História Fenômenos Paranormais - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 513
Palavras 1.175
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, FemmeSlash, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Vídeo 2


Fanfic / Fanfiction Fenômenos Paranormais - Capítulo 6 - Vídeo 2

*Deseja reproduzir “Segunda noite, tour pelos andares, mulher de vermelho e gatinho!” de HarryStyles?

O botão de “Sim” foi novamente selecionado.

*Play*

– Hii, I’m Hareeeey. – A voz rouca e sonolenta e a imagem de um garoto sem blusa e que ainda está deitado numa cama aparecem.

– Eu literalmente acabei de acordar e resolvi gravar um pouco sobre o que aconteceu depois que eu desliguei a câmera. – Harry conta enquanto esfrega os olhos preguiçosamente.

– Eu vim correndo até o meu quarto, e parece que eu ouvi passos ecoando os meus, foi estranho, mas pior foi quando eu cheguei nesse quarto. – Ele começou a contar.

– Eu juro pra vocês, tinha uma mulher de vestido vermelho sentada na cama, e ela não tava feliz, vão por mim. O pior foi olhar nos olhos dela. – Harry estremeceu.

– Ela não tinha olhos, pareciam queimados, exatamente como os da filha dos Lovato, eu to arrepiado só de falar nisso. – Ele mostra seu braço.

– E quando eu cheguei, ela olhou nos meus olhos, e literalmente sumiu, cara, isso ta começando a dar medinho. – O vlogger riu nervosamente.

– Masss, enfim, eu vou levantar, me vestir e nós vamos olhar o primeiro andar, ta bem ensolarado, são oito da manhã e... PUTA MERDA O QUE É ISSO? – Harry se levantava enquanto falava, e quando olhou pra baixou, se afastou bruscamente.

– Caralho, olhem isso. – A câmera focou no seu tronco nu, a sua barriga definida estava arranhada, pareciam arranhões frescos.

– Eu não tinha isso até ontem, que porra é essa? – Harry passa os dedos trêmulos pelos cortes.

– Parece...Um desenho. – Ele comenta.

– É sério, parece uma espécie de garota. – A câmera focou no seu corpo de novo, realmente parecia.

– Isso é muito bizarro, eu não posso ter me machucado assim durante a noite. – O vlogger disse.

– Ugh, esse lugar é bizarro, eu vou me vestir e ir pro primeiro andar.

*Corte*

– Olá novamente! Sim, eu edito meus vídeos, eu trouxe meu computador, então eu posso editar enquanto eu estou aqui, genial, huh? Yeah, eu sei. – Ele sorri alegremente.

– Eu to tomando café, no caso uma barrinha de cereal que trouxe no meu estoque, isso deve durar alguns dias, é o suficiente. – Harry explica.

– Bom, vamos pro primeiro andar. – Ele sai do chão e começa a andar pelos corredores.

– Eu vou dedicar um única vídeo só pra olhar cada um desses quartos, tem 20 nesse andar, todos com números aleatórios, mas agora eu quero o checar o quarto que bateu a porta noite passada. – Harry conta enquanto abre a porta do quarto 2756.

– Aqui, como eu estou mostrando, é a ficha que fica colada na porta, ela mostra os pacientes que já estiveram aqui. – A câmera estava focada em uma ficha de ferro pregada fortemente na porta.

PACIENTE/PACIENTES: LAUREN MICHELLE JAUREGUI

ADMISSÃO: 12/04/1913

SAÍDA: 15/08/1915

Era o último registro da placa.

– Ca-ra-lho, Lauren não é aquela garota que morreu do nada em agosto 1915? A porta do quarto dela bateu. – Harry estremece e entra no quarto.

– É um quarto de hospital normal, um pouco menor que o da Lovato, mas é normal. – Ele se senta na cama.

– Gente, eu juro que to sentindo alguém respirar na minha nuca, eu to com medo de me mexer. – Harry arregala os olhos, a câmera capta uma jovem  sorrindo perversa enquanto respiração no seu pescoço.

– Eu vou virar o visor da câmera pra ver se tem alguém e... EITA PORRA. – Ele se assusta com a imagem da mulher e cai da cama.

– Puta. Merda. – Ele respira e a câmera volta a focar nele.

– Como eu dizia, vamos olhar as gavetas. – Ele tentou não parecer assustado, mas a câmera mostrava suas mãos tremendo.

– Nessa gaveta, tem algumas teias de aranha. – Ele ri nervoso.

– Nesse aqui tem um crucifixo, interessante. – Seu dedo indicador toca a cruz de madeira desgastada.

– E nessa última tem... O que é isso? Parece um caderninho. – Ele tirou um pequeno caderno da gaveta, a câmera capta mais uma coisa dentro da gaveta.

– E isso? Parece, ahn, um colar. – Harry pega o objeto e abre, releva uma foto de Lauren em um lado e outra foto de uma senhora idosa do outro.

– Bom, eu vou estudar isso e... – A porta do quarto bate bruscamente, o garoto se assusta e sai correndo junto com câmera.

– Merda, o caderninho! – Ele bate na sua testa.

– Ah, foda-se, eu não vou entrar ali de novo, amanhã eu pego, não é como se fosse sair dali. – Ele diz enquanto desce as escadas do local.

– Bom, esse é o primeiro andar, não tem muita coisa, é bem vazio. – Harry explica.

– Aqui tem uma janela enorme, é bem iluminado e... AI MERDA! – Ele grita de novo.

– Tem um gatinho aqui, awwww. – Harry sorri.

– Eu ainda vou morrer de ataque cardíaco ou algo assim. – Ele fala colocando a mão no peito.

– Oi, bebê, vem cá. – O garoto se agacha e a câmera foca em um pequeno gato preto que se aproximou ronronando dele.

– Finalmente alguém amigável aqui. – Harry riu e acariciou a cabeça do animal.

– Eu vou chamar você de Nugget, ok? – Harry pergunta e o gato ronronou.

– É bom saber que eu não estou sozinho aqui. – Ele comentou.

– Bom, fora esse salão, tem as salas dos médicos, é onde nós vamos agora. – O garoto explicou enquanto se levantava e filmava o caminho á sua frente.

– Awww, o gatinho ta me seguindo. – Ele sorriu.

– Eeenfim, esse é a sala onde os médicos discutiam tratamentos. – Ele abriu uma porta, revelando uma enorme e empoeirada mesa de escritório com várias cadeiras espalhadas pela sala.

– Bom, deve ter rolado muita tensão aqui, tem um quadro apagado e gasto aqui, nada demais na verdade, o clima aqui é até melhor. – Harry devaneava enquanto a câmera mostrava o local.

– Mais para dentro nós temos a sala da diretora do hospital, dizem que aqui parece que tem mãos tocando em você, mas eu não sinto nada. – O garoto diz enquanto entra na sala.

– Eu vou até sentar aqui. – Ele ri e senta numa cadeira de metal.

– O clima aqui já é pior, é bem tenso, me lembra o do quarto da Lovato. – Ele explica e se arrepia uns segundos depois.

– Eu to sentindo uma coisa estranha, parece que tem uma mão acariciando o meu cabelo, é estranho  demais. – Ele diz quase em sussurro e sai quase correndo da sala.

– O meu cabelo não, tudo menos o meu cabelo. – Ele riu enquanto olhava para baixo provavelmente procurando o gatinho.

– O Nugget ainda ta aqui, graças da Deus, a idéia de estar completamente sozinho aqui não me agrada. – Ele murmura.

– Bommm, é isso, eu vou indo, amanhã tem mais, com vocês já devem saber, se você não é um inscrito, se inscreva, se você achou o Nugget bonitinho dê um like, e você me achou bonitinho dê um like, se você se assusto, dê um like. – Mais sorrisos e dedões para cima quando ele dizia “like”.

– É isso, tchaaau, all the love.

*Fim do Segundo video*

Qual vídeo deseja assistir depois?

- Terceira noite, coisas estranhas

- Quarta noite, sala de lobotomia

- ME TIREM DAQUI


Notas Finais


YAYY! Gostaram? Espero que sim, por que daqui a pouco as coisas vão começar a mudar heuheu
Então é isso morexxxxs
xoxo Geo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...