História Filha dos deuses. - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Charlie, Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Happy, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Wendy Marvell
Tags Deuses, Gale, Gruvia, Lucy Heartfilia, Luta, Magia, Nalu, Natsu Dragneel, Romance
Exibições 81
Palavras 2.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus ursinhos e ursinhas estou de volta com mais um capítulo - nao no domingo mas sim em uma terça-feira 😅. Bom o capitulo é mas para desenrolar a historia a principio nao se parece ser importante mas em partes a umas coisinhas pequenas importantes para a fic mais para frente. Por isso leem com atenção e tirem suas conclusões. Personagens novos apareceram uhullll fique de 👀 . Agora meus lindos nao sei quantas palavras o capitulo tem pois escrevi no celular - reconsiderem algum erros no visual do texto e na ortografia estarei arrumando depois - e ele nao mostra a quantidade de letras 😑 bom só isso! Boa leitura.
Hahahha acharam que eu ia esquecer? 104 favoritos 😮😮😮😲 nunca pensei que passaria dos 60 imagina passar os 100?! Amo todos vocês que estão fazendo a filha dos deuses crescer cada vez mais. OBRIGADA A TODOS.
😍😍😍🤗🤗😘😘😘😘❤❤❤❤❤❤

Capítulo 23 - Lutando


Fanfic / Fanfiction Filha dos deuses. - Capítulo 23 - Lutando


Magnólia: Minerva e Lucy...

Mau entrou no carro  e as perguntas já começaram, perguntas entre aspas pois o que estava acontecendo ali era um mini interrogatório  daqueles que dependendo das suas respostas você  pode ser declarado livre ou culpado – ferrando com sua vida, seja o que for, a pergunta que for tenha cuidado ao responder; dicas de uma loira. Minerva se não fosse minha guardiã  poderia ser muito bem uma detetive, passar fome ela não passaria.

A loira estava perdida, não sabia qual pergunta responder primeiro, fora um bombardeio de indagações tão grande que a deixou atordoada.

– Que moleza para responder uma simples pergunta!  - curiosa é essa Orleand.

– Uma não mais sim varias perguntas; não sei nem por onde começar. – a Heartfilia falou se ajeitando mais no banco do carona.

– Que tal começar pela parte em que ‘desde quando você e o rosadinho ficaram tão amigos?

– Não muito tempo. Posso dizer que a exatamente seis dias. – a loira falou pensativa.
Flashs de todos os momentos com o rosado passava por sua cabeça , principalmente cenas da missão ao qual ela se envergonhava só de mencionar a palavra ‘missão’.

– Você está tão avoada que nem percebeu que estou a te chamar quase por cinco minutos. – reclamou a morena. A loira  se desculpou pela desatenção.

Algo a estava intrigando e ela não conseguiria segurar a pergunta por mais tempo.

– Desde quando ficaste falante?! – fingindo uma falsa surpresa só para irritá-la.

– Não vou precisar responder – desviou o olhar da estrada para fitar a loira – Não é mesmo? – seu tom de voz mostrando a seriedade.

Se o jeito sério dela era verdade ou não, ela não sabia mas também não iria pagar para descobrir.

– É claro que não! Que pergunta boba.
– disfarçou bem? Ela acreditava que sim.

– Agora falando algo importante, a gatinha sentiu sua falta de um jeito que fiquei surpresa.

– Ahn que amorzinho!

– Eu fico com dó da gata por ter escolhido se apegar na pior ser humana do mundo. – a orleand balançava a cabeça de um lado para o outro negando a mau escolha da gata.

A loira resolvera não continuar a discussão; ela sabia que Minerva só estava a tentar lhe irritar.

Alguns minutos se passaram no silêncio, minerva parara de falar já que a loira não estava a dar muita atenção.

Enquanto isso a Heartfilia pensava na sua vida e o quanto ela estava conseguindo viver como alguém comum. Seus pensamentos estavam a mil.

Estava tão compenetrada em seus próprios pensamentos que nem viu o momento em que chegou em casa.

***


Em alguma floresta de Magnólia...

Não demorou mais que dez minutos para ajeitar suas coisas e seguir para a cabana a qual seu grupo de amigos estava instalados. Não estava no plano parar com seu treino para ir ajudar uma completa desconhecida, ela poderia ali mesmo dizer que os três se virassem sozinhos porque não teriam a ajuda dela porém era uma pessoa bondosa e, ela sabia que se não ajudasse e a garota morresse a sua consciência a cobraria eternamente.

Então para evitar e para seguir seu coração bondoso ela preferiu interromper o treino. – Se o ruivo estivesse ali com ela, como sempre, ele a repudiaria, diria que estava sendo uma fraca, tola que não conseguiria sobreviver nem dois minutos na batalha. Ele podia dizer tudo o que dizia mas ainda sim no fundo estava orgulhoso dela.

Os minutos passava e ela cada vez mais  próxima da tal cabana e, mesmo que repetisse trezentas mil vezes na mente que estava chegando, Hiroi continuava e importunando. Qual era a dificuldade em entender que ela já estava próxima e que não precisava mais ficar repetindo na cabeça dela: “ vamos Ayla a menina vai morrer se não chegar logo” ou “ Ayla onde você está?”
– talvez fossem as únicas duas frases que ele sabia.

Acelerou a corrida, de longe ela já conseguia ver a velha e esburacada cabana. Não fez cerimonia entrou no espaço já vendo deitada em uma cama velha a esverdeada. Os três percebendo a presença da amiga deu lugar para que a ruiva chegasse perto da cama.

Ayla não sabia como mas tinha a sensação de já ter conhecido a garota inconsciente. Não sabia do que se tratava essa sensação  mas ela iria descobrir.

***

Magnólia...

A albina andava de um lado para o outro segurando em suas mãos o aparelho telefônico; recebera a ligação de sua irmã mais nova. Ela sabia que não demoraria muito tempo ate receber uma ligação da Strauss mais nova pedindo para arrumar a matricula pois estaria voltando.

Mesmo assim ficou surpresa, a pequena não ficara muito tempo fora. O fato era que Lisanna estava voltando dentro de dois meses e ela só tinha esse tempo para arrumar as coisas por ali. Principalmente com um certo alguém. Ela estava preocupada com a reação que receberia ao contar da volta da albina menor.

Ela só esperava que não houvesse confusão como teve tempo atrás.

Casa de Lucy...

Não precisou nem dois minutos, foi abrir a porta e a gata já pulou em seu colo pedindo carinho. Ela realmente estava com saudade.

– Anda Lucy venha me ajudar aqui! – pediu Minerva saindo com algumas sacolas do carro.

– Onde você arrumou isso tudo? – perguntou a loira seguindo para o carro novamente para ajudar à morena.  A gata já se encontrava emburrada no chão por ter tido seu carinho interrompido.

A Orleand passou pela loira olhando-a desacreditada.

– Estivera tão aérea que nem percebera que no banco de trás tinham sacolas de compra. Desacreditável! Com certeza estava pensando em certo rosado. – só mencionar o Dragneel já era o bastante para Lucy ficar com as bochechas rosadas.

– Não fale besteira Minerva! – pediu nervosa a Heartfilia.

– Ahh está bem, não falarei mais mentiras! – era claro a ironia.

Em algum lugar...

Estavam a caminhar por entre as casas sendo observados por todos, olhares tortos curiosos, eram forasteiros e como se isso fosse motivo o suficiente para aquele povo da pequena cidade os olhasse repreendedor.

Não queriam estar ali, mas nem sempre querer é poder. Estavam fugidos, como sempre. A cidade ao qual estavam antes já não era mais segura. Algum filho de deus foi burro o suficiente para usar magia de essência divina atraindo assim o caçador. Não poderiam arriscar continuar lá e também serem caçados.

Porque a certeza que o moreno mais tinha era que aquele que usou a magia agora já se encontrava morto.

Pois era isso que o enviado fazia, ele matava. Ele tinha a morte de todos os filhos de deuses como missão. E não haveria descanso enquanto o mesmo não aniquilasse todos como ele e Alana.

Em alguma floresta de Magnólia...

Pela testa da ruiva gotas de suor escorriam, estava ali, tentando salvar a vida da esverdeada, tempo o suficiente para se sentir cansada. Não era fraca, tinha uma força magica impressionante, porém magia de cura sempre foi mais cansativo. Era algo que não cansava só fisicamente mas também mentalmente; magia de cura é uma das magias que mais precisa de concentração.

– Você acha que ela vai resistir? – Toshiro perguntou a Hiroi, que observava atentamente Ayla.

– Se for uma garota forte com certeza vai sair dessa. – foi o que Hiroi respondeu.

Quatro horas mais tarde já se poderia considerar completa a cura. A ruiva conseguiu curar toda a enorme ferida, não estava mais em risco de morte porém não estava cem por cento; a esverdeada precisaria de muito repouso e paz. Tudo indicava que a mesma acordaria dentro de dois dias mas se a garota não acordasse então poderiam saber que  entrara em coma.

E se essa fosse a situação, a ruiva não teria coragem de abandonar a garota a própria sorte e, ela mesma não se perdoaria por uma maldade dessa.

– E então a verdinha vai sobreviver? – Jhon indagou curioso.

A curandeira suspirou fundo antes de dizer qualquer coisa.

– Ela está estável mas a chance de ficar em coma. E se isso acontecer mais complicações se pode ter.
Toshiro abaixou a cabeça desanimada.

Ela queria que a outra ficasse bem e poder ficar em coma não era uma definição de estar bem.

– Calma ela vai acordar você vai ver! – Jhon falou enquanto apertava o ombro da mais nova lhe passando conforto.

Em quanto isso Ayla e Hiroi conversavam mais afastado dos outros dois. Hiroi queria saber o que seria da garota depois que acordasse porém nem mesmo a ruiva havia se decidido.

– Quando a garota acordar nós nos falamos. – disse calma seguindo para a porta.

Precisava de um banho mais do que de pressa; o suor estava pregado em seu corpo e ela não gostava de se sentir suja. Por isso na primeira oportunidade saiu da cabana deixando os outros pra trás e seguiu para o rio pequeno que vira enquanto passou ali  mais cedo.

A agua era cristalina e quentinha, por causa do sol, - o rio era pequeno e o calor que fazia foi mais do que capaz de esquentar a agua – o que só dava mais vontade de ficar ali por horas.

Magnolia...

Já era cedo quando Lucy foi acordada por uma morena irritada. A Orleand não gostava de chegar atrasada e se a Heartfilia não queria ser a causa de mais irritação, então era melhor se arrumar e descer o mais rápido para o andar de baixo e tomar o seu café da manhã.

Mas a maga de madeixas douradas não estava assim tão disposta a sair correndo para se arrumar. Estava com o corpo dolorido e cansada demais, era como se tivesse suas forças sugadas enquanto dormia. Em seu rosto enormes olheiras se destacavam porém ela não se encontrava no momento com vontade nenhuma de escondê-las. No fim só vestiu seu uniforme, penteou o cabelo, fez sua higiene matinal pegou a mochila e seguiu para a sala.

– Credo você está horrível! – revelou o péssimo estado da loira.

– Obrigada Minerva por dizer algo que eu já sei. – respondeu simplesmente sem vontade de continuar com a conversa.

– Que horas foi dormir ontem para estar nesse estado. – questionou.

– Não estou assim por falta de dormir – fechou os olhos a claridade do local estava a incomodando – tive outro pesadelo e dessa vez não consegui acordar. Mas quando acordei me sentia como se tivessem sugado toda minha energia.

Minerva parou de comer pensativa; algo estava muito errado.

– Veremos sobre isso mas tarde agora coma porque se não chegaremos atrasadas.

Casa de Natsu.

A noite foi mais longa que nos outros dias. Não pregara o olho nem por míseros segundos. Alguém falou com ele, ele não podia estar ficando louco, mas só estava Happy e ele naquela casa e o rosado nao acreditava em fantasmas.

Não seria possivel que gatos falasse certo?! 

Bom ele não sabia, as pessoas dizem que gatos não sabem falar mas quem saiba eles sabem falar, porém nunca falaram com um humano?!

Ahhh ele ficaria louco se continuasse a pensar.

Já era cedo e se ele nao parasse de ficar batendo cabeça com algo desconhecido, ele com certeza ficaria com dor de cabeça. Quem gosta de ir para o colégio com dor? O Dragneel qque não.

Então  sem escolha, pegou o bichano e tentou colocá-lo dentro de sua mochila.  Trabalho difícil uma vez que o gato não  estava a gostar de ser socado para dentro de algo pequeno e escuro.

- Para Nat-shuu - a voz manhosa foi ouvida pelo rosado que observou o azulado com os olhos esbugalhados.

- Você fala Happy?! - a ficha ainda não tinha caido.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :3
Ohhh o happy é tao kawaii, amo ele!
Olhem só alguem esta a voltar para fairy tail, quem gostou levanta a mão uhull - so que nao.
Lucy e seus pesadelos.
Jade lutando pela vida.
E um pouco de Near e Alana pra voces.
Alguem ja desvendou uma parte do misterio? Talvez dependendo eu falo sobre esse misterio desvendado - q nao é muito importante. Mas vamos la é so encaixar as partes direitinho 😋
Bom será que a Jade vai acordar?
Antes de mais nada espero muitos comentários. ( vamos la pessoinhas que le o cap mas nao comentam nada, fantasminhas tbm vamos aparecer :3 )
Bjinhossss da rally-chan ate o próximo. Bye bye
Domingo ou segunda ou na terça 😅😋😋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...