História Filha do Arcanjo - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gigi Hadid, Justin Bieber
Personagens Gigi Hadid, Justin Bieber
Tags Amor, Anjos, Demonios, Drama, Fantasia, Romance, Violencia
Visualizações 80
Palavras 1.882
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capítulo 12


JULIE

A tarde estava linda, já são quase seis da tarde e a claridade começa a perder a força, dando força há uma noite que provavelmente vai ser linda, o céu não contém vestígios de nuvem.

Depois de mal ter tempo de falar com Justin no trabalho, já que nosso novo projeto tomou todo nosso tempo, nos despedimos depressa no final do expediente e ele me diz que tem um compromisso, então combinamos de nos encontrarmos mais tarde na minha casa.

Sinto alguém tocar meu ombro, por sorte, reconheço bem esse toque

- Oi, Pai.- me viro encarando meu caro e todo poderoso Arcanjo Miguel.

- Precisamos conversar, mas não aqui.

Ele toca minha testa e pronto, estamos em algum lugar do mundo que ele julga seguro.

- O que tem há me dizer pai?

Ele suspira, isso não é bom.

- Seus tios não param de te procurar, preciso te proteger deles, lembra daquele feitiço para te esconder dos anjos?

- Sim, nunca precisei usar... O que tem ele?

- Bom... - ele toca minhas costelas e sinto o feitiço se fixar nos meus ossos.- Agora precisa, você tem que achar o escolhido, filha. Ele está muito próximo de você, apenas preste atenção ao seu redor.

- Como assim?

- Já aderiu a preguiça de pensar dos humanos minha filha? Não está difícil de perceber quem ele é.

Confesso que essa frase me abalou, meu pai tem razão, não estou usando a cabeça como deveria. Qual é! Eu sou um anjo! Eu sou mais inteligente que os humanos, só preciso prestar atenção em algo que eu não aprendi a notar, que eu nunca vi e nem ouvi falar, só preciso achar uma marca que não sei como é, apenas sei que existe.

Super fácil, pai.

- O senhor tem razão, mas e quanto aos meus tios?

- Eles não vão te achar, não te protegi do radar de todos os anjos, só do deles.

Eu pediria uma explicação, mas, não tem como explicar com ele sabe me esconder de coisas específicas. Nesse caso, meus tios.

- E o Tio Rafael? Ele não...- faço gestos com a mão.

- Ele está me apoiando, não se preocupe, Rafael está ao nosso lado nessa confusão.

- Por que isso tudo seria uma confusão? Meus tios apenas estão revoltados comigo, é um problema que pode ser resolvido na conversa.

- Já viu Gabriel, e principalmente a Uriel resolverem as coisas na conversa?

As imagens de alguns anjos sendo punidos veio a minha cabeça, meu tio é um dos maiores guerreiros de Deus, depois de meu pai, sua fúria é de dar medo a qualquer anjo no céu. Ele é quase que implacável. Porém, ele sabe ser pacífico.

- Mas e quando ele entregou a mensagem para Maria? Ele não foi agressivo de forma alguma...

- Este é um caso diferente, Gabriel teve prazer em dizer à aquela mulher que ela seria mãe do filho de Deus. Ela foi escolhida pois Deus sabia que seu sim era inevitável, ele sabia que ela não daria outra resposta. Deus nunca erra, tudo que acontece ao nosso redor é por que ele quer que aconteça, tudo foi planejado.

- Manipulado você quer dizer.

Pela primeira vez, meu pai ficou sem palavras. Mas após alguns segundos de silêncio, ele prosseguiu sabiamente.

- Todos nós temos escolhas, Julie. Mas seja lá qual seja nossa escolha, sempre iremos parar no mesmo lugar. Os caminhos são diferentes, mas o ponto de encontro é o mesmo. Não importa o que você faça, não importa quantas estradas você siga, você sempre vai para onde tem que ir, onde Deus planejou que você vá.

- Quer dizer que o livre arbítrio é só uma farsa?- Perguntei indignada.

- Não, o humanos tem livre arbítrio sobre várias coisas, coisas pequenas. Nós não.

- Que não temos o livre arbítrio eu sei, mas... Agora eu estou aqui, eu... Eu fiz escolhas, não segui o que me foi mandado, eu desobedeci as ordens do mais alto escalão do céu... Eu desobedeci o Criador, pai!

- Talvez. Mas eu tenho contato direto com o criador, muito mais do que meus irmãos, mais do que Gabriel, você acha que eu estaria do seu lado se você tivesse feito a escolha errada?

Olhei para ele repassando nossa conversa em minha mente, as palavras de meu pai começavam a fazer sentido.

- Lembre-se filha, os caminhos são vários, mas o ponto de encontro é o mesmo.- ele põe os dedos em minha testa novamente e quando olho ao redor, reconheço o papel de parede bege da minha sala.

E mais uma vez, ele simplesmente desaparece.

-Obrigada pela conversa pai, é sempre ótimo falar com você.

Revirei os olhos e vou até a cozinha, mas um vento gelado bateu em minhas costas me fazendo parar, conheço essa sensação, tem um anjo aqui. Me viro rapidamente e esqueço meu queixo no tapete.

Justin?

- Você... VOCÊ TEM ASAS?

- É eu tenho. Descobri isso hoje.- Ele sorriu guardando suas asas e caminhou até mim.

- M-mas, como? Se você fosse um anjo eu saberia!

- Nem eu sabia, você não poderia perceber princesa.

- Aí meu Deus! Isso é incrível!- eu o encarava, sorrindo e animada, mas cometi o erro de o olhar para seu braço, agora sem a proteção da manga se sua jaqueta e meu olhar se fixou no local

- Essa marca... Eu conheço essa marca.

Ele olhou para mim, em silêncio.

- Você é filho de Lúcifer! Ai meu Pai! Como você não é do mal?

- Agradeça aos Arcanjos.- Sorri.

Balancei a cabeça rindo e o beijei, um beijo cheio de desejo e paixão. Eu queria evitar ao máximo transar com ele por ele ser humano, mas agora não faz diferença, já que tudo vai me levar para o mesmo lugar, não tem por que eu temer em me arriscar.

Justin me afastou dele segurando meus braços e olhou em meus olhos, mantendo nossas testas coladas.

- Você tem certe...- Eu o cortei.

- Cala a boca e me faça sua Justin Bieber.

Um sorriso enorme apareceu em seus lábios e Justin desceu as mãos para minha bunda e me pegou em seu colo enquanto distribuía beijos do meu pescoço até o colo do meu seio direito.

Ele me prensou na parede com a força de um animal que acaba de pegar sua presa, não pensou duas vezes e rasgou minha blusa.

- Tão cheios quanto eu imaginei.

- Você imaginou como seriam?

Falei olhando para ele com um sorrisinho de lado enquanto desabotôo sua camiseta.

- Eu imaginei cada curva do seu corpo,-Ele arrebenta meu sutiã e dá leves mordiscadas em meu mamilo esquerdo, mordo os lábios de prazer.- cada centímetro dessa pele macia que eu poderia beijar. - ele segura minhas mãos contra a parede e as põe acima de minha cabeça, com uma única mão ele as prende e com a outra ele segura meu seio esquerdo e chupa o bico com vontade. Arqueio as costas da parede, impulsionando meu corpo para frente, ele faz um sinal de "não" com o dedo indicador e me deu impulso para trás, e eu deixo escapar um suspiro, o que foi um combustível para o Justin.

Ele chupa meu pescoço com vontade, sem receios, sem a menor preocupação se vai me deixar marcada ou não. Na verdade, acho que esse é o objetivo dele, e eu adoro.

Ele volta a chupar meus seios e solta minhas mãos, instantâneamente seguro seus cabelos com força e puxo sua cabeça para trás, ele morde os lábios, vê-lo fazendo essa cara de safado só me deixa mais exitada.

Eu tomo seus lábios nos meus mais uma vez, nossas línguas travam uma batalha, o calor de nossos lábios se envolve nesse momento maravilhoso. Não há​ espaço para medos ou dúvidas entre nós, só há espaço para o desejo, a chama, nossos corpos e nossas almas entrelaçadas harmoniosamente, uma combinação perfeita de pecado e santidade.

Justin me desceu de seu colo e me colocou virada de costas para ele, suas mãos seguiram o desenho de minhas curvas e sua boca fez uma trilha, seguindo da nuca por toda a extensão​ da minha lombar até chegar no cós da calça e a puxou para baixo depressa, levanto junto minha calcinha.

Delicadamente tirei os pés de dentro da calça e ele a jogou em algum lugar.

Ele fez outra trilha de beijos, dessa vez, da parte de trás da minha coxa e me curvou um pouco para frente, me fazendo empinar um pouco a bunda, e ele seguiu seu caminho até chegar em minha vagina e começou a lambe-la, a chupar com vontade, me levando a loucura.

- Justin... Ah!

Ele se ergueu e tirou meu cabelo das costas, me deu um beijo na nuca e me penetrou um dedo, soltei um gemido baixo e dei um pequeno pulo.

Seu dedo começou com um vai e vem devagar e foi se intensificando, logo, mais dois dedos me invadiram e seus movimentos ficaram mais rápidos e fortes, eu já não conseguia mais seguras meus espasmos de prazer e muito menos meus gemidos.

- Vire-se. - Ele pediu com a voz rouca, que esbanjava exitação e doçura ao mesmo tempo.

Seu toque é suave e ao mesmo tempo firme, ele tem as mãos leves, mas também pesadas e fortes, ele é o diabo e o anjo em um só.

Eu me viro de frente para ele e sem ele pedir eu me ajoelho e abaixo suas calças. A ereção está mais que visível em sua cueca branca. Está tão volumoso que ainda não sei como a cueca não rasgou.

Eu a puxo para baixo e sem me dar a menor chance de fazer algo, Justin me puxa para cima.

- Vamos lá pra cima.

Ele me pegou no colo e em poucos segundos chegamos ao meu quarto, Justin me jogou na cama e se deitou por cima, me deu um beijo quente e novamente fez outra trilha de beijos, seguindo do meu queixo por minha barriga e para em minha intimidade. Ele levanta o olhar para mim e sorri, em seguida ele distribui beijos maravilhosos no local, enquanto ele estimula meu clitóris, dois dedos entram em mim em um ritmo delirante, levanto as costas do colchão e me contorço, sem conseguir conter meus suspiros e gemidos, minhas pernas começam a se fechar sozinhas, mas Justin não deixa, com cada uma das mãos, ele segura minhas pernas e as abre ainda mais.

Eu me contorço deliciosamente.

Ele sobe e beija meu pescoço enquanto uma de suas mãos segura meu seio direito e seus dedos brincam com o bico.

Seu membro invade minha vulva sem aviso e eu gemi alto em seu ouvido, primeiro os movimentos são compassados, lentos e firmes, depois, rápidos e fortes, acabando com qualquer distância que nossos corpos tinham.

...

Justin se deita ao meu lado cansado e ofegante, eu sorrio e me encosto minha cabeça em seu tórax, meu dedo indicador fica contornando os desenhos de seus gomos abdominais.

Ele me olhou com carinho, fazendo cafuné.

- Nossa história vai ser tão linda, que até os anjos sonharão com ela. Os anjos, os deuses, os demônios, qualquer outra entidade, todos irão se curvar diante do nosso amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...