História Filha do mafioso - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Ação, Criminal, Romance, Trafico
Visualizações 17
Palavras 2.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu disse e veio mais uma prahh fechar por hoje❤

Capítulo 3 - Bieber


Olhei no fundo de seus olhos e pude ver um olhar que não consegui distinguir sobre mim.

-Acho que tenho que ir, não quero mais confusão pro meu lado, já sofri demais, por causa da máfia.

Me virei e fui em direção a minha fox (camionete), mas parei até escutar o som de um ruído.

Foi tudo muito rápido e embaraçoso, senti mãos ao redor da minha cintura, e uma pontada em minhas costas, quando percebi, eu estava deitada no chão,  e sobre mim, um justin extremamente preocupado. Ao nos levantarmos ele exprudiu de raiva.

- Droga! Seus idiotas, eu não falei pra vocês que eram pra checar tudo, e o que vocês fizeram em?

- Desculpa patrão, mas não tinha nenhuma bomba por aqui, ela só pode ter sido deixada pelo james antes dele ter ido embora, como ele sempre faz.

Bomba? Como assim uma bomba ? Só pode tar de brincadeira, olhei para o lado e mirei num justin discutindo com um moreno, decidi sair de fininho sem que percebesse, era o melhor a se fazer antes que tudo piorasse, estava prestes a abrir a porta da fox, quando ouvi uma voz rouca e suave soprando atrás de mim.

- Já vai? E nem vai se despidir de mim?

Me virei e fitei seus olhos.

- Nem conheço você, não lhe devo explicações sobre a minha vida.

-Salvei sua vida duas vezes, e nem um obrigado? Quanta falta de consideração kandice.

- Como sabe o meu nome?

- Sei mais de você, do que você acha.

Olhei intrigada para ele, e decidi acabar com aquele papo.

Entrei na fox, me sentei no banco, fechei a porta e a liguei o motor dando início á partida, mas antes olhei para o lado e vi suas íres profundas me fitando.

- Espero nos reencontrarmos logo, algo me diz que isso não irá demorar para acontecer.


                

                       

                Duas semanas depois

 

Entrei no bar onde trabalho, louis estava me esperando:

-Onde você estava filha?

Ele me chama assim desde que eu o chamei de pai sem querer quando eu comecei a morar com eles a alguns meses, saiu sem perceber essa palavra, e desde então ele me chama de filha, foi um acontecimento que marcou muito nossas vidas.

-Tava refletindo um pouco por aí, pai. Não se preocupa, voltei mais leve e com a cabeça e o coração em ordem.

-Fico feliz que esteja bem, depois do que você passou, merece ser feliz agora.

Ele sabe de todo o meu passado, e sabe também como eu sofri. Me despeço e vou em rumo a uma salinha dos fundos e de lá pego o meu avental, faço um coque em meu cabelo comprido e vou em direção ao meu trabalho, pego meu bloquinho de notas, vou em direção as mesas e atendo aos pedidos, enquanto escrevia e falava com os fregueses, tive a mesma sensação de estar sendo vigiada, olho para a rua e não vejo nada, ignoro e vou atender outros pedidos.

Final do espediente, até que em fím posso descansar, depois de ouvir os flertes do sr.boss dizendo como eu era linda, e tinha um corpo de dar inveja nas outras mulheres, e que se ele fosse mais novo me pegaria de jeito.Ahhh me poupe né, não fico com ninguém imagina com um cara escroto que nem ele então.

Saio do bar e vou em direção ao meu apartamento, porém diminuo os meus passos, quando percebo um carro me seguindo, corro, pois meu apartamento não é muito longe, olho para trás e vejo o carro se aproximando cada vez mais, quando dou por mim estou em frente ao meu prédio, subo as escadas correndo, paro em frente á minha porta, abro á fechadura, entro e tranco a porta novamente, me viro lentamente com a respiração ofegante, e me desespero quando vejo a minha casa numa bagunça, roupas no chão, porta retratos estilhaçados, meu material escolar em pedaços, móveis quebrados no chão da sala, um verdadeiro inferno, começo a chorar, tudo que eu consegui pra ter, Agora está aruinado. Só porque sou filha de quem sou, não tenho culpa de ser filha dele. Será que eu nunca vou ter paz? Será que vou conseguir ter tudo isso que eu batalhei pra ter, novamente? Me desespero, e saio correndo em direção a portaria, quando sou parada por braços me segurando. Me assusto, e grito, mas paro quando vejo um loiro todo preocupado comigo.

-O que ouve kandie?

-luke me ajuda, assaltaram a minha casa, eu to com muito medo.

-hey, não chora não, eles te machucaram?

-Não, eu não estava em casa, quando cheguei vi toda a bagunça.

É claro que eu deixei passar em branco alguns detalhes, como ter sido perseguida, só eu sabia o real motivo disso. Mas eu imaginava que isso tinha parado, agora todo o inferno começou novamente.

-Ah, graças a deus que são coisas materiais, o resto a gente consegue, fique calma kandie.

Luke ligou para Cat e Louis, depois de 10 minutos eles chegaram, todos preocupados com a minha segurança.

-Pequena, vai ficar tudo bem você tem a mim e a cat, não iremos lhe abandonar.

-Eu sei pai, eu sei.

-Kandie você quer me matar do coração sua doida, quase infartei quando luke me ligou, dizendo que tinham assaltado a sua casa.

-Cat, acho que eles voltaram.

Sussurei baixinho só para ela ouvir.

-Isso é serio mana?!

Olhei no fundo de seus olhos aflitos e confirmei chorando.

-Acho que sim, mana.

Ela me abraçou forte, dizendo que tudo ia ficar bem, e que nós dariamos um jeito de resolver esse problema. Retribuí o abraço e chorei que nem uma criança quando sentem dor, no silêncio e com várias lágrimas.

Levantei a minha cabeça, e vejo uma tropa de homens a minha frente, e dalí sai quem eu menos esperava. Justin me procurava com o olhar, até que finalmente seus olhos se poram sobre mim, quando viu o meu estado, pude perceber que se preocupou e seu olhar se pôs sobre o meu corpo atrás de alguma ferida, Cínico fingia se importar, mas eu não cairia nessa, olhei de relance para Cat, e fui em sua direção, ao chegar perto dele olhei no fundo de seus olhos e disse.

-Idiota!

E dei um tapa em sua cara.

-Eu odeio você com todas as minhas forças, porque estragou todo o meu apartamento, arruinou a minha vida, tenho certeza absoluta que foi meu pai quem o mandou fazer isso né?! Pois saiba que eu odeio vocês e tudo o que você traz da máfia, avise-o para me deixar em paz, não quero nenhum contato com ele, como ele declarou desde a última vez que me lembro," vamos esquecer que nos conhecemos algum dia", pois avise o senhor Alfredo que eu o odeio, e já cumpri a minha parte, eu esqueci ele.

Justin me olhava surpreso, com a minha atitude e meu mine discurso.

-Droga kandice, não fui eu quem fiz essa merda, eu jámais iria fazer algo pra prejudicar você meu bem, escuta sei que  você não confia em mim, mas apartir de hoje terá que confiar, pois eu serei a sua única proteção, acredite não fui eu, e muito menos o seu pai que planejamos isto.

-Ele não é mais meu pai.

-Sei que pra você não, mas para ele você nunca deixou de ser a filha dele, escuta você terá que vir conosco, não agora, mas quando as coisas piorarem não terá mais jeito, teremos que protejer você em nossa casa, no canadá.

-Ah, mas de jeito nenhum que eu vou pro canadá, eu contruí minha vida aqui, e agora irei ficar aquí até o fim de meus dias.

Me virei para sair dalí, mas ao ir caminhar, fui puxada brucamente por braços fortes, fiquei frente a frente de bieber.

-Não provoca kandie, minha paciência tem limites, e está chegando ao fím.

-É melhor você me soltar agora, se não quiser levar outro tapa na cara.

-Manda ver, isso só faz cosquinhas em mim mesmo.

Cínico. Era isso que o bieber era, estava prestes a mandar uma indireta para ele quando luke falou:

-Solta ela rapaz, está a machucando, se não vai ganhar um outro tapa na cara, e esse você vai sentir com certeza, já vou avisando é para o seu bem.

Justin sorriu, mas um sorriso forçado. Seu olhar desceu sobre luke e foi ali que eu senti que daria uma briga bem feia entre os dois, mais eu não deixaria,

-Só para a sua informação eu jamais machucaria a kandie, e para o SEU bem é melhor você se afastar, não to com saco para o que se acha o "namoradinho" dela.

-E você por acaso é namorado dela? Por que se for é melhor ter cuidado, pois ela vai ser só minha.

Justin rosnou e estava prestes a partir pra cima dele quando gritei:

-PAREM VOCÊS DOIS.

Os dois me olharam e voltaram para as suas posições normais.

-Ninguém aqui é meu namorado entenderam?

-sério kandie? Pensei que as nossas longas noites de sexos selvagens ainda estavam na sua memória, vai me dizer que não se lembra quando eu fazia você gritar o me nome?

O olhei sem entender, até que vi seu sorriso bem alinhado e branco de lado sorrindo da forma mais conquistadora possível, foi quando percebi que era tudo uma grande mentira, para fazer inveja no luke, que me olhava decepcionado.

-Luke por favor não acredita nele.

-Baby, não mente pra ele, você só o ilude eu sei que você jamais esqueceu de nós.

Luke me olhou antes de ir na direção da saída.

-Não, luke espera não acredita nesse imbecíl!

Não adiantou, não vi mais ele neste lugar, sumiu acreditando numa mentira inventado pelo bieber. Me virei e pude ver o sorriso vitorioso de justin.

-E não é que ele acreditou mesmo baby?

-Você é mesmo um idiota né? O que você ganha fazendo isso?

-Você!

-Muito engraçado, jamais serei sua, só por você ser da máfia.

Seu olhar divertido, se desfez e deu lugar a decepção.

-Nunca diga nunca, confio no meu taco, sei que você vai gostar dele daqui a algum tempo.

Por mais que eu tente, o bieber nunca vai se abalar, nesse meio tempo foi o que eu percebi dele. O olhei indignada e fui embora dalí em direção a Cat e Louis, eles me olharam apreensivos, como se alguma bomba fosse destruir esse prédio.

-Acho que terei que ir morar com vocês alguns dias novamente, até eu conseguir arrumar meu apartamento.

Eles sorriram de emoção me dizendo que eu seria sempre bem vinda, mas antes de sair do meu prédio, tive a última visão do bieber me fitando profundamente.


   Depois de alguns dias de muita paciência e trabalho consegui recuperar meu material, e alguns dos meus objetos, o resto iria para o lixo mesmo. Teria que comprar tudo novo, e o problema era o dinheiro, por mais que eu conseguisse comprar algumas coisas, faltaria quase tudo pra minha casa voltar a ser como era antes. Peguei o elevador e subi em direção ao quinto andar, e fui  caminhando no corredor, segurei a fechadura e pensei "paciência, e muita foça de vontade meu deus". Quando abri a porta me surpreendi e quase gritei de alegria quando vi meu apartamento todo novo, imobiliado com móveis super lindos parecia um sonho, entrei lá dentro e me vi encantada com quadros na parede, a sala tão linda, entrei mais um pouco e vi meu quarto incrivelmente organizado, com um guarda-roupa, uma cama box, e uma mesa de estudo. De longe vi uma carta sobre a cama, fui até ela e a abri.

 

            " Kandie, essa surpresa é uma forma de você confiar em mim, e que você perceba que não represento nenhum perigo pra você, como eu já disse jámais teria coragem de fazer algum mal á você. Espero do fundo do meu coração que goste do meu mimo. 

                 Beijos do seu primeiro e único amante."

 

Justin, só podia ser ele, ficou claro quando estava escrito amante e único, pelo que percebi ele também é uma pessoa muito convencida das suas próprias paranoias, segurei a carta sobre meu peito e sorri, talvez eu deveria dar uma chance para ele, talvez. Mas só talvez.


Notas Finais


Comentem, favoritem isso me estimula a postar mais capitulos pra vcs❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...