História Feliz Natal, Lápis Lazuli - Gem's Holiday - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Tags Lápis-lazuli, Natal, Peridot, Steven Universe
Exibições 15
Palavras 1.060
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mesmo que eu já tenha feito outras fanfics, essa é a primeira que eu posto. Nem sabia o que raios colocar como gênero da história, mas acho que "festa" era o que mais se encaixa com "Natal". A ideia original era de ser uma one-shot, mas resolvi dividir em dois capítulos, para facilitar a escrita. O próximo vai ser postado mais perto do Natal.
Me desejem boa sorte.

Capítulo 1 - Bolinhas D'Água


A porta do galpão abriu-se repentinamente, e um garoto comum gorro vermelho com pompom entrou.

- Oi, Peridot! Oi, Lápis! Meu pai e as gems foram comprar a ceia e me deixaram aqui mais cedo. - Sorriu Steven - Então, quem está pronto pra organizar a árvore? .

Peridot estalou os dedos no ar, como se lembrasse de algo, e saiu correndo. Voltou com uma caixa de papelão pesada nos braços. Bolinhas coloridas caíram no chão enquanto ela caminhava.

- Aqui tem aqueles enfeites que você deixou com a gente ontem, e as luzinhas estão na caixinha bem ali, e a estrela, unh... - coçou o queixo. - Steven, teria problema se eu recortasse sua camiseta?

Lapis Lazuli pausou o DVD que estava assistindo e virou-se para eles.

- Me desculpa, o que é que vocês estão planejando?

- O Steven não te falou? - Peridot pulou em seu lugar, entusiasmada - É o Natal, Lápis!

Lápis franziu a sobrancelha.

- Natal é um feriado que a gente se reúne pra celebrar a alegria e o amor, com quem é importante pra gente. - explicou Steven, desembrulhando as luzinhas. - e a gente decora um pinheiro e coloca presentes de baixo dele.

- Então é igual ao dia de Ação de Graças, aniversários e todos aquelas outras coisas que acontecem quase mensalmente?

- Não é tudo igual, Lápis. – Respondeu o garoto. – No Natal, a gente comemora o nascimento de Jesus, meio que salvou o mundo e...

- Ele era como uma Diamond de vocês? – Interrompeu Lápis. – Tipo, um líder supremo da Terra?

- Na verdade, ele marcou a história guiando as pessoas para...

- Então ele comandou alguma grande revolução? – Peridot parecia mais interessada. – Com espadas e matando os inimigos que maltratavam o povo?

- Ele não matava ninguém. – Steven sentou-se. – Ele tentava mudar as pessoas com boas ações e convencia-as a também fazerem o bem. E acreditava em segundas chances. É por isso que a gente comemora o Natal, sendo ou não religiosos.

- Parece um pouco o que você tenta fazer, Steven. – Lápis disse.

Um momento de silêncio se seguiu. Subitamente Peridot saiu correndo até o pinheiro, para estragar todo o clima.

- E eu vou decorar minha árvore melhor que você, Lápis! - Peridot sorriu desafiadoramente.

- Peri, o Natal não é sobre competir. - Steven levantou-se e entregou uma bolinha à ela - É sobre compartilhar.

- Unh, entendi... - Peridot refletiu. - Isso quer dizer que nós três juntos vamos fazer um pinheiro melhor que a Pearl, a Amethist e a Garnet!

- Não foi isso que eu quis dizer. - Steven riu, enrolando as luzinhas na árvore. Depois, se virou para Lazuli. - Então, quer nos ajudar, Lápis?

Ela não respondeu, só encarou a árvore como se não soubesse o que fazer.

- É simples - disse Steven. - você pega uma bolinha, assim, e aí pendura num dos galhos do pinheiro. - ele demostrou.

Peridot entregou uma bola à Lápis. Ela colocou-a na árvore sem muito entusiasmo.

- É isso? – Ela perguntou. Steven acenou positivamente. - E pra que serve?

O garoto ficou em silêncio por alguns segundos.

- Anh... Acho que só pra enfeitar mesmo.

- Entendi. - Lápis sorriu com o canto da boca, algo um tanto inesperado.

Ela se dirigiu até um aquário num canto do galpão, e ergueu as mãos. A água flutuou em esferas perfeitas até a árvore, e cada bolinha pendurou-se num galho.

- Woooow - Peridot ficou de queijo caído.

- Anh... Como a gente vai ligar as luzinhas agora? - Steven olhou dos pisca-piscas para a tomada, ainda desligada, como se previsse um incêndio.

Peridot agitou-o pelos ombros.

- Danem-se as luzinhas, nós temos bolinhas d’água, Steven!

Ela ajoelhou-se ao lado do pinheiro e ficou encarando uma bola em que um peixinho dourado nadava de um lado para o outro. Atravessou o dedo lentamente como se fosse a coisa mais interessante do mundo.

- Como você faz essas coisas legais, Lápis? – Ficou observando o peixinho contornar seu dedo verde. Ela tentou agarrá-lo em vão. – Eu nunca iria conseguir fazer algo tão legal com metal. – Ela balançou a mão por outra bolinha, tentando desfazê-la, mas a água voltou à posição original. – Porque os meus poderes não são tão legais quanto os seus? – Ela se virou para Lápis. – Você até voa!

Lápis abriu a boca para responder alguma coisa, mas foi interrompida por alguém batendo à porta.

- Ho, ho, ho – Alguém de roupa vermelha entrou. – Feliz Natal!

Pearl estava com um gorro natalino e botas grandes de mais, além de um grande saco de presentes nas costas. Ela tinha colocado enchimento na barriga, o que a tirava do patamar “extremamente magra” para apenas “magra demais”. A intenção era boa, mas ainda assim, parecia uma cena estranhamente clássica do Tim Burton.

- Eu trouxe present...

- Ahhhh! – Lápis se encolheu num canto. – Por favor, não me machuque, eu sou muito nova pra morrer!

Pearl se virou para Garnet, que entrava carregando Garnet, pratos e a comida, que eles tinham preparado em casa.

- Não tá tão ruim assim, não é? – Ela perguntou emburrada.

Garnet só assentiu com a cabeça. Peridot se ajoelhou do lado de Lápis.

- Não precisa ter medo é só a Pearl... Eu acho.

- Pearl Noel, você quis dizer. – Respondeu Pearl. Noel.

- Isso é algum tipo de fusão com um Steven-Melancia e um pote de tinta vermelha...? – Lápis estranhou.

- O Papai Noel é uma tradição natalina - Pearl projetou uma imagem natalina de um velho num treno voador, para exemplificar. – É um velhinho bondoso que traz presentes para as crianças na noite de Natal. Menos para as mal comportadas. – Ela olhou descaradamente para Amethyst, que comia alguma coisa com as mãos.

- Ei! – Amethyst cruzou os braços, deixando farelos caírem no chão enquanto falava. – Você prometeu que iria me dar um presente dessa vez, sua...

- Só se você não devorar a sobremesa inteira sozinha.

- Mas você nem come pavê! – Argumentou Amy, a criança mal-criada.

- Alguém falou em pavê? -Greg, que colocava os talheres na mesa, se virou.

Todos reviraram os olhos.

- Nós já conhecemos essa piadinha estúpida, Sr.Universe. – Bufou Pealr. – Bom, acho que é hora de preparar a ceia e... – Ela olhou com desgosto para a mesa. – Que é uma forma delicada de falar comida. – Sussurrou. – Erg.

 


Notas Finais


Além da de Natal e Ano Novo (Que vai se passar pouco depois da Peridot ficar trancada na Terra, ou seja, um ano antes), também vai ter especial de Carnaval, Páscoa, Dia das Mães (muito chorante), Dia dos Pais, Independência (talvez, mas não tenho muito o que escrever) e Halloween (embora já tenha um episódio de Halloween em SU). Se quiserem colocar suas sugestões de outros feriados, podem enviar.
P.S: Espero que vocês tenham captado a referência clara à "A Nightmare Before Christmas" na parte da Pearl Noel. Eu cheguei a citar o Tim Burton, não tem como não lembrar do Jack Esqueleto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...