História Feelings - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Justin Bieber, Margot Robbie, Megan Fox, Zé Felipe
Personagens Chaz Somers, Justin Bieber, Margot Robbie, Megan Fox, Zé Felipe
Tags Drama, Revelaçoes, Romance, Sentimentos
Exibições 53
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 4 - A sua irmã é maluca


Fanfic / Fanfiction Feelings - Capítulo 4 - A sua irmã é maluca

José Felipe

Somers Models Management, Beverly Hills – CA 

Eu tinha marcado de almoçar com a minha irmã hoje pela manhã. Enviei uma mensagem de texto e ela confirmou dizendo que chegaria no horário determinado, mas ela se atrasou e ao menos me avisou que não iria ou que se atrasaria. Decidi não perturbá-la e pedi uma pizza pouco antes de me reunir com o meu velho amigo. Convidei-o para ficar, mas ele acabou de chegar à cidade e tinha algumas coisas para organizar em seu apartamento. Assim que ele foi embora, minha irmã chegou com a respiração acelerada e eu comecei a sorrir.

— Como sempre, atrasada.

— Se você comesse direito essas modelos, eu não teria me atrasado.

— Acabei pedindo uma pizza. Você fica impossível quando acorda atrasada, por isso evitei telefonar.

— Odeio dias como este.

— Quando você encontrar um namorado, tudo ficará tranquilo.

— Isso não é falta de sexo meu irmão.

— Poupe-me destes comentários.

— Você começou.

— Já decidiu para onde vamos hoje à noite?

— Hooray Henry's.

— Boa escolha.

— O seu amigo antissocial irá comparecer? — ela parecia se divertir com isso.

— Ele não é antissocial.

— E por qual motivo ele não curte festas? Se ele tem a sua idade, não deveria agir como um velho de cinquenta anos. Até o nosso avô gostava de festas assim.

— Você não muda. — sentei-me e coloquei os pés sobre a mesa. — Hoje é dia de seleção.

— Não estou disposta.

— Você sabe que eu não ligo.

— Você adora me irritar. Que saco, para de sair com essas vagabundas.

— Você nem as conhece.

— E nem gostaria de conhecê-las. São um grupo de vagabundas aproveitadoras.

— Loi, você vai acabar quebrando a cara e eu vou achar isso o máximo.

— Eu conheço as pessoas pelo olhar, e todas as modelos que você já transou são vagabundas. Mas eu estou na torcida para que apareça uma digna de ser considerada a minha cunhada.

— Você sabe que isso não vai acontecer.

— Acha mesmo que vou quebrar a cara sozinha? — ela se levantou e me encarou com um olhar desafiador.

— Veja só quem chegou. — levantei e fui receber a pizza.

— Bela maneira de mudar de assunto.

— Pedi metade calabresa.

— Você é o melhor irmão do mundo.

— E você interesseira.

— Não. As vadias com quem você sai são interesseiras.

— Dá pra comer calada?

— Gosto de conversar.

— Mas você não está conversando. Você está me irritando.

— Gosto disso também.

Assim que me sentei na cadeira para selecionar as novas modelos que seriam contratadas, avistei uma delas correndo apressadamente para o teste, quase tropeçando em seus próprios pés. Ela era loira, pernas longas e belas curvas. Olhei para Chaz que estava ao meu lado e ele sorriu entendo as minhas intenções. O desfile iniciou-se e fiquei extasiado com tanta beleza, mas quando vi aquela loira desfilando eu fiquei desorientado. Seus olhos verdes me hipnotizaram e desejei tê-la. E ela sabia disso, pois me encarou no fundo dos olhos e piscou antes de voltar para o seu lugar. No final da seleção fui até o seu encontro. Sentir os olhares das outras meninas sobre nós e algumas estavam com raiva por eu ter feito outra escolha.

— Terminem logo de se arrumarem. Amanhã mando a minha secretária enviar um e-mail para as que foram selecionadas para permanecer em nossa empresa. Quem não receber, tentem a sorte na próxima. Obrigado a todas que compareceram. — Elas começaram a se apressarem para me deixar a sós com a loira.

— Então, o que você deseja com um dos mais bem sucedidos e cobiçados homens de Los Angeles?

— O que todas as mulheres conseguem quando cruzam o seu caminho.

— Você sabe que este é o meu local de trabalho.

— Também sei que isso nunca foi um problema para você.

— Gosto de garotas espertas.

— E eu de homens como você.

— Podemos ir para o meu apartamento.

— Eu adoraria.

— Sei que sim. Acompanhe-me até o meu escritório para que eu possa pegar as minhas coisas. — Ela concordou e pegamos o elevador até o andar onde estavam os escritórios. Convidei-a para entrar e a pressionei contra a porta assim que a fechei. — O seu cheiro é muito agradável.

— Você não precisa dizer coisas bonitas. Eu sei como as coisas funcionam com você e não tenho problemas com isso.

— Continuo achando agradável. — insisti, porque era verdade.

— Eu agradeço por isso. — apertei a sua cintura e dei-lhe um beijo de tirar o fôlego. — Uau!

— E olha que nem começamos.

— Acabaram? — perguntou a maluca da minha irmã com um tom furioso.

— O que está fazendo aqui? — perguntei com raiva e a garota estava assustada.

— Esqueceu que eu pedi para levarem o meu carro para a oficina e você se ofereceu para me levar pra casa? — ela olhou para a garota e me encarou com mais raiva — Você sabe que eu adoro estragar os seus planos com essas vagabundas, mas temos uma festa hoje a noite e eu tenho que me arrumar, então deixarei vocês em paz desta vez. Quer dizer, deixarei você em paz, já que o meu irmão não sai com a mesma vagabunda duas vezes. — ela disse apontando para a garota que eu nem lembrava o nome.

— O meu nome é Emma.

— Por um acaso eu lhe perguntei? Não precisa responder minha querida. Vou poupar você dos meus futuros comentários, pois sei que você não será capaz de respondê-los. — ela deu um sorriso sínico e me olhou. — Vou pedir ao Chaz para vir me buscar, neste horário será impossível conseguir um táxi. E antes que eu me esqueça, não se sinta especial com as palavras do meu irmão mesmo achando que o conhece, pois ele vai transar com você hoje e não irá telefonar na manhã seguinte. Ele é um ogro com todas após conseguir o que quer e não será você que mudará os pensamentos malucos dele. Sinto muito Emma, mas não vai ser desta vez que você conseguirá fisgar um homem bonito e rico para te sustentar. — ela saiu e eu deixei Emma sozinha na sala por alguns minutos.

— Eloise, não precisava disso.

— Não venha me irritar ainda mais. Você sabe que eu desejo o melhor pra você, mas essas aproveitadoras me tiram do sério.

— Eu não vou me casar com ela.

— Eu sei que não José, por isso eu agi assim e não adianta ficar com raiva. Você sabe que...

— Que você tem razão. — conclui sua fala revirando os olhos.

— Garoto esperto. — ela sorriu e deu dois tapas de leve no meu rosto. — Você me busca ou vou com Chaz para a boate?

— Eu busco você.

— Obrigada e aproveite com a Emma.

Ela saiu sem olhar para trás e eu voltei para a minha sala.

— A sua irmã é maluca. — disse Emma assim que notou a minha presença.

— Você não viu nada. Podemos ir?

— Claro.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...