História Filhos de Ninguém - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Lemon, Namjin, Romance, Yaoi
Exibições 46
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaa

Capítulo 4 - Quarto


 

-Alguém viu o Yoongi? – perguntei a um dos meninos – eu queria falar com ele!

-Ele estava sentado num dos bancos perto do baloiço

-Obrigado Minseok

Caminhei calmamente até perto do baloiço e por sua vez até ao banco onde estava o Yoongi.

-Não devias estar a cuidar do miúdo novo?

-O NamJoon quis dar-lhe a papa – respondeu ele

-Porque estás assim então?

-Não quero fazer anos! – disse deixando-me a olhar para ele

-Porque não?

-Eu não quero sair daqui!

-Não devias pensar nisso!

-Então devo pensar em que Jin hyung? Sinceramente não te entendo. Se fosses tu ias pensar exatamente na mesma coisa.

-Eu não quero que vás embora. Não te vou obrigar a ir. Arranjei-te um emprego no hospital se quiseres ir é teu. Vais sempre ser o meu Yogi…não te vou deixar ir para longe. Mas tens de me prometer uma coisa!

-Um trabalho? O que Jin? Prometer o que?

-Sim, trabalho! Ajudas-me a tomar conta dos miúdos que chegam!

-Hyung isso não é justo!

Eu já tinha pensado mais do que uma vez sobre o assunto dos aniversários, principalmente daqueles de quem eu sou mais próximo. Não é só o Yoongi que me preocupa. O Hoseok também me dá o que fazer. Mas pelo menos por agora posso proteger um deles por mais um pouco.

-É mais do que justo – respondi

-Está bem Hyung, mas se eu prometer tens de prometer também que nunca mais me chamas de Yogi!

-Porque não? Eu gosto!

-Pois, mas eu não tenho mais 3 anos – respondeu de forma azeda

-Que doce de pessoa tu és.

O Yoongi inclinou-se para mim e abraçou-me de forma a deixar-me mais do que esmagado.

-Obrigado hyung

Retribuí o abraço esperando que ele continuasse a sentir-se protegido como se tinha sentido até agora.

-De nada

Afastei-me dele e vi que ele tinha um leve sorriso nos lábios.

-Não te esqueças de ir falar com a doutora Yang – disse enquanto me levantava do banco – agora eu vou ver se o NamJoon não matou a criança.

O Yoongi soltou uma gargalhada, deixando o meu coração um pouco mais leve.

Regressei ao edifício e perguntei pelo NamJoon. O Minhyuk acabou por me responder que ele estava num dos dormitórios.

Subi com esperança de que ele não tivesse transformado o bebé em algum boneco.

-Não é assim! – ouvi o NamJoon reclamar – quantas vezes eu tenho de explicar que a parte maior fica para trás?

Entrei vendo um NamJoon irritado e um Hoseok com um bebé em braços com uma fralda de trás para a frente.

-Eu não entendo – queixou-se o Hoseok

Caminhei até eles

-Que raio se passa aqui? – perguntei fingindo-me curioso

-Eu já expliquei ao Hoseok como se punha uma fralda mas mesmo depois de mil vezes ele põe ao contrário.

Olhei o NamJoon de forma séria

-Não percebes que ele só está a tentar irritar-te para te deixar a tomar conta do miúdo sozinho.

Olhei o Hoseok que baixou o olhar.

-Eu mandei o Hoseok e o Yoongi tomarem conta dele. O miúdo é responsabilidade deles – apontei o dedo ao Hoseok – põe isso direito!

O Hoseok voltou a deitar o bebé e acabou por ajeitar-lhe a fralda da forma correta

-Que idiota – disse o NamJoon batendo na cabeça do Hoseok

-Não faças isso – disse enquanto segurei a mão do NamJoon – ele é capaz de perder o resto da inteligência

-Yah hyung – disse o Hoseok muito ofendido

-Sim claro agora toma conta dele que eu preciso do NamJoon

O NamJoon olhou-me e eu abanei a cabeça para que ele me seguisse. Ele acabou por o fazer sem dizer absolutamente nada. Assim que chegamos a minha sala ele olhou-me.

-O que se passa? – perguntou

Ele conhecia-me tão bem. Não era preciso eu dizer uma palavra para ele saber que o que eu tinha para dizer não era nada bom.

-Contaste os miúdos? – perguntei

-Ao almoço…. – respondeu

-O Taehyung foi almoçar?

Ele olhou para outro ponto da sala tentando-se lembrar.

-Foi – respondeu com certeza – estava no cantinho dele. Porque?

-Porque eu estou preocupado! Pelo que percebi ele voltou a deixar de falar. Nenhum dos miúdos consegue falar para ele.

-A adolescência é difícil

-Toda a vida dele foi difícil – suspirei

-Há aqui alguém que tenha tido uma vida fácil, Jin?

Acabei por fechar os olhos e acenar que não.

-Ele voltou a calar-se e a não deixar ninguém aproximar-se depois que se soube da história do Yoongi e do Hoseok discutirem por causa da idade.

-Ele é mais próximo do Hoseok não é? – inquiriu o NamJoon

Acenei que sim.

-Vais deixá-los irem embora? – voltou a questionar-me

-Eu só preciso de mais algum tempo – respondi

-Como assim?

-Eu arranjei emprego para o Yoongi com a Yang

-Isso é bom – interrompeu-me o NamJoon

-Sim, mas não encontrei para o Hoseok. Eu sei que o Yoongi faz anos primeiro e o caso é mais urgente mas eu não quero ter de mandar nenhum embora. Se eu tivesse condições eu dava-lhes emprego mas.. – calei-me

-SeokJin – disse o NamJoon aproximando-se – o que se passa? Não guardes tudo para ti!

As lágrimas começaram a cair dos meus olhos umas atrás das outras.

-Estamos sem verbas. Estamos a ficar no limite NamJoon!

-O que queres dizer? – perguntou-me

-Eu não sei quanto mais tempo aguentamos de pé. Com pão e água para todos.

-Mas eles não tem casa… - disse baixo

-Eu sei… se ao menos eu conseguisse arranjar algo para os mais velhos. Eles teriam as vidas deles mais ou menos organizadas….

O NamJoon segurou o meu rosto e limpou as minhas lágrimas com os polegares e abraçou-me dando-me um pouco de conforto.

-Vai tudo correr bem. Eu vou ajudar-te. Somos a única esperança de muitos. Nós estávamos a fazer bem e vamos continuar.

Abracei o NamJoon de volta, até porque eu precisava daquilo. Eu precisava que alguém me dissesse que o que eu tinha estado a fazer era o certo.

-NamJoon… obrigado por estares do meu lado…

-Eu sempre vou estar – respondeu apertando-me mais nos seus braços

Porque é que o calor dele me fazia sentir tão bem, tão protegido, quase como se todos os problemas do mundo desaparecessem.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Obrigada por seguirem
Kisuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...