História Feliz Aniversário! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Midoriya Izuku
Tags Dekushin, Hicchan, Hitoshi Shinsou, Izuhito, Izuku Midoriya, Midoshin
Visualizações 81
Palavras 3.188
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olááá!! Eu deveria estar escrevendo minhas outras fics, mas como não tenho vergonha nessa cara tô aqui, postando uma OneShot XD
Basicamente, estou tentando evoluir minha escrita e isso foi um teste... Porque o estou postando? Porque não faz sentido eu avaliar essas coisas sozinha!!
Pode ser que ninguém apareça pra ler e muito menos pra comentar? Pode, a possibilidade é grande!! Mas tenho fé de que ao uma flor brote nos comentários e me dê uma opinião honesta!!

A nivel de informação, nessa fic eles estão adultos!
Mais um detalhe, enfim pude fazer em uma fic o Midoriya chamar o Hitoshi de Hicchan, tô feliz pakas XD

Boa leitura a quem ler! ♡

Capítulo 1 - OneShot


Midoriya acordava cedo na manhã daquele dia especial. Admirou com um sorriso preguiçoso nos lábios Shinsou ainda adormecido a seu lado, que logo acordaria também e realizava, ainda de olhos fechados, um espreguiçar um tanto felino. Izuku achava fofo quando o namorado fazia esse ato inconscientemente, adorava o fato do homem de cabelos azuis por vezes agir indiretamente como o animal que ele mais gostava. Não demorou para aqueles olhos cansados se abrirem, revelando as brilhantes orbes arroxeadas do maior, que notando o encarar carinhoso daquele que ama deixou escapar um riso envergonhado, mas feliz.

- Hicchan, bom dia.

- ... Bom dia.

- Dormiu bem?

- Muito bem, e você?

- Bem, mas a melhor parte é acordar. Admirar você assim... Tão lindo e bagunçado... - disse notando o outro se envergonhar.

- ... Izu-kun... Antes de qualquer outro, deixe-me dizer: Feliz aniversário.

- Obrigado.

Hitoshi se acomodou na cama somente para conseguir dar um beijo rápido no namorado, que sequer teve tempo de corresponder e aproveitar mais o breve contato. Izuku queria outro beijo, um pouco mais profundo e demorado que esse, mas sabia que agora não conseguiria nada, não com a correria do dia, afinal os dois teriam de se prepararem para trabalhar em pouco tempo. Ambos se levantaram da cama e foram se arrumar, realizando seus habituais rituais matinais para não mais perderem tempo e acabarem se atrasando, o que por sorte nunca aconteceu.

Ao menos sempre conseguiam tomar o café da manhã juntos, e mesmo que alguns dias sequer lhes dessem tempo de conversar durante aquela refeição, a simples presença um do outro já mais do que bastava. Era incrível o fato de que, mesmo após tantos anos de namoro e um morando juntos, por vezes Izuku somente admirava aquele que sempre chamava em segredo de seu, não crendo na sorte que tivera há anos quando o homem de cabelos azuis aceitou o convite para saírem juntos. Óbvio que nem todos momentos eram perfeitos, haviam sim diversas brigas, desentendimentos, ciúmes, mas todas as negativas fortaleciam o laço que tinham a cada superação, a cada passo que davam juntos.

Sairam da casa e foram seguir rumos distintos, cada um indo para o local onde trabalhava. Midoriya sabia que Shinsou havia lhe comprado um presente e que somente o receberia quando voltasse para casa, então tentou ao máximo se focar nos afazeres para ver se assim o tempo passava mais rápido. Não, o bem material recebido não era seu incentivo, e sim o carinho e amor com a qual imaginava o namorado escolher, dentre muitas coisas, o que julgava ser bom para agradar o aniversariante, o simples ato de presentear quem se ama, independentemente de com o que. Claro, como era "seu dia", Izuku já até imaginava também uma comemoração especial com Hitoshi.

Terminada a jornada de trabalho do dia, Shinsou já estava em casa e aguardava ansiosamente a chegada do namorado. Ainda não havia lhe entregado o presente, não por esquecimento mas sim por querer fazê-lo sem pressa. Quando o homem de cabelos verdes chegou, o azulado prontamente o recebeu com um "seja bem vindo de volta", recebendo um "estou em casa" como resposta. Era engraçado ver que, embora tenha crescido, Izuku ainda era mais baixo que Hitoshi, mesmo que só um pouco.

- Izu-kun, como foi o seu dia?

- Cansativo, queria te ver logo. - abraçou o namorado gentilmente - É incrível, só de estar com você, meu corpo relaxa...

- Izu-kun... - percebeu o abraço ter se apertado mais, então sabia o que viria a seguir - Espere um pouco...

- O que houve, Hicchan? Não está a fim? - perguntou um pouco desanimado.

- Não, não é isso... Quero entregar seu presente de aniversário.

- E o meu presente não é você? - sorriu sapeca ao fim da pergunta.

- Não! Que tipo de presente ruim seria esse?

- Não seria ruim, seria o melhor presente do mundo.

- Izu-kun, apenas espere um pouco aqui.

Um pouco a contragosto o esverdeado desfez o abraço, mas ainda se manteve de mãos dadas com o namorado como em um pedido mudo para que ele não se afastasse, logo cedendo e o deixando ir buscar o tal presente. Hitoshi havia ido ao quarto que dividiam somente para buscar a caixa, mas foi surpreendido por Izuku chegando ao cômodo em seguida, imaginando que o menor não o deixaria sair dali até conseguir o que queria.

- Aqui, seu presente. Feliz aniversário novamente. - disse entregando a caixa ao esverdeado - Por favor, abra.

- Obrigado. - após pegar a caixa, a abriu com cuidado e de lá tirou um casaco grande e largo, verde, de zíper frontal, com capuz que continham orelhas de coelho - ... É bem fofo... - o presente escolhido foi inesperado até para Izuku.

- Você não gostou? - perguntou triste - Desculpe, mas eu achei que... Ficaria tão bem em você...

- Não, Hicchan! - se desesperou - Eu gostei, eu gostei!

- Então... Vai experimentar?

- Depende... Posso fazer um pedido egoísta? - perguntou deixando a caixa e o casaco encima da cama.

- ... Sim.

- Eu quero que você use ele hoje.

- Eu!? Mas... Porque?

- Porque você ficaria perfeito usando esse casaco... - o abraçou novamente, apertando-lhe a cintura para aproximar mais os corpos - Só o casaco. - aproveitou a aproximação para o beijar no pescoço.

- Mas... Vai ficar estranho... - disse envergonhado com a idéia.

- Por favor, deixa eu realizar essa fantasia hoje.

- "Fantasia"?

- Sim, você usando só um casaco grande e você com orelhinhas de coelho... São duas fantasias de uma vez.

- ... Tudo bem...

Desfez o abraço, recolhendo aquele casaco e o encarando brevemente. Midoriya pegou a caixa e a guardou, ficando de costas para o namorado para que ele pudesse se trocar ali mesmo e ainda assim surpreender o aniversariante. Após suspirar incerto se deveria mesmo fazer aquilo, Shinsou tirou toda a roupa que usava e vestiu somente o casaco verde, cobrindo parte da cabeça com o capuz de orelhas de coelho que ficavam abaixadas. Por ser grande, o casaco, mesmo deixando as pernas de Hitoshi bastante evidentes, cobria-lhe bem a genitália, o que o fez ficar um pouco aliviado. Suas mãos estavam quase completamente cobertas pelas mangas também, o que o fez se perguntar se havia errado na escolha de número da roupa.

- E-Estou pronto, Izu-kun...

Após ouvir o anuncio, Midoriya virou-se para ver o namorado. Shinsou com somente aquele casaco, que lhe cobria e lhe exibia ao mesmo tempo, usando o capuz que tinham orelhas de coelho, e ainda por cima com as bochechas lindamente coradas foram motivos mais do que suficientes para o aniversariante começar a sentir incômodo o fato de ainda estar de calças, sentindo-as apertadas em uma parte em especial. Por instinto, em uma tentativa de aliviar um pouco a pressão do tecido naquela área, Izuku direcionou a própria mão à genitália ainda coberta, apertando-a com um pouco de força. Hitoshi corou ainda mais com o que viu, pois além do olhar carregado de desejo direcionado a si, notou claramente o quão duro o namorado já estava.

- ... Fiquei... Bem?

- Perfeito.

Prontamente, Midoriya abraçou Shinsou e começou a o beijar nos lábios com volúpia, desejo e, principalmente, com amor. Enquanto dominava toda aquela boca já conhecida, sentia o azulado tentar a todo instante lhe tirar a roupa, então o ajudou a realizar a tarefa, separando o contato dos lábios somente quando precisou tirar a camisa. Hitoshi, mesmo sendo uma pessoa bastante tímida, com o passar dos anos aprendeu a ser mais "solto" na presença do namorado, permitindo-se se deixar levar quando dominado pela vontade de ser possuído por aquele que ama.

Foi difícil e até bastante desengonçado, mas Izuku agora estava completamente sem roupa, ainda beijando o namorado, mas agora no pescoço, já abrindo-lhe o zíper do casaco para lhe exibir mais o belo corpo. Quando conseguiu deixar a peça completamente aberta, Midoriya tratou de o abraçar com força, levantando um pouco aquele casaco e apertando com gosto a carne da bunda do maior, ouvindo-o gemer baixo em surpresa e ansiedade. Sabia que o azulado já queria e muito começar a fazer amor, Midoriya também o queria, mas achava tão divertido levá-lo ao extremo do desejo e vê-lo perder por completo a vergonha que se esforçava para adiar o grande momento.

Surpreendentemente, foi Hitoshi que deitou-se na cama guiando o namorado para se deitar sobre si. Já ficando com as pernas entreabertas e fazendo o menor se encaixar ali, só restando ao maior ser penetrado por ele, mordendo o lábio inferior enquanto aguentava o desejo de ser mais uma vez feito dele. Izuku sorria descaradamente e, agora fazendo alguns chupões no pescoço do namorado deixando algumas marcas arroxeadas por aquela área, fez em seguida uma trilha de beijos, descendo sem pressa pelo corpo do maior, aproveitando para dar pequenas mordidas naquele pele branca que tanto amava. Quis aproveitar e se demorar naquele peitoral, explorando com a boca e a língua todo o tórax de Hitoshi, sempre atento às reações e feições que ele fazia pelos toques recebidos.

Para Izuku era tão perfeito ver aquela mesclagem de timidez e luxúria no olhar do amado, ouvir os profundos suspiros que escapavam daqueles lábios, sentir os puxões de cabelo que o azulado lhe dava. Adorava beijar cada canto daquele corpo, mas amava ainda mais beijar aqueles lábios, e era isso que desejava e faria agora, mesmo que significasse ter que adiar a carícia que ansiava realizar no maior. Afastando a boca daquele peitoral, Midoriya ergueu-se um pouco para aproximar a face à de Shinsou, olhando profundamente as órbes arroxeadas e brilhantes em desejo do namorado.

- Hicchan... Eu te amo. Tanto.

- Izu-kun... Eu também... Te amo.

Midoriya fez contato com aqueles lábios, iniciando mais um beijo, esse a cada instante mais voluptuoso e dominador. Queria estar logo dentro de Shinsou, queria fazê-lo mais uma vez seu por completo, tanto que sentia a própria ereção pulsar levemente em ansiedade e até doer um pouco, tamanho desejo sentia de iniciar o ato, mas não podia ainda, tinha que preparar o maior para recebê-lo mesmo que o corpo de Hitoshi já estivesse acostumado a fazer amo com Izuku. Não queria se arriscar a machucar o namorado.

Encerrou o beijo depositando um selar nos lábios do azulado, sentindo que ele queria ser beijado ainda mais, sorrindo ao constatar esse fato. Prontamente desceu pelo corpo do maior enquanto lambuzava três dedos de uma das mãos com a própria saliva, recebendo um sorriso tímido e ansioso como resposta de Shinsou que ao mesmo tempo entreabria ainda mais as pernas e acomodava melhor os quadris na cama. Midoriya não mais se adiaria, colocando um dos dedos na entrada do namorado e já começando a o mover com vontade ali, não tardando a acrescentar o segundo dígito também. Hitoshi se contorceu um pouco com a última ação, deixando transparecer um pouco de desconforto, ainda que muito ameno.

Izuku, para ajudar o maior a relaxar mais, começou a lhe lamber o membro ereto, iniciando um sexo oral sem pressa que o faria gemer cada vez mais intensamente. Pela vontade louca de o possuir, enquanto chupava e lambia aquela carne de Hitoshi, se masturbava com a mão livre para aliviar ao menos um pouco a dor que sentia no próprio sexo, e Shinsou não deixaria esse fato passar despercebido. Enquanto rebolava levemente os quadris para aprofundar os dois estímulos recebidos, sentiu o menor enfim o invadir com o terceiro dígito para lhe alargar mais a entrada e diminuir qualquer incômodo para quando começassem o ato.

- Izu-kun... Por favor...

- Hicchan... - começou a o provocar entre as lambidas que realizava no sexo do namorado - O que quer que eu faça?

- Rápido...

- O que? Diga pra mim...

- ... Dentro... Quero você dentro... De mim...

Sabia que Hitoshi estava pronto para o receber, e não mais o deixaria esperando. Izuku se acomodou na cama, posicionando-se entre as pernas do namorado, notando que o mesmo já abaixava um pouco os quadris para ser logo penetrado, então apenas segurou com firmeza o próprio membro para que Hitoshi fizesse, no próprio ritmo, os corpos se conectarem. Shinsou suspirou profundamente quando finalmente sentiu-se ser invadido, apreciando a sensação tão aguardada e, em um breve momento de timidez, mesmo na situação em que estavam, repousou uma das mãos à própria bochecha corada, chamando a atenção discretamente para os próprios lábios.

Midoriya notou o que o azulado queria, então abaixou o tronco para colar o próprio peito ao dele, beijando-o mais uma vez, já aproveitando para começar a deslizar com calma para fora e depois para dentro de Shinsou, iniciando sem muita força somente para o atiçar ainda mais. Queria ser capaz de o provocar até o ponto que implorasse por mais, porém aquilo já estava sendo torturante até para Izuku, principalmente por ter o maior lhe realizando duas de suas maiores fantasias ao mesmo tempo e, mesmo após todos os anos juntos, o ver sempre com o lado tímido tão evidente que o fazia sentir "corromper" o azulado todas as vezes que faziam amor.

Apoiando-se nos próprios joelhos e sentando-se na cama, Izuku ergueu o quadril de Hitoshi para o acomodar melhor, segurando com firmeza a cintura do maior. Começou a estocá-lo com força, mesmo que ainda lentamente, mas indo ainda mais fundo no interior do azulado, agraciado com o contorcer de seu corpo e os suspiros que liberava timidamente com a face corada. Para Midoriya, o único problema era que Shinsou as vezes continha alguns gemidos mais altos pressionando com força as costas de uma das mãos contra a boca, porém isso provava que havia atingido o ponto certo em seu interior, e agora se focaria em o atingir sempre ali.

- ... Mais rápido...

Assim Izuku fez, intensificando as estocadas, indo mais rápido e com mais vigor contra aquele ponto sensível de Hitoshi. O maior, pelo excesso de estímulo dentro de si, não mais conseguia conter os gemidos cada vez mais altos que liberava e isso atiçava o esverdeado cada vez mais, fazendo-o começar a beijar novamente a pele pálida daquele pescoço já marcado em roxo pelas carícias de mais cedo. O azulado abraçou o menor com força, arranhando as costas do namorado pelo desespero em que fazia a ação devido as fortes estocadas que recebia.

Isso somente serviu para Midoriya aumentar o vigor da invasão que fazia em Shinsou, e isso foi o bastante para fazer o maior atingir o clímax, ejaculando entre os corpos que ainda se moviam pelas estocadas do esverdeado. Adorou fazê-lo atingir o orgasmo, mas precisava de mais para se satifazer, então o ajudaria a mudar de posição assim que saiu de dentro do amado. Virou-se na cama, ficando agora deitado de barriga para cima, acomodando o maior em seguida, deixando-o sentado em seu colo de costas para si. Daquele modo, Hitoshi poderia guiar o ato como bem quisesse e na intensidade que bem entendesse. O maior corou bruscamente quando percebeu que teria de fazer praticamente tudo a partir de agora.

- ... Izu-kun... Essa posição?

- Quero poder me ver entrando em você...

- ... É constrangedor...

- Hicchan, estamos fazendo coisas constrangedoras aqui. Deixa eu te ajudar a começar...

Segurou com certa firmeza os quadris do namorado, erguendo-o um pouco e, em seguida, tornando a penetrá-lo, ouvindo-o suspirar pela ação. Aproveitou que estava com as mãos ali para puxar-lhe o grande casaco levemente para cima, podendo assim ter uma visão privilegiada da invasão que fizera em Hitoshi, deixando-o ainda mais envergonhado por sentir a empolgação com a qual o esverdeado realizou aquela simples ação. Não queria mais atrasar o reinício do ato, ou melhor, não conseguiria, então induziu o maior a erguer os quadris devagar, fazendo-o descê-los com força em seguida, ouvindo o satisfatório som do choque dos corpos. Continuou a repetir esses movimentos no mesmo ritmo, apenas até que Shinsou se sentisse confortável o bastante para começar a agir por si mesmo.

Para Izuku, era uma vista enlouquecedora a de estocar o namorado, podendo admirar-lhe as medidas generosas dos quadris e ver-se se enterrar ali. Olhando para cima, somente via o grande casaco que Hitoshi usava, detalhe que dava um ar inocente ao azulado e quase fazia o menor acreditar estar diante de um Shinsou adolescente mais uma vez, usando peças de roupas mais fofas que em nada combinariam com um adulto. Era desagradável não conseguir ver o rosto de satisfação e excitação do maior, mas gostava da atmosfera jovial que havia ficado no ar, e agora conseguia ver melhor as orelhas de coelho na cabeça do namorado. Não conseguiu se segurar, não mais, então desferiu um tapa forte contra os quadris do homem acima de si.

- Izu-kun! - se assustou com aquilo.

- Desculpa, Hicchan... Não resisti...

Acontece que aquela atitude um tanto agressiva era o que faltava para Shinsou começar a agir. Sentia o corpo deveras quente e suava demais, tanto pelas roupas que vestia quanto pelo "exercício" que as pernas realizavam, mas não queria interromper a realização das duas fantasias do namorado, então talvez não fosse de todo ruim se mantivesse somente uma delas ainda ativa. Abaixou o capuz, deslizando levemente o casaco para permitir que a pele respirasse ao menos um pouco, deixando agora os ombros e parte das costas visíveis para Midoriya, que pareceu adorar da nova visão que tinha.

Izuku segurou com ainda mais força Hitoshi, movendo o próprio quadril de encontro ao do azulado, fazendo-o em um primeiro momento se assustar, liberando suspiros surpresos e gemidos cada vez mais altos e constantes. Para a felicidade do aniversariante, o maior também começou a mover os quadris com vigor, tornando o ato mais profundo e prazeroso para o casal. As mãos de Shinsou, que antes tinham como ponto de apoio as coxas do namorado, agora faziam pressão contra o peito de Midoriya, pendendo a cabeça para trás em busca de melhorar minimamente a respiração já descompasada que deixava seus lábios cada vez mais secos.

Com ambos se movendo um de encontro ao outro, chamando com insistência por aquele com quem faziam amor entre os suspiros pesados, agraciados com os constantes elogios ao desempenho um do outro - embora Hitoshi o fizesse com menor frequência - e a demostração física, embora simples, do sentimento mútuo que compartilhavam Shinsou se sentia próximo, mais uma vez, do ápice. O menor só precisava de mais um pouco para também se sentir completamente satisfeito, até porque o apertar da entrada do namorado contra seu membro o estava estimulando o bastante para isso. Mais algumas estocadas e Izuku atingiria o orgasmo, gozando no interior de quem ama e preenchendo-o por completo. Hitoshi também atingiria o orgasmo, o segundo daquele mesmo dia, sentindo-se agora satisfeito por ter realizado o desejo do namorado namorado naquela data tão especial.

Permitiu-se pesar o corpo contra o do esverdeado, sentindo-se tão ou mais exausto que ele, sendo prontamente abraçado pelo aniversariante com felicidade e amor. Izuku saiu de dentro do namorado, agora o ajudando a se acomodar na cama para que pudessem se recuperar do ato de agora a pouco e, ao mesmo tempo, se abraçarem mutuamente. O menor aproveitou para finalmente poder tornar a beijar os lábios do namorado, porém dessa vez com calma e carinhosamente, enquanto lhe afagava gentilmente os cabelos bagunçados.

- Hicchan... Isso foi intenso... Você é ótimo...

- ... Izu-kun... Eu te amo...

- Eu também te amo... Obrigado pelo presente de aniversário maravilhoso e inesquecível.


Notas Finais


Obrigada a todos que leram!!
Se encontrarem erros, por favor, me avisem!
E por favor, podem ser honestos comigo nos comentários!! Quero muito melhorar!
Bjus e abraços.
Bye Bye ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...