História Filha da Máfia (Hot Lésbico) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Máfia, Romance, Serial Killer, Sexo Lésbico, Violência Psicológica
Exibições 22
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Salve galera, tudo certo?
Quero agradecer pelos favoritos, como eu digo, ces são minha força
Tamo junto.

Capítulo 14 - Party


Fanfic / Fanfiction Filha da Máfia (Hot Lésbico) - Capítulo 14 - Party

 

Megan P.O.V

 

Pra variar outra festa inapropriadamente tematica, e adivinha qual o tema? Prisão. Tudo isso pra comemorar seu aniversário e as quatro vezes que ela foi presa, Olho para as dançarinas e mesa de bebidas ao menos dessa vez ela pretende começar a noite sóbria.

 

Consulto o tablet vendo se tudo esta nos conformes, o jardim cheio de celas de prisão, balões pretos e brancos, funcionarios vestidos de presidiários movendo os canhões de luz maiores e todos as pessoas vestiam roupas listradas ou algo haver com o tema: ''venha antes Lua Bittencourt fuja''.

 

Os garções servem taças de champanhe enquanto dançarinas rebolam dentro das celas que Lua colocara no jardim e a outra perto da piscina.

Do outro lado, próximo da piscina vejo Lua segurando uma camisa jeans com alguns números, similares aos do presos e uma calça preta acompanhado de coturnos.

 

Lua me encara com aquele seu sorriso sínico que eu bem conheço e da um gole no uísque, voltando o olhar para a garota usando de jaqueta com distintivo de sheriff e um vestido justo preto enquanto ela se esfrega em Lua.

 

A garota ruiva de olhos verdes vestida de garçonete carrega uma bandeja consigo me encara e sorri depois de alguns minutos, seu olhar me causou calafrios chegando até a lembrar da mulher envolvida no incidente no aeroporto, que matou dois quardas e deixou mais outros feridos.

 

Lua P.O.V

 

Termino o uísque e danço junto da morena Carmen Golden, filha de um bilionario do aço e uma riquinha mimada tremendamente gostosa. Próximo a mesa de bebidas Megan consulta o tablet, mesmo durante uma festa ela insistiu em usar um vestido preto solto e os cabelos presos num rabo de cavalo.

 

Olho no relógio e já são onze da noite e nada do Tommy, ele não costuma trabalhar até tarde da noite, principalmente quando se trata do meu aniversário.

 

A DJ bota pra tocar Play Hard de David Guetta ft. Ne-You e Akon e lógico faz a galera começar a dançar, algumas garotas já bastante bêbadas pulam na piscina e uma acaba perdendo a parte de cima do biquini me arrancando uma risada.

 

A garçonete ruiva me entrega uma taça de champanhe da uma piscadela pra mim e me bate a impressão de que já vi ela em algum lugar, mas onde? Aqueles olhos...

 

Passo ao lado das dançarinas e a loira acaba me dando um selinho bem rápido, devo admitir que já dormi até com quem se dizia hetero e no fim das contas era bi.

 

Me afasto da loira e passo por um grupo que me cumprimenta me fazendo virar uma dose de tequila com eles, uma dessas pessoas é a minha primeira namorada Alina Harsen, estudante de jornalismo.

 

Ela dança ao som do clássico de Madonna, Like a Virgin morde o lábio inferior enquanto rebola e me encara com um sorriso sínico.

 

--Feliz aniversário, Bittencourt. - diz Alina no momento em que me entrega uma bebida.

 

Outra dançarina que usava salto e short jeans preto e algo similar a um sutian branco, me puxa e acaba apertando minha bunda.

 

As luzes neon e fumaça já tomavam conta do lugar, pego outra dose de vodca e viro de uma vez vendo o carinha se jogano na piscina.

 

Subo no palco e peço pra DJ cortar o som, pego uma taça de champanhe e dou um logo gole os meus ''amigos'' lenvantam suas bebidas.

 

--Valeu galera, valeu por terem vindo comemorar comigo hoje. - dou um gole no champanhe. --Na última festa acordamos meus vizinhos, VAMOS ACORDAR AQUELES IDIOTAS DE NOVO!

 

O pessoas grita e ri com a What Do You Mean voltando a tocar, olho Megan que balança a cabeça em negativo então se aproxima de mim ignorando as garotas a minha volta.

 

--Achei que não viria me dar um beijo de aniversário. - digo rindo.

 

Megan sorri com deboche então se aproxima de mim sorrindo ainda.

 

--Devia pedir pra sua nova namoradinha, - encosta os lábios em meu ouvido me deixando excitada. --Elisa.

 

--Sabe que o que eu tenho com você são casos de uma noite. - dou uma piscadela e viro outra taça de champanhe.

 

Me afasto de Megan e vou em direção ao bar pegar uma bebida, olho o relógio em meu pulso e acho que Megan esqueceu que presidiários não usam relógio.

 

--Será que pode me dar um minuto? - pergunta a voz familiar atrás de mim.

 

Me viro segurando a outra dose de uísque e vejo Alice diante de meu olhos, usando blusa branca social e calça jeans e numa das mãos segurava um presente, por mais que eu estivesse feliz e não quisesse admitir estou feliz em vê-la.

 

Os fogos começam no momento que a galera grita ao ouvir I Gotta Feeling, dou um abraço em Will, um idiota do colégio que insiste em forçar uma amizade onde não existe, ele usa uma regata branca e calça branca com uma blusa amarrada na cintura.

 

--Vamos conversar lá em cima. - digo virando tudo num só gole.

 

[****]

 

--Achei melhor conversarmos agora, você está de cabeça fria. - diz sentando em minha cama enquanto me encosto no criado mudo cruzando os braços. --E feliz aniversário.

 

Pego o presente a caixa e abro vendo o relógio que diga-se de passagem é lindo, de que ela tem bom gosto nunca tive duvidas.

 

--Obrigada. - digo dando um sorriso forçado.

 

--Será que da pra parar com essa indiferença? - pergunta com os olhos semicerrados.

 

--Desculpe se é o que parece. - proposital ou não é o que realmente é, indiferença.

 

Alice pega a bolsa e se vira para ir embora mas antes que ela passa a seguro pelo braço, encarando-a por alguns minutos.

 

--Por que veio? - baixo a cabeça e espero uma resposta dela, mas não consigo dar tempo que ela responda. --Você me mandou embora e disse coisas horríveis.

 

--Porque eu não aguentava mais. - responde bufando então me encara. --Ninguém consegue viver assim.

 

Porra! Doeu em mim quando ela me deu um chute e agora simplesmente a sua justificativa é a de que ninguém consegue viver assim? Eu não acredito que estou ouvindo isso.

 

--E como você acha que fiquei? Ou melhor, como acha que eu me sinto?

 

--Eu sei que você ficou mal, foi por isso que Tommy me procurou. - diz se levantando e põe as mãos em meus ombros.

 

--Então você só voltou porque o Tommy pediu? - pergunto retirando suas mãos de mim.

 

Antes que eu posso dizer algo vejo pela janela um bando de homens encapuzados segurando metralhadoras e fuzis, Merda! Abro a gaveta e entrego uma Colt para Alice e sigo na direção da porta quando abro recebo uma coronhada no rosto vinda de um garçom.

 

Atordoada levanto e pulo nas costas dele, Alice pega a arma do garçom e a guarda em sua cintura, ele levanta e desfere um soco contra Alice que esquiva. Desfiro um soco nele e ele acerta um soco em meu nariz me fazendo caio por cima da cama, Alice acerta um chute em seu queixo o fazendo cair sobre a mesa então estende a mão para mim e da uma risada.

 

--O que seria de você sem mim? - pergunta ainda rindo.

 

 

CONTINUA...


Notas Finais


E então galera?
Quem é a tal da ruiva?
E como a essa festa vai acabar?
Se você curtiu deixa um comentário ou favorito, tamo junto.
Valeu
Falow v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...