História Filha do Arcanjo - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gigi Hadid, Justin Bieber
Personagens Gigi Hadid, Justin Bieber
Tags Amor, Anjos, Demonios, Drama, Fantasia, Romance, Violencia
Visualizações 64
Palavras 1.857
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Capítulo 18


JUSTIN

Depois de uns... dois minutos caindo direto, parece pouco, mas já parou pra pensar em dois minutos literalmente caindo? É um tempo bem prolongado para uma queda.

Caímos no chão de qualquer jeito, eu cai de costas. Castiel caiu de bunda. Miguel, o bendito caiu de pé, apenas dobrou o joelhos para depois se manter firme.

- Hefesto?-Miguel chamou.

Sem respostas.

- Onde é que ele se enfiou?

Miguel fez sinal para que o seguíssemos, enquanto vasculhava o lugar.

- Ele não é mesmo um de...

- Não.- Miguel e Castiel disseram em uníssono.

- Tá. Tá bem. Desculpe, é difícil para me acostumar a saber que Hefesto é um anjo... Forjadeiro?

- Ele não tem casta, apenas constrói armas porque é seu melhor dom. Mas chame-o de Anjo Ferreiro. Soa melhor.

Miguel me dirigiu um sorriso gentil. Acho que vou me dar bem com ele.

- Oh, deus das forjas e do fogo, dê a esses humildes anjos a graça se sua explendida presença.- Disse Miguel em um tom brincalhão e um homem de meia idade, forte, olhos cor de ferrugem e cabelos grisalhos desceu de uma escada à nossa direita correndo.

- Oh, poderoso Miguel, braço direito do altíssimo, dê-me o prazer de lhe fazer outra espada, mais flamejante que a anterior.- o homem sorriu indo em direção ao Miguel e lhe dando um abraço.

- Esta ainda não quebrou, não irei gastar meus maanas celestiais.

- Vocês nem usam dinheiro.- o deus... Quer dizer, anjo ferreiro disse sorrindo.

Cutuquei Castiel com o cotovelo. Ele me olhou. Sem indiferença, mas com tédio no olhar.

- Eles sempre se comprimentam assim?-Perguntei e ele suspirou.

- Uma vez a cada cem anos.

Assenti e Miguel trouxe Hefesto até mim.

- Ele é um dos escolhidos Hefesto, e precisa de duas espadas, as melhores que você puder fazer.

O homem me analisou de cima a baixo.

- Ele é um anjo, certo?

- Sim, ele ao pertence a nenhuma casta, mas tem sangue de um Querubim e um Ishin, e contém as habilidades de ambos.

- Eu sei quem ele é. Lúcifer veio aqui com os gêmeos uma vez, me pedindo espadas para eles, e quando recusei, fiquei dez anos mancando.

Seu olhar continha fogo, literalmente.

- Ele terá que se provar digno.

Ele me deu as costas e imediatamente Castiel e Miguel se afastaram, antes que eu pudesse perguntar algo, tudo ao meu redor pegou fogo.

Abri minhas asas e fiquei em alerta. Bem na minha frente, Hefesto saiu do meio das chamas, com um martelo enorme na mão.

Acho que eu me fudi, assim, só um pouco muito.

Sem dizer uma única palavra, Hefesto sorriu para mim e jogou as chamas em cima de mim.

Instantâneamente eu fiz um cubo de terra para me proteger das chamas. Fechei os olhos e me concentrei na terra, meus pés agora são meus olhos. Vejo Hefesto atrás de mim pronto para acertar seu martelo no meu cubo de proteção.

Mexi a mão para cima e uma mini torre acertou o queixo de Hefesto em cheio. Desmanchei meu cubo e me virei para ele, que ainda estava um pouco atordoado, estiquei os dois braços e lhe joguei uma rajada de vento, ele bateu as costas na parede e soltou uma gargalhada. Nesse instante um tornado de fogo veio até mim com uma velocidade incrível. Bati palma e uma rajada de vento foi na direção do furacão e dissolveu as chamas.

Hefesto havia sumido no meio das chamas novamente. Usei meus pés como meus olhos outra vez e localizei ele há 3 metros na minha direita. Pisei forte no chão e um bloco de terra jogou ele contra o teto.

Ele gargalhou.

- Você é bom, mas aqui você só domina três elementos, não há água aqui para você dominar.

-Tem certeza?

Me concentro na água em meio ao sangue dele é a controlo, fecho a mão em punho e ele grita e se contorce de dor. Seu corpo obedece meus comandos. Eu o coloco no chão e fecho minhas asas.

- Você é muito mais poderoso do que o seu pai pensou.

Ele disse com dificuldade e eu o soltei. Ele se levantou e apagou o fogo a nossa volta.

- Muito bem, Justin Bieber, Você é digno das melhores espadas que eu posso produzir. Espere aqui junto de Miguel e Castiel, volto em algumas horas.

Assenti e bati o pé no chão, um bloco de terra se ergueu da altura exata pra servir de banco e me sentei. Fiz outros dois para Miguel e Castiel.

...

Não sei quantas horas se passaram, mas demorou muito até que Hefesto voltou com duas espadas em mão. Compridas, com aparentemente noventa centímetros de lâminas afiadas e uns sete ou oito centímetros de cabo. As lâminas são meio amareladas, meio azuis e prata, é difícil destinguir realmente que cor ela é. O amarelo é quase imperceptível, o azul e o prata se constratam mais.

- Levante-se Justin.

Eu me levantei e fui até ele.

- Essas espadas são feitas de uma pedra estrelar, um dos meus materiais mais raros e resistentes. Cuide delas, escolhido. Elas tem algumas surpresinhas que deixarei para você descobrir.

- Eu cuidarei.

- Já sabe como manuseá-las?

- Um pouco.

Digo e um pesar ocupa meu coração ao me lembrar da primeira vez que tive que usar espadas... Contra minha pequena.

- Lutei contra a Julie... Hoje mesmo... Ou ontem, não se se já anoiteceu ou é madrugada.

Eu disse confuso e Hefesto riu.

- Ontem. O dia já está amãnhecendo.- ele fez uma pausa e depois continuou.- eu soube o que aconteceu com ela. Se quer uma dica, não desista dela, se ela realmente amar você, um toque da sua pele com a dela pode tirá-la do feitiço. Isso se o feitiço for mal feito. Mas estamos falando de Lúcifer, ele nunca faz nada mal feito. Porém, Justin, o amor cura tudo, e eu não digo isso por ser um romântico, por que não sou, mas eu já vi o amor superar muita coisa. Se ela o amar de verdade, a alma dela vai despertar na hora certa.

- Eu espero que sim...

Ele percebeu meu mal estar com o assunto e voltou para a conversa anterior.

- Para manusear as espadas você deve pensar nelas como parte de si. Não pense que são apenas objetos, por que não são. Elas são uma extensão de seus braços. Uma extensão afiada e mortal.

Ele mostra alguns movimentos dignos de um espadachim e eu tento o acompanhar, até que me saio bem.

Ele as estendeu para mim e eu as peguei com cuidado.

- Tenho mais uma coisa para você, será útil contra os demônios aliados de Lúcifer, te ajuda a matar mais rápido.

Ele tirou um Colt M1911A1 cromado com apertos de marfim e a estendeu para mim. A peguei e a analisei.

- Eu fiz mil balas com o material de algumas espadas celestiais,-Ele me estendeu uma mochila lotada de balas.- elas matam tanto anjos quanto demônios. Mas não tente usar no seu pai, ele não morre nem por milhões de tiros dessas balas, no máximo ele vai ficar nervoso. Use em qualquer anjo, menos em um Arcanjo.

- Acredite, ele testou. Não dá certo. - disse Miguel rindo.

- Testou em quem?

- Rafael, eu tive uma briguinha com ele há uns 50 anos atrás. Nada demais.

Então, Justin, eu tentei matar o Arcanjo Rafael por que ele roubou minhas rosquinhas, nada demais.

Miguel riu ao meu lado.

- Por que está rindo?-Perguntei.

- Eu posso ouvir seus pensamentos. E o motivo foi quase esse mesmo.

- Deus.- arregalei os olhos e levantei as sombrancelhas.

- Ele pensou em rosquinhas né?

Miguel assentiu e Hefesto me olhou, rindo.

- Na verdade ele comeu todo o meu bolo de chocolate, puramente de cacau! Uma delícia. Eu como qualquer gordo que se preze, fiquei nervoso.

Não pude segurar o riso.

- Sem querer ofender, mas vocês não batem bem das ideias.

- Sabemos disso. A família celestial é uma bagunça. Se acostume.

Ele sorriu e estalou os dedos, em um piscar de olhos, literalmente, estávamos de volta ao topo da montanha.

- Vejo vocês daqui há cem anos.

Ele colocou a mão na testa e fez o comprimento que os soldados fazem ao dizerem "sim senhor" e caiu pelo mesmo túnel que entramos.

- Agora começamos o seu treinamento. Você não pode lutar com minha filha sem saber manejar uma espada de forma descente. Ela é muito boa com as espadas, poucos anjos venceram ela, se eu disser cinco. É muito. Mas eu sei como ela luta, sei os movimentos dela e irei te ensinar a vencê-la.-Miguel disse e colocou a mão em meu ombro.

- Tudo que eu quero é livrar ela daquele maldito feitiço.

- E irá. Eu tenho um plano não se preocupe.

De repente, alguém pousa atrás de nós, duas pessoas para ser exato. Miguel, Castiel e eu nos viramos.

- Gabriel. Uriel. Olá, irmãos.

Qual é?! Por que eu não tenho um minuto de paz sem ninguém tentar me matar?!

- Ele me contou tudo.- O Arcanjo Gabriel indagou e sua expressão se suavizou.

- Agora acredita em mim agora?

Miguel sorriu.

- Nós acreditamos.- Uriel disse e colocou os cabelos loiros de lado. Seu batom era de um vermelho forte.

Para um anjo torturador ela é vaidosa.

- Relaxa, bonitão.- Ela se aproximou de mim.- Não vou mais machucar você, estamos do seu lado agora.

- Levaram um puxão de orelha do Todo Poderoso?-Levantei uma sombrancelha.

Ela riu.

- Quase isso. Deus nos contou seus planos e disse para acreditarmos em vocês. E ajudarmos a achar os escolhidos. Para acha-los, só precisamos ver a marca.

- Como está?- mostro minha marca.

- Não. Esta é a marca dos nefilins, embora você não seja um. Você deve ter a marca por ser filho de Lúcifer, nada mais.-Gabriel tomou a frente.

- Então qual é a marca?

- A bondade, gentileza e amor no meio do caos e das trevas. -Miguel disse e olhou para mim.

- Somente os escolhidos são dotados disso. Quantas pessoas boas você conhece?-Perguntou Gabriel.

Repassei as pessoas que eu conheço e me lembrei do pessoal na empresa. Colin, Lisa, Gabriel...

- Três.- olhei para eles.

- Ótimo, menos três para procurar.- Gabriel sorriu.

- Eles já devem ter sido resgatados, cada anjo é responsável por um escolhido. Nós os mandamos para perto dos escolhidos, porém não damos as características dos mesmos, os anjos enviados teem que identificar os escolhidos sozinhos.

- A Julie me identificou?

- Não, ela estava perto de descobrir quando a sequestraram.

Então era isso. Toda essa confusão era para um bem maior. Eu e mais não sei quantas pessoas seríamos responsáveis pela Nova Terra. Seríamos a cura para o mal. A esperança em meio ao caos. O clássico ditado está se fazendo real : dois mil chegará, mas não passará.

Mudança de milênio. Anos três mil, o segundo milênio acabou, e dele não irá passar. O apocalipse espreita, uma nova era está há um passo de distância.


Notas Finais


Meus amores, sinto em avisar que a história está quase chegando ao fim :( tomara que estejam gostando da Fanfic ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...