História Fenômenos Paranormais - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Jvtista, Mitw
Exibições 66
Palavras 2.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Primeira exploração


Pov Narrador 

As 3 em ponto da madrugada todos os seis amigos já se encontravam juntos no corredor de seus quartos, todos tinham suas câmeras e lanternas em mãos e olham para os lados sempre que ouviam algum barulho estranho.

-Ahm...Eu, Felipe e João vamos explorar aquele corredor -Lauren aponta para o corredor atrás de todos, eles ainda se encontravam no segundo andar e era este andar da primeira exploração do grupo de amigos. 

-Eu, Vero e Diego por aquele então -Tarik aponta para outro corredor, todos acenam com a cabeça novamente e ligam suas câmeras e os dois mais velhos a go pro que tinham presa na cabeça, com ajuda de um suporte  -Vamos logo -Diz e começa a andar em direção ao corredor 

os grupos se separam e foram para o local que deveriam, todos estavam com medo, mesmo alguns não admitindo estar. 

-------------

-Cada um entra em um quarto ou vamos todos juntos? -Lauren pergunta enquanto se virava para os dois amigos que olhavam tudo com cuidado, em uma das mãos tinham a câmera e em outra tinham a lanterna 

-Melhor irmos juntos, mas se formos separados podemos acabar com isso rápido -João diz enquanto apontava a luz da sua lanterna para um canto escuro do corredor, e só conseguiu ver um quadro quebrado e jogado no chão. 

-Então....Felipe naquele, João naquele e eu entro neste -A menina de olhos verdes diz enquanto apontava para os quartos que cada um iria entrar, o que logo todos fizeram e se encontravam dentro dos mesmos 

Lauren apontava a luz da sua lanterna para todos os cantos daquele quarto, ela não iria admitir isso para os outros, mas aquele local a noite estava a dando calafrios e a mesma queria ir embora o mais rápido possível de lá, mas tinha que se fazer de forte na frente dos outros, como sempre... 

Um barulho alto de algo caindo atrás da garota foi soado, o que fez a mesma olhar atrás da mesma, a sua mão que tinha a lanterna tremia levemente, o que fazia a iluminação ficar péssima para a mesma. A morena fechou fortemente seus olhos e mordeu o lábio e começou a repetir pra si mesmo "Fantasmas não existem, Lauren Michelle Vives, pare de ser cagona, deve ter sido um gatinho" 

Já com Felipe no quarto ao lado não era a mesma coisa, o mesmo estava realmente com medo e nem seus pensamentos o acalmavam, já que o mesmo vivia falando "PUTA MERDA, PASSOU ALGO NA MINHA PERNA. ME DIGA QUE NADA CAIU AQUI. SOCORRO" 

-Okay....Eu não estou com medo, eu tenho 20 anos e estou parecendo uma criança quando vê o seu primeiro filme de terror -Dizia para a câmera que filmava seu rosto com um pouco de dificuldade, já que as mãos do loiro tremiam mais a cada barulho diferente. 

Um barulho alto vindo do quarto ao lado o fez pular do lugar que estava, o que fez que a câmera quase caísse da sua mão, mas o mesmo acabou segurando a mesma com um pouco de força a mais. 

-Eu acabei de ouvir um barulho muito alto vindo do quarto que o João entrou, eu espero que não tenha acontecido nada com ele -Ele diz olhando para os lados, o mesmo mordia muito o lábio em sinal de nervosismo e medo -Eu iria até ver se aconteceu algo, mas eu simplesmente não consigo me mover daqui -Olha atentamente para a câmera em sua mão e solta um longo suspiro 

João havia derrubado algo no chão, por isso o barulho alto, quando o mesmo estava pegando a pequena iluminaria do chão uma sombra alta e escura se formou atrás do mesmo, como o garoto de olhos castanhos estava mais concentrado em colocar no local a iluminaria o mesmo acabou nem reparando no espirito atrás de si, mas quando olhou para a pequena telinha da câmera e viu a coisa o olhando totalmente serio, ele sentiu todos os seus pelos arrepiarem. Ele queria gritar, mas nada saía da sua boca, então ele simplesmente viu a coisa se aproximar lentamente do mesmo.

------------

Os outros três amigos andavam tranquilamente, conversavam sobre coisas aleatórias para esquecer aquele medo que todos tinham consigo, eles não tinham nem um pouco de ideia do que estava acontecendo com seus amigos naquele mesmo momento. 

Depois que saíram de mais um dos diversos quartos os mesmos voltaram a caminhar pelo corredor, sempre apontando para as diversas pinturas que tinha nas paredes, algumas eram ate que bonitas, já outras chegavam a dar mais medo que os jovens estavam sentindo naquele momento. 

-Amanhã já vamos passar pro terceiro andar, certo? -Vero pergunta enquanto olhava para o mais velho dos três que somente acenou com a cabeça 

-Amanhã já vamos ir para a parte dos escritórios, salas de reunião, o local onde faziam as lobotomias, ala infantil e outras coisas...Eu acho -Tarik diz e a garota acena com a cabeça, soltando um suspiro em seguida 

-G....Gente? -Diego finalmente abre a boca depois de muito tempo em que estava calado e só escutava os amigos conversando 

-Diga -Vero 

-Eu acho que tem alguém atrás de nós -Diz calmamente, o mesmo não queria virar a telinha da sua câmera por estar com medo. Tarik vira a telinha da sua câmera lentamente e quando pode ver o que tinha atrás dos três o mesmo sentiu tudo a sua volta cair, uma pessoa com a pele um pouco morena, cabelos negros, olhos de grau redondos, dentes perfeitamente alinhados em um sorriso perturbador e os olhos....Os olhos simplesmente não existiam, era totalmente negro o local que tinha os olhos. 

O garoto de olhos castanhos se vira lentamente na direção que a coisa estava e a luz da sua lanterna acaba iluminando a pessoa que agora estava parada e encarava o menino que tinha os olhos arregalados e a boca aberta, mas o mesmo pode reparar que a pessoas vestia um terno vermelho um pouco colado no corpo e um sapato perfeitamente limpo....Mas o mesmo não tinha tempo de ficar reparando naquela coisa, já que aquilo começou a andar em direção aos três amigos lentamente. 

-Eu acabei de ter certeza disso -Diz pausadamente, ele não sentia suas pernas naquele momento, mas teria que criar forças para fazer o próximo ato -CORREM E ENTREM EM ALGUM QUARTO -Grita e os três amigos começam a correr na escuridão, eles não estavam nem um pouco preocupados em iluminar o caminho, só queriam entrar em algum quarto e esperarem aquilo ir embora. 

Enquanto os três amigos corriam desesperadamente a coisa andava em passos lentos e sempre com as mãos atrás das costas, algumas vezes o mesmo arrumava seu paletó vermelho. Mas, mesmo em passos lentos a coisa sempre estava perto dos três amigos, os causando mais medo a cada segundo que se viravam para trás.  

x.x 

Pov Tarik 

Abro meus olhos lentamente, mas logo os fecho por causa da luz que entrava pela janela, minha cabeça parecia que ia explodir a qualquer momento, os acontecimentos da noite passada ainda rodavam em minha mente, minhas mãos tremiam a cada lembrança daquela noite....Eu queria minha casa naquele momento, mas eu não poderia sair daqui até terminar o que vim fazer, não posso. 

Abro meus olhos novamente e vejo que não estava no meu quarto, olho em volta e vejo a go pro, minha câmera e minha lanterna jogadas no chão, mas quando fui esticar meu braço direito pra pegar as coisas acabei vendo a manga da minha blusa de frio branca suja de um líquido vermelho, fecho os olhos e começo a negar com a cabeça, não era o que eu estava pensando que era, por favor. Chego o braço perto do nariz e logo o cheiro metálico de sangue invade minhas narinas, largo a lanterna de lado e subo a manga da minha blusa lentamente, até que a a palavra "Vá embora :)" aparecessem por completo no meu braço, o mesmo doía a cada movimento que eu fazia e a primeira coisa que fiz foi colocar meu braço no meu peito e com a outra mão pego as coisas e guardo no meu bolso, olho a câmera e vejo que a mesma ainda tinha bateria e gravava. 

-Eu acabei de acordar, minha cabeça dói muito e meu braço também -Me levanto com um pouco de dificuldade do chão, olho em volta e começo a tentar a abrir a porta com a ajuda do meu cotovelo, coloco minha cabeça no corredor e não vejo nada, nem sombra de Diego e Vero, só tinha a presença do silencio, o que não me incomodou muito, começo a andar lentamente pelo corredor enquanto olhava para a câmera -Eu me lembro que na noite passada eu, Vero e Diego acabamos nos separando quando fugíamos da coisa atrás de nós, eu estava com tanto medo naquele momento, eu não sei explicar, era um medo que eu nunca senti na minha vida, era pior que quando tu vê exorcismo sozinho -Digo enquanto andava pelos corredores -Acho que vou passar no meu quarto e pegar algo para comer, estou com fome, não comi nada desde que cheguei neste local -Me sinto vigiado a todo momento e isso não é nada legal -Digo quando finalmente entrei no meu quarto -Vou comer algo e tentar encontrar os outros, e colocar as duas câmeras para carregar pra hoje a noite 

Pov Felipe 

Diego e eu andávamos tranquilamente pelo gigantesco jardim do manicômio, as gramas deste local estava grandes e acabavam incomodando um pouco, mas Diego conversava animadamente comigo enquanto chutava algumas gramas, o mesmo sorria abertamente enquanto me contava sobre o que aconteceu ontem a noite, até que o mesmo parou de andar e ficou serio 

-Aconteceu alguma coisa? -Toco em seu ombro e arrumo a câmera na minha mão, sim, teríamos que gravar tudo o que acontece, mesmo não sendo de dia, e de uma forma estranha eu me sentia um pouco protegido com isso 

-Não...Só me lembrei do momento em que eu vi aquela coisa perto de mim, aqueles olhos negros não saem da minha mente, eu senti tanto medo naquele momento -Fala baixinho e encolhe os ombros, levanto seu rosto com meu indicador e o ofereço um longo sorriso, o que o mesmo logo retribuiu e voltamos a andar pelo local 

-O que vai fazer depois que se formar? -Pergunto, isso era uma forma de distrair o mesmo daquele pesadelo que passou na noite passada

-Acho que vou voltar pro Texas e procurar algum emprego por lá ou vou continuar por aqui mesmo, eu ainda não sei -Deu de ombros e coloca as mãos dentro dos bolsos da frente de sua calça -E você? 

-Acho que vou fazer um mochilão pela America do Sul, sabe, ir pro Brasil, Argentina, Peru, estes países -Digo olhando para o céu distraidamente. 

-Sempre que fazer um mochilão, mas pelo Leste Euro...PUTA QUE PARIU -Grita enquanto pula no meu colo, com um pouco de dificuldade eu consigo o segurar com um dos braços e o mesmo esconde o rosto na curva do meu pescoço 

-O que foi isso? -Pergunto parado no meu lugar e olhando o mesmo encolhido no meu corpo e negando com a cabeça 

-Vi um gato preto -Sua voz sai abafada por estar com o rosto no meu pescoço, reviro os olhos quando o mesmo me olha com aqueles olhos azuis brilhando e um bico nos lábios -Já disse que você é fofo? -Sorri abertamente pra mim e faço o mesmo, mas logo fecho o rosto 

-Já disse que esta pesado? -Pergunto e o mesmo rapidamente sai do meu colo, mas me abraça de lado e entrelaço nossas mãos e olho para trás, vendo o gato preto nos olhando enquanto lambia sua patinha e estava sentado em um antigo banco de madeira. 

-Vamos entrar? Te faço um belo sanduíche -Diego começa a fazer um leve carinho na minha mão enquanto pegava a minha câmera e se olhava pela telinha da mesma 

-Claro -Sorri com o lábio inferior entre os dentes e começamos a fazer o nosso caminho para a entrada mais perto. 

Meus olhos simplesmente não saíam daquele gato que nos olhava a cada passo e sempre estava lambendo a sua patinha e sentado naquele banco...


Notas Finais


All The Love x
#LoveOnly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...