História Fetiche - Camren - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 1.296
Palavras 4.582
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Teve mais visualizações do que eu imaginei que teria, então devido a isso eu resolvi fazer esse bônus pra vocês, quando planejei eu não pensei em aprofundar a história, é só um One Shot mesmo. mas.. pra atender aos pedidos, estou fazendo esse bônus pra encerrar. espero que gostem!

Capítulo 2 - Bônus


Fanfic / Fanfiction Fetiche - Camren - Capítulo 2 - Bônus

5 anos depois...

Lauren batia a ponta de seus dedos no teclado do seu notebook em sua sala, estava na sede de suas empresas, se sentia estressada e cansada pois um dos investidores havia desviado uma quantidade dinheiro para uma conta anônima. Um dos funcionários da empresa que era hacker, havia descoberto. Não que isso fosse fazer falta para ela, mas o homem era um grande amigo,na verdade ela achou que era, até descobrir seu podre. Jacob havia tido uma discussão com Lauren e acabou confessando tudo. Sua secretária ficou de ligar para uma advogada para resolver o caso. Ouviu baterem na porta e disse para que entrasse.

— senhora Jauregui, desculpe interromper mas eu falei com uma boa advogada, tenho certeza que ela resolverá seu caso rapidinho

— obrigada Keana, quando poderei conversar com ela?

— hoje mesmo se quiser, fiquei de ligar e combinar tudo

— ótimo, estou saindo para almoçar agora, estou faminta, por volta das 14:00 estou de volta, marque com ela para 15:00

— claro, farei isso

— nome dela?

— em seu cartão tem Srta Estrabão

— um nome forte e chamativo, espero que a dona dele trabalhe bem. Pode se retirar Keana, obrigada.

— por nada, com licença.

Keana Marie era uma moça inteligente, dona de um corpo maravilhoso, trabalhava pra Lauren a 2 anos como sua secretária. Uma das muitas mulheres que babavam pela Jauregui, mas ela odiava misturar sexo com trabalho, então Srta Marie nunca havia tido a chance de provar de um beijo da multimilionária.

Ao chegar em casa deu de cara com Dinah Jane, sua melhor amiga, a mesma ia apertar a campainha mas não foi preciso pois logo bateu os olhos na Jauregui.

 — até que enfim veio me ver

 — se eu não vir eu morro e você não vai até minha casa

 — quanto exagero Jane Hansen

 — nada mais que a verdade

 — apenas muito trabalho

 — mas tempo pra suas putas você tem né? Safada, isso é apenas porque nunca ficou comigo, eu te colocaria uma coleira rapidinho

 — engraçadinha, seria o mesmo que cometer incesto, mas você é gostosa, então..

Puxou Dinah pela cintura e depositou um beijo no pescoço dela que a empurrou rindo. Brincadeiras desse tipo era algo normal entre elas, mas a relação de ambas era apenas de amizade.

 — sai fora Jauregui, eu não aguentaria seu amigão

 — nossa, você é tão apertada assim? Tenho interesse

 — abre logo essa porta idiota

Empurrou o ombro de Lauren que riu ao ver o rosto da garota corado. As duas entraram na enorme casa e almoçaram juntas. Depois da refeição serviram-se com vinho.

 — qual o nome da última que você comeu?

 — Verônica Iglesias, faz um boquete maravilhoso  — mordeu o lábio ao lembrar — e você?

 — querida, eu não estou mais pulando de galho em galho, encontrei uma morena que supre todas as minhas necessidades e eu não falo só de sexo

 — hum, Dinah Jane apaixonada?

 — milagres acontecem minha querida

 — qual o nome dela?

 — Normani Kordei, ela é dançarina, conheci ela em uma apresentação que fui assistir e...

 — fodeu ela no final. Tão previsível

 — mas depois conversamos e eu me identifiquei muito com ela.

 — meus pêsames. Prefiro continuar solteira

Ambas conversaram até chegar a hora em que Lauren voltaria para a empresa.

 — tenho que ir, vou conversar com a advogada a respeito do desvio na empresa

 — claro, me liga depois, ai te apresento a Mani

 — beleza, já prevejo eu sendo madrinha do casamento em breve

(...)

Ao chegar na empresa Lauren foi diretamente para a sua sala. Ligou o notebook, pegou uma taça com uma garrafa de Martine vermelho e colocou um pouco para si. Ouvi duas batidas na porta.

 — entre Keana

 — licença senhora Jauregui

Ela revirou os olhos, odiava ser chamada assim, mas era melhor que ser tratada depois como se fossem amigas.

 — a senhorita Estrabão acaba de chegar

 — mande-a entrar

Ela se retirou para chamar a mulher e Lauren ficou digitando algumas coisas em seu notebook, não ouviu quando a porta da sala se abriu, apenas quando ouviu o barulho dos saltos colidindo com o chão. Ela começou a fitar a mulher dos pés a cabeça, usava um salto alto preto e uma saia de cintura alta também preta que deixava parte de suas belas pernas a mostra. Subiu mais um pouco vendo a blusa social de botões, os lábios tingidos com um batom vermelho Matte, os cabelos ondulados e os olhos castanhos maravilhosos que ela não esqueceria nem se quisesse, seu corpo estremeceu quando a porta se fechou e a mulher, que não era desconhecida para ela se aproximou da mesa.

 — C-Camila?

 — Olá Lauren, que grande prazer te ver de novo, mas agora prefiro que me chame de senhorita Estrabão

 — e-eu.. nossa! Como está mudada

Observou ela de cima a baixo, não tinha mais o corpo adolescente de antes, agora era uma mulher linda! Não que antes não fosse, mas agora estava mais encorpada e seu olhar já não era de garota inocente.

 — você então mentiu pra mim sobre seu nome?

 — claro que não, apenas falei que se chamava Karla Camila, só não completei dizendo que é Karla Camila Cabello Estrabão — sorriu de lado

 — um belo nome...

 — para uma bela mulher. É, já ouvi essa frase de você antes

 — então quer dizer que virou advogada

 — graças a você, sim! Eu soube usar o dinheiro que me deu

 — eu não te dei dinheiro algum, eu te paguei por um trabalho muito bem feito — mordeu o lábio inferior e fechou o notebook levantando de sua cadeira e parando em frente a garota.

 — mesmo assim, foi bondosa comigo. Não está nada mal para os seus 31 anos

 — na verdade 30, ainda falta um mês para que eu complete os 31. Depois de cinco anos, não esperava te encontrar nessas condições de advogada, quantos anos tem agora?

 — 23 anos, completei mês passado. Me formei em Direito, investi em um pequeno consultório, sou muito bem paga pelos meus clientes, e felizmente não é clientes atrás de sexo, e sim a procura de uma boa advogada.

 — você se casou?

 — um certo alguém me ensinou que estar sozinha é bem mais divertido, sair com pessoas sem compromisso, então, não, ainda não subi no altar

 — hum, então seguiu os conselhos desse certo alguém?

 — mais ou menos, tive um homem em minha vida, mas algo que durou apenas 8 meses

 — homem... acho que por isso durou tão pouco

 — na verdade, ele se incomodava porque eu não conseguia transar com ele... até rolou, mas nada que me fizesse chegar ao orgasmo, ele que sempre chegava. Fora ele tive apenas pequenos casinhos lésbicos

 — ele era tão ruim assim na cama?

 — não, mas ele não era você

Lauren ergueu as sobrancelhas e sorriu maliciosa.

 — pensei muito em você desde aquela noite, e tenho certeza que não foi apenas eu

 — eu fodi com muitas garotas nesses cinco anos Camila, acha mesmo que fiquei pensando na noite que tivemos juntas?

 — acho sim, você mesma disse que não fui como as outras

 — claro, sua boceta me agradou mais, era tão apertada, você era virgem, eu estava realizando um fetiche de foder com uma virgem e inocente garota, eu usei e abusei de você

 — não quer abusar de mim de novo?

Se aproximou ainda mais fixando seus olhos castanhos nos verdes de Lauren. Ela havia ocultado da latina que sim, havia pensado nela durante meses, mas nada que a fizesse ir a sua procura. Mas agora reencontrando ela, sentiu-se nervosa. Nenhuma mulher a deixou assim.

 — achei que tivesse vindo a trabalho

 — a gente pode resolver isso depois

Ela tirou a saia revelando uma linda calcinha de renda bem pequena. Caminhou rapidamente até a porta trancando de chave.

 — estou no meu local de trabalho,  não costumo misturar sexo casual com trabalho

 — e eu não costumo deixar que me fodam em cima de uma mesa, mas acho que você adoraria fazer isso agora , uh?

Foi a gota d' água para ela que empurrou a Latina contra a enorme mesa da sala não se importando em derrubar as coisas que estavam em cima. Abriu cada botão da camisa social dela e fitou os seios fartos no sutiã também rendado.

 — estão maiores

 — e loucos pra sentir sua boca neles

 — acho que vou gostar da Camila provocadora

 — senhorita estrabão, eu já disse

 — ok, Karla Estrabão, eu vou te fazer sair daqui quase sem conseguir andar

 — nossa, que garota malvada, não seja tão rude comigo Daddy, ou eu posso ser má com você também e não te fazer um boquete bem gostoso, vai querer perder isso?

Puxou ela pela cintura e sua língua invadiu sua boca dando um beijo cheio de desejo enquanto Karla puxava a saia de cintura alta de Lauren deixando-a com a cueca box cinza que deixava Seu membro bem evidentemente marcado. Beijou de forma sedenta o pescoço da mulher a sua frente. Havia passado noites pensando no beijo de Lauren e finalmente estava provando novamente de sua boca carnuda.

 — você é tão gostosa! Eu pensei no seu beijo Lauren.. Eu quis tanto te provar de novo

 — então prova baby girl

Sentou na poltrona e tirou a cueca box masturbando-se com uma mão enquanto chamava Camila com o dedo indicador.

 — eu quero sua boquinha deliciosa bem aqui, me chupando bem gostoso, ainda lembra como fazer isso?

 — você me ensinou bem Daddy, não tive como esquecer

Se ajoelhou no tapete macio entre as pernas da Jauregui e deslizou sua língua de cima a baixo na ereção de Lauren que suspirou. Logo então abocanhou de forma gostosa o membro duro dela e começou a chupar bem lentamente enquanto Lauren gemia e jogava a cabeça pra trás.

 — ooh... você chupa tão gostoso

Camila sorria maliciosa e voltava a acariciar uma das coxas torneadas da garota enquanto a outra mão masturbava ela e abocanhava sua ereção, chupando ela novamente, começando por baixo, pela base do seu sexo, suavemente, subindo e descendo a língua umedecendo-o com sua saliva. Lauren já estava inquieta quando sentia a língua quente de Camila subindo e descendo em seu sexo ao mesmo tempo que a masturbava.

— baby girl.. Eu estou m-muito excitada, você tem uma boca tão deliciosa

  — caladinha Daddy, só quero ouvir o som dos seus gemidos

Foi subindo deslizando sua língua para a glande, a parte mais sensível, deixando-a louca. E ela fazia isso fitando os verdes intensos dos olhos da Jauregui, o que a deixava ainda mais excitada. As mãos passeavam pelos seios e depois pela barriga dela enquanto fazia suaves movimentos de sucção, movendo sua língua ao seu redor chupando todo seu membro.. alternando chupadas só na glande e depois, descendo e subindo, colocando-o todinho em sua boca, enquanto a masturbava. 

 — está tão dura pra mim Daddy, eu amo chupar você

Falou antes de voltar a colocar o pênis dela em sua e o chupar com mais intensidade. Lauren ofegou e segurou nos cabelos de Karla fazendo movimentos mais rápidos com a cabeça dela, fazendo ela engolir seu membro com mais rapidez deixando seu corpo ainda mais quente.

 — isso! Porra baby girl, me chupa!

E ela assim fez até o corpo de Lauren estremecer e ela gozar fortemente em sua boca, ela engoliu tudo, provocando do gosto de Lauren que era delicioso. Sua boca úmida pelo líquido quente.

 — caralho! Esse foi o melhor boquete da minha vida sabia?

 — eu sei

 — quando você ficou tão convencida?

Ela riu e se levantou sentando no colo de Lauren afastando sua calcinha e guiando o membro dela para a sua entrada sem aviso algum.

 — aah.. precisamos.. da camisinha

 — anticoncepcionais deve servir de algo

Piscou pra ela que sorriu satisfeita e atacou os lábios dela em um beijo fervoroso enquanto sentia se membro ser esmagado de forma deliciosa pela fenda apertada de Camila. Puxou a calcinha dela fazendo a pequena peça rasgar.

 — porra, Daddy! Você rasgou...

 — está de saia, então acho que não tem problema. Agora rebola em mim baby, forte e rápido, me faz gozar dentro dessa boceta deliciosamente apertada que você tem

 — se você me beijar, talvez eu atenda seu pedido

Ela observou os detalhes do rosto latino a sua frente, Camila era muito linda, gostosa, provocante, tudo de bom. Segurou na nuca dela e beijou os lábios da garota sugando sua língua uma, duas, três vezes para então morder o lábio dela. Karla quicava fortemente sobre o membro duro de Lauren, sentava nela com prazer enquanto as duas gemiam.

 — tenta gemer mais baixo daddy, ou quer que teus funcionários saibam que está me fodendo na poltrona de sua sala uh?

 — não me importo, eu sou a dona disso tudo

 — toda poderosa, gosto de como você é. As pessoas aqui dentro devem temer você

 — tem toda razão

 — mas eu não temo

 — deveria baby girl, não ouviu dizer que sou uma coração de gelo?

 — e eu sou quente como o inferno daddy, fogo derrete gelo, talvez eu derreta esse seu coração frio

Lauren não disse nada, apenas a beijou. Segurou firme na cintura dela enquanto a fodia rapidamente. Karla apertava os braços da mais velha com força enquanto gemia sentindo a ereção dela em sua fenda apertada, estava tão lubrificada que ele entrava e saia rapidamente. Com a mão, segurou o rosto da Jauregui para fita-la, movimentou mais seu quadril aumentando o ritmo, aproximou o rosto do dela tomando os lábios avermelhados e levemente inchados sobre os seus. Ela sentia uma pulsação intensificada em seu sexo.

— D-daddy...

— isso baby, goza gostoso pra mim, eu estou quase gozando também, caralho!

Deu um tapa na coxa da latina ainda fodendo ela, beijando seu pescoço e dando leves mordidas em sua pele. Mordeu o lábio inferior e sua respiração ofegante batia contra a pele da latina. Só parou de estocar dentro dela até os corpos de ambas atingirem o orgasmo, na mesma sincronia, quase que ao mesmo tempo. Lauren gemeu de forma rouca, a latina enterrou a cabeça no ombro dela e fechou os olhos com força acariciando as costas da mulher que se sentiu relaxada, justo ela que não permitia muito contato carinhoso pós sexo, estava gostando dos carinhos da Srta Estrabão.

— continua bem apertadinha

Tirou seu membro de dentro dela vendo seu liquido escorrer já sentindo-se excitada de novo. Nunca uma mulher a deixava dura dessa forma, Camila conseguia fazer ela se sentir excitada com muita facilidade. Ela levantou para se recompor e a mais velha levantou também agarrando-a por trás e beijando seu pescoço.

— não cansa Daddy? Cuidado pra não se apaixonar desse jeito

— eu não corro esse risco baby girl, eu só quero te foder mesmo

Camila a empurrou, e os olhos verdes analisaram a sua expressão séria.

— acho que deveríamos começar a tratar de trabalho agora

Se vestiu adequadamente e a mulher fez o mesmo indo sentar na cadeira de couro. A latina sentou a frente de sua mesa. Lauren explicou todo o caso para Camila que foi anotando tudo e já pensando nas medidas que poderia tomar.

—nunca suspeitou que ele fosse te roubar dessa forma?

—é um homem de posses, nunca achei que fosse precisar

—mas as pessoas são ambiciosas e sempre querem mais, não deveria ter confiado tão facilmente

—é, eu sei, mas isso agora não vem ao caso, eu quero processá-lo

—farei o que quer

As duas ficaram por mais ou menos meia hora falando sobre o assunto e Camila garantiu que tomaria as medidas necessárias.

—acho que terminamos aqui, eu fico de te ligar quando o safado receber a intimação

—não quer tomar uma bebida?

Caminhou pela enorme sala e pegou o Martine trazendo duas taças

—não estou afim de beber hoje

—ah, só um pouco

Levou sua taça até os lábios de Karla que agora estava sem o batom por conta dos beijos que compartilharam. Ela provou da bebida e passou a língua pelo lábio inferior.

—quando você faz isso eu fico louca sabia?

—isso o que?

—passar a língua pelo lábio

Ela sorriu de lado e suspirou

— preciso ir agora, tenho um encontro —mentiu se virando para a Jauregui que fechou a cara

— que encontro pode ser mais interessante que ficar na minha companhia?

— você se acha tanto assim Lauren? As pessoas querem mais que sexo na vida

— mas você mesma disse que...

— sim, mas acho que mudei de ideia, vou ligar para a garota legal que quer me levar pra jantar e dizer que aceito

Pegou o celular na bolsa e se assustou quando a mais velha tomou o celular de sua mão jogando ele no chão e pisando em cima, esmagando o Iphone 7 dourado. Ela abriu a boca em um perfeito ‘’o’’.

— como ousa?! Droga Lauren, não tinha esse direito, ali estavam meus contatos de trabalho

— eu dou um jeito nisso, só tirar o chip, depois eu te dou um novo celular, mas você fica!

Puxou ela pela cintura de forma possessiva

— então é assim que você fica quando se sente ameaçada? Ao ver que não é o centro das atenções? Está com ciúmes Lauren?

— ciúmes? Eu? —ela riu negando com a cabeça — nunca baby, eu apenas não admito dividir o que me pertence

— desde quando eu pertenço a você?

Segurou no queixo dela aproximando seus rostos

—desde que liguei para aquele cafetão e tive o melhor sexo da minha vida. Eu paguei por você baby girl

— não pagou para que eu me tornasse propriedade sua, você pagou pela minha liberdade e minha virgindade, então estamos quites. Admita, você pensou em mim

Tirou as mãos dela de sua cintura e a rodeou segurando em seu ombro

— você teve ter passado noites se masturbando em pensando na noite que tivemos

Ela disse como se lesse pensamento, a Jauregui realmente fez isso, e procurou em outras mulheres aquele fogo latino que encontrou em Camila, mas nenhuma, apesar de a satisfazer, havia feito um reboliço dentro de si como ela. mas não admitiria isso facilmente.

— você quer que eu seja sua vadiazinha uh?

Perguntou no ouvindo dela que assentiu

— quer que eu seja a sua puta de hoje?

— q-quero...

— então acho que terminamos aqui, pois eu não sou nenhuma puta e nem vadia como as mulheres que você pega

Sussurrou no ouvido dela e a empurrou indo pegar a bolsa.

— por favor, não vai

— me diga um bom motivo pra ficar

— você é deliciosa e eu já sinto vontade de ter você de novo

— motivo fraco, não estou convencida

Lauren suspirou passando as mãos pelos cabelos

— porque eu pensei em você — disse baixo atraindo a atenção da advogada

— fala mais alto, não ouvi direito

— não vou repetir

— sinal que quer que eu vá embora então

— EU PENSEI EM VOCÊ

Disse sem encará-la e fez a garota dar um sorrisinho satisfeito

— pensou? Eu já sabia disso

— então porque diabos quis que eu falasse?

Segurou forte no braço dela

— assim você me machuca Daddy, eu só quis ouvir você falar

— talvez eu devesse fazer isso por ser assim tão metida

— acho que somos iguais nesse quesito Daddy... não há nada demais em dizer o que sente. Porque não me procurou?

— eu prefiro assim, prefiro levar essa vida que tenho

— ir pra cama com diversas mulheres só por diversão?

— isso não é ótimo?

Beijou o pescoço de Camila que se afastou

— eu não vou dar pra você de novo, não está merecendo

— você vai sim, eu sei que está doida pra quicar em mim, me deixa te foder de novo baby girl, veja como você me deixa

Voltou a tirar a saia e puxar a cueca junto deixando seu membro duro exposto.

— nossa... está mesmo excitada

— por sua causa

Beijou a nuca dela e caminhou com Karla até perto da mesa fazendo ela se apoiar na mesma ficando de costas pra ela com sua bunda maravilhosa a disposição de Lauren que fitou admirando a comissão de trás dela. Puxou a saia já vendo-a nua já que tinha rasgado sua pequena calcinha rendada.

— como eu senti falta dessa bunda maravilhosa

Tocou as nádegas dela e deu beijos na região. Deslizou seus dedos pelo clitóris úmido dela e começou a estimular fazendo ela se molhar ainda mais, sentindo o calor e a pulsação em seu sexo.

— aah... Lauren...

— é gostoso uh? Gosta quando te toco aqui?

Seus dedos deslizava pela parte sensível ela, chegando em sua entrada, mas, voltando para seu clitóris e massageando o local. Deslizou sua língua na fenda apertada penetrando-a, umedecendo o local.

— aahh... isso é bom

— é baby girl? Eu também acho que seja

Guiou seu membro para a outra entrada ainda mais apertada e a penetrou

— PORRA! JAUREGUI, devagar... ninguém me fodeu ai desde aquela primeira vez

— que delicia, continua tão gostoso quanto antes

Tirou a blusa dela e o sutiã e acariciou os seios pequenos, beijou o pescoço dela fazendo ela relaxar enquanto sentia suas investidas. Não sabia que vicio era aquele, sentia vontade de agarrar a garota e não soltar mais, parece que nunca ficava suficientemente satisfeita, sempre queria mais, ela era tão gostosa.

— não goza dentro... Daddy

— devia ter se preocupado em eu gozar na sua boceta, e eu o fiz e você não ligou

— porque tomo remédios... mas ai.. é estranho...

— fica caladinha baby, e só geme pra mim

Ficou estocando dentro dela rapidamente, sentia seu membro sendo esmagado o que lhe dava ainda mais prazer. Antes de chegar ao ápice saiu de dentro dela e guiou seu membro para sua boceta apertada e a penetrou de uma vez.

— aahh! CARALHO LAUREN

— isso baby, geme gostoso

Tentava controlar a respiração mas não conseguia, seu corpo estava envolvido em uma áurea sexual maravilhosa, e não demorou para gozar novamente, e a latina chegou ao seu ápice logo em seguida. Seu rosto apoiado na mesa, sua respiração ofegante. A Jauregui saiu de dentro dela e puxou seu quadril, ela se virou e entrelaçou suas pernas na cintura da mais velha. Acariciou o rosto dela que tomou seus lábios em um beijo cheio de desejo. Ela a segurou em seu colo e caminhou com ela fazendo-a encostar suas costas na parede dura enquanto mantinha as pernas ao redor de sua cintura e sentia o membro de Lauren roçar em sua intimidade.

— ainda quero mais de você

Deslizou sua glande úmida pelo clitóris de Camila que gemeu manhosa e beijou o pescoço dela. Então mais uma vez Lauren a teve para si.

(...)

Depois da maratona de sexo ambas estavam exaustas. Se vestiram direitinho, Camila retocou o batom e arrumou os cabelos que ficaram um pouco bagunçados.

— vou embora agora, e vou aguardar a sua ligação, vou colocar o chip em outro celular

— quem garante que não ligarei apenas pra falar sobre o trabalho?

— eu garanto, você vai ligar, e não vai ser pra falar de trabalho, fique com esse beijo de despedida

Envolveu o pescoço dela com seus braços, roçou seus lábios nos dela antes de iniciar um beijo quente e lento, sentindo a língua da mulher serpentear em sua boca e passar pelo seu lábio. Mas não durou muito pois ela logo se afastou.

— adeus Daddy Jauregui

Abriu a porta da sala e saiu fazendo soar o barulho de seu salto. Lauren ficou ali ainda ofegante. Sentou na poltrona e viu a calcinha da garota jogada no chão. Apanhou e pegou até seu rosto sentindo o cheiro feminino dela.

— maldita Srta Estrabão

Mordeu o lábio inferior e deu uma risada maliciosa.

(...)

Não se passou nem uma semana e Lauren fez como a Latina havia dito, a procurou, era como se fosse uma drogada com abstinência, não sabia explicar. A convidou para jantar, ambas conversaram sobre diversos assuntos que não envolvesse apenas sexo, e no fim da noite, claro, tiveram um sexo quente e prazeroso.

Depois de 1 ano nesse envolvimento sem compromisso. Lauren teve uma crise de ciúmes que a fez perceber uma coisa. Elas estavam em uma cafeteria tomando um delicioso café quentinho, quando a garota precisou ir ao banheiro. No caminho de volta para a mesa um dos atendentes que já havia ficado de olho da latina assim que chegaram, estava puxando papo. A mulher levantou furiosa da cadeira e se aproximou deles empurrando o homem no peitoral.

— o que pensa que está fazendo seu mariquinha?

— está louca senhora? Como chega assim do nada e me ataca?

— está vendo essa mulher pelo qual está babando? —ele assentiu — pois é, ela é gostosa né? é linda, divertida, brincalhona, doce... — Camila sorriu ouvindo todos os elogios vindos dela que não costumava dizer essas coisas — ela é um conjunto de coisas pelo qual me deixou perdidamente apaixonada —a latina abriu a boca surpresa — ela é minha garota! Então, fique longe eu eu quebro a sua cara seu moleque

Seus olhos verdes fitaram os olhos escuros do rapaz que engoliu em seco e saiu de perto das duas. Só então ela respirou e olhou pra Camila.

— então quer dizer que eu sou tudo isso? e que a coração de gelo está apaixonada por mim?

— eu não vou repetir aquilo tudo

Disse séria, a latina gostava desse  jeito durão que Lauren tinha, a deixava tão sexy, amava isso nela.

— não precisa repetir, eu gravei cada palavra na minha cabeça. Mas aquele ‘’ela é minha garota’’ significa o que? que estamos namorando?

— significa que eu quero foder apenas você pelo resto da minha vida

Camila riu do modo que ela falou, Lauren era péssima em romantismo, mas havia entendido o que ela quis dizer e seu coração palpitou no peito.

—Lauren... você...

A mulher se ajoelhou na frente de todo mundo na cafeteria, não se importou com quem a olhava.

—sim, você quer casar comigo Srta Estrabão?

Pediu em seus segundos de coragem. O rosto de Camila se iluminou. A Jauregui não queria mais perder tempo negando seus sentimentos pela mulher a sua frente.

— claro que eu aceito Daddy! Quer dizer, LAUREN!

Ela riu e se levantou puxando-a para um beijo e recebendo aplausos das pessoas que as observava.

— eu nem acredito que você fez isso

— nem eu, mas eu acho que já estava na hora de parar de negar o óbvio

— é, estava mesmo, eu não aguentava mais esperar, acho que te amo mesmo

Beijou os lábios da mulher de olhos verdes que retribuiu acariciando seu rosto.

— eu também amo você baby girl — foi a primeira vez que disse aquelas palavras, mas tinha certeza de que a latina já sabia de seus sentimentos, já havia dito através de olhares

— ainda bem que fez o pedido, eu não estava afim de ter um bebê sozinha

Lauren fitou os olhos castanhos que vacilaram com medo da reação dela. logo lembrou-se que não estavam se protegendo da forma que deveriam. procurou algum vestígio de que aquilo fosse uma brincadeira, mas não achou.

— você está...

— grávida, fiz o teste ontem e deu positivo, por favor não fica brava

Lauren lembrou que ela esteve enjoada semana passada, mas nem havia pensado naquela hipótese. A Jauregui sorriu beijando a testa dela de forma carinhosa.

— ótimo, agora vou ter um herdeiro para a minha fortuna, mas confesso que a ideia de ser mãe me assusta

A garota respirou aliviada e sorriu abraçando Lauren.

— me assusta também, mas faremos isso juntas!

E foi assim que a vida da empresária multimilionária mudou completamente. Um Fetiche que a fez conhecer uma garota rara, que foi diferente de todas as outras. Um destino que as fez unir seus caminhos por uma segunda vez e as presenteou com um amor, e com uma criança que logo viria para deixar suas vidas ainda melhor. Lauren agora sabia o que de fato era se sentir sortuda, seu dinheiro não trazia tanta felicidade como ela pensava, agora tendo Camila em seus braços e o seu filho no ventre dela, ela pôde experimentar da verdadeira felicidade.


Notas Finais


grata pra você que leu. quem for comentar por favor votem também, sempre tem a nota de 1 ao 5, eu quero saber o que acharam. e quem quiser indicar para as amigas eu fico mais grata ainda, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...