História .fetish - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 20
Palavras 436
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Musical (Songfic)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


dedicada ao otp que você respeita: Radkenelli

Capítulo 1 - .only;


Fanfic / Fanfiction .fetish - Capítulo 1 - .only;

Deitada na rede da varanda do meu apartamento, observo as estrelas. Não é muito de meu feitio e nem tenho muito tempo de praticar a ação, mas é algo que gosto de fazer. Imaginar o desconhecido me excita. 

Estou de licença do Liverpool Ladies, o “monstro de Brighton” também é um ser humano que precisa de descanso. Descanso no meio de tantas tempestades em minha vida, mais precisamente duas tempestades: Dave Bettinelli e Libby Andrews. 

O triângulo amoroso profano.

Pode parecer exagerado, mas profano e seus sinônimos eram cabíveis. Meu “amor” talvez pelos dois ou não - me levou a cometer ações que jamais pensaria de fazer. Porém, como disse, eram cabíveis. 

Libby recentemente assumiu seu namoro com outra pessoa, a qual não me recordo sua identidade, em nossa última conversa - nem tanto amigável - Andrews disse que estava cansada da tortura. 

Não a culpo, temos uma atração forte, mas o passado não deve ser remexido. Nem sempre o retorno de fantasmas imemoriais nos fazem bem.

“Admita para si Radke, seu fetiche é e sempre será o jornalista”. 

Bettinelli desgraçado, fode com meu físico e confunde meu emocional. Nenhum homem exerce tanto um impacto sobre mim quanto ele e é recíproco, eu sei que também fodo muito com o “bobão”. 

Um empurrando o outro para longe e ao mesmo tempo nos aproximando. Nessa linha tempestuosa vamos vivendo, de forma obsessiva; entre transas, brigas, lágrimas e abraços. Um círculo vicioso onde saciamos nossos anseios carnais e emocionais. 

Escuto a campainha tocar, relutante, me levanto da rede e caminho até a porta. Giro a maçaneta, devagar abro aos poucos e a imagem dele revela-se para mim. 

— Vejo que voltou de onde estava, Bettinelli. — digo me escorando no batente. 

— Voltei, mais cedo do que deveria, na realidade. Não vai me deixar entrar? 

— Deveria? Afinal, tem a sua ruiva. — refiro-me a Valentina, colega de trabalho de Dave. 

— Você não está em posição de reclamar, Radke. Afinal, nunca foste segunda opção minha, eu que sempre fui sua segunda opção.

— Mais uma vez esse assunto? — suspiro. — É extenuante.

— Talvez, seja a única coisa que nos mova, Radke. 

— Infelizmente. — suspiro. — Parece que veio diferente. — falo me jogando no sofá, Dave fecha a porta e se aproxima de mim ainda em pé.

— Vim mais cedo... Pois senti sua falta, Krista.— diz deitando-se por cima de mim distribuindo beijos por todo meu corpo, já sinto meu nível de adrenalina aumentar e a urgência em tê-lo é estratosférica. 

— Também senti sua falta, Dave.

“Cada toque dele é uma ida ao céu e ao inferno”.

 

 

 

Cada toque dela é uma ida ao céu e ao inferno”.


Notas Finais


link da fanfic de onde foi baseada a oneshot: https://spiritfanfics.com/historia/soccer-girls-3324587

música de onde tirei a base pra oneshot: https://youtu.be/R38q_C4NApE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...