História Feelings - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Suga, Taehyung, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoonseok
Exibições 29
Palavras 1.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Chapter 10


Hoseok me obrigou a levar Jimin para casa, ele ainda ofereceu seu carro. Foi difícil aturar Jimin no começo até porque ele ficava me chingando e me dizendo que eu era um babaca. Enfim, depois de ter desabafado até demais, ele dormiu. É por isso, literalmente, que hoje eu teria que virar uma babá. A babázinha de Park Jimin.

Foi difícil trazê-lo até sua cama, até porque ele estava dormindo e não acordava de jeito nenhum. Ele conseguia ser adorável até quando dormia. 

Meu celular começou a tocar, o toque estava tão alto que ele acordou. Desliguei a chamada no mesmo momento.

A pergunta é: como ele acorda com um toque de celular e não com alguém arrastando ele até o quarto?

– Jeongguk. – Retrucou num tom baixo e rouco. Ele não parecia estar sóbrio, até porque ele disse meu nome sem saber que eu estava no seu quarto. Ele puxava os fios do seu cabelo. O que ele estava fazendo?

– Jimin, eu estou aqui. – Seu olhar foi rapidamente para mim fazendo seus lábios abrirem um sorriso, ele mordeu os mesmos se levantando. Sua mão puxou a minha fazendo eu cair na cama. O que deu nele?

– Eu senti sua falta, Kookie. – Ele não estava bem da cabeça mesmo. Ele jamais faria isso. Na verdade, nem eu sei o que ele é capaz de fazer. Bêbado. 
Suas mãos me puxaram para si, nos deixando frente a frente. Ele encarava meus olhos passando para meus lábios que estavam entreabertos por culpa do meu susto. Sua perna entrelaçou minha cintura nos deixando na mesma altura.

– Você quer ser só meu hoje? Só hoje. – Retrucou no meu ouvido esquerdo causando um pequeno arrepio no meu corpo, ele mordeu a cartilagem da mesma traçando caminhos de beijos até minha boca, assim que chegou ao seu destino, selou seus lábios nos meus. Seu beijo era feroz, nada inocente. Era como se sentia necessidade daquilo. Ele apertava minha nuca fortemente enquanto sua língua fazia movimentos na minha boca sem me deixar cedê-la. 

Eu não iria perder essa oportunidade.

Vaguei minha mão em direção as suas nádegas as apertando com a maior força possível. Deslizei minha mão para a camiseta que sobrava em seu corpo e a puxei, seus lábios soltaram dos meus por falta de ar, aproveitei e a tirei por completa, quase a rasgando. 

– Achei que tinha parado de malhar. – Indaguei saindo um quase gemido enquanto eu observava seu abdômen que ainda havia restos de seu esforço da academia.

– E eu parei. E você? – Ele sorria de lado enquanto tirava a minha camiseta, seus olhos encaravam o meu abdômen, dessa vez. Sua boca salivava tanto que estava ao ponto de babar ali mesmo. 

– Você é tão gostoso. – Disse já beijando meu pescoço, distribuindo em chupão no mesmo soltando um estralo. – Um idiota gostoso. – Fez o mesmo do outro lado, o mordendo. Aquilo estava me excitando de uma maneira inexplicável. Jimin sabia fazer isso muito bem.

O empurrei para trás o fazendo deitar, fiquei em cima do mesmo selando nossos lábios mais uma vez. Dessa vez, era um beijo calmo e sereno. Não ousaria o parar, até porque não podia confirmar que não estava gostando daquilo. Sei que amanhã ele acordaria sem lembrar de nada que poderia ter feito, então, certamente eu seria capaz de se aproveitar de Park Jimin?

Nossas bocas descolaram e eu finalmente teria a liberdade de tomar conta de Jimin como eu queria. Do meu jeito. Sei perfeitamente como provocar esse ruivo.

– O quanto eu sou gostoso? – Perguntei no mesmo momento em que caminhava com leves beijos até chegar em seu peito. – O quanto eu sou um gostoso idiota? – Mordi seu mamilo e ouvi um gemido baixo me deixando com mais prazer do que havia em mim. – Porque está me ignorando? – Lambi a ponta do seu mamilo fazendo movimentos circulares.
Park Jimin me deixa excitado.

– Jeongguk-ah, você é gostoso pra caralho. – Sorri ironicamente satisfeito com a resposta. Suas mãos me impulsionaram para o seu lado esquerdo, o fazendo ficar em cima de mim dessa vez. – Mas o único que quer brincar mais aqui sou eu. – Retrucou enquanto imitava o que eu fiz a alguns minutos atrás. Ele beijava meu pescoço, meu membro queimava por baixo da calça quase soltando aquele líquido dentro de mim. Sua boca deslizou pelo meu peito deixando um rastro de saliva no mesmo, chegando perto de minha intimidade ainda coberta. Seus dentes prensaram em minha calça a puxando para baixo até aparecer completamente minha boxe que, certamente, havia um certo volume nela.
Sua língua lambia o meu membro por cima do tecido, eu estava prestes a cair nas mãos de Park Jimin. 
Mas Park Jimin também cairia nas minhas.

– Porque está se esforçando tanto? – Retrucou enquanto suas mãos se aproximavam de minha intimidade. – Isso é broxante pra você? – A mesma o apertou preenchendo aquele pequeno quarto com meu grito. Jimin gargalhava com uma risada maléfica soltando meu membro aos poucos, o suor estava ocupando meu corpo inteiro. Isso era pra ser um tipo de tortura ou algo assim?

– Você está completamente bêbado. É você mesmo, Jimin? 

– Se eu estou ou não, não irei parar agora. Só quero matar a saudade. – Indagou tirando minha boxe a jogando longe. Sem pensar duas vezes abocanhou meu pênis massageando meus testículos, ele fazia movimentos para frente e para trás, eu gemia seu nome descontroladamente enquanto segurava seus cabelos já molhados por conta do suor.

– Jimin-ah, você é maldoso. – Aquelas palavras saiam em gemidos, eu estava prestes a ter meu primeiro orgasmo, porém Jimin não parou até o último segundo. Aquele líquido gosmento finalmente saiu de mim atingindo a boca de Jimin, o fazendo engolir sem nenhuma careta. Ele estava totalmente fora de si. Como isso pode acontecer assim desse jeito? 

– O que está fazendo? – Perguntei enquanto ele retirava a sua calça por conta própria. 

– Tirando minha calça. – Retrucou, dessa vez, apenas de boxe. Aquele tecido destacava seu pênis já efervescente de prazer. Era visível o quanto ele estava querendo o meu toque. – Eu quero te foder logo. 

– Eu irei fazer isso primeiro, baixinho. – Falei, atacando sua boca à medida que minha mão deslizava sua boxe para baixo. Estávamos completamente nús agora. Senti seu membro roçar em minha perna, soltei meus lábios dos de Jimin e vi aquilo ereto por culpa da tesão. Sorri levemente o fazendo corar.

– Vai ficar olhando ou vai me chupar logo? – Jimin estava ansiando pelo meu toque, aquela sensação era uma das melhores. A sensação de que alguém quer sentir seus toques imediatamente. 

– Irei esperar você me pedir com muito carinho e amor. – Debochei ao mesmo o fazendo revirar os olhos. Eu adorava fazer esse tipo provocação. Meus dedos tocavam levemente a glande do seu membro o fazendo soltar gemidos baixos e curtos. Aquilo era música para meus ouvidos.

– Jeongguk, você pensa que isso é uma brincadeira? 

– Vamos se dizer que sim. Você mesmo disse que queria brincar, amorzinho. – Indaguei acariciando o seu pênis.

– Jeongguk, me toca logo pelo amor de Deus! – Exclamou encostando sua cabeça em meu ombro direito. Jimin é manhoso até quando quer ser tocado. Aish, é uma criança mesmo.

– Depois não reclama. – O empurrei para trás e fui em encontro com seu membro o chupando com o todo prazer que tinha. Minha língua se movimentava sentindo suas veias que naquele momento já estavam pulsantes. Jimin parecia morder os lábios para não soltar nenhuma palavra, não perdi o foco e continuei fazendo movimentos de vai e vem o mais rápido que podia. No mesmo instante, senti seu sêmen invadir minha boca, o engoli por mais que aquele gosto não fosse um dos melhores.

– Até que você aguentou bem. Por mais que eu quisesse que você gritasse meu nome, irei fazer você ficar sem voz hoje, Jimin. – Ele não disse nada, apenas se entregando totalmente para mim ficando de quatro. Aliás, ele começou, então irei terminar. Sem pensar, adentrei meu pênis dentro de Jimin que soltou um grito alto o suficiente para acordar a vizinhança inteira.

– Shhh, você vai acordar todo mundo. – Falei distribuindo um leve tapa em sua bunda, que por sinal era grande, ele riu baixo. 

Me fode logo, porra! Você é lerdo pra cacete! – Aumentei as estocadas como o senhor Park Jimin havia pedido. Aquele transa estava sendo uma maravilha. Jimin podia ficar bêbado mais vezes. Ele estava ao ponto de ter seu orgasmo, por sua vez,  o líquido saiu e eu retirei meu membro de dentro dele. Ele parecia cansado, porém ao mesmo tempo, feliz. 

Arrastei sua coberta e o cobri, seus olhos não pararam abertos o deixando mais fofo ainda.

– Da próxima vez eu irei te foder, Jeongguk. – Disse convencido me puxando para perto do mesmo.

– Certo, Jimin. Certo. 

– Canta pra mim, Jeon? – Resmungou todo manhoso fazendo biquinho. 


Nae nuneul majuchineun, neoreul wonhae (Eu quero que você me olhe)
Dasi nareul wonhaneun, neol wonhae (Eu quero que você me queira de novo)
Jebal tteoreojiji mareo (Por favor, não me deixe)
Seureojiryeo haji mareo (Por favor, não caia)
Never, never fall (Nunca, nunca caia)
Meolli, meolli gaji ma (Não vá para muito longe)

 

Wae nan, ajikdo neoreul pogi mothae, nan? (Porque eu ainda não consigo desistir de você?)
  Sideureojin chueogeul butjapgo (Eu me agarro nessas lembranças murchas)
Yoksimin geolkka? (É a ganância?)
Jineun gyejeoreul doedolliryeo hae dolliryeo hae (Eu tento restaurar as estações perdidas, eu tento restaurar)

E sempre acabava assim. Acaba sempre comigo acaraciando seus fios de cabelo, como daquela vez em que ele estava no hospital. Por tantos anos, isso finalmente aconteceu, não havia dúvidas que logo isso iria rolar, o único problema é:

Park Jimin estava bêbado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...