História Filha do Arcanjo - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gigi Hadid, Justin Bieber
Personagens Gigi Hadid, Justin Bieber
Tags Amor, Anjos, Demonios, Drama, Fantasia, Romance, Violencia
Visualizações 48
Palavras 1.204
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Capítulo 14


JULIE

Abri os olhos depressa buscando ar e tossindo, a água gelada escorre pelo meu rosto.

-Podiam ter me balançado não acham?- Olhei para o Daryl, e depois ao nosso redor, procurando Lúcifer.

- Procurando meu pai? Ele está ocupado com alguns contratos.

- As pessoas ainda perdem o tempo vendendo a alma?- reviro os olhos e tento me mexer, em vão. Estou amarrada em uma cadeira.

- Elas acham eficiente.- ele dá de ombros e sorri.

- Okay, vocês já me sequestraram, será que pode pelo menos me dar um copo d'água? Sem jogar ele na minha cara, é claro.

- Você não precisa comer para sobreviver, pelo contrário, já fui um anjo e sei que quando comemos sentimos todas as moléculas e partículas do alimento, é ruim para nós.

- Água não tem gosto, e que mal há em me dar um copo d'água? Não sei controlar os elementos mesmo.- dou de ombros.

- Não de ouvidos a ela Daryl, vamos por nosso plano em prática logo.-Lúcifer apareceu ao lado do filho e fixou o olhar em mim. Seu olhar não é nada acolhedor e muito menos simpático.- Pregue as asas dela na parede.

- O que? Não!- Um frio corre pela minha espinha, o medo me invade pela primeira vez em muito tempo, minhas asas demoram se curar.

Eles se olham e sorriem, Lúcifer aponta a mão para mim e me mantém presa no lugar enquanto Daryl desamarra as cordas.

Assim que as cordas se soltam, o senhor das trevas me jogou contra a parede e por reflexo abri minhas asas. Maldito erro.

Tentei voltar elas para dentro de mim, mas não consegui.

Esticada na parede com as asas bem abertas, fiquei olhando eles se aproximarem, impotente.

Daryl segurava dois pregos grossos, parecidos com os que os romanos usaram para pregar Cristo na cruz.

- Não por favor, minhas asas não.- eu não conseguia mais segurar, estava desesperada, minhas lágrimas caíam sem parar e eu balançava a cabeça negativamente.- Não faça isso!

- Adoro quando imploram.- Lúcifer sorriu com maldade e fez sinal para o Daryl, que sorriu da mesma forma enquanto caminhava até mim.

Ele bateu um prego no outro, os exibindo. Sei que eles podem ver o desespero em meu rosto e em meus olhos, mas é inevitável. Pregar as asas é uma das maiores torturas que você pode fazer com um anjo.

Daryl posicionou o prego em um dos nervos principais da minha asa direita.

- NÃO! DARYL, NÃO! POR FAVOR.- gritei em desespero, ainda chorando. Ele não pode fazer isso, meu Deus, minhas asas não!

Ele sorriu e bateu o martelo no prego.

O prego entrou no nervo e a dor insuportável se espalhou por toda a extensão da minha asa.

- AAAH! PARA, POR FAVOR.-gritei de dor.

Lúcifer se aproximou de mim e me deu um soco no rosto. Meu rosto virou. Depois de novo. E de novo.

Senti o prego entrar em minha outra asa e mais uma vez, gritei enquanto a dor se alastrava.

- Pare, por favor.- minha voz saiu mais fraca do que eu esperava.

Senti o sangue escorrer pelo meu rosto e pelo canto da minha boca, provavelmente estou com um corte na sombrancelha. Seu rosto fica a centímetros do meu.

- Não mesmo. Onde está Miguel ?

Então era esse o plano, tirar do caminho dele todos aqueles que estão ajudando na busca pelos escolhidos.

Ele vai eliminar todos aqueles que querem a continuação da vida humana depois do apocalipse.

Não posso deixar isso acontecer.

Olho para ele e sorrio.

- Vá pro inferno.- lhe dou uma cabeçada e ele gargalha.

- Você é atrevida. Gosto disso.- ele disse fazendo gestos com as mãos e caminhou até uma mesa a sua direita, que só agora reparei.

Na mesa, havia facas, seringas, frascos de venenos raríssimos que só podem machucar anjos, socos ingleses, e uma espada angelical.

- Mas,-continuou ele.- não gosto que me enfrentem dessa forma.

Ele pegou a faca angelical e a banhou com veneno.

Merda.

- Onde está Miguel?

- Vá. Pro. Inferno.- falo pausadamente entre dentes e pisco várias vezes, tentando não me concentrar na dor que se localiza em toda a extensão de minhas asas.

Ele ri e encosta a espada angelical em minha clavícula, minha pele queima e eu faço careta, segurando o grito e ele desliza a faca até o colo do meu seio.

- Vou perguntar mais uma vez : Onde está Miguel?!

- VÁ PRO INFERNO.-grito com toda a minha força.

- Injete o veneno.- ele olhou para o Daryl, que assentiu e pegou um frasco vermelho e preto.

Daryl colocou o veneno na seringa e a fincou de uma vez em meu pescoço. Mais uma vez, gritei de dor.

Eu podia sentir o veneno se espalhando pelo meu corpo.

Lúcifer continuava a distribuir cortes pelo meu corpo, nem forças para gritar eu tinha mais, só conseguia chorar.

- Agora é esperar o veneno fazer efeito.- A voz do Daryl parecia estar distante, minha visão está turva.

De repente, vi meu pai em minha frente.

- Pai! Saia daqui! Eles vão matar vc!

Olhei para o lado e vi meus tios, Gabriel e Uriel.

- ME DEIXEM EM PAZ!

Tentei bater as asas, em vão.

- Fez Efeito.- a voz de Lúcifer soou como se estivesse muito longe de mim.

Ainda encarando meu pai, eu comecei a chorar de novo, e implorei para que ele fosse embora, olhei para meus tios e implorei para que me deixassem em paz. Mas o pior de tudo foi quando Justin apareceu na minha frente.

- Justin?

- Agora Daryl, o feitiço.- outra vez, a voz do diabo soou ao longe. Mas pouco me importa se ele está ali, meu Justin está parado diante de mim.

Meu loiro sorriu para mim, senti meu coração se aquecer e as lágrimas não eram mais de dor e desespero, e sim de felicidade e alegria em vê-lo.

Ele começou a caminhar até mim, mas foi impedido, Meu tio, Gabriel, cravou a espada em seu peito.

- NÃO!- me curvei para frente, e a "raiz" das minhas asas doeram, eu as puxei com força demais.

As lágrimas voltaram a ser de desespero, mas dessa vez o desespero não era por mim, era por ele, acabei de ver o Arcanjo Gabriel matar o Justin.

Risadas ecoavam em meus ouvidos, me torturando.

- Eu confiei em você filha, você falhou.- Disse meu pai, me olhando decepcionado.

Sua imagem se dissepou.

Então, comecei a ouvir algumas palavras em latim e minha memória foi se apagando, que porra é essa?

- " Sobre este anjo irá cair a desgraça

Sua memória impecável será modificada"

- PARE!- Gritei tentando ignorar a voz do Daryl em latim. Mas eu já não tinha já não tinha mais forças para lutar. Lúcifer me soltou e eu cai de joelhos, minhas asas feridas, abaixadas, sem forças.

-"E novas memórias tomarão seu lugar, de acordo com nossas vontades.

Aquele que era bom, agora é mal

O anjo que punia as trevas, agora as causa."

- Ela fica bem melhor com os olhos vermelhos.

- Concordo, Daryl. Bem vinda, Julie, princesa das trevas.

- É um prazer lhe servir meu senhor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...