História Favorite Sin 2.0 - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber
Exibições 301
Palavras 2.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ASHLEY IN THE FUCK HOUSE ou "Ashley está na casa" para quem não sabe é uma gíria para quando algum famoso está em algum lugar ou algo do tipo. :P

Capítulo 8 - Ashley in da House


"É você, é tudo para você, tudo o que eu faço... Eu digo a você o tempo todo, o paraíso é um lugar na terra com você." 

Ashley Somers

 

Acordei do mesmo modo que havia ido dormir; com os braços de Justin envolvendo meu corpo. Me remexi na cama e logo ele fez o mesmo, coçando os olhos. 

-Bom dia. -disse, assim que ele me fitou. 

-Bom dia. -sorriu, selando nossos lábios por um breve tempo. 

-Isso parece um sonho. -resmunguei, me sentando na cama. 

-Está falando que eu sou o seu sonho? -perguntou, me fazendo rir. 

-Não... -neguei. - Você sorrindo e me beijando o tempo todo, isso sim parece um sonho. 

-Assuma, baby... Você sempre quis conhecer esse meu lado. -acariciou minha cintura, por dentro da blusa. 

-Ah... Como eu senti falta desse seu ego do tamanho do mundo. -ri, voltando a me deitar. - E claro, do cheiro do seu perfume espalhado por todo canto que eu vou.

-É agora que você vai assumir que ficou desnorteada aquela vez, por conta do meu perfume?  

-Não foi completamente pelo seu perfume. -disse, escutando o mesmo rir. - Qual o motivo da risada? Vai esquecer do "Eu quero acertar com você, mas você complica tudo." -disse afetada, o imitando. 

-Não, eu não esqueci. -soltou uma leve e safada risada. 

Sorri para o mesmo. Aproximei nossos rostos e lhe dei um beijo, que demorou um pouco, mas foi correspondido.  

Não demorou muito para suas mãos irem até minha cintura, a apertando. 

-Eu também queria acertar com você. -disse, assim que nos afastamos. - Eu sempre quis. 

-Mesmo quando eu fui o maior idiota com você ?  

-Você foi o maior idiota comigo desde que nos conhecemos. -resmunguei, o vendo concordar. - Quando você fez aquele cena idiota, eu o odiei por um tempo. Um pequeno tempo, mas foi um tempo. 

-Eu mereço. -subiu sua mão, acariciando meu rosto.  

-Por que você falou todas aquelas coisas ? -perguntei um tempo depois, o vendo soltar o ar. - Por favor me diga que grande parte de toda aquela conversa, era mentira. 

-Era... -disse no súbito. - Eu precisava mentir, Ashley. Precisava que você me odiasse para ficar longe de mim. 

-Por que? -perguntei. 

-Porque você é o famoso demais em minha vida. -disse, me deixando surpresa. 

Não conseguia acreditar no que eu estava ouvindo. 

-Eu nunca achei que um dia você fosse chegar, mas você chegou... E cara, você fodeu com tudo em minha vida. -disse, me fazendo rir.- Sem brincadeiras. 

-Mas foi uma foda boa, não foi ? -perguntei, o vendo franzir o cenho. 

-Espera, do que estamos falando? -perguntou risonho, me deixando totalmente envergonhada. 

-Odeio quando você faz isso. -resmunguei. 

-E eu amo te ver envergonhada. -se aproximou. - É por isso que eu vou ser obrigado a te lembrar daquele dia em Connecticut, no banheiro da lavanderia...  

-Eu te odeio, sério! -disse, o olhando entediada.  

O mesmo riu alto, me dando um rápido beijo. 

-Estou com fome, e você? -perguntou, saindo da cama. 

O observei apenas de cueca indo até a janela e abrindo as cortinas, iluminando todo o quarto. 

-Muita. -exclamei, saindo da cama. 

-Eu tenho uma coisa para te mostrar. -disse, pegando em minha mão e me levando até o banheiro. 

Justin apontou para a pia e assim que eu olhei o que havia ali, ri, dando um beijo na bochecha do mesmo. 

-Esperava ansiosamente pelo dia em que juntaríamos nossas escovas de dente. -disse, o fazendo rir. 

(...) 

Já havia tomado café e mexia em meu celular quando vi meu carro cruzar o jardim, completamente inteiro. Me levantei e sai da casa, vendo Caleb descer do carro. 

-Esqueceu de mim, pequena Somers? -perguntei, assim que me aproximei. 

-Nunca! -exclamei, o abraçando. - Obrigada por ter arrumado ele. -fitei o carro. 

-Estava horrível! Como você fez aquilo ? 

-Digamos que eu, álcool e volante, não somos melhores amigo. -resmunguei, enquanto observava a parte que antes estava amassada.  

-Bem vinda ao clube. -disse. 

Virei para o mesmo que fitava a parte próxima da piscina, onde Justin conversava com alguns seguranças. 

-Você vai morar aqui? -perguntou. 

-Não. -neguei. - É que... Ele está tão feliz comigo aqui, que não quero o chatear. -levantei os ombros. - Já pisei muito na bola com ele. -assentiu. - Alguma dica para meu novo relacionamento? 

-Não... -resmungou. 

O mesmo ficou em silêncio, e eu continuei o fitando. Ele estava estranho. 

-Está tudo bem? -franzi o cenho. 

-Ashley, eu o conheço a mais tempo que você... Ele não é como o Nolan. 

-Ah sim, ele definitivamente não é como o Nolan...  

-Vai me contar o que aconteceu? -perguntou. 

-Ele me traiu com a Paige. -disse simples, vendo o mesmo arregalar levemente os olhos.  

-Paige? 

-Sim...  

-Como isso aconteceu? 

-Da pior maneira possível. -fiz cara de nojo. - Eu recebi até fotos. 

-Fotos? -riu. - Isso é típico dela. 

-Sim... -resmunguei.  

-Mas você está bem, não está?  

-Eu estou com o Justin agora. -disse.  

-Isso é muito para você, não é? -perguntou risonho. 

-Sim... -respondi no mesmo tom. - Não consigo nem pensar em Nolan e Paige. 

-Eu preciso saber o que você fez... -disse um tempo depois, com um sorrisinho no rosto. 

-Digamos que eu meio que.... Destruí, o apartamento dele. -disse, o fazendo rir. - E colei as fotos dos dois juntos nas paredes, ficou lindo.

-Com certeza, sim. -exclamou. 

-Enfim, tudo o que rolou foi bom, divertido; mas ficou no meu passado. -assentiu. 

-Estou orgulhoso de você, loirinha. -bagunçou meus cabelos. 

-Achei que eu nunca mais iria ter você bagunçando o meu cabelo. -disse, vendo o mesmo rir e me dar um forte abraço. 

-Alerta patrão. -resmungou assim que se afastou. 

-Você fez um bom trabalho. -ouvi Justin exclamar e me virei, o vendo observar meu carro. - Aquilo estava horrível. 

-Eu disse isso á ela. -Caleb disse. 

-Vocês falam como se nunca tivessem feito aquilo antes. -disse, vendo os dois se encararem por alguns segundos. 

-Não. -disse juntos, negando. 

Senti seu braço envolver minha cintura e segurei o sorriso que logo se formaria em meu rosto. 

-Bom, precisa de mais alguma coisa, patroa? -Caleb perguntou, fazendo Justin rir. 

-Já que você comentou... -resmunguei, vendo o mesmo desmanchar sua carinha de deboche. - Eu comprei um carro novo quando me mudei para São Francisco, ele chega no final da semana. 

-Você sabe que não sou seu chofer, não sabe? -perguntou. 

-Sim... -ri. - Mas você é o meu melhor amigo, não é? 

-É, tanto faz. -resmungou banalmente. 

-Vocês homens nunca dão o braço a torcer. -soltei o ar. - Enfim, mesmo você sendo um idiota, você ainda não tem um carro para voltar até a sua casa então... 

-Achei que nunca iria se oferecer para me levar embora. -exclamou. - Até mais, cara. -cumprimentou Justin, entrando em meu carro. 

-Não vai demorar, né? -ouvi Justin perguntar. 

-Eu preciso falar com você. -me virei para o mesmo, ainda dentro de seus braços.  

-Eu já sei o motivo da conversa. -disse, soltando o ar. - Me avise quando estiver chegando em sua casa, eu vou levar suas coisas. 

-Não achei que você fosse aceitar tão fácil assim. -disse, franzindo o cenho e vendo o mesmo soltar uma leve risada. - O que você está aprontando?  

-Nada... -deu de ombros. - Mas você não vai se importar se eu ficar lá com você, vai? -perguntou, me fazendo rir. 

-Não, eu não vou. -selei nossos lábios. - Eu te ligo, até mais tarde. -disse, assim que o mesmo me soltou. 

Caminhei até meu carro e entrei ao lado do motorista, acenando para Justin e saindo dali.  

Justin Bieber 

 

Assim que o carro de Ashley passou pelo portão, segui até minha casa, pegando meu celular e discando o número de Ryan. 

-Mais alguma noticia? -perguntei, assim que o mesmo atendeu. 

-Não, nada... -bufou. - Derek está comigo. 

-Caleb está com Ashley, os seguranças dela estão na casa junto com os que já trabalhavam lá.  

-Você vai ficar por lá, certo? 

-Sim. 

-Ótimo, já estamos no seu condomínio. -disse. - Até. -desligou. 

Ashley Somers 

 

-Você está escutando isso? -perguntei a Caleb.  

-Sim... -resmungou, com o cenho franzido. - Para o carro na próxima rua, eu vou dar uma olhada. 

Assenti e virei na próxima direita, parando o carro na esquina. Desliguei o motor e soltei meu cinto, descendo do automóvel junto com Caleb. 

-Espero que você não tenha feito nada com o meu xodó. -resmunguei, enquanto observava o mesmo abrindo o capo. - Que cheiro de queimado é esse? -perguntei. 

-Eu tenho uma leve impressão de que sua bateria acabou de pifar. -disse. 

-O que? -berrei. 

-Não grita, Ashley. -bufou. 

-É óbvio que eu vou gritar! Sem esse carro como eu vou me locomover ? -perguntei, vendo o mesmo me fitar. 

-Seu novo namoradinho tem carros o suficiente para você nunca mais ter que pegar um taxi na vida. -disse, me fazendo engolir em seco.

-Graças a Deus! -exclamei, assim que passamos pelo portão do estacionamento do hospital.   

-Não foi tão ruim assim. -Chaz me fitou por alguns segundos.  

-Foi horrível. -revirei os olhos. - Hospitais não me trazem lembranças muito boas.   

-É, eu sei. -afogou meus cabelos, voltando a prestar atenção na estrada logo em seguida.  

-Gostei do carro novo. -comentei. - É seu, certo? -assentiu. - Quantos carros você tem? -cerrei os olhos.  

-O bastante para você nunca mais ter que pegar um taxi na vida. -disse, me fazendo franzir o cenho. - Esta na hora de aprender a dirigir, pequena Somers.

-Ashley? -Caleb chamou, me despertando. - Você está bem? 

-Sim... Eu só me lembrei de uma coisa. -disse, vendo o mesmo assentir. 

Ouvimos um barulho alto de carro próximo a nós. Toquei a arma que eu continha na cintura assim que vi Caleb com sua pistola em mãos. 

Fitei a estrada ouvindo o barulho do carro aumentar e então finalmente vendo ele passar por nós. 

-Eu não sou boa com carros, mas eu reconheço aquela Dodge cinza de longe. -disse, fitando Caleb. - Vou ligar para o Justin.  

-Vou tentar fazer seu carro voltar a funcionar.  

-Tudo bem. -resmunguei. 

Ao pegar meu celular notei uma enorme quantidade de ligações e mensagens perdidas. Todas de números desconhecidos. 

-Caleb. -resmunguei, chamando a atenção do mesmo.  

Mostrei meu celular a ele que franziu o cenho, o pegando.  

-Qual a chance de todos esses números desconhecidos me ligarem e me mandarem mensagens? -perguntei, enquanto ele observava meu aparelho e mexia no mesmo.  

Antes que o mesmo pudesse falar, meu telefone tocou. Caleb me fitou por alguns segundos e soltou uma leve risada, atendendo e colocando no viva voz. 

-Estamos próximos da casa de Bieber. -eu reconhecia aquela voz, era de Nicholas.  

-Iremos te encontrar dentro do condomínio, chefe. -uma outra voz, desconhecida por mim, disse.  

-Fiquem atentos!  

A chamada foi finalizada, e logo Caleb puxou minha mão. Me arrastando até o meio das árvores que havia por ali.  

-Que porra é essa? -exclamei.  

-Tenho uma noticia boa e outra ruim... -resmungou, enquanto fitava tudo ali atentamente. - A boa é que Chaz te deixou um presentinho.  

-É, ele me deixou vários. -resmunguei. - E a ruim?  

-Graças ao seu novo presentinho, provavelmente acabamos de descobrir um ataque ao império do Justin.  

-O que? -perguntei, assustada. - E por que estamos escondidos?  

-Você não ouviu o que eles conversaram na ligação? -perguntou, um pouco alterado. - Eles já estão próximos, e vão se encontrar aqui. Você é um alvo fácil, Ashley.... Nicholas não pode saber que você está aqui.  

-Alvo fácil? -perguntei, vendo o mesmo assentir.  

Soltei uma leve risada e voltei a prestar atenção na estrada e nos barulhos a minha volta. Iria provar para Caleb que eu até poderia ser um alvo, mas que eu nunca seria fácil.  

Após longos minutos parados ali. Comecei a sentir medo, meu ego começou a ser coberto por todo o meu medo e então, sem perceber, comecei a ficar inquieta.  

-Finalmente, cara! -Caleb exclamou, atrás de mim. - Estamos em uma das ruas perto da casa do Justin, nas parte onde não tem casas.... O carro de Ashley quebrou, mas você não vai acreditar no que aconteceu... Não, cara! O celular de Ashley está ligado com o do Nicholas.  

Voltei a pegar meu celular no bolso vendo uma mensagem de um número desconhecido.  

"Estamos chegando."  

-Eu não sei, deve ser por proximidade... -Caleb disse. - Só vem rápido, e traga o resto da equipe... Até.  

-Qual o plano? -perguntei, sem o fitar. 

-Chris vai passar aqui para te pegar e ai... -o interrompi.  

-Me buscar? -me virei para o mesmo. - Eu não vou embora.  

-Ashley... -resmungou.  

-Eu. Não. Vou. Embora. -repeti pausadamente. - Eu vou provar para você que eu não sou uma alvo fácil, Caleb.  

-Olha, me desculpa se eu atingi o seu ego, mas você tem noção do que está acontecendo? Estão indo para a casa do Justin, e conhecendo Nicholas como eu conheço... -novamente o interrompi.  

-Eu não ligo... Nicholas já me tirou o Chaz, eu não vou deixar ele me tirar mais nenhum de vocês. -neguei. - Eu posso não estar no mesmo nível de defesa que todos vocês estão. Mas eu sei tudo o que você me ensinou, e isso já é o bastante para mim.  

Caleb me fitou por alguns segundos e bufou, passando as mãos no rosto.  

-O Justin vai me matar, cara. -disse, me fazendo soltar o ar, aliviada. - Deixa eu ver a sua arma. -pediu, e logo eu tirei a mesma da cintura, o entregando. - Você nunca treinou com uma dessas. Essa pistola é muito pesada... -a observou. - Aqui. -me entregou a sua arma. - Toma cuidado, pelo amor de Deus, Ashley.  

-Nunca te ensinaram a não falar o nome de Deus em vão? -perguntei, pegando a arma que o mesmo me entregou.  

-Acredite em mim, não está sendo em vão.  

Justin Bieber 

 

-Finalmente. -exclamei, assim que Ryan e Derek passou pela porta. - Como andam as coisas? 

-Aqui. -Derek me mostrou seu computador portátil. - Eles estão na praia.  

-Conseguiu falar com o resto da equipe?  

-Não. -Ryan respondeu.  

-Merda! -resmunguei. 

-Ashley está protegida, no momento isso é o que importa. -Ryan disse. 

-Como ela está depois de tudo isso? -ouvi Derek perguntar 

-Ela está lidando bem com toda essa situação, mas eu ainda tenho medo de deixa-la sozinha, e sei lá, ela surtar e ir embora novamente. 

-Cara, essa garota gosta de viajar. -Derek disse, me fazendo soltar uma leve risada. 

-Não é atoa que ela é prima do Chaz. -Ryan disse. - Mas enfim, qual vai ser o plano? 

-Não vamos atacar. -disse, vendo o dois franzirem o cenho. - Vai falar que esqueceu na nossa carta na manga? Se ele ousar pensar em nos atacar, podem preparar as malas porque vamos até Nova York fazer uma visitinha a senhorita Pierce.


Notas Finais


oi galerzzzzzzzzzzzzd fhwegh como vcs estão
eu to ótima brigada
enfim, espero que estejam gostandoooo

bjinhos da titia sky <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...