História Felipe e Paulo ( GAY ) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Regra do Jogo, Verdades Secretas
Tags Gay Novelas Seriado
Visualizações 34
Palavras 430
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 29 - A verdade


Guardo meu celular e vou para o quarto, tomo banho e  visto uma roupa aviso a Nanda que vou na casa de minha mãe mais na verdade vou para o hospital, ao chegar lá não  vejo sinal dos pais de Marina quando abro a porta vejo Marina vestida com roupa de hospital em pé conversando com seus pais eu estou chocado com o que eu acabei de ouvir:

- Não aguento ficar mais nesse inferno desse hospital, enganando aqueles viados. - ela fala.

- Você vai ter que aguentar mais uma semana filha, não podemos dizer que você melhorou rápido assim. - Celia disse.

- Mais é o quê? - digo.

- O que você está fazendo aqui seu viadinho? - ela fala surpresa.

- Você não foi atropelada de verdade, foi de propósito. - digo.

- É isso ai, mas quem vai acreditar em você? - ela fala.

- Os jornais, gravei tudo no meu celular. - digo.

- O quê, pega esse celular papai e jogue pela janela. - ela ordena.

Começo a correr pelo corredor,Marcos estava atrás de mim entro no primeiro elevador que vejo e entro aperto os botões apressadamente e a porta não fecha. Quando Marcos esta se aprocximando fui salvo por uma enfermeira que atravessou na frente com uma cama, e a porta do elevador fechou ainda deu tempo de ouvir seus xingamentos contra mim. Ao descer pego o primeiro táxi que aparece e volto pra casa Nanda estava sentada no sofá comendo uma picpoca e assistindo uma série na Netflix:

- Migaaa correee babado dos fortes.-digo.

- O quê foi conta, conta, contaaaaaaaaa.-diz ele.

- Escute com seus próprios ouvidos.- mostro a gravação que fiz no hospital.

- Aquela vaca eu sabia, temos que mandar isso pra mídia.- diz Nanda.

Ela pega o celular e liga para um amigo que trabalha no rádio e que tem contatos dentro de jornais na televisão, o homem chega e Nanda lhe entrega o pen drive e ele vai embora. Quando foi de noite Paulo chega:

- Boa noite.- ele diz, quando escuto sua voz pareçe que uma paz toma conta de mim.

- Boa noite amor.- digo.

- Que dia vamos fotografar?- ele pergunta.

- Semana que vem quarta feira.- digo.

- Ah semana que vem não vou trabalhar.- ele fala.

- E depois tem desfile no outro dia.- falo.

- E depois seu aniversário, tá pensando que eu esqueci?- ele fala.

- Você lembrou.- digo.

- Vamos comemorar e nem adianta dizer que não.- ele fala.

- Sim senhor.- falo e dou um beijo nele.

Subimos para o quarto e ficamos conversando sobre o trabalho dele e sobre o ensaio fotográfico.

A semana passou voando e em fim chegou quarta feira.

Continua...


Notas Finais


Gentee desculpa por não postar nada ontem e nem no domingo e também pelo capítulo dr hoje ser curto. Entrei no cursinho pro ENEM e estou chegando tarde em casa e isso está me consumindo todo, ai tenho que ficar escrevendo na escola na hora do intervalo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...