração irregular.
Os desgraçados ainda riram da minha cara, como sempre, não que fosse comum eu me atrasar, isso só acontecia 4 vezes por semana, eu era uma pessoa bem pontual.

 

"10 horas depois"
Minhas amigas, Bo young e Gina decidiram aproveitar que nossa professora liberou a classe mais cedo para comer Ramen em um restaurante Japonês perto da escola, mas quando chegamos lá, só tínhamos dinheiro para tomar chá.
- Como tivemos a brilhante ideia de comer em um restaurante, SEM DINHEIRO? - exaltou Bo Young.
- Eu não esperava que fosse tudo tão caro.- Disse enquanto analisava os preços no cardápio, não era tão caro assim, mas era mais caro do que eu esperava.
Pude escutar a porta do estabelecimento se abrir, e o local foi preenchido por risadas e vozes masculinas dos clientes que acabavam de chegar.
As meninas me olharam com um olhar significativo enquanto também olhavam para os rapazes sentados na mesa ao nosso lado.
Antes de eu perceber de quem se tratava meus amigos vieram me cumprimentar.
- Hae Soo, você por aqui. - Disse Cnu que estava praticamente pendurado no ombro de Baro enquanto Jay caminhava lentamente em nossa direção.
- Sim, decidimos passar um tempo aqui depois da escola.
- Deixem as meninas sozinhas, elas devem estar tendo aqueles momentos só para garotas.- Disse Jay enquanto largava sua mochila em qualquer lugar e se jogava no banco estofado da mesa ao lado.
Cnu deu de ombros e foi se sentar com ele, mas Baro continuou parado de pé à minha frente.
- Não esta com fome? se quiser nós pagamos um Ramen pra você...- Ele olhou para minhas amigas que o encaravam com um olhar suspeito- ... e suas amigas.
- Não precis...
- Precisa sim, é muita gentileza sua.- Fui interrompida por Gina que continuava a o encarar com aquele olhar suspeito que por alguma razão me deixava completamente sem graça.
Baro sorriu e foi até o balcão fazer os pedidos.
- Cara, ele ta tão na sua.- Disse Gina assim que Baro se afastou, e logo Bo Young concordou.
- O que? N-não, de onde você tirou isso?
- Eu vejo no jeito como ele olha pra você, cara, ele vai pagar Ramen pras suas amigas, vai por mim, ele ta caidinho por você.
Arqueei uma sobrancelha sem acreditar em tamanha estupidez, Baro e eu eramos amigos, e só, não tem como ele me ver como algo a mais que isso.
Logo baro voltou com uma bandeja de 3 tigelas de Ramen, enquanto Jay ia buscar o deles.
- Aqui está.- Ele colocou as tigelas na frente de cada uma de nós.- Com bastante ovo cozido como você gosta.
As meninas quase gritaram quando ele virou as costas, e eu só queria abrir um buraco no chão e me enterrar.
- Ao invés de falarmos sobre coisas inúteis vamos falar sobre a apresentação para o concurso, eu tenho que ganhar, eu sou provavelmente a unica menina da classe que ainda não tem um Pager. ( popularmente conhecido no Brasil como Bip, era um sistema de mensagens de voz que se usava na época, antes dos celulares).
- A viajem é em dois dias, e você ainda não aprendeu os passos básicos, acho que devemos admitir que você não sabe dançar e desistir do concurso.
- Eu vou conseguir aprender até a viagem, vocês só precisam se apresentar comigo.
- Okay, nós faremos isso, mas se ganharmos, você tem que prometer que vai pensar sobre o caso do seu amiguinho apaixonado.- Disse Bo Young me encarando com um olhar malicioso.
- ELE NÃO TA APAIXONADO POR MIM.- Disse alto, até demais.
Olhei discretamente para a mesa dos garotos, para ter certeza que eles não haviam escutado nada, mas eles pareciam entretidos demais e suas próprias piadas para prestar atenção em nós.
- Okay, como eu posso saber se ele gosta de mim ou não? Não faço a minima ideia de como saber se alguém demonstra interesse ou não.
- Querida Hae Soo, preste atenção no que tia Gina vai falar. Quando um menino gosta de você, ele cuida de você, ele se preocupa, ele procura motivos bobos pra falar com você, até pedir coisas emprestadas sem motivo, só pra falar com você, se ele faz todas essas coisas, pode ter certeza que ele ta na sua.
Depois de suas palavras fiquei pensativa, Baro era mais cuidadoso comigo do que os outros meninos da rua, e ontem ele... não, é apenas coincidência.

 

"1 hora depois"
Depois do restaurante, eu e as meninas fomos para a casa de Gina ensaiar para o concurso, enquanto os meninos foram assistir algum filme no cinema.
Voltei para casa de ônibus, quando desci, pude ver ao longe Jay saindo de uma loja de conveniência. Ele logo me viu também e caminhou em minha direção.
- Não ta muito tarde pra uma menina andar sozinha na rua? - Perguntou apenas por perguntar enquanto caminhava ao meu lado já que íamos para o mesmo lugar.
- O ensaio acabou demorando mais do que eu esperava.
Ele deu de ombros e caminhamos em silêncio por todo o caminho, normalmente com Jay era assim, não tínhamos muita coisa a falar um com o outro, mas nos entendiamos assim, com uma provocação aqui ou ali, ou até mesmo em silencio, gostávamos disso.
Ao voltar pra casa, me assustei ao ver uma figura parada em frente ao portão, quando me aproximei o suficiente para ver quem era, paralisei no mesmo lugar.
O garoto logo me viu e caminhou até minha direção, bagunçando seus cabelos de maneira desconfortável, como se ele estivesse envergonhado por estar ali.
- Hae Soo... Hm, eu queria saber se... você não poderia me emprestar seu dicionario de inglês.
Naquele momento, meu coração se acelerou mais do que o normal e as palavras em minha boca ficaram presas.
E foi assim que Baro se tornou meu primeiro amor.
 


Notas Finais


Oi gente :v espero que tenham gostado do primeiro capitulo <3 comentem o que acharam e deem ideias sobre a fanfic, adoro interagir com vocês.
Ps: O primeiro amor não é o unico amor, isso ainda n quer dizer que ela vai ficar com ele no final u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...