História Fight Club - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jingyeom, Markjin, Yaoi, Yugjin, Yugnior
Exibições 126
Palavras 749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


hoy~

Capítulo 7 - Capítulo VI



Jackson havia se tornado um dos caras mais conhecidos do clube da luta em menos de dois meses. Chamavam-o de "invencível" dentre outros títulos semelhantes, algumas pessoas eram idiotas o suficiente para começarem a lhe chamar até mesmo de "lenda".

O loiro era tão imprudente como Yugyeom, nunca media as consequências e, sinceramente, tinha muita sorte de até então nunca ter arrumado confusão com os demais membros.

E não era por menos, ele andava na linha porque tinha em mente que qualquer deslize seu eu usaria como pretexto para expulsá-lo do clube e, consequentemente, da minha vida.

Jackson havia ido até mesmo à N2 com o objetivo de lutar com Im Jaebum, que, como já falei anteriormente, era um lutador assíduo, um dos nomes mais falados em todo o clube da luta. O Im aceitou a proposta. O embate foi tenso, durou mais tempo do que comumente se leva e, no final, o nome de Jackson era gritado em plenos pulmões por todos os que estavam ali.

Jaebum elogiou o loiro e voltou a seus afazeres juntamente a Youngjae. No clube da luta não há espaço para mágoa ou sentimentos semelhantes, as lutas têm como único intuito fazer com que cada um se sinta vivo. Lutar era nossa válvula de escape, além de algo que já fazia parte do nosso ser. Quando lutavámos, éramos todos um só e ao mesmo tempo ninguém.

E Jackson, apesar de seguir esses ideiais naturalmente como um integrante assíduo do clube da luta, por outro lado conseguia deixar claro que uma de suas intenções era chamar minha atenção. Se tornou habitual que, após uma luta, ele subisse as escadas e fosse até mim, o peitoral nu pela ausência da camisa, as gotículas de suor passeando por seu corpo e a respiração nos primeiros instantes ofegante.

Era inegável que havia uma tensão sexual entre nós dois e que estava cada vez mais difícil resistir as investidas de Jackson, mas eu me mantinha firme e não tinha planos de ceder.

O clube da luta estava crescendo de modo incontrolável e dei a Youngjae a responsabilidade de procurar novos lugares, respectivamente, uma N11 e N12. Competente como era, não levou mais de um dia para que o Choi me dissesse que já havia conseguido.

Proporcional ao aumento de integrantes, Yugyeom estava cada vez mais eufórico, empolgado, alegre. Lutava quase todos os dias e quando chegávamos em casa ficava à minha responsabilidade ter que fazer os curativos necessários e lhe mandar pegar mais leve, dizer que ele estava animado demais e que deveria controlar as circunstâncias.

Eu estava andando na corda bamba em relação ao emprego. Meu chefe estava começando a reclamar dos meus atrasos, desleixo e falta de compromisso. Logo, logo eu seria demitido e não havia como evitar, agora aquela era minha vida e, definitivamente, eu não voltaria a viver nos antigos padrões moldados pelo sistema.

Yugyeom havia me ensinado a produzir sabão e não me disse o porquê de imediato alegando que eu saberia na hora certa. Foi em tal ocasião que comecei a cogitar a possibilidade de Yugyeom não compartilhar todos seus segredos e planos comigo, pois o cheiro do sabão produzido era o mesmo que impregnava a casa desde o dia em que cheguei e ele nunca tocou no assunto.

Seus encontros com Jinyoung eram cada vez mais frequentes. Sempre aconteciam no clube, até que certo dia o Kim resolveu trazê-lo para onde morávamos e eu precisei dormir mesmo ouvindo claramente o ranger da cama a dois quartos de distância e a voz arrastada de Jinyoung gemendo o nome de Yugyeom.

Estava tudo aparentemente seguindo seu curso normal, até certo dia eu precisar ir a N3 e me deparar com Jinyoung e Mark aos beijos em um canto afastado dos demais integrantes do clube.

Passei uma semana inteira pondenrando se deveria contar ou não para Yugyeom o que havia visto. Optei pela primeira escolha. Só não imaginei que, depois da briga que tiveram no mesmo dia, tudo ia acabar com os dois fodendo ali mesmo, na sala, totalmente alheios a mim que ainda estava na cozinha quando eles começaram a tirar suas roupas.

No sábado seguinte, Jackson me convidou para sair. Não que fosse algo inusitado;  muito pelo contrário, acontecia sempre, como se fosse um mantra. A diferença foi que, dessa vez, ele realmente me surpreendeu com seus planos:

"Você não entendeu, Bammie" chamou-me pelo apelido que ele mesmo havia me dado "Não estou te convidado para beber; estou te convidando para jantar."


Notas Finais


pessoas que enchem o saco do professor de filosofia mandando ele assistir ou ler logo clube da luta me add
af ele até disse que outros amigos recomendaram pra ele e que dessa vez ele ia realmente assistir o filme - semana passada!!
af


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...