História Feelings - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Hermione Granger, Luna Lovegood, Personagens Originais, Theodore Nott
Tags Blásio Zabini, Blauna, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Gitt, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Theodore Nott
Exibições 109
Palavras 980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Mecha, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Juro solenemente não fazer nada de bom

Olá, olha quem está aqui postando, euzinha Kkkkkkkkkkkkk
Gente, mil desculpas por não ter capítulos nas outras historias, está todas em HIATUS, não irei desistir, é só porque não estou tendo criatividade para continua-las por enquanto, estou relendo, começando por Corazón Valiente, e também dei uma sumida no site, mas agora estou de volta, talvez em breve darei essa mesma sumida, mais nesse tempo que estarei "desaparecida" do site estarei escrevendo novos capitulos
Bom... Era isso
BOA LEITURA :)

Capítulo 1 - Capitulo 1


Fanfic / Fanfiction Feelings - Capítulo 1 - Capitulo 1

“Aquele com o poder de vencer o lorde das trevas se aproximar...”

- Essa não é a profecia de Harry Potter, Alvo?

- Sim, minha cara Minerva. Essa é a profecia de Harry

- então o que isso tem haver com Hermione Granger?

- Absolutamente nada, Minerva.

- Não entendo- Minerva falou, ela tinha um expressão de confusão no rosto, ela não entendia o que o quadro do velho diretor queria falar

- Minerva, minha cara amiga, só sou um velho quadro, uma lembrança. Não posso entender as coisas por você- Ele riu. Minerva olhou os demais quadros, todos de antigos diretores de Hogwarts. Ela parou seu olhar no retrato de Severo Snape, o mesmo estava com uma das sobrancelhas erguidas.

- Sério, McGonagall? Sério?- Ele riu com ironia

- Se quer me dizer alguma coisa, diga logo, Severo- Ela pediu olhando fixamente para o retrato de ex-diretor de Hogwarts e da casa Sonserina.

- Não tenho nada para dizer- Ele deu de ombros

- Afinal o que está acontecendo?

 

*

Hermione olha o túmulo a sua frente e suspira triste, por que as coisas tinham que acabar daquele jeito?

“Elizabeth Aguiar Granger” esse era o nome que estava na lápide, ela era a prima de Hermione. A prima que era bem próxima de Hermione. Há um ano, mas ou menos, a Granger descobriu que sua prima estava com uma doença incurável. Elizabeth morreu há alguns meses, ela tinha 23 anos, só alguns anos mas velha que Hermione.  

Um suspiro baixo saiu da Granger, ela se encolheu pelo frio que estava fazendo.

Ela olhou uma ultima vez para o túmulo de sua prima.

- Até mais, Lize- E dando um último adeus, ela voltou para casa de seus pais, ela estava feliz por ter conseguido achar seus pais e reverter o feitiço da memória, pelo menos isso para deixa-la feliz, uma coisa boa em um mar de tristeza.

Hermione estava caminhando pelas ruas olhando tudo e todos a sua volta, vendo que todos estavam felizes, todos com exceção dela mesma. Ela sorriu fraco vendo as pessoas rirem, poderia ser ela assim, alegre, rindo... Mas não é, infelizmente.

Chegando em casa viu os pais assistindo alguma coisa na televisão

- Oi- Hermione se prontificou a falar para os pais. Eles olharam ela é deu um sorriso fraco

- Está bem?- A mãe dela, Jane Granger perguntou para a filha.

- Vou ficar- Hermione disse com um nó na garganta, denunciando a vontade de chorar, e era uma coisa que ela não queria, não queria chorar e deixar os pais ainda mas preocupados, ela forçou um sorriso- O que estão vendo?- Ela perguntou olhando para a televisão

- Jornal- O pai de Hermione disse. Ela prestou com mas atenção para ver o que a jornalista anunciava

- “Mortos aqui em Londres, foi encontrado dois corpos, duas meninas, uma de 15 anos e a outra de 19, a família não quis da depoimento, só falaram que querem justiça pelo que aconteceu as filhas... Voltamos ao estúdio.

- Coitados, a família deve está sofrendo muito- A Sra. Granger tinha os olhos marejados.

- Estou no meu quarto- Hermione disse saindo do choque em que se encontrava. Ela subiu entrou no seu quarto e trancou, afundando em vários pensamentos.

 

*

Draco estava em seu quarto, na cama deitado, ele estava jogando uma bolinha e pegando ela, fazia isso muito ultimamente. A vida dos Malfoy's mudou muito, não é mas um mar de rosas, nunca foi, mas piorou muito com o tempo. Draco agradece imensamente pelo término da guerra, e por sua mãe está Sam e salva, graças ao menino-que-sobreviveu, isso sim que é ironia, né? Seu inimigo de infância depor a favor de você e de sua mãe.

Draco riu e balançou a cabeça.

Nem todos da família de Draco foram salvos, por exemplo, Lúcio Malfoy, ele foi direto para Azkaban, o ministro não queria nem ouvir o depoimento do Malfoy pai.

Draco não sente nem um pingo de pena do pai, que Lúcio apodreça em Azkaban, eram os pensamentos de Draco, não os meus.

- Draco- Ele olhou e viu a mãe na porta do quarto- Tem visitas- Ele viu que a mãe não estava só. Estavam com ela, Blaiso Zabini, Theodore Nott e Pansy Parkinson.

 - Meu caro amigo- Blasio falou, Draco levantou e deu um abraço em cada um.

- Já vou- Narcisa disse é se retirou do quarto

-Como tem andado, Draco?- Theodore perguntou

- Com os pés?- Zabini perguntou e Theo revirou os olhos. Os demais riram

- Estou bem e vocês?

- Bem- Pansy falou- Tive uma briga com a Dafne, mas foi isso, estou bem.  

- Brigaram?- Os três perguntaram e a Parkinson deu de ombros

- Ela é uma falsa, é tudo que irei falar- Ela disse dando um final a esse assunto, os demais se entreolharam e assentiram sem dizer mas nada

 

*

- Como vai querida?- o homem perguntou para a menina a sua frente

- Vou muito bem, obrigada por perguntar- Ela falou sorrindo.

- Não perguntei por me importa, perguntei para ser educado- Ele disse fazendo o sorriso da jovem morrer.

- Idiota- Ela murmurou

- O que disse?- Ele perguntou erguendo as sobrancelhas   

- Eu... - Ela não terminou de falar pois as mãos dele se fechou em volta do pescoço dela

- Nunca mais fale isso, fui claro?- Ela não disse nada, estava com medo- vou repetir, FUI CLARO?- Ela assentiu e em um fio de voz falou

- Sim... - Ele tirou as mãos do pescoço dela e ela tocou o local- Não gosto de ser assim com você,  querida- Ele falou se aproximando dela e tocando seus lábios- Te quero

- Também te quero- E eles se beijaram, um beijo cheio de luxúria, eles tinham química, não tinham como negar... É nessa noite eles se entregaram um ao outro. 


Notas Finais


Beijos

Malfeito Feito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...