História Fight or give up? (Imagine Jhope/Jungkook) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook
Tags Comedia, Drama, Romance
Visualizações 43
Palavras 2.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tentei voltar o mais rápido possível, a minha irmã que é a inspiração dessa fanfic, não se encontra bem e ando bem preocupada.

Mas vamos ao que interessa, boa leitura!📚❤

Capítulo 10 - Sonhando?


Fanfic / Fanfiction Fight or give up? (Imagine Jhope/Jungkook) - Capítulo 10 - Sonhando?

"Não é sobre amar, é sobre guardar um sentimento intruso dentro do peito. Deixar que ele se nutra e palpite junto com as batidas inevitáveis e descontroladas do coração."


 'Se pudesse escolher, seria um pássaro, voaria por toda a imensidão do céu azul, contemplando tudo o que foi criado, saia sobrevoando sem rumo, a fim de achar um abrigo quentinho e aconchegante. Um lugar inebriante que me fizesse sentir a paz, onde esvazia-se meus pensamentos inúteis e tirasse toda dor que me sobrecarrega.'



 Um passeio simples e acolhedor pode trazer lembranças, até mesmo marcas que jamais serão esquecidas; Coisas que farão parte aonde formos e sempre que pararmos para relembrar nossa vida. Dry sentiu-se feliz ao estar com o garoto tímido e fechado na qual conhecera, no momento em que os lábios dos dois se encontraram, viu o quanto aquilo era necessário e preciso, as sensações que percorreram seu corpo foram as melhores, os sorrisos bobos trocados, as carícias e os olhares que definiam qualquer palavra, foram ditos e sentidos.


 Mas, todo ato tem suas consequências, a garota de cabelos ruivos, pegou uma bela gripe causada pela chuva. Como sempre foi frágil, por conta dos acontecimentos inevitáveis do destino, sua saúde foi afetada e sempre se encontrava com algo, adquiriu problemas de nervosismo o que no momento não afetava tanto. Ficou com febre, garganta dolorida, a velha congestão nasal, fraqueza no corpo e como resultado imunidade baixa.


 Precisou passar dias acamada e consequentemente afastou-se de todos, o que a incomodava era o fato de Jungkook não havia lhe dado sequer uma ligação, os dois ficaram próximos após aquela mini viagem, passaram a compartilhar coisas boas entre si, mas não, o rapaz nem mesmo quis saber do seu estado atual. Sentiu-se triste e desolada, talvez não fosse certo criar expectativas com ele, já que seu coração pertencia a outro.


 No momento, continuava deitada e já não aguentava mais aquilo. Pumf! Qualquer coisinha e lá estava ela na cama, um respingo, ou uma mudança climática, resultava nas piores gripes e as mais intermináveis. Aquilo era afobante, chegava a dar um certa raiva, tudo que mais queria era poder comer, porque nem isso estava fazendo, seus alimentos eram: soro e remédio. Isso não era vida.


 Laila: Como esta minha pequena doentinha? - o celular apitou indicando uma nova mensagem, pegou em seu criado-mudo e não deixou de rir. Como sua amiga poderia brincar mesmo com ela nesse estado?


 Dry: Pequena? Doentinha? Acho que se enganou moça :( - respondeu rapidamente e de uma forma brincalhona.


 Laila: Aceite você nunca irá crescer ;) Agora me diga, sente-se bem? - novamente o celular apitou.


 Dry: Não se preocupe, vou sobreviver e terá que me aguentar muito. - brincou entre risos.


  Laila: Isso é uma boa notícia, já estou preparado a próxima viagem.


 Dry: Acho que vou internar você, sua louca! Rsrs


 Laila: Mesmo se eu for, irá comigo querida.


 Dry: Entendi já, preciso descansar no momento...


Laila: Tenha bons sonhos com gatinho da faculdade. 

Visualizado.


 Riu daquele comentário idiota, sua amiga sabia realmente como tirar de seus lábios os melhores sorrisos. Mas tinha um problema, por mais que tivesse algum sentimento por Jungkook em seu coração, sua mente e seu desejo pairava sobre Hoseok, por mais que ele tenha lhe dito para esquece-lo, ela não faria isso e muito menos o afastaria de suas lembranças. Talvez isso soasse egoísta, ou de uma forma arrogante, só que ele era quem a fazia sentir-se viva, como se seus problemas não existissem e lá pudesse ser livre de novo.

  Preciso te ver... Você está aí?

Queria poder fechar os olhos e abri-los, e na sua frente ter o rapaz de cabelos acastanhados ou quase alaranjados, que lhe dava os melhores sorrisos enquanto contava sua história de vida, queria ter as mãos dele rodeando sua cintura em um abraço cheio de carinho, sabia e tinha certeza de que nele encontraria a paz tão almejada por si. Aquele sorriso... Precisa ve-lo, aquela última vez não foi o suficiente e precisaria de mais, muito além de uma noite, de beijos calorosos, de sentimentos retribuídos, queria ouvir a voz doce dele cantando uma bela canção, mesmo que fosse sussurrando inaudível em seu ouvido, para que só ela pudesse ouvi-lo; Todas as vezes que se encontrava frágil, tudo que precisava era dele. Por que não lutou quando foi necessário? Deixou-se levar por uma simples aceitação, poderia ter mudado todo o rumo e ter feito as coisas devidamente certas, mas se não fosse o caso que pelo menos tentasse.

 Balançou a cabeça tentando afastar essas tormentas que a perturbavam, fechou os olhos, soltou as lágrimas e os soluços presos e se deixou indecompor, precisava tirar aquele fardo e a melhor maneira eram as lágrimas, estava cansada e tinha essa necessidade de dormir um pouco e esquecer da sua vida sem sentido, por um intervalo de horas incontáveis. Relaxou seu corpo sobre o colchão, puxou a coberta, permitiu-se deixar a mente aberta por uma fração de tempo.

 'Vamos: feche os olhos e deixe a mente bem aberta...'


 ~×~

 Adentrou Dry com seu carro no subsolo do condomínio onde morava, o lugar era arrumado e sem muitas regalias, estacionou seu carro preto e despojado na sua vaga, ficou um tempo de olhos fechados e pensando em sua vida, fazia alguns dias que voltara a trabalhar, sentia-se cansada e muito debilitada por sempre está doente. Pegou sua bolsa, fechou o automóvel e se dirigiu ao elevador, cumprimentou o segurança que ficava de plantão e entrou, apertou os botões vendo a porta logo ser aberta de frente ao seu apartamento. 


 - Finalmente! - suspirou pesado, destravou a porta e adentrou o cômodo.


 Tudo estava como havia deixado, sua única vontade era tirar suas roupas, joga-las em algum lugar e tomar um belo banho relaxante, mas seus pensamentos foram subitamente interrompidos ao ver a porta do banheiro ser aberta, viu em sua frente aquele homem de corpo esbelto e abdômen pouco definido sair, a toalha branca rodeando sua cintura, os cabelos molhados o deixando de uma forma sexy, as gotículas escorriam por seu corpo. Reparou aquilo de forma espantosa, não acreditava e muito menos queria, isso seria uma brincadeira ou um sonho.


 - Meu bem, fico feliz que tenha chegado! -  exclamou Hoseok, ele tinha um belo sorriso amarelo nos lábios.


 - H-hoseok? - indagou Dry, completamente nervosa.


 - Por que está parada aí? - o acastanhado, se aproximou com uma das sobrancelhas arqueadas.


 - Isso não pode ser real... - afastou-se ela não entendendo aquilo, percebeu que não poderia mais escapar quando bateu com as costas contra a porta, largou sua bolsa no chão e engoliu a saliva com dificuldade.


 - O que não é real Dry? - sorriu - Sou eu seu marido, vai dizer que não me reconhece? - brincou, logo soltou uma gargalhada baixa.


 - M-marido?! - gaguejou totalmente perdida, olhou em sua mão esquerda e viu a aliança de ouro com pedrinhas brilhantes no meio.


 Desde quando isso está aqui? - pensou consigo mesma.


 - Acho que esse trabalho não está fazendo bem a você. - ele sorriu e tocou em uma de suas mãos. Dry sentiu um arrepio em sua espinha.


 - Deve ser isso... Estou cansada. - reproduziu uma cara dramática, talvez assim pudesse digerir toda a situação.


 É isso mesmo, sou casada... com o Hoseok? - perguntou-se mais uma vez.


 Quando deu por si, as mãos gélidas de Hoseok seguravam seu rosto com delicadeza, as ares quase cor de mel penetraram juntamente com seu olhar perdido, nem se deu conta e os lábios dele estavam juntos aos seus, em um beijo suave e apaixonado, sentiu seu estômago embromar e as velhas borboletas tomarem conta daquela situação estranha e ao mesmo tempo boa, deixou seus pensamentos para o lado e retribuiu, passou suas mãos para os cabelos molhados dele e aprofundou, permaneceram um tempo colados até sentirem necessidade de respirar, Hoseok depositou um selar em sua boca e sorriu.



 - Vem amor, cuidarei de você. - puxou ela pela mão e a guiou até o quarto, dando a mesma a visão de algo completamente arrumado e que cheirava a rosas.


 - Tudo está no seu canto... - nem ela deixaria aquilo tão impecavelmente arrumado.


 - Não poderia deixar as coisas para você, sei que trabalha bastante e a única coisa que quer é descanso. - ele a sentou na cama, se dirigiu ao guarda roupa, nesse momento Dry o observou atenta, viu seu "marido" trocar de roupa na sua frente, contemplou a beleza de um corpo exorbitante e cuidado, era algo completamente bonito de se ver.


 - Não me olhe assim, acabarei por responder seus olhares... - viu um sorriso maldoso brotar dos lábios dele.


 Então... Wow! Ele é meu marido... -sorriu boba e nem percebeu.


 - Estou vendo que gosta da idéia. - Hoseok mordeu os lábios e se aproximou lentamente, novamente tocou seu rosto, fazendo com que Dry senti-se seu carinho.


 - Preciso de uma massagem. - pediu de forma manhosa, Hoseok apenas assentiu. Tirou a blusa da esposa, deixando a mesma apenas de sutiã e dirigiu as mãos aos seus ombros, movimentou cautelosamente dando a ela a sensação de alívio.


 - Esse trabalho te deixa bem tensa. - ele disse e a mesma apenas murmurou em forma de aprovação.


 Hoseok não se conteve em ve-la da forma que estava, Dry mantia a cabeça tombada para trás apenas aproveitando aquela massagem que relaxava todos os seus músculos, logo os lábios dele encontraram seu pescoço em beijos molhados e cheios de desejo. Ela suspirou alto ao sentir a boa sensação, não disse nada, aproveitou da melhor forma.

 

 As mãos de Hoseok foram de encontro aos seus cabelos longos, ele foi subindo seus beijos até o ouvido dela, onde pronunciou palavras audaciosas e mordeu o lóbulo de sua orelha, ela por si já o desejava com uma simples aproximação. Queria poder beija-lo até que faltasse o ar em seus pulmões.


 Virou-se para ele que a olhou sem entender, puxou sua nuca e lhe beijou sem permissão, Hoseok prontamente retribuiu ficando com os joelhos no chão e abraçando a cintura dela, beijaram-se de forma calentosa, as mãos dele desceram até suas coxas e o beijo foi aprofundado pela língua dos dois, uma batalha foi travada, onde buscavam espaço para continuar. Ao término Hoseok selou seus lábios e foi descendo até o pescoço, mordeu de leve arrancando um suspiro abafado dela.


 - Eu quero muito amor, mas se não quiser podemos deixar pra depois... - delirou ele, e grudou seus lábios mais uma vez.


 - Eu quero! - respondeu decidida, onde recebeu um sorriso e sentiu seus lábios serem prendidos pelos dentes dele.


 Desabotoou o jeans dela e tirou sua calça, admirou seu corpo por alguns instantes e mordeu os lábios, deixando a mesma com vergonha, deitou-a sobre a cama e ficou por cima distribuindo beijos atrás de beijos, que foram se tornando longos e interrupitiveis, aproveitou-se dos lábios daquela que tanto amava.


 Não se deram conta e estavam ali os dois, completamente desnudos e insanos com toda aquela situação, Hoseok tomou o controle de tudo e fez dela a sua mulher, como se fosse a primeira vez que fizeram isso. Chegaram ao ápice, e continuaram presos pelas respirações descompassadas, beijaram-se novamente e logo se separaram.


 Dry percebeu seus olhos quererem fechar e apenas permitiu, as sensações que corriam seu corpo eram as melhores, está ali ao lado daquele homem só a deixava feliz, sorriu com os olhos fechados ao sentir as mãos dele rodearem sua cintura e a puxar para perto de seu corpo.


 - Dry... Meu docinho, te amo... - ouviu ele, sussurrar em seu ouvido e teve a sensação de estar em um sonho, sendo que tudo era real.


"Estarei sempre te dando o meu amor, quero que cuide do meu coração como se fosse sua vida, não me machuque, me ame e me faça feliz. 

Que nossos momentos nunca venham acabar e que nossa vida seja; sempre repleta de alegria, que seu sorriso venha me mostrar o resplendor e a magia de ficar com você."



 Seus olhos marejaram, os abriu e deparou-se com seu quarto de paredes bejes, sentou-se frustrada na cama e percebeu o seu estado, se encontrava suada e com seu coração acelerado,  as lágrimas intrusas desceram sem permissão, havia sonhado com aquele que amou e ainda amava...


 A saudade que sentia naquele momento se tornou maior, mas não poderia fazer nada, os dois desistiram e precisava seguir em frente e esquecer todas a lembranças daquele que um dia a fez a mulher mais feliz do mundo.


 "E como sempre, o destino me prega uma peça."





  



  




  





  


Notas Finais


Deixem o comentário de vocês, estarei aqui para responder a todas.

Beijos🍇❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...