História Felinos e caninos - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Luiz Felipe (Luiz 1227), Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Luiz Felipe "Luiz 1227", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange
Tags Hibridos, Mike, Mitw, Pac, Tazercraft
Exibições 131
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - Agora vai



Pov Desconhecido
Não, claro que não tenho preconceito algum contra gays ou algo assim, apenas sinto que minha espécie será prejudicada por pulguentos sem noção, mesmo eu já tendo namorado uma cadela, já tive filhos, mas infelizmente num acidente, os perdi, eram cães de uma raça linda, eram lindos huskies, um deles, era siberiano, lindo garoto, mas o perdi naquele dia, junto da irmã, outra huskie, só que ela tinha uma pelagem negra, minha mulher, de mesna forma, mas a pelagem dela era idêntica a de meu filho, retirando seus olhos, que era azuis, junto da minha filha, já de meu filho era verde, não sei se ele ainda estivesse vivo, seria dessa forma, junto das outras duas, eu os amava tanto.
Mas depois que eles faleceram, arranjei outra, dessa vez uma gata persa, a que até hoje, ainda vivo, cheia que preconceitos e caprichos, pra falar a verdade, ainda preferia a minha antiga família, eu só batia no meu filho, ou seja, o da elite felina porque ela mandava, pois, ela queria um filho que fosse de pelagem persa, o que dominasse a família pacanhan, mas ele fugiu e hoje, é um bandido de alta escala.
Eu irei atrás dele, ainda hoje, o procurarei, quero tirar satisfação com o mesmo e pedir desculpa, não amo aquela lá de forma alguma.
[...]
Pov Pac
Ainda estávamos comemorando o acontecimento, era de fato algo incrível, agora com eles, ficaremos ainda mais invencíveis, até eu fazer esta linda confissão
-Jabuti não morreu- falo alto e em bom tom
-NÃO MORREU? Cadê ele?- um cão fala desesperado
-Como assim não morreu?- mike pergunta
-De mesma forma que eu finjo mortes, dessa vez, não usei um holograma- 
-mas como? Eu vi ele morto, todos vimos- authentic se intromete
-Algo chamado clone foi feito no corpo, ele só estava amarrado num cantinho qualquer, fizemos nada demais além de fazer o confessar- respondo
-Mano jabota, chega mais mano- cellbit grita lá da puta que pariu e quando me viro, vejo o jabuti chegando, e aquele cão desesperado o agarra
-Seu louco, podia ter fugido de lá- o cão quase bate nele, mas o abraça
-Aí, vivo, aquilo lá era apenas uma brincadeirinha- falo
-Brincadeirinha? Ta de zoa?- mike pergunta indignado
-Claro que não to de zoa, eu só queria mostrar o que posso fazer com nossos queridos rivais- sorrio inocente -sendo que isso era o mínimo do que eu posso fazer- 
-Ah, claro- mike responde, cruzando os braços, mas o abraço, fazendo ele descruzar e retribuir.
§{21:30}§
Todos estavam em casa, descansando, foi um dia legal, comemoraram e tudo, óbvio...
Bem, aqui estava eu, sentado encima de um ônibus, junto de mike, estávamos olhando o céu, estava um silêncio maravilhoso, não que eu não queira conversar, mas só de estar ao lado dele... É uma sensação maravilhosa.
Passamos um bom tempo até eu localizar um ser encapuzado passando pelo terminal, não liguei muito, continuei, até ele olhar pra nós, mas especificamente, pra mim, na boa, o que ele quer? 
Não dei bola, continuei, mas um desconforto de ser observado por ele era horrível, até eu perceber que ele se aproximava do ônibus em que estávamos
-Vocês aí- ele chama e eu desço de lá, junto de mike
-Que foi?- cruzo os braços
O ser nos olha estático, ele não tinha o que falar não? Não bastava nos chamar...
-Ah... Vocês devem ser da elite felina e anti-cats certo?- ele pergunta
-Por que quer saber?- respondo friamente
-Porque... Eu queria... Me juntar a vocês- com certeza isso deu um ar de mentira, mas vou dar a corda
-Hm... Se apresente por favor- falo
-Sou Alex, tenho 42 anos, especialista em computadores e redes de internet- ele fala e baixa o capuz...
Não pode ser... O terror, ele voltou, seguro com uma mão por trás, a camisa de mike, seguro fortemente, eu... Ele... Voltou, por quê? Pra quê? O que ele quer de mim? O ser que acabou com minha infância está aqui, na minha frente, querendo ser aliado meu, não, aceitarei de forma alguma.
Simplesmente fiquei quieto, não tive reação, e só voltei a realidade quando mike me chamou, pela quinta vez, acho...
-A-ah... Não podemos aceitar, juntamos as gangues e já está cheio demais- respondo meio trêmulo
-ah... Entendo... Mas, você se lembra de mim?- arregalo os olhos e boto uma mão no bolso, pronto para pegar uma pistola barata, na qual coloco antes de sair, fecho a cara.
-Lembro, e muito, Alex- respondo friamente, retirando a arma do bolso, mas mike me repreende.
-Calma pac, quem é ele?- 
-Meu pai- eu quase pulo encima do mesmo, mas ainda assim, mike me segura
-Eu vim aqui, para te pedir desculpas- 
-Depois de tudo que você fez? Nem morto-
-Realmente, sua personalidade não muda nada, mas quem mandou fazer isso com você foi ela, não fiz porque quis- ele argumenta
-Poderia ter repreendido ela- retruco
-Podia sim, mas o pai dela ficava de olho em mim, pois eu era vira lata, igual a você, se eu não fizesse o que ela pedia, me matariam, junto com você por desobedecer as ordens dela- 
-Não faz sentido algum, se me amava tanto assim poderia fugir comigo- começo a chorar
-Infelizmente o mundo não funcionava daquele jeito- ele para de olhar pra mim e fixa o olhar em mike
-Você deve ser o namorado dele... Mas mesmo assim, lembro de você também- o cara comenta
-Lembra? Deve ter me visto na rua ou algo assim- mike fala
-Não... Eu lembro de alguém parecido com você, parecido com um filho meu que tive-
-você teve mais filhos além de mim?- pergunto
-Sim, mas morreram em um acidente, tive um casal, todos da espécie da mãe, huskies, meu filho, era descendente de huskie siberiano, como a mãe... Mas infelizmente, não estão mais aqui- ele fala tristonho... Mas se juntar, mike perdeu os pais num acidente e ele perdeu os filhos num acidente... Então...
Alex é pai do mike também, significa que somos... Meio irmãos?
-Pera pera pera, calma aí, seu filho era parecido com o mike né?- ele ascente - mas vocês são tão lerdos... Herdaram de quem...-
-Como assim Pac?- mike pergunta confuso
-Você, Alex, não é apenas um Pacanhan, é um Linnyker também, ele é seu pai mike-


Notas Finais


Inhaa haaa
Estamos quase chegando a 200 favs ^-^
Se chegarmos, faço lemon dos três casais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...