História Fetish - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney
Tags Abo, Fairy Tail, Gajevy, Gale, Romance
Visualizações 122
Palavras 1.312
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi chuchus quanto tempo? Desculpas pelo atraso, acabou que eu tive alguns problemas de saúde junto com um bloqueio criativo enorme, mas aqui está o capitulo de hoje. Espero que gostem e boa leitura ♥

Capítulo 7 - Noite de Surpresas


Fanfic / Fanfiction Fetish - Capítulo 7 - Noite de Surpresas

Alguns minutos se passaram até que Gajeel terminasse de se arrumar, o clima estava tenso e Levy tentou mudar as coisas contando uma piada sem graça que o alfa fez questão de ignorar, a garota fez mais algumas tentativas, mas acabou desistindo.

— Está na hora, vamos. — O alfa falou seco e saiu andando na frente rápido e a pequena tentou o alcançar, assim que conseguiu pegou em sua mão, fazendo com que ele se surpreendesse com sua atitude, ele olhou para ela serio que soltou um sorriso fraco.

— Você é meu alfa.... Lembra? — A atitude da garota, fez toda raiva do alfa passar e ele não pode deixar de rir ao ouvir aquelas palavras, mesmo que não fosse de verdade, ouvir aquilo lhe fazia bem.

Os dois foram de mãos dadas até o elevador e permaneceram em silêncio, Gajeel parecia ter melhorado de humor e aquilo deixava Levy feliz, não queria estragar as coisas com seu trabalho e por algum motivo que era desconhecido para ela, não queria ver o alfa chateado, resolveu que após o jantar conversaria com o alfa sobre assunto, ao chegarem ao estacionamento, Gajeel abriu a porta do carro para a pequena que se surpreendeu com a ação e sorriu animada, o homem permanecia em silencio mas não parecia chateado.

Durante o caminho a pequena foi falando sobre diversos assuntos e o maior apenas ouvia silenciosamente, as vezes ela achava que estava o irritando, mas ele não falava nada e ela não queria que ficasse um clima estranho no ar. Ao chegarem no local, Gajeel abriu a porta do carro para Levy, a ômega saiu do carro animada, a noite estava fria a pequena se encolheu e sentiu os braços do alfa ao redor de sua cintura, não reclamou pois sabia que tinham que fingir ser um casal, assim que entraram no restaurante deram de cara com a ruiva que estava na recepção chegando as reservas que tinha feito, assim que os viu a ruiva sorriu e veio em sua direção, Levy notou que ela estava totalmente diferente do outro dia, parecia mais solta.

— Boa noite Levy e Gajeel. — A mulher falou sorridente e ambos responderam educadamente, depois que a ruiva terminou de verificar a reserva, o casal a seguiu até a mesa, a mulher falava o tempo todo e Levy ouvia com atenção, enquanto Gajeel parecia distraído com algo.

— Onde está o seu esposo? — A pequena perguntou curiosa e antes que a ruiva respondesse um homem de cabelos azuis, com uma marca no rosto entrou e sorriu para Levy, fazendo Gajeel rosnar baixo.

— Estou aqui senhorita McGarden. — Ele falou sorridente e sentou-se ao lado da ruiva que lhe apresentou dizendo que seu nome era Jellal e depois passou a mão em sua cabeça, como se o mesmo fosse um animal, ao lado da mulher o homem parecia tímido, apesar de sua entrada cheia de confiança, ele não encarava muito os dois alfas que os acompanhavam e passava a maior parte do tempo calado e quando abria a boca, parecia que não tinha muita opinião própria, sempre concordava com a mulher que estava lhe acompanhando.

— Vocês estão a quanto tempo juntos? — A ruiva perguntou curiosa e Levy se sentiu nervosa, mas Gajeel pareceu não se abalar.

— A quase um ano, eu nunca quis nenhum ômega então mantive o relacionamento em segredo. — Ele falou debochado e a garota teve vontade de lhe dar um beliscão, mas permaneceu quieta.

A noite seguiu com a mulher fazendo perguntas sobre o casal, Gajeel respondia todo o interrogatório e Levy apenas ouvia com atenção a história absurda do homem.

Segundo a história de Gajeel, ambos tinham se conhecido em uma festa e Levy se apaixonou por ele, que só veio se apaixonar por ela depois. A ruiva parecia bem interessada na história de Gajeel e ele parecia se divertir com aquilo o outro ômega que estava silencioso apenas ouvia e as vezes encarava a pequena.

— Vou fazer uma ligação e já volto. — Levy falou olhando para Gajeel como se pedisse permissão e ele balançou a cabeça deixando que ela fosse, ela sabia que naquela noite teria que agir como um verdadeiro ômega. Levantou-se lentamente e foi para fora, respirar um pouco, estava distraída quando sentiu uma mão tocar seu ombro, virou-se e deu de cara com o ômega de Erza, sorriu nervosa e recebeu um olhar enigmático do homem de cabelos azuis.

— Eu estava preocupado por vocês estarem enganando a Erza, mas depois de conhecer vocês dois, não preciso mais esquentar a cabeça. — Levy o olhou nervosa, não sabia como aquele homem tinha descoberto tudo, ele era bem mais esperto do que aparentava.

— Do que está falando? Eu e Gajeel somos um casal... — A garota falava claramente nervosa e o homem a encarava com calma, a deixando mais nervosa.

— Eu vi vocês no dia que chegaram e claramente vocês não são um casal ainda. — Ele falou de modo distraído e a garota o encarou seria.

— Ainda... Eu e Gajeel nunca vamos ser um... — Colocou as mãos na boca, ao perceber que tinha caído na história do homem.

— Não se preocupe eu não contarei nada para Erza, esse negocia vai ser ótimo para nós também e por algum motivo ela gostou muito de vocês. — O homem falou enquanto passava as mãos nos cabelos e Levy soltou um suspiro claramente aliviada.

Depois da conversa franca, ambos voltaram juntos para mesa e Jellal deu uma desculpa qualquer para sua demora. A noite foi animada, Erza explicou que quando não se tratava de negócio ela era mais relaxada e por isso estava tão diferente, quando estava ficando tarde, os dois casais se despediram e Erza disse que queria vê-los mais uma vez, recebendo uma resposta cordial de Gajeel.

O alfa abraçou a pequena e se encaminhou para a frente do restaurante esperando seu carro, que o manobrista tinha ido buscar, Levy estava encolhida com frio.

— Levy. — O homem chamou sua atenção e quando a garota se virou, viu o rosto do alfa próximo ao seu, antes de esboçar qualquer reação recebeu um beijo do alfa, por instinto a garota ficou nas pontas dos pés e a profundou um beijo, o alfa pareceu supresso, mas aproveitou cada minuto, ao terminarem, Levy se encolheu no seu peito visivelmente envergonhada.

— Isso foi muito bom, precisamos fingir ser um casal mais vezes, depois de ver esse beijo, eu tenho certeza que a Erza não vai mais desconfiar de nada. — O homem falou orgulhoso e Levy o encarou.

— Você me beijou por causa da Erza? — A garota perguntou séria e o homem confirmou dizendo que ela estava os observando.

—Você não está chateada, não é? Porque eu só ia te dar um beijo simples, mas você avançou e eu não pude me controlar. — Ele a olhou curioso e ela lhe deu um sorriso fraco.

— Claro que não, eu sei que isso tudo é fingimento, não sou boba... — A garota falou sentindo uma vontade estranha de chorar, mas ignorou o que sentia e respirando fundo, entrou no carro assim que o manobrista apareceu.

O caminho para casa foi silencioso, Levy pensava no beijo e em como sentiu seu copo ficar quente quando beijou o alfa que parecia mais animado que o normal, por um motivo desconhecido para ela, repentinamente o homem mudou o caminho e a garota se espantou.

— Para onde está me levando? — Ela perguntou curiosa e ele sorriu misterioso, a garota fechou a cara e ele revirou os olhos.

— Hoje à noite vamos festejar pequena, quero ver você se divertir sem culpa. — Ele falou malicioso e a garota se encolheu.

O alfa estacionou em frente a uma boate e pequena respirou fundo, pelo visto eles realmente iriam festejar, a garota se arrumou dentro do carro e depois seguiu o alfa que a esperava ansiosamente do lado de fora. Decidiu que iria se divertir pelo menos naquela noite, afinal que mal faria?


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui e por não me abandonarem, farei o possível para postar com regularidade, vocês são incríveis.
Até a próxima.
Beijos ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...