História Fetish - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Tags Addison Montgomery, Meddison, Meredith Grey
Visualizações 28
Palavras 2.210
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ignorem os erros de português, eu já tinha corrigido e postado no wattpad, mas perdi o arquivo. Como tem pessoas pedindo para postar aqui também, espero que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo 01


Fanfic / Fanfiction Fetish - Capítulo 1 - Capítulo 01

Amanheceu um dia quente em Seattle, completamente diferente da temperatura que todos moradores de lá estavam acostumados. Diferente assim como a rotina de Meredith estava.

Depois de descobrir que Derek tinha uma esposa, em apenas um dia sua vida já estava de ponta cabeça. Começando pelo primeiro dia de trabalho depois da péssima notícia.

 

– Você está com Satanás hoje, já viu? – Yang perguntou ao ver Meredith parar ao seu lado em frente ao quadro de cirurgias.

 

– Quem? – a loira perguntou confusa, franzindo o cenho.

 

– Addison Montgomery-Shepherd. – respondeu sem entusiasmo, deixando a cabeça cair para o lado. Meredith parou por um segundo e refletiu sobre a velocidade que as notícias corriam pelo Seattle Grace.

 

– Ah... – exclamou com ar de despreocupação. – Nada que eu não saiba lidar.

 

– Boa sorte com isso então. – a amiga disse enquanto deu um aperto leve no ombro de Meredith, como se quisesse conforta-la. 

 

Meredith caminhou pelos corredores do hospital que conhecia muito bem. Podia perceber os olhares atravessados indo em direção a si. Como previa, todos já estavam sabendo e ela sairia (como sempre) como a vilã da história. 

 

– Ei! Dr. Grey, certo? – a loira escutou e virou-se para ver quem a chamava. Addison. "Agir naturalmente", Meredith pensou enquanto caminhava até a ruiva.

 

– Sim, Dr. Montgomery. Eu acho que não precisamos de apresentações. – respondeu friamente. 

 

Ela realmente estava muito curiosa para saber quem a havia colocado no serviço de Addison, mas sua timidez impediu de perguntar.

 

– Ok... – Addison respondeu calmamente. – Então, a paciente do 1334... – foi interrompida por uma voz masculina. As duas pararam quase que simultaneamente. Era o chefe, Dr. Webber. 

 

Menos mal, não era Derek como Meredith esperava.

 

– Meredith, eu gostaria de falar com você. – disse olhando para Addison como se quisesse conversar a sós com a interna. Entendendo o recado, Addison afastou-se um pouco e escorou-se na parede.

 

– Bem... – falou com dificuldade de achar palavras certas – Se você não está se sentindo bem nessa situação... – Webber iniciou, mas logo foi interrompido.

 

– O que? Com a mulher do Derek? Está tudo bem, eu não me importo.

 

– Você tem certeza disso, Meredith? – ele disse quase que em um sussurro. 

 

– Eu tenho absoluta certeza de que sei lidar com isso e não vejo problema nenhum em ser interna da Dr. Montgomery. – a última parte soou tão alto que Addison conseguiu escutar.

 

Webber sorriu e saiu caminhando pelo corredor, quando de repente Meredith correu até ele.

 

– Eu apenas... apenas queria saber quem me colocou a serviço dela hoje. – disse em um tom de voz completamente diferente do que tinha usado na fala anterior. 

 

– A própria. – respondeu rapidamente, deixando Meredith confusa. Ela franziu o cenho.

 

– Algum problema? – Addison perguntou ao ver a interna retornando.  

 

– Não, eu só... – foi interrompida por ela.

 

– Então, onde nós estávamos? – entregou o prontuário para Meredith. 

 

– Ah, sim. Paciente do 1334, Sra. Phillips, acompanhamento pós operatório. 

 

As duas caminharam pelos corredores em busca do quarto. Era possível perceber o clima entre as duas, não deram sequer uma palavra no caminho. Elas até poderiam estar se esforçando para serem o mais profissionais possível, mas não podiam negar que era um tanto difícil.

 

– Qual o problema com essas pessoas? – Addison perguntou quebrando o silêncio e olhando em volta.

 

– O que? Desculpa, não escutei. – a loira perguntou, saindo do mundo da sua imaginação.

 

– Essas enfermeiras, olhando para nós como se fossemos E.Ts. Certamente por causa dos boatos sobre mim, você e Derek. – pararam na frente do quarto da paciente. 

 

Addison tirou o óculos para observá-la melhor. 

 

Meredith sentiu-se intimidada de uma forma que não sabia explicar. Ao mesmo tempo, envergonhada. Sem perceber suas bochechas já estavam coradas somente ao tocar no assunto "Derek". 

 

– Oh – disse surpresa – não, eu não quis dizer que foi culpa sua. – falou assim que percebeu que tinha deixado a interna ser graça – Eu só... 

 

– Está bem, eu sei... – disse e mudou de assunto – A paciente deve estar esperando. 

 

As duas entraram no quarto e se depararam com Sra. Phillips. Cirurgia complicada a dois dias atrás.

Addison posicionou-se a frente, mais perto da paciente, enquanto Meredith ficou no fundo da sala, esperando ser chamada, se necessário. 

 

– Então, está tudo ok? – a ruiva perguntou depois de checar tudo que precisava. A paciente afirmou com a cabeça – Mais tarde, Dra. Grey vai retornar e dar mais uma olhada.

 

– Ela? – perguntou com um tom estranho na voz, inclinando levemente a cabeça para onde Meredith estava.

 

– Sim, algum problema? – Addison perguntou.

 

– Ela me faz lembrar alguém que não gosto muito... Mas que meu marido gosta, dentro de uma lingerie para falar a verdade... Você entende, não entende? 

 

Addison olhou para a interna incrédula, e ao mesmo tempo com pena devido a saia justa que a paciente a havia colocado.   

 

Nesse momento, Meredith olhava para o par velho de all star que calçava, tentando esconder a vergonha que estava sentindo.

 

Addison teria toda e qualquer razão para concordar com a paciente, o que ela não fez. Melhor, fez o contrário. Fez o que Meredith nunca pensou que a mulher do homem que ela estava traindo fosse fazer. 

 

– Bem, Sra. Phillips, eu não tenho a paciência nem o sangue frio da Dra. Grey, por isso vou ser bem direta. – deu uma pausa e suspirou – Eu trai o meu marido, e ele me traiu. Então acho que você deve um pedido de desculpas a alguém.

 

Quando Addison terminou sua fala, a loira levantou a cabeça e seguiu os passos da ruiva, que deixou a sala em total silêncio.

 

Meredith saiu atrás, caminhando o mais rápido que pode para alcançar sua mentora. 

 

– Dra. Montgomery – exclamou ofegante, e Addison girou sobre os saltos para virar-se para ela. 

 

– Sim? – disse fechando o prontuário que estava em mãos e tirando seu óculos, como de costume. 

 

– Obrigada por... – estava tentando achar as palavras certas, mas sem sucesso, apelou. – Por aquilo. – apontou com o polegar para a direção da sala que tinham acabado de sair.

 

– Não me agradeça, eu não fiz isso por sua causa, fiz porque era certo. – disse de uma forma seca.

 

Ela não tinha obrigação nenhuma de estar fazendo aquilo. Agradecer a mulher do homem que ela estava transando. Mas mesmo assim, fez. 

 

A presença de Addison a incomodava, ou intimidava, ela não sabia se pelo fato de estar "concorrendo" com ela por causa de Derek, ou qualquer outra coisa. 

 

Meredith engoliu seco e mudou de assunto.

 

– Você precisa de alguma coisa? – a interna perguntou mostrando interesse. 

 

– Preciso que você cheque meus pós operatórios. Todos – disse pausadamente. Por que médicos atendentes adoravam encher os internos de coisas?

 

– Ah, pode deixar. – disse desanimada, pensando que conseguiria um grande caso.

 

Xxxx

 

– Meredith é minha interna hoje. – suspirou e bebeu um gole do suco. Addison disse para Callie, sua melhor amiga, que estava almoçava com ela no momento.

 

– O que? – perguntou incrédula – Como você consegue? Ou melhor, porque pediu para colocarem ela a seu serviço hoje? – a latina perguntou confusa.

 

– Hoje? Meredith vai ser minha interna por uma mais de uma semana. – disse ameaçando uma risada – Estou tentando odiar ela. 

 

Callie apoiou a cabeça entre as duas mãos.

 

– Só queria conhecer melhor a mulher que vem transando com meu marido... Você sabe, atendentes tem vantagens sobre internos... – arqueou uma das sobrancelhas – Então, ferrar ela um pouquinho não vai fazer mal à ninguém.

 

– Addie, Addie... Eu conheço você, hein? – sorriu – Olha o que você vai aprontar.

 

No outro lado do hospital, Meredith despejava todas suas reclamações em Cristina.

 

– Ela fez eu checar TODOS os pós operatórios dela. – disse indignada – Você sabe o quanto isso é... é... – bufou, mostrando-se irritada.

 

–  Não é nada que eu não saiba lidar! – Yang disse em tom de deboche, imitando o que a loira tinha dito no início do dia.

 

– Eu estou certa, não estou? Tudo bem trabalhar com ela, mas ela está usando sua superioridade para se vingar de mim!

 

– Não exagera... – Yang disse.

 

Meredith sentiu seu pager vibrar e o retirou do bolso.

 

– Mas é o que parece. – mostrou o pequeno aparelho para a amiga. Era Addison a chamando. 

 

Xxxx

 

– Chamou, Dra. Montgomery? – a loira perguntou ao entrar na sala.

 

– Chamei, Dr. Grey. Eu... tenho um procedimento amanhã, uma histerectomia. Queria saber se você tem interesse em participar. 

 

– Eu? Quero dizer... É claro que eu quero. – a interna disse surpresa. Não esperava o convite vindo por Addison.

 

– Mas antes, preciso das transcrições das minhas cirurgias. – pegou alguns papéis de dentro da gaveta e entregou para Meredith.

 

– Que horas eu preciso estar aqui? – colocou a pilha de papéis em ordem.

 

– Às oito horas. Em ponto, sem atrasos. – disse firme. – Ah, quero esses prontuários registrados no sistema. 

 

– Certo, então eu registro os prontuários depois da cirurgia. – se voltou para sair da sala.

 

– Não, não, não. Isso tem que ser feito até antes da cirurgia. Se não, nada feito. 

 

Addison estava realmente infernizando Meredith. O que não queria dizer que estava passando a odia-la. Parecia estar fazendo aquilo por puro prazer.

 

– Mas... Eu vou precisar ficar aqui a noite inteira? – disse desanimada e contrariando a ruiva.

 

– Se quiser participar da cirurgia, eu penso que sim. – deu um sorriso forçado e voltou a fazer suas coisas, ignorando completamente a presença da interna ali.

 

Meredith saiu pisando firme. Estava indignada, mas precisava participar da cirurgia, então fez o que Addison mandou. 

 

A interna não conversou ou viu Derek por toda a manhã, o que ela agradeceu. Não queria vê-lo nem pintado de outro. Estava entediados, cansada e com um pouco de raiva de Addison. 

Terminou de registrar os prontuários e caminhou até a on-call room para tentar dormir algumas horas, já que não poderia ir para a casa.

 

Meredith tinha o sono pesado. Estava bastante confortável na cama de baixo, sozinha, já que a parte de cima do beliche estava desocupada. 

 

Escutou um barulho e observou um movimento na maçaneta da porta. Virou-se, sem estar com os olhos completamente abertos por causa da luz do corredor que entrava pela pequena janela. 

 

– O que? – disse com você sonolenta – O que você quer aqui? – completou, ficando sentada na cama. – Oh, meu deus, não diga que eu perdi o horário da cirurgia...

 

– Pare de falar. – a ruiva disse, já dentro da sala, fechando a porta atrás de si. 

 

Addison trancou a porta e caminhou pelo quarto até ficar na frente da interna. 

 

– Você não perdeu o horário. Pelo contrário, temos muito tempo ainda. – a ruiva disse acomodando-se com uma perna de cada lado do corpo de Meredith. 

 

– O que você está faz... – foi interrompida por Addison que a puxou para mais perto pela roupa.

 

A ruiva não hesitou e um segundo depois já estava beijando Meredith.

 

Se beijando? A esposa e a amante? Um tanto estranho.

 

Meredith sentiu seu corpo amolecer e sem qualquer resistência, deitou-se na cama, sem se desvencilhar de Addison. Quando a língua da ruiva abriu caminho pela boca de Meredith, toda e qualquer sanidade, simplesmente desapareceu. 

 

O que ela estava fazendo? Por que não se afastou? Fez o contrário, apenas entregou-se à sensação. 

 

Enterrou suas mãos nos cabelos vermelhos que possuíam um cheiro bom, que impregnava em suas narinas. Addison deixou seu corpo pesar sobre o da loira, que, de olhos fechados, podia sentir o coração disparar, assim como uma onda de calor circulando em seu corpo. 

 

Meredith sentiu-se tomada por um total prazer, algo que nunca tinha sentido antes. Sua intimidade já estava umida, e ela elevava seu quadril para entrar em maior contato com o da ruiva. 

 

Sem dizer uma palavra, a perna Addison abriu caminhou entre as coxas de Meredith, que gemeu algumas palavras sem nexo.

 

– Eu não posso, Addison... – jogou a cabeça para trás e deixou o corpo relaxar.

 

– Essas palavras não combinam com você – disse com um sorriso malicioso. 

 

Depois de alguns segundos parada, Meredith decidiu não ser uma parceira passiva no meio daquilo tudo. Deixou suas mãos deslizarem pelas costas e cintura da ruiva.

 

Ela já estava ali mesmo, "que se dane o Derek", pensou.

 

– Meredith – gemeu na orelha da interna – Eu quero você. 

 

A loira gemeu na orelha de Addison, estava ofegante, ou melhor, desesperada. Ou Addison a tocava ali, naquele momento, ou ela enlouqueceria. 

 

Sem perder tempo, a ruiva deixou suas mãos deslizarem para trás do corpo de Meredith, voltando para a cintura e logo depois, estava desfazendo o nó da calça da interna. Seus longos dedos se encaminharam para a intimidade dela, que a essa altura já estava encharcada antes mesmo do contato. 

 

Aquilo foi mágico. Meredith sentiu o corpo amolecer completamente com o toque enquanto seu corpo inflamava em um prazer agonizante que a fazia querer gemer o mais alto possível. 

 

Estava sendo incrível, ela queria que nunca tivesse fim.   

 

Por um momento sentiu-se confusa. A sensação de que estava caindo fez com que tentasse segurar Addison desesperadamente para manter-se na posição vertical, mas sem sucesso, sentiu o impetuoso impacto do chão em seu próprio corpo. 

 

– Ai! – ela exclamou com o impacto. Abrindo os olhos, olhou em volta confusa. Ela ainda estava na on-call e era cedo. Estava quente, seus cabelos estavam bagunçados e ela sentia seu corpo suado, com uma sensação de excitação na região interna de suas coxas. 

 

O que? Tinha sido um sonho? 

 

Apoiando os braços na cama, levantou para poder acomodar-se nela novamente.

 

– Eu só posso estar ficando louca. – disse ofegante, enquanto apertava levemente seus pulsos.

 

Sim, ela só podia estar ficando louca.


Notas Finais


Comentem o que acharam, é importante!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...