História Fic: Amor Doce ♡ - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky
Tags 18 Anos, Amor Doce, Aventura, Castiel, Romance
Visualizações 108
Palavras 1.836
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus floquinhos ♥♥♥
Eu tinha prometido postar ontem mas eu nn sei oq aconteceu mas o Social Spirit não estava permitindo eu postar o cap. :/
Fiz umas modificações mas não foram muitas, coisas poucas e que nem iriam fazer diferença
Espero que gostem ^^
Esse carinha da foto do capitulo é o novo personagem: Dylan.
E já vou avisando: Ele vai causar muitas tretas
Agora sem mais delongas vamos para o capítulo
Boa leitura. . .

Capítulo 34 - Dylan e de volta aos braços do meu amor


Fanfic / Fanfiction Fic: Amor Doce ♡ - Capítulo 34 - Dylan e de volta aos braços do meu amor

*Narrador*

Uma semana se passou. Zoe se encontrava em coma, Castiel faltava as aulas se afogando em seu próprio martírio de amargura.
O quadro clínico de Zoe piorou e ela precisou receber um transplante sanguíneo rapidamente. Demorou até achar um doador com sangue compatível ao dela mas logo houvesse sucesso.
Agora Zoe estava de volta a seu quarto, em coma. Seus pais não procuram saber nada sobre ela na verdade eles comemoravam pelo estado clínico dela.
- Ótimo menos um peso morto - comemorou sua mãe ao descobrir sobre o estado de sua própria e única filha.

Mais dois dias se passaram e finalmente Zoe deu sinais de recuperação. Sua cabeça já estava um pouco melhor. Sua fala já havia voltado ao normal, agora era só esperar para que o tratamento tivesse sucesso já que por causa da perca do sangue ela teve um trauma e acabou tendo anemia.

*Zoe*
Eu estava absorta em meus pensamentos enquanto olhava pela janela.
Será que meus pais sabem sobre mim? Será que eles vieram me visitar?
Não, eles não vieram. Eles podem até saber do meu estado mas estão completamente ocupados em ganhar dinheiro que nem se preocupam com sua própria filha. Se é que eu posso me nomear como filha deles.
De repente ouvir leves e breves batidas na porta, seguida pela entrada do médico.
- Como está minha pequena? - Ele perguntou sorridente
- Me sinto um pouco melhor - dou um sorriso fraco
- Então... eu tenho uma surpresa para você - Ele fez um suspense irritante
- Fala logo - digo impaciente
- Alguém quer te conhecer
- Quem? - pergunto curiosa
- Eu - um rapaz de aparentemente 18 anos adentrou no meu quarto. Seus olhos eram azuis, seus cabelos eram pretos, pele branca e ele possuía algumas sardinhas. Sua era alta e ele possua bons músculos.
Olhei pro médico confusa, pedindo uma explicação
- Esse é o Dylan, ele foi o doador que deu o sangue para você - o médico explicou
- Ah... - falei sem graça e envergonhada - Olá...
- Olá - Ele deu um sorriso
- Vou deixar vocês a sós... - O médico olhou para mim - Er... e aquele...
- Esqueça ele, ele não existe mais - respondi ríspida e o quarto se encontrou em um momento tenso onde poderia ser cortado com uma faca cega.
O médico se retirou do quarto e me deixou a sós com o Dylan. Ele permaneceu quieto, talvez ele fosse tímido. O observei por um momento e percebi que ele segurava um pequeno buquê de flores brancas e pequenas.
- Er... pode se sentar - digo finalmente quebrando aquele silêncio constrangedor
- Obrigada - Ele disse baixinho e se sentou no sofá - Zoe, certo?
- Sim - assinto com a cabeça
- Por que você veio para aqui?
Soltei um gemido baixo e me senti desconfortável. Olhei para o Dylan e percebi que ele ficou sem graça.
- Desculpa, desculpa... eu não queria... er... - Ele soltou um suspiro - eu sou péssimo para me socializar
Ele soltou uma risada fraca
- Tudo bem... eu só não... quero falar agora... - digo - Então... você sempre está doando seu sangue para o banco sanguíneo daqui?
- Hãn? Ah sim, claro - percebi que seus olhos ganharam um brilho - Eu faço trabalho voluntário aqui, costumo ficar na ala das crianças em tratamento do câncer
- Que lindo - sussurro - Você deve gostar bastante, da pra ver pelo seus olhos
- Er pois é - Ele coça sua nuca e fica envergonhado - Aqui eu trouxe para você
Ele me entrega o pequeno buquê de flores.
- Ah obrigada, são lindas - seguro elas - Como você soube que precisavam de sangue?
- Como eu venho aqui a mais de dois anos eu fiz amizade com o pessoal daqui. As enfermeiras conversavam nervosas sobre uma paciente estar precisando de sangue urgentemente foi então que eu corri atrás para saber qual era o tipo sanguíneo e foi aí que descobrir que meu sangue era compatível com o seu. Depois de saber que seu quadro clínico havia melhorado eu decidi vim aqui e fazer uma visita para saber como estava - Ele fala um pouco mais relaxado e depois percebi um leve rubor em suas bochechas
- Obrigada, novamente - dou uma risada e ele também ri junto comigo 

Passamos a tarde jogando conversa fora. Descobri que ele era filho de pais donos de uma das mais importantes empresas daqui mas, para minha alegria, ele não era filhinho de papai, ele realmente tinha 18 anos, gosta de rock que nem eu, é tímido por natureza, gosta de trabalho voluntário e ainda não sabe o que quer fazer na faculdade.
O tempo passou tão rápido que eu nem havia percebido que já era hora dele ir embora.
- Bom preciso ir, até mais Zoe - Ele se levantou e depositou um beijo delicado na minha testa
Ele caminha até a porta para sair eu o chamo:
- Dylan
- Sim
- Você... - Respiro fundo - Você poderia vim amanhã? - pergunto com os olhos fechados e sentindo minhas bochechas queimarem
- C-Claro
Suspiro aliviada
- Obrigada - dou um sorriso e aceno em despedida para ele

*1 semana depois*
Finalmente o dia da minha alta. Rosalya, Alex, Armin, Kentin e Lysandre aguardavam do lado de fora do meu quarto.
Coloquei minha roupa e dei mais uma olhada no quarto que passei quase três semanas. Finalmente eu ia sair dali.
Ao sair sou recebida por um abraço coletivo muito caloroso. Me aconchego mais ao sentir o amor de cada um por mim. Nunca pensei que era assim tão grande. Até o ARMIN! Como assim kkk?
Me reclamo por respirar com dificuldade e eles me soltam.
- Amiga, ainda bem que você levou alta - disse a Rosalya
- Zoe não faça mais isso - resmungou o Alex
- Claro que não - dou um sorriso e abraço ele apertado
Percebo um silêncio muito grande e me preocupo. Me separo do abraço do Alex assustada para ver o que acontecia. Segui meu olhar até onde os outros olhavam.
Era o Castiel.
Meu deus ele estava completamente desconfigurado. Seus cabelos estavam uma bagunça, seus olhos com olheiras profundas, piores da Rosalya, e ele estava vestido com uma roupa que estava muito amassada, com certeza ele havia dormido com ela.
- Zoe... - sua voz estava rouca e percebi que ele ia chorar de  novo - Me perdoa - ele se caiu de joelhos no chão e algumas lágrimas escorreram de seu rosto - Eu sei que fui babaca... era pra eu ter confiado em você... me perdoa por ter te deixado sozinha no seu quarto depois de ter escrito aquilo... minha cabeça estava a mil tentando processar tudo o que acontecia ao meu redor... me perdoa por ter colocado você em coma de novo... eu me arrependo por tudo o que eu fiz... Zoe... mesmo que você não queira mais me ver... apenas me perdoe porque essa dor do arrependimento é muito dolorosa...
Eu não conseguir conter meu impulso e corri para ele e me deixei cair em seus braços. Percebi o choque dele ao receber meu abraço apertado mas logo retribuiu. Senti a tensão dos ombros dele se amenizarem.
- Castiel, mesmo depois de tudo que você me fez eu ainda te amo - sussurrei me segurando para não chorar - por favor não peça para eu ficar longe de você...
- Eu não vou deixar mais você longe de mim - Ele me abraçou com mais força como se eu fosse escapar de suas mãos - me perdoa Zoe
- Eu já te perdoei
Castiel olhou pra mim profundamente depois me puxou para um beijo profundo e demorado. Ah como eu sentia falta de seu toque, dos seus lábios. Eu sentia falta do meu Castiel. Agora retornei ao meu lugar de onde nunca deveria ter saído: dos braços do Castiel.
- Tá chega isso tá muito meloso - resmungou Alex
Acabei soltando uma risada.
- Só está assim porque não pode dar uns pega no Kentin - zombei
- Shiu, garota! - tanto o Alex quanto o Kentin ficaram ruborizados
Todos acabaram rindo.
- Vamos sair logo daqui - disse a Rosalya impaciente 
- Rosa... - Minha voz vacilou
- Eu já sei... Castiel, desculpa pelo que fiz com você, eu deveria ter conversado com mais calma mas meus nervos estão a flor da pele e quando eu vim outra garota se esfregando em você, eu fiquei com tanto ódio... - ela suspirou - Desculpa, eu não parei pra pensar o quanto você estava atordoado com tudo aquilo
- Tudo bem, Rosalya - ele disse baixo
- Rosa - ela corrigiu
- Ótimo, que bom que o momento de paz chegou, agora vamos fazer uma comemoração! - falou o Armin que recebeu um beliscão do Alex - Que?
- Ela ainda está em fase de recuperação! - advertiu Alex

- Tá bom, desculpa - Armin disse levantando o braço em forma de rendimento 
- Galera, desculpa pela desfeita mas eu quero ir pra... - falei enquanto me levantava junto com o Castiel mas parei quando ia falar "casa"
Castiel abraçou minha cintura e pôs sua cabeça em meu pescoço.
- Minha casa, você será muito bem-vinda - Ele sussurrou - Quero fazer o que sempre tive vontade de fazer

Aqui estava eu de novo de frente a casa do Cassy. Ele segurava minha mala com uma mão e a outra minha mão. Adentramos a sua casa e logo escutei barulhos vindo da cozinha. Sua mãe devia estar fazendo o café da manhã.
- Mãe! Vem cá por favor! - gritou o Castiel enquanto colocava minha mala no chão e fechava a porta da sala
- O que foi Cassy? - sua mãe chegou na sala com o semblante preocupado
- Eu quero te apresentar minha namorada, Zoe Parker - Ele me apresenta para sua mãe e eu coro na hora
- Eu sabia que vocês iriam se acertar - ela disse sorridente, ela me abraça e depois sussurra no meu ouvido: - sinta-se lisonjeada porque ele não fez isso com a tal Debrah 
Coro na hora e dou um risinho.
- Bom, ainda bem que esse cabeça de vento percebeu as burrices que ele fez com você - ela disse encarando o Castiel, o mesmo abaixou a cabeça - Agora venham, fiz o café da manhã e acho que você deve está com muita fome, eu sei como a comida do hospital é ruim
- Nem me fale - suspiro e reviro os olhos, aliviada por ter saído daquele lugar
Segui junto com o Castiel e tomei café junto com sua mãe, que por sinal é muito simpática e muito FODA. Ela, na maioria das vezes, deixava o Castiel mais vermelho que o próprio cabelo dele, contando as histórias de quando ele era pequeno.
Sério, eu não quero que esse dia acabe nunca mais.


Notas Finais


Espero que tenham gostado meus floquinhos ♥♥♥
Kisses e até o próximo capítulo ♥♥♥♥♥ (que vai render ótimas tretas rsrsrsrs...)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...