História Feelings - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Justin Bieber, Margot Robbie, Megan Fox, Zé Felipe
Personagens Chaz Somers, Justin Bieber, Margot Robbie, Megan Fox, Zé Felipe
Tags Drama, Revelaçoes, Romance, Sentimentos
Exibições 53
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Uma conversa agradável


Fanfic / Fanfiction Feelings - Capítulo 6 - Uma conversa agradável

Eloise Somers

Liguei para Chaz furiosa com a cena que encontrei no escritório do meu irmão e o idiota não parou de rir um minuto sequer. Entrei em seu carro e ele levou-me para o meu apartamento. Agradeci e fui direto para o banho. Eu precisava me relaxar, caso contrário, não iria me divertir hoje à noite. Tomei um banho gelado e demorado e tirei uma soneca antes de começar a me arrumar. Mais tarde escolhi um look confortável, fiz uma maquiagem básica e prendi uma parte do cabelo, deixando um lado cobrindo uma parte do meu rosto. Escolhi um salto bem alto e fiquei aguardando o meu irmão que não demorou muito para chegar.

— Fiz um juramento que se você aparecesse com aquela modelo só para me irritar, eu iria ser presa por assassinato.

— Me agradeça por eu ter evitado tamanho constrangimento.

— O seu amigo confirmou a presença? Ou ele prefere assistir netflix?

— Ele vai e eu te peço que não fique dizendo essas coisas para ele. Justin é um cara muito legal. Não toque em assuntos amorosos.

— Ele se decepcionou?

— Só peço que não toque neste assunto.

— Tudo bem.  Eu prometo.

Encontramos Chaz assim que chegamos à boate. Fizemos nossos pedidos de bebidas e eu deixei-os sozinhos para me divertir e ver se encontrava algum cara interessante para me levar pra casa. Dancei com alguns e nenhum me agradou, então decidi voltar para a mesa que os meninos e eu estávamos e fui apresentada ao “famoso” Justin. Eu desejei beijá-lo. Ele era simplesmente perfeito. Convidei-o para um drink e ele aceitou. Fomos ao bar, fiz o pedido e iniciamos uma conversa muito agradável. Nunca gostei de sentar com um cara e ficar conversando. Eu gostava de dançar, beijar e dormir com eles. Mas com Justin foi diferente desde que segurei em sua mão. Eu senti algo diferente e gostei. Ele não foi rude. Não agiu com assanhamento. Sempre gostei dos caras me chamando de gostosa e me desejando. Não tinha experimentado ser tratada como Justin estava me tratando e eu amei. Simplesmente amei.

— Você tem certeza que não se importou? — questionou Justin e eu sorri o encarando.

— Absoluta.

— Você estava pensativa.

— Não costumo sentar e conversar. Estava pensando no quanto estou gostando de estar fazendo isso.

— Mas você é muito bonita para os homens não desejarem uma conversa.

— Eles sempre desejam o meu corpo. — sorri um pouco envergonhada.

— Podemos marcar um almoço qualquer dia desses. — disse ele e eu senti um pouco de dúvida.

— Tem certeza?

— Por que a pergunta?

— Não pareceu que foi isso que quis dizer.

— É que faz anos que eu não saio com alguma garota.

— Justin, eu não sei o que aconteceu para você ser assim, mas eu prometo que irei mudar isso. Não sei como, mas eu vou conseguir te ajudar.

— Gosto muito da ideia.

— Podemos iniciar isso amanhã na hora do almoço. Deixo você escolher o cardápio.

— Combinado.

— Quando você começa na agência?

— Na próxima semana. José deu essa semana para que eu possa terminar de organizar tudo que preciso.

— Não quero te atrapalhar.

— Eu garanto que não vai.

— Você é especial. Eu sinto isso.

— Senti o mesmo por você quando fomos apresentados.

— Seremos grandes amigos. — sorrimos e brindamos.

— Pelo visto vocês se deram bem. — disse José chamando a nossa atenção.

— A conversa está muito agradável.

— Imaginei que sim, Loi. Você nunca foi de conversar e Justin conseguiu fazer esse milagre acontecer. Imaginei que você tinha encontrado alguém e ido para seu apartamento e que Justin tivesse ido embora sem avisar.

— A sua irmã é muito especial.

— Fico feliz por achar o mesmo que eu, apesar dela agir feito uma maluca.

— Ela me contou sobre a relação dela com as garotas que você dorme.

— Viu o quanto ela é maluca?

— Achei divertido.

— Vocês se conheceram há poucas horas e já está assim? O que aconteceu com os nossos anos de amizade? — dizia meu irmão fingindo drama.

— Entre um homem e uma bela mulher, eu sempre escolho o lado oposto.

— Eu adorei o seu amigo. Estou desmarcando o nosso almoço de amanhã, aproveite para fugir com aquelas vagabundas, pois não estarei na agência.

— Conseguiu iludir o meu amigo?

— Não. Vou ajudá-lo a superar seja lá o que aconteceu para ele deixar esse coração sem ninguém há tanto tempo.

— Que bom que a minha princesa e o meu melhor amigo tenham criado essa cumplicidade. — ele disse e nós três sorrimos.

— Estou tentando conquistar o seu melhor amigo e você me chama de princesa na frente dele?

— Relaxa Loi, se você se sair bem eu prometo que esquecerei o que ele disse.

— Se você não fosse tão sério eu te daria um beijo neste exato momento.

— Caso isso aconteça, não quero estar presente. Você pode levá-la pra casa? Estou pretendendo sair mais cedo.

— Modelo?

— Não querida irmã. Desta vez não é uma modelo.

— Posso levá-la sim. Aproveite José.

— Obrigado e garanto que irei aproveitar. — José abraçou o amigo e beijou a minha bochecha antes de ir.

— Justin, não precisa me levar. Você deve estar cansado da viagem e eu não quero atrapalhar.

— Você não vai me atrapalhar. Pelo contrário, eu adoraria te dar uma carona. — “e eu te dar um beijo”, pensei.

— Então vamos beber nosso último Martini para irmos. — pedi ao barman e conversamos um pouco mais.

— Como é o Brasil? Sempre quis conhecer o país.

— É lindo, mas eu prefiro Los Angeles.

— Por quê?

— Violência. Meus pais estavam preocupados com a minha segurança e decidiram vir morar definitivamente aqui.

— José sempre foi independente.

— Muito. Eu sentia muitas saudades dele e quando os meus pais me comunicaram que iríamos morar aqui eu fiquei tão feliz que nem me despedi das minhas amigas. — revelei gargalhando.

— Quando eu voltei para o Canadá, os garotos faltaram espalhar bombas no aeroporto.

— Imagino que sim. Eles pareciam bastante animados com a sua presença. — terminei minha bebida e ele também. — Podemos ir se quiser.

— Podemos dançar um pouco antes de irmos. — dei um sorriso largo e segurei em sua mão. Justin guiou-me a pista de dança e nos divertimos dançando pouco mais de três músicas. Não imaginava que ele fosse se sair tão bem numa pista de dança e ele estava acumulando pontos comigo.

— Agora eu aceito sua sugestão. — Decidimos ir embora e eu o segui até seu carro. — Qual o destino dessa bela moça? — Justin perguntou abrindo a porta pra mim.

— APEX. The One. Sabe onde fica?

— Estou morando no 717 Olympic.

— Bem que dizem que o mundo é pequeno.

— Retiro o que pensei quando te vi.

— Como assim?

— Vou deixar o assunto para o nosso almoço.

— Não vou insistir, mas irei perguntar sobre isso. — encostei-me e devo ter cochilado por alguns minutos. Ainda de olhos fechados, senti os olhares de Justin sobre mim. — Se continuar me olhando assim eu vou beijá-lo.

— Desculpe, não sabia como acordar você.

— Eu não estava dormindo. Apenas fechei os meus olhos.

— Vou fingir que acredito. — sorrimos.

— Muito obrigada pela carona.

— Nos vemos na hora do almoço. — ele retirou o celular do bolso da camisa e me entregou. — Anote o seu número. — Fiz o que ele pediu e o entreguei. — Tenha uma boa noite.

— Obrigada. Você também.

Estava saindo do carro quando ele puxou-me e beijou o canto dos meus lábios. Sei que não foi proposital, pois eu me virei assustada com a sua atitude e por isso o beijo foi tão perto dos meu lábios, mas ele gostou tanto quanto eu gostei.


Notas Finais


Look da Eloise: https://pbs.twimg.com/media/CVjz3F4WoAA5bZm.jpg

• Também no Wattpad: http://my.w.tt/UiNb/pZlpWlQWCz
• Deixe seu twitter nos comentários para eu enviar os capítulos.
• Grupos:
https://www.facebook.com/groups/jdbimaginebelieber
https://www.facebook.com/groups/zezitas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...