História Fenômenos Paranormais - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Jvtista, Mitw
Exibições 64
Palavras 2.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Terceira Exploração...Ou não


Pov Tarik Pacagnan 

-Da onde esta vindo estes gritos? -Vero pergunta quando já estávamos no corredor a caminho a sala de lobotomia 

-Eu não s....-Minha fala foi interrompida por um grito fino de "AJUDA" -Foi a Lauren -Me viro pra trás e começo a andar em passos rápidos na direção da sala de descanso 

-Na onde estamos indo? -Diego pergunta totalmente perdido 

-Na sala de descanso, os três estão em perigo -Digo quando caminhava mais rápido que os dois. 

Em poucos segundos chegamos na sala de descanso e os gritos haviam parado, mas assim que encostei no vidro da porta um grito foi ouvido, um grito de dor e angustia, tento abrir a porta diversas vezes e nada, ela estava trancada 

-Precisamos tirar eles dali -Digo passando a mão livre nos cabelos. 

Eu não tinha nenhuma ideia do que estava acontecendo naquele local, só sabia que a cada grito que saía daquele local meu coração doía mais e mais....Eu prometi proteger eles, eu prometi que não iria acontecer nada com eles, eu não consegui cumprir a minha promessa, eu sou uma merda como líder de um grupo. 

-Eu tenho uma ideia -Vero diz enquanto tirava os olhos da câmera e me olhando, seus olhos não tinham mais o brilho de sempre e isso era uma merda, seus olhos castanhos eram tão lindos com aquele brilho 

-Qual? -Diego pergunta virando a cabeça pra ela, mas encolhendo o ombro e fazendo careta quando mais um grito foi ouvido 

-Peguem aquele extintor velho e tentem quebrar aquele vidro da porta, vamos ter uma vista de lá dentro pelo menos -Deu de ombros e morde o lábio inferior 

-Boa ideia -Falo e entrego minha lanterna pra ela, que iluminou a porta, pego o extintor e quando fui bater no vidro um corpo foi jogado com tudo na porta, o que me fez engolir em seco 

-Era o corpo da Laur...-Diego diz a um fio e encolhe mais o corpo

-Vamos logo com isso -Digo e começo a bater o extintor no vidro da porta com toda a força que eu tinha no momento, o que não deu em nada, já que nem um arranhado o vidro teve. Joguei o extintor longe e solto uma lufada de ar 

Depois de mais dois minutos de tortura, pelo menos pra mim, a porta foi aberta com uma força sobrenatural e os três corpos foram praticamente jogados pra fora. Nenhum dos três falavam algo, todos choravam baixinho e tremiam enquanto estavam encolhidos em si mesmo, me levanto do chão e Lauren se joga no meu corpo, ela tremia e soluçava baixo. 

-Vamos levar eles pro nosso quarto -Digo para os outros dois e eles somente acenam com a cabeça, nessa altura Vero já havia parado de gravar e somente abraçava o corpo de João com força enquanto andava.  

x.x 

Eu já estava no meu quarto, Lauren estava sentada na minha cama e ainda chorava e passava a mão pelo ombro, que eu chutaria ser o que bateu na porta na hora que foi jogada contra ela. Estava colocando duas lanternas ligadas em cantos do meu quarto, a pedido da garota. 

Voltei a minha cama e estiquei minhas mãos para a garota, que as pegou e se levantou, seus olhos verdes não tinham o mesmo brilho e agora eles transbordavam medo, angustia e dor. Passo minha mão pelo seu rosto e coloca uma mecha de seu cabelo atrás da orelha, sorrio fraco para a mesma e dou um beijo em sua bochecha. 

-Tire a jaqueta e os sapatos, pode deixar eles ali no cantinho -Digo baixinho e a mesma acena com a cabeça enquanto tirava sua jaqueta de couro e a jogava em algum canto, logo fazendo a mesma coisa com os sapatos -Quer comer alguma coisa ou beber água? -Pergunto e ela nega com a cabeça, solto um suspiro e vejo a mesma se deitar na minha cama e se encolher nela 

-Só...Só deite aqui comigo -Sua voz sai tremula e eu engulo seco novamente, ando até a minha cama e tiro meus sapatos com ajuda dos meus pés e me deitei de frente para a mesma. Seus olhos me encaravam com curiosidade e ela mordia o lábio inferior, passo a ponta do indicador em sua bochecha e vejo a mesma soltar um gemido de dor quando passo em um corte na sua bochecha. 

-Desculpas...-Sussurro quando ainda passava a ponta do dedo por seu rosto, mas agora por suas perfeitas sobrancelhas e tirando alguns cabelos que grudavam em sua testa 

-Pelo que? -Ela fecha os olhos e encosta sua cabeça na minha mão, aproveitando melhor o carinho que ganhava 

-Por não ter te protegido como prometi, por não estar lá na hora -Digo enquanto sorrio fraquinho, ela sorri fraquinho e eu pude sentir meu coração errar uma batida quando vi seus dentinhos maiores que o normal, mas que eu amava.

-Não tem problema, agora você esta aqui -Diz e se arrasta até colocar o rosto na curva do meu pescoço e passar os finos braços pela a minha cintura, coloco uma perna em cima das suas e a começo a balançar lentamente enquanto fazia carinho em sua cintura, eu fazia isso pra ela dormir deste que tínhamos 19 anos, era bom sentir seu corpo perto do meu e sentir que estou a protegendo. 

-Agora dorme -Digo em seu ouvido e continuo com os carinhos até sentir sua respiração ficar mais calma. 

Fico mais alguns minutos olhando seu corpo encolhido no meu e seus braços me apertarem com força, com isso acabo resolvendo dormir. 

x.x 

Pov Diego 

Eu dormia calmamente, mas uma sensação de estar sendo observado não saía por nada, eu sabia que não era Felipe já que o mesmo estava dormindo com o rosto na curva do meu pescoço e me apertava mais em seu corpo a cada tremida. Não queria abrir meus olhos pra ver o que me observava, eu estava com medo de ser algum demônio que machucou meu pequeno, mas a curiosidade foi maior e quando eu abri os olhos pude ver uma pessoa olhando a gente enquanto derrubava lagrimas. 

A pessoa tinha cabelos um pouco longos e uma franja que cobria sua testa, tinha uma barba sem fazer e sua pele era branquinha, igual a uma neve, pelo o que pude ver seus olhos eram azuis, seu corpo tremia a cada soluço e meu cenho franziu ao mesmo tempo. 

-Quem é você? -Pergunto baixinho e a pessoa me olhou espantado, mas nada respondeu e ficou me olhando com aqueles olhos azuis por longos minutos. 

-Me desculpe -Disse e saiu correndo do quarto, minha vontade era de sair da cama e correr atrás dele, mas tinha um corpo em cima do meu que me impedia de fazer isso, o que me frustou mais ainda. 

x.x 

Pov Narrador 

Já era madrugada novamente e nenhum dos três amigos falaram algo o dia inteiro, somente quando foi a hora dos dois amigos irem pra fora eles decidiram falar algo, mas ainda tinham medo de alguma coisa. 

Agora os dois amigos estavam separados pelo enorme jardim do manicômio e só tinham a companhia da lanterna e do celular, acabaram por decidir não filmar naquela madrugada e foi o que fizeram. 

Era 4 da manhã quando Tarik começou a ouvir um choro baixinho atrás da arvore que estava sentado, o moreno franziu suas sobrancelhas rapidamente e olhou para o banco que tinha ali atrás e acabou por ver um corpo moreno encolhido ali e o mesmo chorava por alguma coisa. O garoto de olhos castanhos pega seu celular rapidamente e vê as horas 4:10 da manhã, esta era a hora que os demônios viravam humanos. 

Ele se levantou do seu lugar lentamente e começou a andar até o corpo encolhido naquele banco, ele usava uma calça preta, tênis incrivelmente brancos e um suéter cinza claro, ele tinha cabelos pretos e sua pele era morena. Quando Tarik finalmente se aproximou do corpo ele o olhou com os olhos cheios de lagrimas e as bochechas molhadas. 

-Ahm...Oi? -Tarik pergunta para o garoto, agora tento uma vista melhor de seu rosto...Olhos castanhos, lábios um pouco finos e pouco grossos e o mesmo usava óculos de grau redondos, assim como o demônio que havia visto 

-O que esta fazendo aqui? É perigoso -O moreno que ainda não tinha nome disse baixinho e se encolhendo mais quando Tarik se sentou ao seu lado 

-Eu gosto de perigo, o que faz chorando aqui fora? -Pergunta desligando sua lanterna e a colocando do lado, já que o céu começava a se iluminar lentamente. 

-Não te importa -O moreno diz entre dentes e Tarik somente assente com a cabeça, o maior limpa suas lágrimas rapidamente e olha para o rosto do garoto ao seu lado, que também o encarava. 

-Sou o Tarik, mas pode me chamar de Pac -Tarik sorri fraco 

-Mikhael 

-Nome bonito -Tarik sorri mais ainda pro moreno e o mesmo somente puxa os lábios, em um sorriso falso 

--------

Diego ainda andava pelo jardim quando viu a mesma pessoa que na noite passada deitada na grama do jardim e olhando o céu enquanto limpava suas lágrimas, ele se aproximou do corpo lentamente e se sentou ao seu lado, fazendo o corpo se sentar ao mesmo tempo 

-Por que esta chorando? -Diego pergunta deixando suas coisas de lado 

-Eu sou uma pessoa ruim, você não devia estar aqui comigo -O garoto se levanta rapidamente da grama -Eu preciso encontrar o Mikhael -Disse e começa a andar pra longe de Diego que somente revirou os olhos 

-SOU O DIEGO -Grita, o garoto vira a cabeça na sua direção e sorri para o mesmo 

-TYLER -Grita e começa a correr pra longe do mesmo. 

Diego pega seu celular vê que ainda é 5 da manhã, estava na hora do mesmo descansar um pouco pra estar noite, eles teriam que terminar de olhar o terceiro andar esta noite ou na próxima. 

---------

-Felipe? -Diego diz batendo na porta do amigo, já era 3:00 da manhã e todos teriam que se encontrar novamente no terceiro 

-Oi? -O loiro pergunta ao se virar pra ver o amigo que já gravava tudo e estava com a sua lanterna em mãos 

-Você não vai? -Diego 

-Hoje não, não me sinto bem -Ele diz e Diego acena com a cabeça indo até o mesmo, deu um beijo em sua testa e sorri 

-Se cuida -Diz e sai do quarto indo encontrar os amigos no outro andar -Felipe não vem 

-Okay, vamos todos juntos desta vez -Tarik diz andando já na frente de todos, eles estavam a caminho da sala de lobotomia. 

O local não era nenhum pouco agradável estar lá, todos só queriam voltar pra sua cama e tirar um sono que precisavam ou até sair daquele manicômio e voltarem pra suas casas.

-É engraçado eu sentir que tem algumas coisas estarem passando no seu cabelo? -Verônica pergunta enquanto brincava com alguns equipamentos que eram usados pra fazer a lobotomia 

-Não é nenhum pouco engraçado, eu demorei duas horas pra arrumar meu cabelo -Diego diz mordendo o lábio e pegando alguns papeis empoeirados e tentando ler alguma, sua câmera estava em cima da estante e conseguia filmar o quarto todo, e a mesma acabou conseguindo filmar uma sombra escura entrar no quarto e ficar atrás de Tarik enquanto o mesmo lia alguns papeis. 

-É só eu que sinto uma respiração no meu pescoço? -Pergunta passando a mão com o papel no pescoço, o que não foi uma boa ideia, já que a coisa acabou passando uma das unhas gigantes pela sua mão -Ai -Diz olhando a mão e vendo o arranhado grande que sangrava -O que foi iss...Socorro! -Grita quando sente seu corpo sendo jogado longe e depois desmaiando 

-Pac! -Lauren grita correndo até o seu melhor amigo, o que não foi uma boa ideia, já que seu corpo também acabou sendo jogado longe e a mesma acabou batendo a cabeça em uma das macas e desmaiando 

Os outros amigos não sabiam o que fazer, não conseguiam se mover quando viam o corpo do moreno ser arrastado pelo chão e sendo tirado daquele cômodo e a porta se fechando com força.  


Notas Finais


All The Love x
#LoveOnly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...