História Fera Adormecida - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Horror, Naruto, Romance, Sasusaku, Suspense
Visualizações 29
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ohayo minna-san!!!!
Desculpem a demora *~*
E boa leitura!!! *-*

Capítulo 3 - Não estou sozinha


Fanfic / Fanfiction Fera Adormecida - Capítulo 3 - Não estou sozinha

- Me chamo Sasuke Uchiha.

Sakura on

Quem era ele?

Aqueles olhos ônix emitiam um certo misterio.

Me olhava naquele exato momento, como se eu fosse a única estudante naquela sala, fazendo com que eu desviasse o olhar para o canto da sala.

- Uchiha-san, acho que já deve saber sobre os boatos de assassinatos que estão ocorrendo aqui na cidade.

Sasuke afirmou positivamente.

- Entendi.... bem acho que aquela carteira perto da Haru-

- Sensei!! Aqui tem um lugar sobrando!!! - As meninas gritavam desesperadas, acho que estavam querendo à atenção do mesmo.

- Mas há um lugar perto da Haruno-san, ele pode se sentar ali. - O professor falava sereno.

- Perto daquela garota? Quem iria querer? - Apesar de serem cochichos, eu conseguia ouvir claramente tanto que me magoava, mas acho que já estava acostumada. 

Bem, minha fileira é localizada perto da janela, e minha carteira é a última. Ninguém senta perto de mim, como se isso fosse novidade e pior, a Hinata estuda em outra sala.

Em muito tempo, essa é a primeira vez que resolvo tomar um atitude, frente a essas meninas, que me encaravam com tanto ódio. Me levantei e disse:

- Sensei, ele pode s- Fui interrompida pela caminhada do Uchiha, mas não vinha em direção à minha fileira, ao contrário, ele foi se sentar perto delas. Fiquei paralisada, parecia uma tonta em pé, ali, deixada de lado, sem ter ninguém dando importância ao meu comentário.

Seria mais um?

Mais um para acabar com minha vida....

- Eh... Haruno-san pode se sentar agora. - Ele tinha um sorriso torto em torno de seus lábios.

Apenas me sentei, não tinha coragem de olhar para os lados, mas já sabia que vários risinhos debochados eram por minha causa.

- Bem... vamos continuar com a aula.

Bastava que o professor virasse as costas, para que um aglomerado de bolinhas de papel batessem contra mim, papéis sujos e repletos de chicletes.

E em cada bolinha, havia uma mensagem amargurada, direcionada á mim.

"Lixo"

"Morra vadia"

"Se suicida"

Algumas lágrimas iam se formando no canto de meus olhos, mas me segurava, apesar de tudo isso, ainda tinha uma pessoa ao meu lado.

Horas e horas passaram-se

Era como se fosse que cada segundo acabasse comigo.

Senti uma pontada brusca em minha cabeça, um líquido quente descia sob minha testa.

- Haruno-san o que ouve? - Ele parecia aflito.

- Hn? - Coloquei minhas mãos sobre minha testa, estava repleto de sangue, e minhas mãos também. 

- Haruno-san!! Rápido, vá para a enfermaria!!

Estranho....

Assenti de forma positiva, e caminhava em direção à porta. Ouvia comentários enquanto passava pelo pessoal da frente.

- Veja, até o sangue é sujo.

Apenas segui em frente.

Saia da sala, e o professor também.

Frente em frente à ele, disse:

- Se mostrando de bonzinho perto do aluno novo. 

- Cale essa boca imunda, lixo. - Seu olhar estava cheio de ódio.

- Haha, essa ferida dói, mas não tanto quanto a esse tratamento especial, sensei. - Revirei meus olhos.

Meus braços foram puxados, e de forma brusca.

- Não se faça de esperta, eu posso acabar com sua raça, Haruno-san.

Ele me largou e voltou para a sala.

Andava pelos corredores frios, o que eu fiz?

O que eu fiz para merecer esse tratamento?

Acabei chegando na enfermaria, a enfermeira não estava lá, apenas peguei alguns faixas e comecei à enrolar em torno de minha cabeça.

Já dava a última volta, até que Hinata apareceu na porta, estava ofegante e aflita:

- Sakura!! Ouvi que você estava sangrando, e sai correndo em disparado para ver você, está tudo bem? - Ela falava por meio de suspiros, parecia cansada, ela saiu de sua sala, só para ver se eu estava bem?

- Hinata.... - Não aguentei e desabei em lágrimas, ela veio em minha direção e me deu um abraço caloroso.

Depois disso, ela terminava de arrumar minha faixas, até que um vulto havia passado rapidamente pela porta, aquilo me assustou.

- Hinata, você viu aquele vulto? - Ela me olhou curiosa.

- Vulto? 

- Ehh, deixa pra lá.... - Ela voltou a arrumar minha faixas.

Aquilo me deixou atordoada.

Depois de acabar de arruma-las, voltamos para nossa sala.

Voltei e fui recebida falsamente pelo professor, novamente:

- Haruno-san, agora está bem? Estancou o sangue? - Ele falava preocupado, quero dizer, atuava.

- Sim, eu estou bem, sensei. - Falei serena, dando ênfase à palavra "sensei", fazendo com que ele me olhasse torto.

- Posso entrar?

Senti uma respiração quente, batendo contra minha nuca, me estremeci por inteira.

Olhei por cima dos ombros, ali estava ele, parado atrás de mim, esperando que eu me mexesse.

Seu olhar encontrava-se fixado em mim.

.

.

.



Notas Finais


Obrigada por lerem!!!
Até a próxima!!!!
Sayonara :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...