História Fica Comigo - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adultério, Drama, Homossexualidade, Lésbico, Yuri
Visualizações 114
Palavras 1.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tô postando um hoje só porque vocês tão sendo uns amores lendo, favoritando e comentando!

Adoro todos os comentários e me baseio muito neles pra saber como seguir com a história... Vocês me ajudam mais do que imaginam!!

Ah, esse capítulo é do POV da Fernanda, porque já tinham me pedido antes e como o pessoal ficou muito puto nos comentários com ela eu resolvi mostrar um pouco do ponto de vista dela - mas não acostumem, porque foi uma exceção :P

Capítulo 25 - Discussões


POV da Fernanda

 

Assim que entrei no quarto da Luh senti um clima pesado e a cara fechada dela só corroborou com essa sensação. Meus olhos foram direto para o celular que estava no criado mudo, mas de um jeito diferente do qual eu tinha deixado, só faltava ela ter visto as mensagens que eu mandei pra Cah...

- Pode dar o play... - decidi fingir demência ao sentar do seu lado na cama. 

- A Camila mandou mensagem, não vai ver? - perguntou sem tirar os olhos da televisão.

- E o que ela disse? - agora eu ia saber o quão ferrada estava. 

- E quem disse que eu me importo com você ou suas mensagens? - ela me encarou com raiva e pelo jeito que me respondeu dava pra ver que ela estava me odiando nesse momento. 

- Sei lá, um palpite só... - dei um sorriso tentando quebrar aquele clima - Você é curiosa... - dei de ombros e a ouvi dar uma risadinha amarga. 

- Você é uma escrota, Fernanda! - me encarou deixando transparecer um misto de raiva e mágoa - Não acredito que mesmo com você do meu lado quem tem a sua atenção é a porra da Camila! - vi seus olhos marejarem e senti meu peito apertar, a última coisa que eu queria era fazê-la chorar. 

- Hey, não fica assim... - tentei abraçá-la mas ela me empurrou para longe - Eu tava só jogando conversa fora com ela enquanto o filme não começava de verdade... - tentei amenizar as coisas. 

- Conceito estranho de jogar conversa fora o seu! - deixou algumas lágrimas caírem daqueles olhos cor de mel que eu gostava tanto - Você não presta e eu simplesmente tenho que aprender a lidar com isso... Aparentemente você nunca vai prestar! - deu uma risada amarga e deu vazão às lágrimas que tentava segurar. 
             Eu sei que eu não devia me irritar nesse momento, mas não consegui manter a calma; ela que namorava com o idiota do Beto e eu que não prestava porque conversava com a minha ex?! 

- Eu que não presto, mas o engraçado é que de nós duas só você namora! - falei me alterando e ela me encarou espantada - Mesmo você sabendo que eu não suporto aquele idiota! - me arrependi de ter falado isso no mesmo instante, afinal eu nunca fui ciumenta e sentir ciúmes daquele babaca me irritava profundamente mas aparentemente era mais forte que eu. 

- Mas quando eu estou com você, eu estou só com você! Não fico mandando mensagem pra ele! - ela tinha parado de chorar, provavelmente pela raiva que devia estar sentindo agora que falei do namoro dela - E você sabe que eu não suporto aquela idiota! - fez questão de usar as mesmas palavras que eu tinha acabado de usar. 
           Aquilo era definitivamente uma informação nova, até porque eu lembrava dela fazendo questão de falar que não tinha ciúmes da Camila e chegou até a falar que nós éramos fofas juntas uma vez que me viu chegar na faculdade com ela, o que fez com que eu me sentisse uma idiota por ter ciúmes do Roberto. 

- O que você quer de mim, Fernanda? - ela continuou ao ficar de joelhos na cama para me encarar e percebi que ela tentava conter sua voz para não acordar seus pais - Quer que eu termine com o Beto só porque ele te irrita? - perguntou exasperada e eu  só consegui pensar "SIM, EU QUERO!" sem entender muito bem porque aquele namoro me irritava tanto. Eu sabia que não seria justo pedi-la para fazer aquilo afinal não é como se eu fosse namorar com ela se ela fosse solteira, esse era um erro que prometi a mim mesma não cometer de novo.

- Não, claro que não! - menti e podia jurar que por um segundo vislumbrei decepção no seu olhar, provavelmente eu estava querendo imaginar que ela sentia qualquer coisa além de raiva naquele momento - E você já me falou 500 vezes que não tem ciúmes dela! Já até falou que somos fofas juntas! 

- Eu menti, sua idiota! - revirou os olhos e levantou da cama indo em direção ao banheiro - É impossível que você seja tão idiota assim... - comentou de costas e eu só consegui pensar que aparentemente não era impossível eu ser tão idiota assim... 
          Todo o nervoso que eu estava passando com aquela simulação da santa inquisição simplesmente desapareceu e eu não consegui conter um sorriso de se formar nos meus lábios; felicidade não resume o que eu sentia agora que descobri que ela não era tão indiferente quanto tentava parecer. 

- Me desculpa - a alcancei no meio do caminho e a abracei por trás - Eu fui cuzona mesmo, mas foi sem querer... - apoiei o queixo no seu ombro e inspirei o cheiro de lavanda que seus cabelos tinham. 

- Me solta, Fernanda... - falou menos brava do que antes e suspirou - Não é porque você teve a capacidade de perceber o quão cuzona você consegue ser que eu vou te desculpar! - ela tentava se desvencilhar do meu abraço mas eu não ia deixar ela ir a qualquer lugar tão cedo assim. 

- Não vou te soltar, gosto de ter você exatamente aqui - apertei um pouco o abraço para mostrar que não ia soltar e pra ver se ela ficava menos brava comigo - O que você quer que eu faça pra você me desculpar? - beijei seu pescoço e não consegui conter um sorriso quando vi que ela se arrepiou. 

- Pode começar me soltando... Eu tô cansada, quero dormir. - suspirou e como vi que ela falava sério a soltei. 

- E eu? - perguntei quando ela se virou direção à cama e consequentemente para mim. 

- Você pode ir à merda... - deu uma risada magoada - Ou pro colchão, tanto faz pra mim...  - deu de ombros enquanto seguia para a sua cama. 

 

Ao me deitar no colchão que estava no chão tive que admitir pra mim que não foi desse jeito que eu tinha imaginado acabar a noite, mas eu bem que mereci em primeiro lugar por ter ficado de conversa com a Camila e em segundo por ter dado a mancada de ter deixado o meu celular largado no criado mudo enquanto fui pegar água na cozinha. Apesar de estar em um colchão no chão duro em vez de estar na cama junto com a Luh, eu não conseguia ficar de mau humor - não depois de descobrir que eu não era a única idiota entre nós duas que tinha ciúmes - acabei pegando no sono com um sorriso enquanto lembrava daquele jeito puto que a deixava super fofa quando ela disse que tinha mentido...

 

-- x -- 

 

Acabei acordando sem nenhum motivo específico e ao checar o celular vi que eram 4:17 da manhã e que haviam 5 mensagens não lidas da Camila e dei um sorriso ao imaginar a coitada sem entender nada porque eu tinha parado de responder de repente. Desliguei meu celular sem visualizar as mensagens e o guardei na minha mala, ele já tinha me dado problemas demais pra essa viagem, quando eu voltasse diria que acabou a bateria e eu tinha esquecido o carregador... 

Me sentei no meu colchão e vi a Luíza dormindo, ressonando baixinho e com uma expressão séria no rosto, como se estivesse brava. Ela acordada já era fofa com o tique de mexer no cabelo quando ficava sem graça ou ao se alongar na cama logo após acordar quando achava que eu ainda estava dormindo mas ela com essa cara enfezada enquanto dormia realmente ficava encantadora. 
         Eu espero que o Roberto soubesse dar valor à ela, talvez mais do que eu dava... A última coisa que eu queria era algo sério ou namorar, essa era uma experiência que eu definitivamente não iria repetir - mas caso eu quisesse e se nossa amizade colorida não fosse só uma fase de experimentação de faculdade pra ela, eu conseguiria me imaginar acordando todo dia mais cedo e fingir que estava dormindo só pra ver ela se alongando na cama ao meu lado. 

 

- Luh, acorda... - disse enquanto a sacudia de leve, não resisti ficar vendo ela dormir enquanto eu estava naquela porcaria de colchão sozinha. 

- Hmm... - resmungou ainda dormindo e se virou para o outro lado. 

- Luíza, acorda... - a sacudi mais forte só para depois adorar ver aqueles olhos cor de mel me encarando. 

- Que foi, Fê? - perguntou sonolenta com uma voz rouca. 

- Tô com frio deitada de castigo lá no chão... - não contive um sorriso quando falei essa desculpa idiota - Posso deitar aqui com você? - antes de dar chance dela responder eu começo a me deitar ao seu lado devagarzinho como quem não quer nada. 

- Você vai mentir na cara de pau assim, Fernanda? - me encarou tentando segurar o riso - A gente tá em pleno verão, deve tá fazendo uns 38 graus... - arqueou uma sobrancelha ao me encarar agora que eu já tinha deitado ao seu lado. 

- Prova que eu tô mentindo... - soltei uma risada baixinho - Me deixa dormir aqui, Luh! - fiz um olhar pidão que sabia que sempre funcionava com ela. 

- Tá bom! - se virou de lado e eu acabei virando também, encarando suas costas e enlaçando sua cintura - Mas isso não significa que eu não esteja mais puta com você... - resmungou. 

- Eu seei... - revirei os olhos e sorri enquanto fazia padrões aleatórios em sua cintura com meu polegar e sentia alguns fios do seu cabelo encostando no meu nariz, nunca tinha percebido que gostava tanto do cheiro de lavanda antes de conhecer ela... 


Notas Finais


E aí, consegui salvar um pouco a Fernanda da ira de vocês? Tô curiosa!! aueheauhaeuhea


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...