História Festival de loucuras - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bruno Mars
Personagens Bruno Mars
Tags Ashley Green, Bruno Mars, Festival, Hawaii, Heterossexualidade, Homossexualidade, Hooligans, Lily Collins
Exibições 79
Palavras 3.150
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá leitoras, OBRIGADA pela quantidade de comentários no capítulo passado, EU AMO QUANDO CONVERSAMOS.
Bom o capítulo de hoje é curtinho mais eu não poderia deixar de postar hoje, no feriado, e claro mesmo sendo curtinho ele é muito, MUITO MESMO, importante para os próximos capítulos que se seguirão, espero que gostem e leiam com atenção. Prometo aproveitar este feriado que prolongou para mim para postar muitos capítulos para vocês, boa leitura.

Capítulo 12 - Maus entendidos


Fanfic / Fanfiction Festival de loucuras - Capítulo 12 - Maus entendidos

Pov Sammantha on

“Ding Dong” –tocou minha campainha, eu estava junto com o Bri e a Ali na sala fazendo maratonas de série, fazia um frio horroroso em LA hoje e o dia estava com cara de depressivo, então nada melhor do que um cobertor, pipoca, chocolate quente, os melhores amigos do mundo e maratona de série na Netflix. Hoje o Carl, meu chefe, nos liberou hoje, nós éramos os gerentes e coordenadores do setor publicitário de marketing da CBI graças ao nosso esforço, e com o acúmulo de horas extras que sempre fazíamos por não conseguirmos ir para casa e deixar as coisas sem serem terminadas. Meu chefe hoje viajou e nos liberou pelo acúmulo de horas, portanto, tínhamos o dia de folga e resolvemos curtir juntos, como não fazíamos a algumas semanas e isso era maravilhoso.

-Dois ou um para quem atende a campainha. –o Brian falou e nós rimos concordando e jogando para ver quem sairia debaixo do cobertor para atender a porta, a Alisson perdeu e mesmo de bico foi atender a porta.

-Cadê a Sam? –ouvi alguém praticamente gritando o meu nome e olhei para porta para ver quem era, Taylor Johnson.

-Quem você pensa que é para entrar aqui na nossa casa gritando desse jeito moleque? –a Alisson falou brava e se a situação não fosse tão esquisita eu tinha caído na gargalhada.

-Eu quero falar com você Sammantha. –ele falou me olhando sério e ignorando a Alisson, a cara dela foi de um ódio tão profundo que eu achei que ela ia encher o Taylor de tapas naquele momento.

-Ok, olha eu não sei qual é o motivo de você entrar aqui na nossa casa gritando comigo e com os meus amigos mais tudo bem, vamos conversar. –falei levantando do sofá e indo na frente para o quarto fazendo com que ele me seguisse. –Fala Taylor qual o motivo do barraco. –falei bufando.

-Sam você acha que eu não vi a foto de você e do Bruno se beijando naquele ensaio? –falou irritado.

-Era um ensaio fotográfico, os modelos tem que fazer essas coisas. –menti eu não devia satisfações a ele mais não gostava de deixar as pessoas incomodadas ou irritadas por algo que eu fiz.

-Você não quis sair comigo aquele dia, não quis almoçar comigo, no mesmo dia que rolou aquele beijo de vocês no ensaio, você acha que eu vou mesmo acreditar que foi algo só ‘ossos do ofício’ você saiu com ele não saiu? Por isso você disse que não podia almoçar comigo, você está com ele Sammantha? –ele perguntava e parecia nervoso, por um momento eu tive medo até se ele poderia me bater ou vir para cima de mim do tanto que ele tremia de nervoso e tinha no rosto uma expressão de raiva.

-Taylor pode parar ai, o nosso combinado era diversão sem compromisso, eu não devo satisfações para você, nós não somos namorados para de me cobrar ou brigar comigo como se eu estivesse te traindo ou como se eu devesse algo porque eu não devo, você pode ficar com quem quiser e o combinado era esse. –falei séria.

-Mais eu não quero ficar com outra pessoa Sammantha, eu quero ficar com você e eu não quero te cobrar nada, eu sei como era o nosso combinado mais eu gosto de você de verdade e a única coisa que eu te peço é que me respeite, pelo menos me respeite, você está agindo como uma... –ele parou a frase como se tivesse se arrependido de falar aquilo.

-Não ouse me xingar ou dizer algo sobre mim que você não sabe, eu te respeitei sim, eu nunca fiz nada com você que te desrespeitasse agora a minha vida tem haver comigo e não com você, você não tem nada com que mandar em mim com quem eu almoço ou deixo de almoçar, nós não estamos juntos então será que dá para você parar de gritar comigo dentro da minha própria casa? –perguntei nervosa, eu tremia.

-Ok, então fique com quem quiser já que eu não tenho nada haver com a sua vida, mais você ainda vai cair do cavalo com esse cara Sam, eu o admirava até conhecer ele de verdade, ele não presta, não passa de um galinha e que quando você cair na lábia dele ele vai te magoar, vai trair você, vai fazer você chorar e se arrepender de ter aceitado mudar a sua vida por causa dele e quando isso acontecer você vai correr atrás de mim porque vai reconhecer que eu estava certo, você não quer me ouvir agora mais acredite Sammantha, pode não ser agora, mais quando acontecer você vai sofrer e acredite que eu não desejo isso a você mais isso é um fato, se você entregar a sua vida e seus sentimentos na mão daquele cara, ele vai pegá-los e pisar em cima deles, e infelizmente você não vai ser feliz com ele e eu não queria que isso acontecesse. –ele falava tão sério que eu me arrepiei de pânico. –Passar bem Sam, juízo e seja feliz. –ele falou virando as costas e saindo das minhas vistas e da minha casa, e eu fiquei lá no quarto, parada, tentando digerir toda essa loucura, primeiro ele entra na minha casa e fala coisas horríveis para mim, depois ele joga umas verdades na minha cara que para ser bem sincera, são o meu maior medo e eu não sei o que pensar, não sei como serão as coisas daqui para frente e eu não sei se quero continuar com o que eu estou fazendo, com o rumo que eu estou tomando ou esquecer o passado, esquecer tudo o que envolve esses caras e voltar a ter uma vida normal, eu já não sei mais.

-Sam? –a Ali perguntou entrando no meu quarto. –Você está bem? –ela perguntou sentando ao meu lado, logo o Brian entrou no quarto também.

-O que aquele idiota pensa que é para entrar aqui e fazer esse showzinho ridículo? –a Ali falava irritada.

-Sam você está bem? Não liga para o que o Taylor disse, nós ouvimos tudo porque ele gritava, me desculpa, mais não liga, ele só está com inveja porque você e o Bruno estão dando certo. –o Brian falou me abraçando.

-Eu não sei mais o que pensar, eu não sei o que eu devo fazer, eu estou tão confusa gente. –falei derramando umas lágrimas presas dentro de mim. –Tudo o que eu tenho mais medo o Taylor acabou de jogar na minha cara que vai acontecer se eu confiar no Bruno e eu tenho tanto medo porque parece que não sou só eu mais todo mundo vê isso e eu ainda insisto. –falei apavorada.

-Sammantha para de paranoia, o Bruno está gostando de você de verdade, o Taylor só falou tudo aquilo porque ele está com dor de cotovelo mais você pode ser sim feliz ao lado de quem você gosta, nada impede. Se o destino colocou o Bruno na sua vida é porque ele pode ser o cara certo, o cara que vai fazer você feliz, ele já mudou tanto por causa de você e se mudou é porque ele gosta de você, e ele está mudando a cada dia mais, ele está deixando de ser o galinha sem vergonha por causa de você, ele está fazendo planos mirabolantes e loucuras para te conquistar, da uma chance para ele amiga. –o Brian falava enquanto ele e a Ali me abraçavam.

-Eu não sei o que seria de mim sem vocês, vocês são os melhores amigos que alguém poderia ter. –falei sincera. –Obrigada por tudo e desculpa por atormentar a vida de vocês com os problemas dos meus relacionamentos. –completei.

-Amiga, nós estamos aqui para isso, agora eu e o Brian estamos felizes com os nossos relacionamentos e agora queremos e vamos fazer de tudo para que você também seja então sempre que precisar vamos estar aqui do seu lado minha linda. –a Ali falou beijando a minha bochecha. –Agora vamos terminar a nossa maratona de séries até que você se acalme e se anime, você vai deitar entre nós dois, debaixo das cobertas e nós vamos ficar abraçadinhos enquanto vemos as nossas séries favoritas e ai mais tarde você vai atrás do seu futuro. –a Ali falou.

-O que você quer que eu faça para correr atrás do meu futuro? –perguntei curiosa.

-Hoje o Ryan não pode ficar comigo porque está trabalhando, se ele está trabalhando o Bruno também está, então você vai lá na gravadora atrás dele, é sempre ele quem corre atrás de você, está na hora de você também correr atrás da sua felicidade. Amiga, não custa nada tentar, se não for ele quem vai fazer você feliz como o idiota do Taylor falou é só respirar fundo e seguir em frente, agora se for, você vai ser a mulher mais sortuda e feliz do mundo. Eu te garanto que ele vai ficar louco quando te ver lá, vai melhorar o dia dele. –ela falou sorrindo.

-Vou pensar sobre isso, vamos ver série agora. –pedi e eles assentiram, voltamos para a sala e debaixo das cobertas entre os meus amigos eu tentei esquecer um pouco os meus problemas.

[...]

Resolvi ouvir os conselhos dos meus amigos e pela primeira vez tomar as rédeas dos problemas amorosos da minha vida. Peguei meu carro e dirigi na direção do endereço que a Ali tinha me dado de que era a Atlantic Records, gravadora em que o Bruno estava gravando o seu novo álbum 24k magic.

O trânsito estava calmo e por um momento isso me irritou, eu cheguei rápido demais no endereço certo e meu estômago já revirava e eu quase sentia vontade de vomitar de nervosismo, eu não era a pessoa certa para lidar com relacionamentos, talvez por isso eu ainda era solteira e era a pessoa mais tímida para fazer isso, só de pensar eu tinha vontade de vomitar, sentia minhas mãos suares e as minhas pernas bambearem, e isso se intensificava por 10 quando eu pensava que eu estava indo atrás do meu “destino” e que nele estava nada mais, nada menos que Bruno Mars, o meu ídolo.

Estacionei o carro e respirei fundo, eu só precisava aparecer na sala dele, nada demais, eu só precisava mostrar que eu estava ali e que estava feliz por ele estar correndo atrás de mim, era só isso, eu conseguia fazer isso sem dar uma crise de pânico. Desci do carro e o tranquei, repetindo um mantra interno eu segui em direção a entrada e entrei na porta de vidro com uma elegantíssima fachada da Atlantic, eu nunca havia entrado em uma gravadora, eu estava até acostumada com lugares sofisticados porque eu costumava trabalhar com grandes empresas e pessoas famosas na agência publicitária, graças a Deus eu sabia me portar em um lugar elegante como esse.

Andei até a secretária que sorria ao falar no telefone com alguém, esperei que ela desligasse e então falei com ela.

-Olá, como posso ajuda-la? –ela me perguntou.

-Eu queria saber se o Bruno Mars está ocupado, eu gostaria de vê-lo. –pedi.

-Claro, seu nome? –ela me perguntou.

-Sammantha... –comecei e ela me interrompeu.

-Sammantha Collins, adivinhei? –ela perguntou e eu assenti completamente surpresa, ela me conhecia de onde?

-Falam bastante de você por aqui e bom, eu sou viciada em sites de fofoca. –ela falou rindo e eu ri, ela me conhecia como o affair do Bruno. –Como você é linda moça. –ela falou me deixando corada.

-Obrigada, imagina. –falei tímida.

-Bom não quero ficar aqui te enrolando, pode entrar na sala dele sim Sammantha. –ela falou.

-Pode me chamar de Sam. –falei e ela sorriu.

-Última sala do final do corredor Sam. –ela me falou e eu agradeci indo ao meu destino, a porta estava aberta e eu não tive nem o trabalho de abri-la. E também não tive nem o trabalho de ter que chegar lá e dizer que eu gostava dele ou o que mais que fosse porque ele estava ocupado, ocupado com uma mulher.

Eles estavam abraçados quando eu cheguei e tentei me esconder para que nenhum dos dois me visse ali, mesmo contra gosto eu preferi ficar escutando o que eles conversavam para que eu tivesse a certeza de que tudo o que o Taylor falou para mim mais cedo era verdade, que eu era uma trouxa que ia sofrer mesmo.

-Nossa Anne você melhorou o meu dia vindo aqui hoje, não te via há tanto tempo. –ele falou sorrindo e passando a mão no rosto dela todo carinhoso.

-Pois é Bru, prometo que agora não vamos mais ficar tão longe, eu estava morrendo de saudades de você, dos nossos tempos. –ela falou rindo.

-Tempos maravilhosos. –ele falou suspirando e aquilo estava me dando vontade de vomitar. –Eu te ligo mais tarde então para marcarmos de sair, ou senão vamos marcar alguma coisa lá em casa. –ele falou para ela.

-Claro, pode deixar Bru. –falou abraçando ele novamente e antes que eles se beijassem e declarassem que se amavam eu resolvi sair dali, como eu era burra mesmo, idiota, estava na cara que o que ele sempre quis e sempre ia querer comigo era só sexo, eu nem sabia se ele tinha uma namorada, as vezes ela era a namorada dele e eu achando que ele estava apaixonado por mim, que burra, meu Deus, eu tinha ódio de mim naquele momento, como eu tinha raiva de mim em não acreditar em tudo o que o Taylor falou para mim lá em casa, ele estava certo, em cada palavra, em cada vírgula e eu fui uma burra, trouxa em não perceber.

-Sam? Já vai? –a secretária do Bruno me perguntou, ela tinha sido tão educada comigo que eu não quis ser sem educação, mais eu não queria que ele soubesse que eu estava ali, que eu tinha ido ali ou que tinha visto ele com aquela piriguete, então preferi fingir que estava tudo bem que ai com certeza ela não ia questioná-lo e ele nunca saberia que eu havia passado por ali naquele dia para ver ele.

-Vou sim, obrigada por tudo. –falei a ela. –Tenha um bom dia e bom trabalho. –falei.

-Para você também, boa diversão mais tarde com o Brunitão, tenho certeza que marcaram de se encontrar. –ela falou rindo.

-Pois é, eu tenho que ir indo. –falei me despedindo.

-Tchau Sam. –ela acenou para mim, acenei para ela e sai em disparada para o meu carro, eu só queria ir para casa, realmente sair das cobertas hoje foi uma péssima ideia.

Pov Bruno on

-Nossa Anne você melhorou o meu dia vindo aqui hoje, não te via há tanto tempo. –falei sorrindo para a Anne, realmente eu não a via a tanto tempo e sentia muitas saudades daquela garota.

-Pois é Bru, prometo que agora não vamos mais ficar tão longe, eu estava morrendo de saudades de você, dos nossos tempos. –ela falou rindo.

-Tempos maravilhosos. – falei suspirando e lembrando dos meus ótimos tempos no Hawaii. –Eu te ligo mais tarde então para marcarmos de sair, ou senão vamos marcar alguma coisa lá em casa. –completei

-Claro, pode deixar Bru. –falou me abraçando novamente. –Agora eu tenho que ir porque meu marido deve estar bem louco de ter ficado sozinho com o Johnny. –ela falou e eu cai na gargalhada em imaginar o marido dela sozinho com o filho deles, um bebê lindo de dois anos de idade.

-Traga o Johnny para eu conhecer por favor. –pedi e ela assentiu. –Se marcarmos algo lá em casa leve ele e o seu marido, vou chamar as minhas irmãs e o Eric claro e o meu pai também. –falei e ela assentiu.

-Leve a sua paixão para que eu conheça, as meninas e o Eric me falaram que o coraçãozinho do meu primo já tem dona em, quero conhecer a sortuda primo. –ela falou sorrindo e eu sorri ao lembrar da Sam.

-Se ela aceitar o convite eu levo. –falei sorrindo, ela se despediu de novo de mim e saiu pela porta do meu escritório.

O dia estava bem corrido hoje mais eu recebi uma surpresa boa ao receber a visita da minha prima a Anne, lá do Hawaii, nós todos fomos criados praticamente juntos e como irmãos em Honolulu, ela era filha da irmã da minha mãe. Ela morava em Honolulu e estava de passagem em LA e resolveu visitar a mim e ao Eric na gravadora e isso foi legal, relembramos os nossos tempos de criança brincando nas praias do Hawaii, o quanto ela quando se juntava com as minhas irmãs infernizavam a minha vida e a do Eric, e eu fiquei feliz em saber que uma pessoa que eu considerava como irmã estava bem feliz e com uma vida boa, casada e com um bebê lindo de dois anos.

Peguei uns papéis que precisava que a Lily, minha secretária mandasse para o cartório e fui na andando na direção dela que ao me ver colocou um sorriso gigantesco no rosto, franzi a testa.

-Que felicidade toda é essa Dona Lily? –brinquei entregando para ela os papéis.

-Você que devia estar com o sorriso de orelha a orelha. –ela falou.

-Por causa da minha prima, a eu fiquei feliz mais sorriso de orelha a orelha você sabe o motivo com qual eu ficaria. –falei rindo, os meninos contaram sobre a Sam para ela e ela vivia me zoando sobre isso. –E bom, isso não vai acontecer tão cedo. –falei bufando.

-Ué Bruno, pirou? A Sam acabou de sair daqui. –ela falou rindo.

-Como assim Lily? Eu nem falei com a Sam hoje que dirá vi ela. –falei sério.

-Ué mais eu juro para você que ela acabou de sair daqui, ela apareceu aqui e ficamos conversando um pouco e tudo mais, ai ela me perguntou se podia entrar na sua sala e eu disse que podia claro, ai ela foi lá toda linda, sorridente e cheirosa no rumo da sua sala e não demorou muito, ela logo voltou mais conversamos na saída, ela só agradeceu e disse que precisava ir e saiu daqui, eu achei que vocês tinham se visto e marcado de sair ou algo assim, ela ficou pouco tempo aqui, achei que vocês tivessem se visto ué, então ela foi aonde? Ela falou com quem? –ela perguntou confusa.

-Que droga. –falei ao entender o que tinha acontecido, ou pelo menos ao deduzir o que tinha acontecido. –Ela saiu daqui faz muito tempo? –perguntei.

-Um pouco antes da sua prima ir embora. –ela falou.

-DROGA. –falei novamente.

-O que foi Bruno? –ela perguntou.

-Acho que tivemos um gigantesco mau entendido aqui Lily. –falei e ela pareceu entender o que tinha acontecido.

-É isso que dá ter fama de galinha Bruno Mars. Vai logo atrás dela seu doido. –ela falou rindo de mim, oh boy. 


Notas Finais


O que acharam do capítulo? Da briga com o Tay, do grande mau entendido com o Bruno, ele realmente gosta da Sam e não estava traindo ela, era só uma prima mais ela entendeu tudo errado e deu no que deu, acham que essa insegurança dela vai atrapalhar que eles possam ter um relacionamento ou acham que o Bruno vai mudar isso nela? O que querem e acham que vai acontecer daqui para frente? DEIXE SEU COMENTÁRIO.
Beijocaaas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...