História Fetish - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney
Tags Abo, Fairy Tail, Gajevy, Gale, Romance
Visualizações 184
Palavras 1.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá chuchus.... Vocês estão bem? Atendendo a pedidos eu farei uma breve explicação sobre o universo ABO.
As fanfics abo tratam de um universo de híbridos de humanos e lobos (mas tem gente que gosta de colocar outros animais) O motivo da criação desses híbridos vai de cada escritor no meu caso, os híbridos da minha história forma criados a fim de evitar a extinção da humanidade (Como na fic Desire). Assim que nesse universo os híbridos são divididos por classes, Alfas, Ômegas e betas, aqui em baixo vou explicar sobre as classes, o dato de dar nó e a marca:
ALFAS: São os líderes, os mestres da sociedade, as vezes são másculos, ciumentos e protetores, possuem um tipo de "encantamento" na voz, um timbre acionado que pode afetar as demais Betas e Ômegas que são as classes inferiores, deixando-as com medo ou persuadindo-as a fazerem o que eles desejam, os Alfas se relacionam apenas com Betas ou Ômegas. Seu cio ocorre de seis em sei meses e dura uma semana. Nesse período, e eles basicamente ficam cheios de tesão e loucos por sexo, podendo fazer isso com qualquer uma das classes, mas preferindo os ÔMEGAS.

BETAS: Os Betas são considerados os que tem o DNA mais próximo ao DNA humano e por isso, não tem cios, não se atam e também não possuem uma mordida. Eles se relacionam com as duas classes (Alfas e Ômegas).

ÔMEGAS: São a terceira classe, logo são submissos. A maioria são pequenos, durante seu cio, o cheiro dos Ômegas se torna mais forte, basicamente para atrair Alfas.
Esse período costuma durar uma semana e acontece de três em três meses nos Ômegas.
ATO DE DAR NÓ: Na hora da ejaculação a cabeça do pênis do Alfa incha e ele se prende/ata (faz um nó) ao seu parceiro, ficando ali um tempinho. Isso acontece para aumentar as chances de uma gravidez. Isso só acontece em uma relação Alfa-Ômega.

MARCA: Quando um Ômega é marcado por seu alfa (a marca é uma mordida dada em qualquer lugar do corpo), suas almas se interligam, formando uma espécie de laço inquebrável invisível, uma conexão para vida toda, e isso significa que um pertence ao outro para toda a eternidade.

Isso é tudo, boa leitura ♥
PS: Tem aviso hoje :3

Capítulo 6 - Culpa


Fanfic / Fanfiction Fetish - Capítulo 6 - Culpa

Assim que o homem saiu Levy e Gajeel permaneceram mais um tempo na praça, depois resolveram que iriam almoçar em um restaurante que ficava próximo de onde estavam, e depois voltariam para o hotel, durante o caminho de volta para o hotel Levy começou a pensar no que faria para fazer o alfa dizer que a queria, ela queria muito ver o homem implorar por ela, não sabia o motivo, mas seria divertido vê-lo sair de seu pedestal; se Lucy soubesse do que ela fez provavelmente morreria de preocupação. Pensar nessas coisas fez a pequena sorrir e chamou a atenção de Gajeel.

— O que foi?  — Ele perguntou sem tirar os olhos da estrada e a garota despertou de seus pensamentos.

— Estava pensando em bobagens. — Ela falou olhando a paisagem e o homem sorriu novamente.

— Você só pensa em bobagens... — A garota revirou os olhos, mas soltou uma risada baixa, ficar com aquele alfa não era tão ruim quanto ela imaginou que seria, quando ele se comportava, ela até achava ele legal.

Quando chegaram ao hotel, eles foram direto para o quarto, Levy ligou para Lucy e lhe contou tudo o que tinha acontecido e por alguns instantes achou que sua amiga fosse enfartar, a loira garantiu que na empresa tudo estava bem e depois de Natsu choramingar a ômega passou o celular para Gajeel que conversou com o amigo por alguns minutos.

Depois disso ambos ficaram em seus cantos, Levy resolveu que iria aproveitar que estava em Paris e iria desenhar novos modelos de roupas inspirados na cidade, Gajeel estava aproveitando para não pensar em nada sobre o trabalho, sentou-se na frente da Tv e buscou algum filme para assistir, achou um filme de comedia super engraçado, e começou a assisti-lo, Levy tentava ignorar as risadas altas do homem que lhe incomodava e ao finalizar seus desenhos, foi até ele para mostrar o que tinha feito.

— Olha o que eu fiz. — A pequena saltitava animada na frente do alfa que a olhava com uma cara esquisita e pegou os desenhos para observar.

— Esses desenhos são lindos. — Ele falou sério e os olhos da garota brilharam, Gajeel admirou seus desenhos por mais alguns instantes e Levy o observava orgulhosa.

— Vou mandar para Lu-chan, espero que ela goste. — Ela falou animada pegando os desenhos das mãos de Gajeel com delicadeza.

—Fica aqui, depois você faz isso. — O homem falou em tom de ordem chamando a atenção da garota que se irritou um pouco, mas resolveu que iria provoca-lo.

—Então você assume que gosta da minha companhia? — A pequena se aproximou dele falando de modo maldoso, porém o maior pareceu não se importar.

— Sim, eu gosto da sua companhia e nunca escondi isso de você... E é por isso que eu quero que seja minha. — Ele falou sério, lançando um olhar feroz para a ômega que foi pega de surpresa pela resposta do maior e que agora estava com vergonha, a pequena se afastou sentindo seu coração bater de forma rápida, enquanto tentava se convencer que aquilo era apenas uma brincadeira daquele homem.

— Eu vou mandar o desenho para Lu-chan e depois eu volto. — Ela saiu apressada e o homem voltou a assistir seu filme, a garota parou no meio do caminho e virou-se para olhar o homem que ria de maneira exagerada em frente à tv, por alguns segundos pensou que não seria tão ruim ser a ômega dele, apesar de ser bruto ele estava tratando ela muito bem durante a viagem. Seu telefone tocou fazendo com que ela despertasse de seus pensamentos, ela viu que era Juvia e atendeu.

Depois de falar com Juvia, ela mandou o desenho para Lucy que aprovou o design e conversou um pouco com a pequena, após isso ela se sentou ao lado de Gajeel que parecia hipnotizado pela tv.

—Você pretende passar o dia todo aqui? — Ela perguntou seria e ele revirou os olhos.

— O que eu quero fazer, você não deixa. — Ele riu e dessa vez a garota foi quem revirou os olhos.

— O que vamos falar para a Erza no jantar de hoje? — Levy falou ao lembrar da mentira que contaram para a mulher que parecia extremamente séria, apesar de ser muito gentil.

— Vai ser bem simples, você vai agir como uma ômega comum e eu vou ser apenas eu, concorde com que eu digo e tudo ficará bem. — Ele falou passando a mão na cabeça da garota como se ela fosse um animalzinho o que a fez rosnar irritada.

— Não acho que isso seja uma boa ideia Gajeel... E se ela quiser ver a marca? — Só de imaginar aquilo a garota ficava nervosa, mas o homem ao seu lado não se importava.

— Podemos dizer que sua marca é em um lugar escondido. — Ele falou malicioso e a garota suspirou pesadamente.

— Eu não sei se isso vai dar certo. — A garota falou desanimada e segundos depois sentiu alguém lhe levantando, como uma rapidez que ela nunca tinha visto, Gajeel a carregou em direção ao quarto e a jogou na cama, ficando sobre ela.

—O que está fazendo? — A garota perguntou nervosa, tentando empurrar o homem que a encarava de forma sedutora.

— Você está nervosa demais, irei relaxar você. — Antes que a garota pudesse dizer algo o homem veio em sua direção e beijou seu pescoço fazendo com que ela rosnasse baixo, a pequena levou as mãos em direção ao homem, mas ao invés de tentar lhe afastar ela o puxou para si, fazendo o home sorrir satisfeito, a mente da garota estava nublada igual nos dias de seu cio e ela tentava se controlar, o homem agora passava suas mãos pelo pequeno corpo da garota e ela sentia uma eletricidade tomar conta de si. A garota fechou os olhos e respirou fundo, depois o empurrou com força recebendo um rosnado raivoso do homem, ela saiu da cama e correu para o banheiro.

— Até quando você vai fugir de mim? — O home gritou do lado de fora do banheiro e a garota lavou seu rosto tentando se recuperar, mas resolveu responder:

— Não estou fugindo de você, só estou evitando que você se apaixone por mim.  — Ela sorriu vitoriosa se olhando no espelho.

— Eu não vou me apaixonar por você pequena, agora venha aqui e vamos terminar o que começamos. — O homem respondeu, mas a sua resposta fez com que a garota ficasse desanimada, não sabia o porquê de aquela resposta ter tirado todo o seu ânimo, ficou em silencio por alguns instantes e se sentiu irritada.

— Me desculpe, mas a única pessoa que pode me relaxar é o Rogue. — Falou sem pensar e ouviu u rosnado raivoso e depois ouviu passos se afastando da porta do banheiro, lembrou do que Natsu tinha tido e se sentiu culpada, quando saiu do banheiro Gajeel estava assistindo Tv silencioso, ela passou sentou ao seu lado e ele não disse nada.

O resto da tarde foi extremamente silenciosa, Gajeel não falava nada e Levy que se arrependera do que tinha dito, também não dizia nada, ambos ficavam pelo quarto como dois fantasmas.

 Quando estava começando a escurecer Gajeel a lembrou que ela tinha que se arrumar para o jantar, silenciosa a garota foi para o banheiro afim de tomar seu banho e o alfa permaneceu silencioso na sala, enquanto tomava seu banho Levy pensou se suas palavras poderiam ter estragado tudo o que tinha conseguido até ali, resolveu que antes de sair pediria desculpas para Gajeel, depois de ter tomado sua decisão a garota mergulhou na banheira de modo relaxado, tentando não pensar no jantar que se aproximava.

Assim que terminou seu banho, a pequena foi se arrumar e Gajeel andou lentamente para o banheiro, a garota se sentou em frente à Tv se sentindo culpada por ter estragado tudo, assim que Gajeel saiu ela foi em sua direção, o alfa estava apenas de toalha e a visão de seu corpo tirava a atenção da pequena que tentava se manter concentrada.

— Desculpe pelo o que eu disse Gajeel. — A garota falou desanimada, mas o homem não expressou nenhuma reação.

— Está tudo bem pequena, mas você tem um péssimo gosto, o Rogue é um canalha. — Levy percebeu que Gajeel tentava manter o controle ao falar sobre seu irmão e isso a fez se sentir mais culpada ainda.

— Eu não gosto do Rogue.... Será que podemos esquecer essa história? — Ela perguntou para Gajeel que deu de ombros, como se não se importasse.

Os dois ficaram em silencio e a pequena se retirou para que o homem pudesse se vestir, se jogou no sofá com cuidado para não bagunçar sua roupa e procurou um filme para passar um tempo, enquanto se culpava por ter falado uma grande bobagem.


Notas Finais


Minhas aulas começaram e eu vou fazer o possível para postar a fic com regularidade, mas não posso garantir que será sempre assim, os dias que não postei era porque estava doente  mas agora estou bem melhor, então não me abandonem *-*
Se você ta gostando dessa fic, eu te recomendo a ler a minha one Desire que também fala do universo Abo.

https://spiritfanfics.com/historia/desire-abo-9789688

Isso é tudo por hoje pessoal.
Beijos e Obrigada ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...