História Filha da Máfia (Hot Lésbico) - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Máfia, Romance, Serial Killer, Sexo Lésbico, Violência Psicológica
Exibições 20
Palavras 1.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Salve galera
tudo certo?
:v

Capítulo 23 - Sou uma idiota com problemas!


Fanfic / Fanfiction Filha da Máfia (Hot Lésbico) - Capítulo 23 - Sou uma idiota com problemas!

Elisa P.O.V

 

Vejo Lua atravessar a porta do meu escritório usando um blazer preto e calça jeans preta, ela me pega num abraço apertado e beija o alto de minha cabeça.

 

--Me perdoa, - segura meu rosto e beija meus lábios. --a culpa foi minha.

 

--Não, não foi... - sussurro apertando seu corpo e desejando aquele abraço, sentindo o seu cheiro.

 

--Me leva pra sua casa, por favor.

 

Lua afaga meus cabelos enquanto me prende num abraço apertado me consolando, mesmo com seu jeito um tanto bruto ela era capaz de me acalentar. Eu uma mulher de vinte e cinco anos chorando no colo de uma garotinha.

 

[****]

 

Depois de passar em casa pra pegar umas mudas de roupa, Lua me leva pra sua casa e me faz ligar pro escritório avisando que viajaria a trabalho por alguns dias.

 

Encosto minha cabeça na janela do carro mais Lua logo me puxa pra junto de seu corpo, enquanto a chuva despenca na noite e o motorista aguarda o sinal abrir.

 

--Vai ficar uns dias comigo, em casa. - diz levantando meu queixo.

 

--Eu não mereço você... - digo me encolhendo em seus braços.

 

--Sou eu anjo, eu que não mereço. - olha a chuva pela janela do Chrysler parecendo perdida em outro lugar.

 

Levo minha mão para seu rosto machucado o trazendo para mais perto, é bom me sentir protegida por ela, mesmo sabendo que Sebastian pode machucá-la me torturo pensando essas coisas.

 

Depois de um longo banho de banheira com direito a massagem feita por Lua, vesti uma camisa social sua e uma calcinha branca.

Lua concordou que apenas dormiríamos na mesma cama, pois não estou em condições de pensar em sexo mesmo que seja com ela.

 

Ajeito meus cabelos em um coque um pouco bagunçando, me olhando no espelho lembro da discussão que tive com Sebastian e da bofetada que ele me deu por saber que eu trabalharia pra ela... Imagine o que ele pode fazer quando souber que eu durmo com ela.

 

Me aconchego em sua cama me enfiando em baixo das cobertas, pensando em como fui me envolver como uma delinquente que pichou a parede de uma delegacia, agrediu um paparazzo e também cuspiu em um policial?

 

Levanto e decido andar pelo quarto de Lua, afinal era a primeira vez que eu estava lá. Sua estante de cd's me surpreende um pouco me arrancando uma risada.

 

--Música erudita? - como é possível aquela criatura que só se veste de preto e parece ser punk gostar desse tipo de música.

 

Na parede um violão, um contrabaixo e por fim uma guitarra pendurados lado a lado, próximo a eles esta uma bateria.

 

Sobre a mesa de estudos estão um iMac, uma luminária junto de algumas fotografias e mais uma vez Alice na foto ao lado de Lua, sempre tive um ciúme de Alice.

Meu ciúme aumentou quando descobri uma queda que Lua tem por Alice.

 

--Lua, vo... - a voz de Alice para quando me vê olhando as fotografias. --Eu não sabia que você estava aqui, Elisa.

 

--É, imagino. - digo sorrindo e cruzando os braços.

 

--Elisa, tô pensando em assistirmos um filme.. - Lua para na porta então nos viramos para ela.

 

[****]

 

Lua P.O.V

 

Me jogo na cadeira enfiando as mãos nos bolsos da calça de moletom encarando Alice que está com cara de poucos amigos, era só o que me faltava.

 

--Antes de mais nada, - dou um gole no conhaque. --ela vai dormir aqui.

 

--Disso eu já sabia. - revira os olhos com raiva e se apoia em minha mesa se inclinando para frente. --Não sabia que tinha virado amante dela.

 

--Assim como você tem transado com o Tommy?! - digo me inclinando pra frente também expondo meu melhor sorriso cínico.

 

--Me respeita sua pirralha! - diz me encarando com raiva e por pouco não me esganando. --Quero saber o que é isso!

 

É o caderno do meu pai, merda! Ele ficou fora da caixa, acabei colocando-o na gaveta, espera ai, eu não acredito que Alice fuçou meu quarto! Alice o joga contra meu peito ainda me encarando.

 

--Onde encontrou isso? - pergunto me levantando.

 

--Eu quero saber o que é isso!

 

É obvio que ela mexeu no que é do meu pai! Alice não devia ter entrado em meu quarto, não dei ordens pra ninguém entrar lá.

 

--Não te quero fuçando minhas coisas! - digo apontando o dedo em seu rosto.

 

--Eu odeie ter que fazer isso! Só fiz isso porque você nunca me diz nada!! - bate em minha mão e me da um empurrão.

 

--Isso não te da o direito de remexer nas minhas coisas! ISSO NÃO TE DA O DIREITO DE MEXER NAS COISAS DO MEU PAI!

 

Minha respiração fica irregular me fazendo apertar meus olhos com força, minhas pernas ficam bambas de mais para que eu me mantenha de pé, só não vou ao chão porque Alice me segura e passa meu braço por seu pescoço.

 

--Você está bem? - pergunta me levando até o sofá-cama do escritório.

 

--Vou ficar... - isso soa mais como um gemido do que uma resposta para Alice.

 

Alice checa minha pulsação então afasta minha franja caída em minha testa, afaga meu rosto fitando meus olhos por um longo momento, não vou negar que já tive uma quedinha por Alice.

 

--Me desculpe, - umedeço meus lábios com a língua. --antes de viajar eu era uma idiota, agora sou um idiota com problemas.

 

Eu sempre tive Alice por perto, principalmente na hora de tomar as decisões. Alice se acomoda ao meu lado no sofá apoiando usando o braço para se manter estável no sofá encostando a cabeça em sua mão.

 

--Por que não me conta? - pergunta me encarando preocupada.

 

--Eu venho mentindo pra todo mundo faz sete anos, - me coloco o braço na testa e respiro fundo. --meu pai, não morreu na queda do avião...

 

Alice arregala os olhos se levantando assustada, sentando no sofá preto ainda me encarando. Ela precisa ser a primeira a saber sobre uma parte da verdade e o que existe por de trás do caderno.

 

--Como, como assim?

 

--Eu estava me afogando, - fecho os olhos me lembrando da água gelada e escura do Pacifico. --então meu pai me puxou pra um bote salva vidas, tava tão frio e escuro...

 

A expressão de Alice muda então ela volta a se deitar como antes ao meu lado, agora ela estava com uma mistura de surpresa e medo.

 

--No fim das contas, ele deu um tiro na própria boca... - sento um pouco e respiro fundo. --Antes disso ele me mandou sobreviver por nós dois.

 

Alice P.O.V

 

--Por que você mentiu? - pergunto estarrecida pelo que ela acabou de me contar.

 

Meu sangue gela ao ouvir a verdadeira versão da história de Lua, saber como ela realmente sobreviveu a queda de um avião.

 

--Porque eu queria vingança! - Lua continua sentada no sofá com os braços apoiados nos joelhos. --O copiloto derrubou o avião... e matou minha irmã.

 

--Vingança?

 

--Ele disse ''com os cumprimentos de Sebastian Mitchell'', e o nome de Sebastian foi o primeiro nome do caderno.

 

Opa! Sebastian? Caderno? Assassinato? Eu não posso esta ouvindo isso, Lua quer vingança por que Sebastian... Não! Ele nunca faria isso! Sebastian é meu amigo.

 

--Então naquele dia eu também morri, - levanta do sofá e tira a camiseta ficando apenas com o sutiã, como? As cicatrizes... Meu Deus! --pra chamas do inferno eu cai.

 

--O que são...?

 

São várias cicatrizes por seu corpo como o Dr. Thommasi disse há um ano. Por um instante deixo de pensar e começo a sentir, devo admitir que ela me feriu muito com atitudes e promessas falsas causando meu afastamento, são varias cicatrizes a maior é uma próximo de sua costelas que pareciam ser feitas por serra ou algo do tipo a menor é próximo ao umbigo de Lua e parece ser uma queimadura de segundo grau, isso é assustador e eu não fazia ideia do que ela tinha passado nos últimos e eu nem sabia...

 

>>FLASHBACK<<

 

Ligação on:

 

--Tô pensando em passar seu aniversário com você. - Lua diz rindo. --Mas se não quiser, de boa.

 

--Mas.. Isso vai ser possível..? - respirei fundo não acreditando no que ela me disse pois estava feliz demais. --De verdade? Não vai embora do nada?

 

--Eu pensei em você abrir a porta pra eu te abraçar. - isso me fez saltar do sofá e ir correndo em direção a porta vendo Lua parada rindo.

 

Ligação off:

 

Dei um abraço naquela pirralha, querendo ou não eu me sentia sozinha numa casa enorme como a dela e com a viagem que ela havia feito pensei que só veria ela em agosto.

 

--Você tá se alimentando direito? - ela parecia abatida e tinha alguns cortes pelo rosto.

 

--Eu também amo você. - me pegou num abraço de urso me levantando do chão.

 

Infelizmente nos últimos tempos, o que tenho recebido de Lua é apenas educação, apertos de mãos somados a pura indiferença.

Na verdade ela nem se da ao trabalho de fingir que está feliz ao me ver...

 

>>FLASHBACK OVER<<

 

--Não passei os últimos anos estudando ou com Sebastian, - levanta meu queixo e sorri. --fui muito além disso.

 

--Então me diz por favor...

 

Logo me vejo num abraço de Lua com ela fazia antigamente, seus dedos afagam meus cabelos me permitindo aproveitar aquele carinho. Minha cabeça está girando por conta das informações vindas como sei lá o que?

 

--Eu te conto, - segura meu rosto entre as mãos fitando meus olhos. --mas não hoje.

 

--Só mais uma pergunta? - dou um sorris e seguro seus punhos então ela diz que sim com a cabeça. --O que são as identificações?

 

--É por isso que eu tenho você, - beija minha testa novamente me encarando novamente. --pra me ajudar a tomar decisões e...

 

Tomas P.O.V

 

Entro na escritório me preparando para apartar mais uma troca de farpas entre Alice e Lua, já basta as brigas constantes entre as duas fora os atentados frequentes contra a pancada.

 

Abro a porta me deparando com algo que me causa repulsa, Lua se camiseta segurando o rosto de Alice entre as mãos. Meu sangue ferve me fazendo cerrar os punhos.

Lua se afasta de Alice para vestir a camiseta preta.

 

--Tommy, pode ficar com Alice? - pergunta sorrindo dando um beijo em Alice.

 

--Claro. - digo forçando um sorriso.

 

 

[****]

 

Lua P.O.V

 

Volto pra cama me deitando ao lado de Elisa que assiste a um programa qualquer no HBO, puxo ela para junto do meu corpo.

 

--Você demorou. - diz abraçando minha cintura encostando em cabeça minhas pernas.

 

--Mas já estou de volta. - afago seus cabelos pegando um pouco de pipoca fingindo prestar atenção no programa.

 

Elisa senta em meu colo colocando os braços em meu pescoço, ter Elisa ao meu lado na cama sem termos nada é difícil de se imaginar. Levo minhas mãos para sua bunda apertando suas nádegas correndo por suas coxas arrancando gemidos baixos.

 

--oh...

 

Passo o dedo por sua calcinha úmida arrancando mais outro gemido, pego um pacote de Halls prata sobre a mesa de cabeceira sob o olhar de Elisa.

 

--Fecha os olhos. - sussurro com a boca em sua orelha.

 

--O que é isso? - pergunta já ofegante.

 

--Agradeça ao Yuri pela ideia. - digo rindo beijando seu pescoço.

 

Coloco Elisa deitada sob meu corpo, beijo seu pescoço arrancando um gemido rouco dela. Elisa abre os olhos e respirando fundo...

 

Elisa P.O.V

 

O misto do lábios de Lua junto do Halls prata por pouco não me fez gozar, sinto a boca de Lua descer mais um pouco beijando afastando minha calcinha para o lado colocando o Halls em meu clitoris...


Notas Finais


Deixa nos comentários, se preferem...
Lua & Alice ou Lua & Elisa
Deixa aquele favorito maneiro :v
Tamo junto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...