História Fifty shades of Starr - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ringo Starr, The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Personagens Originais, Ringo Starr
Tags 1964, Anos60, Beatles, Bissexualidade, Fab, George Harrison, John Lennon, Lennon, Liverpool, Masoquismo, Mccartney, Paul, Paul Mccartney, Ringo Starr, Sadismo, Sadomasoquismo, The Beatles
Visualizações 45
Palavras 1.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


genteeeeee,esse capitulo foi mais curto porque eu tenho uma surpresinha pra vocês
hots explicitos nesse capitulo *cof* *cof*
domingo tem outro,essa é uma das surpresas
a outra só saberemos domingo

Capítulo 16 - Destino,talvez?


Fanfic / Fanfiction Fifty shades of Starr - Capítulo 16 - Destino,talvez?

(...)
 

Ringo on 
Já se passou um mês desde que eu conheci a mãe de Beatrice,e tudo está saindo maravilhosamente bem. Nós já ficamos longe algumas vezes por causa da minha agenda extremamente corrida,e com ela não é diferente.

Mas já organizamos tudo,vamos morar juntos na casa dela,já que ela não quis largar Jully. Ah,Jully. Se existe alguém mais doida que essa garota ainda vai nascer. Acredita que ela está em um relacionamento triplo com John e Paul?!Nunca pensei que eles topariam uma coisa dessa.

Mas se ela soubesse do que eu sei...O que importa é que eu nunca estive mais feliz na minha vida,e eu tento passar essa felicidade para minha pequena com flores,cartas,presentes.E todo o amor que há em mim,pois metade é dela. Eu e Beatrice não fizemos mais sexo,na verdade,com essa correria que minha vida se tornou depois da banda eu nem me importo tanto mais com isso.

Só quero o corpo dela sobre o meu,a boca dela beijando a minha e isso é tudo. Mas hoje eu havia preparado tudo. Espero que ela esteja pronta para o que vai vir. Vamos intensificar nossa relação,quero aproveitar que não terei shows pelo resto da semana.

Comecei a fazer da casa dela,que eu ainda não acostumei a chamar de minha,minha rotina quando não estou ocupado. Adoro ficar lá e me divertir com as situações que o "amor triplo" causa. Só da gente doida naquela casa.

Isso está afetando até o cachorrinho que eu dei pra minha noiva,um retriever labrador filhote,ela ama animais e achei que seria uma boa ideia,para ela lembrar de mim enquanto eu estivesse longe. Ela o nomeou de 'jey",fazendo uma referência a Jully. A mesma não sabe disso,e o cachorrinho a odeia,não desperdiçando as oportunidades que tem de mordê-la com seus curtos dentinhos. Destino,talvez?

Beatrice já havia comentado comigo,mas eu nunca tinha dado tanta importância,até ver com meus próprios olhos. Elas receberam a casa da agência de modas em que trabalhavam,e,assim que chegaram,perceberam que a casa tinha um sótão abaixo do nível da rua. Seria normal,se o sótão não fosse incrivelmente espaçoso. Eu fiquei surpreso quando entrei,e coisas passaram pela minha cabeça.

Eu o arrumei do jeitinho que eu queria,sem Beatrice saber,com a ajuda da doidinha da Jully,e não ia passar daquela noite. Eu não esqueci da minha promessa. E sabia que Beatrice estava pronta para isso,e talvez querendo tanto quanto eu.

Enquanto eu estava perdido nos meus pensamentos,Beatrice chegou,radiante e linda como sempre. Ela havia ido a um evento a trabalho,e o casal de 3,se é assim que eu posso dizer,ainda não acostumei com essa loucura,saiu,deixando a casa livre. Eu fumava concentrado no disco que estava ouvindo,quando ela adentrou a casa,olhando nos meus olhos,com um lindo vestido e um coque bagunçado mais perfeito que eu já vi,que fazia alguns fios caírem sobre seu rosto...

Eu tinha certeza do quanto a amava porque sempre que a via parecia ser a primeira vez,minhas mãos suavam e meu coração disparava. Se tem alguém sortudo nesse mundo,esse alguém sou eu. Ela se aproximou e depositou um selinho na minha boca.
 
— Cadê Paul,Jully e John,amor? — Perguntou carinhosamente.
 — Saíram,não voltam tão cedo. — Respondi,com um sorriso malicioso.
 — Então...Temos a casa toda somente para nós? — Ela perguntou manhosamente,sussurrando em meu ouvido esquerdo,enquanto entrelaçava suas mãos pelo meu pescoço.​
 — Isso mesmo. E eu preciso te mostrar uma coisa. — Puxei-a pela mão,mas ela ofereceu resistência.
 — Preciso de um banho,antes de qualquer coisa amor. Quando eu terminar você me mostra a tal coisa. — Ela falou,dando ênfase a "tal coisa". Não entendi o porquê do banho,a pele dela,macia como sempre,ainda cheirava às frutas frescas de seu hidratante. Então eu resolvi começar o que eu queria ali mesmo.
— Nada de banho,você hoje vai me obedecer,queira ou não. — Falei com uma expressão brava e um tom de voz firme,barrando sua passagem,e encostando-a na parede. — Agora,vem comigo,não me faça repetir.

Apesar de eu ter arrancado um olhar assustado da minha pequena,alguns segundos depois surgiu um sorriso discreto em seus lábios. Ela havia entendido minha intenção. E estava adorando. Mesmo sem saber que além de levá-la ao limite do prazer,vou levá-la ao limite da dor.

Peguei a pela mão e a levei em direção do ex-sótão,fazendo a me encarar com uma cara incógnita. Quando entrei,seguido dela,seus olhos pareciam perdidos.
 

Beatrice on
Eu não acredito. Foi a primeira com que pensei. Como?Foi a segunda. Quando entrei naquele sótão,ele não tinha mas aquela aparência de sótão abandonado. Richard tinha espelhado todo o cômodo,desde as paredes ao teto,seria um sonho se o que estava prestes a vir não fosse doloroso.

Eu já previa sua intenção. Além dos espelhos,havia uma cama enorme no centro do cômodo,e um grande armário no canto do mesmo,de madeira rústica,me deixando maravilhada. A luz do lugar era azul neón,mas apesar dela,o cômodo estava levemente escurecido.

Um pouco em frente a cama,tinha uma mesa de madeira,acompanhada por uma cadeira. Ainda estava maravilhada,ou assustada,não sei bem qual sentimento passava por mim aquele momento,quando senti Richard por trás de mim,me puxando contra seu corpo pelos meus cabelos com uma intensidade incrível.

— Você está tão gostosa hoje. Tira a roupa. — Ele cochichou contra meu ouvido,apertando minha cintura com força.

Não sabia como me sentir,se adorava ou odiava. Mas aquilo era jogo perdido,ele estava decidido e cabia a mim gostar ou não. E eu adorei.

— Vai com calma. — Pedi,acanhada.
— Quem decide sou eu. A partir de agora você só fala quando eu mandar. — Ele respondeu,ríspido,me fazendo gelar,enquanto ainda revirava o armário em busca de algo. Mas não era mas medo o que eu sentia,era tesão.

Agora eu estava despida,e por incrível que pareça,tímida. Foi quando ele terminou sua busca incessante,e se virou para mim com um olhar psicopata. Na sua mão esquerda haviam duas algemas. E na sua mão direita havia um chicote que me dava dor apenas de olhar.

— Se sentir dor,grita. — Ele falou,enquanto botava uma das algemas no meu braço,e a outra extremidade da argola no estrado de ferro daquela cama,fazendo o mesmo com o outro braço,deixando os cruzados em forma de X,algemados no ferro da cama. Sua ereção por cima da calça já era aparente,percebi isso graças ao espelho. — Mas isso não quer dizer que eu vou parar,amor. — Ele falou sem dó,agora direcionando meu corpo para cima com as mãos,me fazendo ficar de 4,totalmente exposta.

Parecia tortura,mas o fato de que estava amando toda aquela pose de durão era inegável. Ele ficou um tempo admirando a visão que tinha. De repente,vi ele se abaixar,e rapidamente senti sua língua quente e molhada na minha intimidade.

Ele me sugava como nunca,como se quisesse sentir todo meu gosto,sem desperdiçar uma gota da minha excitação. Enquanto eu gemia alto e manhosamente,depois de longos minutos com ele percorrendo toda a minha extensão,senti uma dor muito forte,ele se levantou e proferiu a primeira chicotada,com uma força que me fez empinar ainda mais e jogar a cabeça pra trás,enquanto eu ouvia sua risada.

Estar entregue dessa forma ao meu homem era a tortura mais prazerosa que eu poderia ter. 

(...) 


Notas Finais


Não sei o que dizer,só sentir
ACABEI DE DESCOBRIR QUE A FANFIC HOJE FAZ EXATOS 2 MESES QUE FOI ADICIONADA ♥ PARABENS PRA MIIIIIIIIM,E PRA VOCÊS,LEITORES LINDOS ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...